Este Dia na História: 09/05/1950 - Publicação de Dianética

Este Dia na História: 09/05/1950 - Publicação de Dianética


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Este dia na história - 8 de maio de 1950, foi o dia em que o livro de Dianética foi publicado pela primeira vez. Este livro sustentava a teoria de que as memórias inconscientes poderiam ser apagadas por meio de terapia e tratamento adequados pela igreja de Scientology. Para saber mais, confira este vídeo.


Este Dia na História: 09/05/1950 - Publicação de Dianética - HISTÓRIA

Damos uma olhada em alguns dos eventos que ocorreram em 9 de maio.

1457 - Esta é a data tradicionalmente observada como o início da Batalha de Megiddo.

1671 - Thomas Blood tentou roubar as joias da coroa da Inglaterra.

1868 - Reno, Nevada foi fundada.

1901 - Primeiro parlamento da Austrália reunido em Melbourne.

1949 - Rainier se tornou Príncipe de Mônaco.

1960 - O FDA aprovou a venda da pílula anticoncepcional.

1974 - As audiências de impeachment no escândalo Watergate começaram.

Compartilhando um aniversário hoje ...

John Ashcroft o procurador-geral dos EUA nasceu em 1942.

James Barrie o autor de “Peter Pan” nasceu em 1860.

Candice Bergen a estrela de "Murphy Brown" e "Boston Legal" da TV nasceu em 1946.

James L. Brooks o escritor / produtor de filmes notáveis ​​como "As Good As It Gets" e "Terms of Endearment", bem como o popular programa de TV "Os Simpsons".

John Brown o renomado abolicionista nasceu em 1800.

Howard Carter um dos descobridores da tumba de Tutancâmon nasceu em 1874.

Rosario Dawson que estrelou “Clerks II”, “Sin City” e “Alexander” nasceu em 1979.

Albert Finney o ator aclamado pela crítica que estrelou em “Tom Jones”, “Annie”, “Erin Brockovich” e foi a voz de Finis Everglot na animação “Noiva Cadáver” nasceu em 1936.

Glenda Jackson que estrelou “Touch of Class” nasceu em 1936.

Billy joel o lendário cantor / músico por trás de sucessos como "Piano Man" e "We Didn't Start The Fire" nasceu em 1949.

Alley Mills que estrelou como Norma na TV "The Wonder Years", bem como na TV diurna "The Bold & The Beautiful", nasceu em 1951.

Frank Perdue um dos fundadores da Perdue Chicken nasceu em 1920.

Tom Petersson o baixista da banda de rock Cheap Trick nasceu em 1950.

David Prater metade de Sam & Dave da música, que tinha um hit com "Soul Man".

Tommy Roe o cantor de “Dizzy” nasceu em 1942.

Hank Snow o cantor country que tinha canções de sucesso com "I’m Moving On" e "I’ve Been Everywhere" nasceu em 1914.

Mike Wallace O repórter e jornalista do programa de TV “60 Minutes” nasceu em 1918.

Herschel Bernardi a voz por trás de favoritos como o Jolly Green Giant e Charlie the Tuna faleceu em 1986 com 62 anos de idade.

James Jones o autor de “From Here to Eternity” e “The Thin Red Line” faleceu em 1977 aos 55 anos.

Marion Lorne a atriz mais lembrada como a tia Clara de "A Feiticeira" da TV faleceu em 1968 aos 82 anos.

Keith Whitley o cantor country que tinha canções de sucesso como "I’m No Stranger to the Rain" e "Don Don't Close Your Eyes" faleceu em 1989 aos 33 anos de idade.

Topo das paradas neste dia em ...

1964 - “Hello Dolly” de Louis Armstrong
1970 - “American Woman” de The Guess Who
1981 - On The Country Charts - “Am I Losing You” de Ronnie Milsap
1992 - On The Country Charts - “Neon Moon” de Brooks & Dunn

1962 - Os Beatles assinaram seu primeiro contrato de gravação.

1971 - O último episódio de “The Honeymooners” foi ao ar.

1950 - A “Dianética” de L. Ron Hubbard foi publicada pela primeira vez.

1987 - Tom Cruise e Mimi Rogers se casaram.

Visite meu site para ver erros de filme em Peter Pan, Sin City e Noiva Cadáver.

Copyright do conteúdo e cópia 2021 de Tammy Cordani. Todos os direitos reservados.
Este conteúdo foi escrito por Tammy Cordani. Se você deseja usar este conteúdo de qualquer maneira, você precisa de permissão por escrito. Entre em contato com Lane Graciano para obter detalhes.


Hoje é Dia de Dianética, o dia em que o livro básico & # 8220Dianética & # 8211 The Modern Science of Mental Health & # 8221 foi publicado pela primeira vez.

Os Amigos de LRH fizeram um comunicado à imprensa sobre isso, e aqui está:

Este dia na história marca o aniversário de “Dianética: a ciência moderna da saúde mental”. Escrito por L. Ron Hubbard e lançado em 9 de maio de 1950, Dianética se tornou um best-seller de autoajuda de todos os tempos, com mais de 21 milhões de cópias vendidas em 165 países e apareceu em um total de 116 listas de bestsellers.

Eventos em comemoração ao aniversário de Dianética e notícias de seu uso mundial estão agendados em todo o mundo esta semana no que é também o Ano do Centenário de L. Ron Hubbard (1911-2011). As celebrações do centenário que comemoram a vida do Sr. Hubbard (1911-1986) foram lançadas internacionalmente em março deste ano e devem continuar ao longo de 2011 em datas significativas relacionadas com a vida e obras do Sr. Hubbard.

L. Ron Hubbard nasceu em Tilden, Nebraska, a 13 de março de 1911 e é amplamente conhecido como autor, humanitário e fundador da Cientologia. L. Ron Hubbard também se tornou o mais jovem Eagle Scout da nação em 1924, apenas duas semanas após o seu décimo terceiro aniversário. Aos 19 anos, ele havia viajado mais de 250.000 milhas e se tornou um prolífico escritor de ficção nas décadas de 1930 e 1940 - publicando mais de 138 contos, novelas e romances. Sua escrita financiou sua pesquisa sobre a natureza do homem, formando a base do que mais tarde se tornou Dianética e Scientology.

Durante a Segunda Guerra Mundial, ele serviu como Tenente na Marinha dos Estados Unidos, onde atuou tanto no Atlântico quanto no Pacífico. Após a guerra, L. Ron Hubbard continuou sua pesquisa e em 9 de maio de 1950 “Dianética: A Ciência Moderna da Saúde Mental” foi lançado e se tornou um dos livros de autoajuda mais vendidos com mais de 21 milhões de cópias vendidas e está disponível em 50 idiomas.


As Sementes de Scientology

Quando L. Ron Hubbard, o fundador da Igreja da Cientologia, morreu em 24 de janeiro de 1986, o mistério envolveu sua morte, assim como encobriu as últimas décadas de sua vida.

Hubbard começou Scientology no início dos anos 1950 como um programa de ideias espirituais chamado Dianética. O advento da teoria de Dianética apareceu no The Explorers Journal, com os membros e associados do Explorers Club os primeiros a examinar sua descrição oficial. A religiosidade e a grande exploração de Hubbard foram ambos subprodutos de viajar para tantas terras distantes por meio de uma busca maior por respostas a ser desenvolvida em Scientology, que foi significativamente influenciada por uma série de anos decisivos passados ​​no oeste de Montana.

Hubbard nasceu em 13 de março de 1911, em Tilden, Nebraska. Depois de se mudar de sua cidade natal, ele passou seus primeiros dois anos em Durant, Oklahoma, onde seu avô Lafayette Waterbury havia estabelecido uma fazenda de cavalos. Seu avô, conhecido como Lafe, foi descrito como "um homem grande e musculoso, um companheiro bem conhecido, amigo de todo o mundo", de acordo com a biografia de Hubbard Messias de rosto nu. Lafe e sua esposa tiveram um filho e seis filhas, incluindo a mãe de Hubbard, Ledora May. Seu pai, Harry Ross Hubbard, serviu na Marinha dos Estados Unidos durante os primeiros anos de Hubbard.

Quando seu pai voltou do serviço, a família Hubbard-Waterbury mudou-se para Kalispell, onde o avô de Hubbard adquiriu várias dezenas de hectares de terra para a criação de mustangs de sangue e possuía vários "haras famosos". Seu pai trabalhava em um jornal local. Foi também em Kalispell que Hubbard disse que, com apenas 3 anos e meio de idade, aprendeu a ler, escrever e montar um cavalo de batalha chamado Nancy Hanks, ele lembrou na biografia Master Mariner: no leme através das sete vistas, “Com um único snaffle bit, sem alça, sem esporas e uma sela de cavalaria McClellan cortada, cujas saias tiveram que ser amputadas para que os estribos da casa de cachorro estivessem altos o suficiente para eu alcançá-los”. Ele alegou que tinha fotos para provar que estava escrevendo bem em uma idade tão jovem. A história que Hubbard recontou foi uma das “primeiras ligações de amizade” formadas no outono de 1914, quando o jovem dançou ao som de tambores indígenas e impressionou os índios Pés Negros em uma cerimônia tribal realizada nos arredores da cidade. (Vários críticos, posteriormente, escrevendo exposições da Cientologia descartaram seu conto como fantasioso e "pura ficção".)

Hubbard como escoteiro. Imagem de cortesia

“Eu vivi no oeste típico com suas atitudes de fazer e ousar, seu humor irônico, travessuras de cowboy e não fazer nada do pior e mais perigoso”, disse ele em Master Mariner. “O clima em Montana é obviamente brutal. O país é imenso e engole os homens com bastante facilidade, portanto, eles precisam viver mais do que a própria vida para sobreviver. Ainda havia índios vivendo em tendas abandonadas e isoladas, a raça derrotada, fazendo manoplas de pele de gamo lindamente trançadas e outros foofaraw. Notável entre eles era um índio chamado "Velho Tom" que era suficientemente sujo, fora da lei e interessante, um verdadeiro feiticeiro Blackfoot, para ser o sonho de um menino. "

Hubbard mudou-se um ano depois com sua família para “The Old Homestead”, fora de Helena. Em algumas de suas notas biográficas, ele escreveu: “Cresci com velhos homens da fronteira, vaqueiros e tive um curandeiro indiano como um de meus melhores amigos. Até os 10 anos, vivi a dura vida do oeste ... em uma terra com nevascas 40 graus abaixo da média e vastos espaços ”. Mais tarde, ele falou de sua primeira casa de verdade, “Old Brick”, uma propriedade que ficava na esquina da Fifth Avenue com a Beattie Street em Helena. Serviu como lar para toda a família Hubbard-Waterbury, incluindo avós, Hubbard e suas seis irmãs, Harry Ross, Ledora e um agressivo bull terrier chamado Liberty Bill.

Ele se tornou um viajante mundial aos 10 anos, graças à carreira de seu pai na Marinha, e começou sua disciplina de escrita mantendo um diário de suas viagens. Depois que Ross foi promovido a tenente da Marinha em 1921, os Hubbards embarcaram em uma vida de movimento constante, mudando-se quase anualmente para postos em Guam, San Diego, Seattle e Bremerton no estado de Washington e Washington, D.C.

Hubbard sempre voltou para Helena nos primeiros anos e frequentou a Helena High School em 1927-28, onde escreveu para o jornal da escola. Ele considerava Helena afetuosamente como sua "cidade natal", de acordo com seus primeiros diários, e contou algumas de suas aventuras em um artigo no Helena Daily Independent em 1927. Um dos destaques de suas viagens foi testemunhar uma execução na China, de acordo com o artigo. Ele também observou que tinha a "distinção de ser o único menino no país a obter um distintivo Eagle Scout na idade de 12 anos", o que ele fez enquanto estava em Washington, DC. funcionários do jornal bimestral da escola, "The Nugget", incluindo o ruivo Ronald Hubbard, um dos dois "editores de piadas". Seus amigos o chamavam de “Brick”.

Licença de piloto de L. Ron Hubbard. Imagem de cortesia

Anos mais tarde, Hubbard abandonou a George Washington University em 1932 e tentou a sorte no jornalismo freelance, mas logo desistiu em favor da escrita de ficção popular. A maioria dos escritores de ficção popular contava contos exagerados: histórias de mercado de massa repletas de ação publicadas em revistas de produção barata. Dianética foi lançada e escrita como ficção científica, mas no verão de 1950, Dianética estava avançando nas listas de best-sellers e, em agosto de 1950, mais de 500 “clubes de Dianética” haviam surgido em todo o país. “Um novo culto está latindo em toda a vegetação rasteira dos EUA”, declarou a revista Time em 24 de julho de 1950.

O espírito errante da infância de Hubbard em Montana estimulou um amor eterno pela aventura e, de acordo com Vaughan Young, autor de uma biografia de Hubbard, Hubbard atribuiu seu sucesso em parte à "atmosfera áspera e dura" da vida no rancho de Kalispell e Helena. Ele era um sonhador que se via como o herói de sua rica história de aventura. Avaliações consideravelmente menos amáveis ​​de Hubbard podem ser localizadas em uma série de registros do tribunal, declarações e até mesmo alguns dos primeiros escritos de Hubbard, que apresentam o fundador da Cientologia como um fabulista nato cujas alegações continham muitos enfeites, junto com, em muitos casos , fabricações completas.

Hubbard mais tarde renomeou Dianética como Scientology, que se consolidou como uma base de crenças e práticas religiosas. Dois pesquisadores enviados em nome da Igreja da Cientologia, Pam Schwartz e Mary Pirak, de Hollywood, Califórnia, até visitaram Helena em janeiro de 1975 para pesquisar as raízes de Hubbard e promover sua igreja. Não havia nenhuma Igreja da Cientologia em Montana, eles disseram que as mais próximas ficavam em Salt Lake City e Omaha. (Até hoje, nenhuma igreja encontrou suas raízes em Montana.) Scientology continua a ser uma religião predominante nos círculos de Hollywood hoje.

Hubbard visitou Montana pela última vez em 1975, quando ele e seu pai vieram para o funeral de seu avô materno. Sua mãe morreu em 1959. Seus pais e avós maternos estão enterrados no cemitério Forestvale perto de Helena. Em um perfil de Hubbard no The New York Times na época, o comportamento do autor foi descrito como cada vez mais errático. Enquanto sua fortuna havia aumentado, suas amizades diminuíram, quase ao ponto de seu isolamento total. Ele renunciou a sua posição de liderança na igreja em 1966 para se dedicar à escrita. Mas ele não tinha sido ouvido, e mesmo os representantes da igreja geralmente tinham dificuldade em identificar seu paradeiro. Um processo de seu filho para que ele fosse declarado morto ou incompetente foi arquivado em julho de 1975 por um juiz da Califórnia. Hubbard recusou-se a comparecer a qualquer um dos procedimentos e passou seus últimos anos fora dos olhos do público.

No entanto, em 1984, dois anos antes de sua morte aos 74 anos, o recluso escritor de ficção científica se abriu uma última vez para um biógrafo e lembrou como passou "as partes mais memoráveis ​​de sua juventude" em Kalispell e "The Old Homestead" fora Helena. Ele lembrou que nunca teve permissão para montar em nenhum dos animais sanguinários criados por seu avô, apenas em broncos e mustangs. “Não importava quantas vezes eu era jogado”, disse ele. “Quando um mustang explodiu sob mim, instigado por um cobertor de sela congelado, fui eu quem sempre foi repreendido e advertido para não ser mau com os cavalos. Nunca pareceu surpreender esses adultos que eu permanecesse vivo sob tudo isso. ”

Brian D’Ambrosio mora em Helena, Montana. Seu livro mais recente, “Montana Entertainers: Famous and Almost Forgotten”, foi lançado em julho de 2019.


Aconselhamento espiritual de Scientology

A US Magazine relatou ontem sobre John Travolta dizendo que & # 8221 Scientology nos ajudando & # 8216Heal & # 8217 After Jett & # 8217s Death & # 8221. Na verdade, sua esposa Kelly Preston disse algo assim, a saber: & # 8220Nós participamos de aconselhamento espiritual quase diariamente. & # 8221 (US Magazine, 9 de novembro de 2009)

Eu entendo que ela está falando sobre auditoria, o aconselhamento espiritual da Igreja de Scientology. Scientology.org tem um artigo sobre auditoria que só posso recomendar. Ainda melhor é este vídeo:

A primeira técnica de auditoria desenvolvida por L. Ron Hubbard foi a auditoria de Dianética, abordada em seu livro & # 8220Dianética & # 8211 a ciência moderna da saúde mental & # 8221 (1950). Este livro ainda está sendo vendido, no papel, como livro de áudio e como um filme, e permite que qualquer pessoa se sente com um amigo e comece a auditar, onde quer que esteja, e assumir o controle dessas coceiras e padrões irracionais em sua vida (mais vídeos & # 8211 não incorporáveis ​​& # 8211 sobre isso estão aqui).


Conteúdo

Embora fosse mais conhecido por sua fantasia pulp e ficção científica, Hubbard também escreveu aventura, aviação, viagem, mistério, faroeste e romance. Ele escreveu com seu próprio nome e como Kurt von Rachen e René Lafayette, seus principais pseudônimos de ficção científica / fantasia. Seus outros pseudônimos incluíam "Winchester Remington Colt (obviamente reservado para Westerns), Tenente Jonathan Daly, Capitão Charles Gordon, Bernard Hubbel, Michael Keith, Legionário 148, Legionário 14830, Ken Martin, Scott Morgan ou Tenente Scott Morgan, Barry Randolph e Capitão Humbert Reynolds. " [2]

O primeiro conto de Hubbard, "Tah", foi publicado no Suplemento Literário de A machadinha, Jornal do campus da George Washington University, em fevereiro de 1932. [2] Em fevereiro de 1934, a revista pulp Aventura emocionante foi o primeiro a publicar um dos contos de Hubbard. Nos seis anos seguintes, mais de 140 de seus contos apareceram em revistas semelhantes dedicadas a grandes aventuras e mistério.

Hubbard começou a publicar Ficção Científica com a revista Espantoso em 1938, e na década seguinte ele foi um contribuidor prolífico para ambos Espantoso e a revista de ficção de fantasia Desconhecido. No entanto, apesar dos esforços de apoiadores posteriores para atribuir a Hubbard um papel central na criação da ficção científica moderna, ele não era membro do pequeno grupo de impulsionadores principais - L. Sprague de Camp, Robert A. Heinlein e Isaac Asimov - no gênero . [2]

O primeiro grande sucesso financeiro de Hubbard veio com a publicação de Dianética em 1950, após o que deixou o campo da escrita de ficção científica por muitos anos. Em 1951, ele reformulou o material de Dianética em Scientology. Nessa época, ele estabeleceu sua primeira organização editorial, dedicada exclusivamente a suas próprias obras, e a usou (e suas encarnações posteriores) para publicar sua própria "tecnologia espiritual", bem como suas idéias sobre administração de empresas, alfabetização e reabilitação de drogas . [3]

Hubbard voltou ao campo da escrita de Ficção Científica em 1982 com a publicação de Battlefield Earth, seguido pelo Mission Earth "decalogia", uma série de dez volumes, a maioria dos quais publicada postumamente.

Hubbard produziu mais de 250 obras publicadas de ficção em sua carreira de escritor. No auge, ele escreveu “mais de 100.000 palavras por mês”. Ele é lembrado por sua "produção prodigiosa" e pela "incrível velocidade com que ele conseguia produzir cópias". Ele usou uma máquina de escrever elétrica especial da IBM com teclas extras para palavras comuns como ‘e’, ‘o’ e ‘mas’. [4]

O braço editorial de Scientology traduziu seu trabalho para setenta e duas línguas. [5] Seus livros de ficção e não ficção venderam milhões de cópias, [6] e Hubbard detém quatro Guinness World Records para “Obras mais publicadas por um autor”, “A maioria dos livros em áudio publicados por um autor”, “Autor mais traduzido do mundo” e "Autor mais traduzido, mesmo livro" (O caminho para a felicidade). [7]

As críticas à ficção de Hubbard são mistas. Georges T. Dodds, colunista da URDIDURA, boletim informativo / fanzine da associação Montreal Science Fiction and Fantasy escreve, "muito da ficção científica e fantasia [de Hubbard] é bastante divertida e, na maioria dos casos, tão boa ou melhor do que grande parte da literatura popular da época." [8] Um revisor para Publishers Weekly enfatiza "a capacidade de Hubbard de embalar um épico em relativamente poucas páginas - esta é de fato uma ficção científica dourada da Idade de Ouro.". [9] O Enciclopédia de Ficção Científica afirma que a ficção científica "claramente não era o forte de Hubbard, e a maior parte de seu trabalho no gênero parece tendencioso ou trabalhoso ou ambos. Como um escritor de fantasia, no entanto, [Hubbard] escreveu com um fervor ocasionalmente pixelado que ainda é agradável, e às vezes, uma reminiscência das comédias malucas populares no cinema dos anos 1930. " [2]

Enciclopédia de Ficção Científica diz sobre a última incursão de Hubbard no gênero de ficção científica: "Battlefield Earth: A Saga of the Year 3000 (1982), [é] uma ópera espacial enormemente longa composta em um idioma que parecia embaraçosamente arcaico. Isso foi seguido pelo Mission Earth 'decalogia', uma sequência de dez volumes cuja farsa exagerada de um fio narrativo seriamente tênue não consegue disfarçar um conto que teria se sentido mais em casa no início das revistas Pulp, embora sua extensão não fosse tolerada. " [2]

Enquanto dezenove dos livros de Hubbard apareceram no New York Times lista de mais vendidos, jornal rival do New York Times, o Los Angeles Times [10] publicou um artigo questionando a validade de tais vendas. O New York Times é citado no mesmo artigo, "o jornal não revelou casos em que grandes quantidades de livros foram vendidas a indivíduos solteiros." Acrescentando ainda, "Ficção científica e livros de autoaperfeiçoamento sempre foram muito vendidos na América, e as obras de Hubbard há muito tempo têm um grande número de seguidores." [11]

Hubbard é creditado por escrever a história na qual O segredo da ilha do tesouro, uma série de filmes da Columbia Pictures de 1938, foi baseada, [12] bem como a história em que um episódio do programa de TV Contos de Wells Fargo (1957) foi baseado. [13]

Esta é uma lista parcial das obras de ficção publicadas de Hubbard. Incluídos estão Temer, Para as estrelas, Blackout final e Máquina de escrever no céu, que foi publicado em 1940 e reimpresso várias vezes. Para as estrelas foi publicado em Ficção científica surpreendente revista em 1950. [14] Hubbard teve um total de 235 obras de ficção publicadas. [15] Títulos reimpressos, reimpressos pela editora Galaxy Press, incluem O duque de ferro, Refém da morte, Carga de Caixões, Chaves de bronze para assassinato, e Sob o Alferes Negro.

A Europa devastada pela guerra é o cenário de Blackout final, que Pau Walker descreveu como "um romance sombrio e duro de conflito sem esperança e um tenente idealista que luta até o seu fim irônico." Uma ironia sombria semelhante permeia Delegado da Morte, em que um imortal, anulado para punir os humanos de acordo com os caprichos de sua raça, busca em vão sua própria morte. Os romances curtos Máquina de escrever no céu e Temer (Novela de Hubbard) são fantasias horríveis que muitos críticos consideram clássicos da época de ouro da ficção científica. Temer, que relata a existência de um homem que alterna entre psicose e sanidade, é considerada uma das melhores obras de Hubbard. O último livro de Hubbard deste período, Voltar para amanhã, é uma "ópera espacial" que antecipa futuros temas de ficção científica em sua história sobre comerciantes intergalácticos dos quais um mês equivale a um século do tempo da Terra. As histórias de Hubbard escritas sob o pseudônimo de Rene Lafayette e coletadas em Ole Doc Methuselah (1970) relatam os contos de um médico que atravessa o tempo e o espaço enquanto se opõe a criminosos e inimigos por sua profissão. [16]

Battlefield Earth Editar

Battlefield Earth é um romance de ficção científica de 1982 escrito por Hubbard. Ele compôs uma trilha sonora para o livro chamado Space Jazz. Inicialmente intitulado Homem, as espécies ameaçadas de extinção, Battlefield Earth foi publicado pela primeira vez em 1982 pela St. Martin's Press, embora todas as reimpressões subsequentes tenham sido feitas pelas editoras da Igreja de Scientology, Bridge Publications e Galaxy Press. Escrito no estilo da era pulp fiction (durante a qual Hubbard começou sua carreira de escritor), o romance tem mais de 750 páginas em capa dura e mais de 1000 em brochura. Foi o primeiro romance abertamente de ficção científica de Hubbard desde os dias de sua revista pulp na década de 1940, e foi promovido como o "retorno" de Hubbard à ficção científica após um longo hiato.

A revista de fantasia e ficção científica descreveu o livro como um "fio de aventura de FC bastante bom, rápido e muitas vezes fascinante". O autor de fantasia Neil Gaiman escreveu: "Por uma boa relação custo-benefício, eu tenho que recomendar o enorme Battlefield Earth de L. Ron Hubbard - mais de 1000 páginas de emoções, derramamentos, alienígenas cruéis, humanos nobres. A humanidade é uma espécie em extinção? O belo e heróico Jonny Goodboy Tyler reconquistar a Terra dos Psychlos de quase três metros de altura? Uma homenagem aos dias de Pulp, achei-o impossível. E tudo por £ 2,95 ". Frederik Pohl disse: "Eu li 'Battlefield Earth' de uma vez, embora seja imenso. Fiquei fascinado por ele." Kevin J. Anderson diz: "Battlefield Earth é como uma maratona de 'Indiana Jones' de 12 horas. Ininterrupta e acelerada. Cada capítulo tem uma grande aventura." A Publishers Weekly disse sobre o romance, "Isso tem tudo: suspense, pathos, política, guerra, humor, diplomacia e finanças intergalácticas." O autor de ficção científica A. E. van Vogt declarou: "Uma aventura maravilhosa. Grandes personagens. Uma obra-prima." mas mais tarde admitiu que não o tinha lido devido ao seu tamanho.

Battlefield Earth foi para o topo do New York Times Lista dos melhores vendedores e também os do Los Angeles Times, TEMPO, United Press International, Associated Press, B. Dalton's e Waldenbooks. De acordo com os agentes literários de Hubbard, Author Services Inc., em junho de 1983 o livro vendeu 150.000 cópias e ganhou $ 1,5 milhão.

O livro foi adaptado para o cinema em 2000 e mantém o status de cult, apesar de ter sido bombardeado nas bilheterias e criticado criticamente.

Para as estrelas Editar

Para as estrelas foi publicado pela primeira vez em formato de livro em 1954 com o título Voltar para amanhã, e foi publicado pela primeira vez em capa dura em 1975 com o mesmo título. O livro foi geralmente recebido positivamente e ganhou uma indicação em 2001 para o Prêmio Hugo "Retro" de Melhor Novela. Publishers Weekly deu ao livro uma crítica positiva, chamando-o de uma das "melhores obras" de Hubbard, e Alan Cheuse destacou o trabalho no programa da National Public Radio Todas as coisas consideradas como uma das principais opções de férias da literatura.

Galáxia o crítico Groff Conklin descreveu a edição de 1954 como "uma aventura rápida e sombria ... quase absurda, mas ainda assim interessante". [17] Anthony Boucher criticou o romance, chamando-o de "uma ópera espacial surpreendentemente rotineira e sem enredo". [18]

Brigadas de camurça Editar

Brigadas de camurça foi o primeiro livro de capa dura de Hubbard e seu primeiro romance publicado. Hubbard incorpora antecedentes históricos da tribo Blackfeet no livro. O livro foi relançado pela Bridge Publications em uma edição de 1987. O livro foi publicado em formato de livro de áudio pela Bridge Publications e lido pelo ator Bruce Boxleitner, que foi contratado pela subsidiária da Igreja da Tecnologia Espiritual, Author Services Inc. para ler os livros de Hubbard em fita. o New York Times afirmou que, "o Sr. Hubbard inverteu uma fórmula consagrada pelo tempo e deu um thriller ao qual, no final de cada capítulo ou assim, outra face pálida morde a poeira... (tem) um entusiasmo, até mesmo um frescor e brilho , decididamente raro neste tipo de romance. " [19]

Algumas fontes afirmam que quando jovem, Hubbard se tornou um irmão de sangue da tribo Piegan Blackfeet nativa americana enquanto vivia em Montana, [20] [21] embora esta afirmação seja contestada. [22] Hubbard incorpora antecedentes históricos da tribo Blackfeet no livro. [20]

Delegado da Morte Editar

Delegado da Morte foi publicado pela primeira vez em forma de livro, em 1948, pela Fantasy Publishing Company, Inc. O romance apareceu originalmente na edição de fevereiro de 1940 da revista Desconhecido.

Temer Editar

Temer é uma novela de terror e suspense psicológico de Hubbard, que apareceu pela primeira vez em Desconhecido Fantasy Fiction em julho de 1940. Stephen King chamou o livro de "Um conto clássico de ameaça e terror rastejantes e surreais". [23] Este é possivelmente o romance mais aclamado pela crítica de Hubbard, recebendo críticas positivas de nomes como Isaac Asimov e Ray Bradbury.

Blackout final Editar

Blackout final foi publicado pela primeira vez em formato serializado em 1940 na revista de ficção científica Ficção científica surpreendente. Foi publicado em forma de livro em 1948 pela The Hadley Publishing Co. Author Services Inc. publicou uma edição de capa dura do livro em 1988 e, em 1989, a organização afiliada à Igreja de Scientology Bridge Publications anunciou que o diretor de cinema Christopher Cain havia assinado um contrato escrever e dirigir uma versão cinematográfica baseada no livro. Blackout final e Temer são frequentemente citados pelos críticos como os melhores exemplos das obras de ficção popular de Hubbard. Robert Heinlein chamou o livro de "a obra de ficção científica mais perfeita que já foi escrita". [23] Chuck Moss do Daily News de Los Angeles chamou o livro de "ficção científica extremamente boa". O livro foi incluído no currículo de uma aula de escrita de ficção científica na California State Polytechnic University, Pomona. Karl Edward Wagner citado Blackout final como um dos treze melhores romances de terror de ficção científica.

Assassino Editar

Assassino é uma coleção de contos de ficção científica de Hubbard. Foi publicado pela primeira vez em 1949 pela Fantasy Publishing Company, Inc. em uma edição de 1.200 cópias. A história do título apareceu pela primeira vez nesta coleção. As outras histórias já haviam aparecido na revista Espantoso.

Ole Doc Methuselah Editar

Ole Doc Methuselah, publicado em 1970, é uma coleção de contos de ficção científica de Hubbard originalmente publicado em Ficção científica surpreendente de 1947 a 1950.

Escravos do sono Editar

Escravos do sono foi publicado pela primeira vez em forma de livro, em 1948, pela Shasta Publishers, e apareceu originalmente em 1939 em uma edição da revista Unknown.

Máquina de escrever no céu Editar

Máquina de escrever no céu foi bem recebido. The Philadelphia Inquirer chamou de "diversão fanfarrão", e John Clute e John Grant em Tenciclopédia de fantasia caracterizou a obra como a melhor das histórias de Hubbard a partir do tema da fantasia árabe.

Mission Earth Editar

Mission Earth é um romance épico de ficção científica, dividido em dez volumes de comprimento desigual. Cada volume era um New York Times Best-seller. [24] Os dez volumes do Mission Earth séries, todas exceto a primeira das quais foram publicadas postumamente, compreendem O plano dos invasores (1985), Black Gênesis: Fortaleza do Mal, O Inimigo Interno, Um Caso Estrangeiro, Fortuna do Medo, Busca da Morte (1986), Viagem de vingança, desastre, vilania vitoriosa, e O planeta condenado (1987). [25]

Estabelecido e patrocinado por Hubbard em 1983, o "Writers Award Contest" é uma competição que visa descobrir, e eventualmente publicar, escritores amadores e aspirantes merecedores. Para entrar, o escritor não deve ter publicado profissionalmente mais de três contos ou mais de uma novela. Não há taxa de inscrição e o participante mantém todos os direitos sobre seu trabalho. O L. Ron Hubbard Gold Award, um troféu com uma pena de ouro e uma estrela incrustada em lucite de base vermelha, é apresentado ao vencedor anual do Grande Prêmio, selecionado entre os quatro primeiros vencedores trimestrais, e inclui um prêmio de $ 5.000. Até o momento, o “Programa Escritores do Futuro” se tornou um dos maiores, mais conhecidos e mais bem estabelecidos veículos de descoberta no campo. Os vencedores publicaram mais de 700 romances e 3.000 contos, apareceram em listas de bestsellers internacionais, [26] lançou a carreira de centenas de autores e até oito bestsellers do New York Times. [27]

O Concurso de Ilustradores do Futuro de L. Ron Hubbard foi lançado em 1988. O Concurso premia três vencedores a cada trimestre e faz com que ilustrem uma história vencedora do Concurso Escritores do Futuro. Estas ilustrações renderizadas são inscritas na competição do Grande Prêmio e publicadas na antologia de L. Ron Hubbard Presents Writers of the Future com sua respectiva história companheira. Todos os temas de ficção científica e ilustrações de fantasia são bem-vindos no concurso. Os participantes não são obrigados a pagar a taxa de inscrição e o artista detém todos os direitos da inscrição. [28]


Livros de 1951 LRH [editar | editar fonte]

Em 1951, L. Ron Hubbard publicou cinco livros. Eles estão em ordem de publicação:

Ciência da Sobrevivência , publicado em 1º de agosto de 1951 [[4]].
Autoanálise, publicado em agosto de 1951 [[5]].
Dianética: A Tese Original , escrito em 1948, publicado em 1951 [[6]]
Dianética Infantil , publicado em outubro de 1951 [[7]].
Manual para preclears, publicado em dezembro de 1951 [[8]]

1. DIA (grego) até, NOUS (grego) mente, lida com um sistema de imagens mentais em relação ao trauma psíquico (espiritual). Com base na revelação pessoal, acredita-se que as imagens mentais compreendem a atividade mental criada e formada pelo espírito, e não pelo corpo ou cérebro. (BPL 24 set 73 V) 2. Dn se dirige ao corpo. Thus Dn is used to knock out and erase illnesses, unwanted sensations, misemotion, somatics, pain, etc. Dn came before Scn. It disposed of body illness and the difficulties a thetan was having with his body. (HCOB 22 Apr 69). mais

An evening, part-time organization. It's hours are 6:00 P.M. to 11:00 P.M., Monday through Friday and 9:00 A.M. to 11:00 P.M. Saturday and Sunday. (Modern Management Technology Defined (C) 1976)

1. a mental image picture which is a recording of a time of physical pain and unconsciousness. It must by definition have impact or injury as part of its content. (HCOB 23 Apr 69) 2. a specialized kind of facsimile. This differs from other mental pictures because it contains, as part of its content, unconsciousness and physical pain. (Dn 55!, p. 12) 3. a complete recording, down to the last accurate detail, of every perception present in a moment of partial or full unconsciousness. (Scn 0-8, p. 11). mais


Norm Schoonebeek's Blog

Here we are in the year 2020 and Psychiatrists are still lying to patients telling them they have bipolar disorders or chemical imbalances or any other number of mental illness labels that simply describe symptoms but not the true causes of mental illness. They are making desperate efforts to expand their power to prescribe and deliver electroshock to more and more people, especially senior citizens and children. This is legalized torture and maiming.

It’s actually understandable why the average person gives in to trusting or agreeing with Psychiatrists’ diagnosis since people are not taught the truth in public school or by big media.

It you look at the ads on big media, top news outlets, many are Big Pharm ads, and a high percentage of those ads are for Psychotropic drugs.

As a Dianeticist and Scientologist I have studied and trained over 15 years about the true causes of mental illness and the true safe treatments to handle them. Any intelligent person with a genuine desire to learn the truth and who doesn’t have a vested interest in Psychiatry, Psychology or psychotrophic drug profits, can learn the truths of mental illness in the book Dianetics – The Modern Science of Mental Health by L. Ron Hubbard. Dianetics.org This book was published in 1950 and ignored by the majority of Psychiatrists and Psychologists because they are not interested in helping people. They are interested in controlling and dominating people.

Psychiatrists work hand in hand with fascist governments, secret society oligarchs and monarchy dictatorships and politicians treating human beings like animals, focusing on the stimulus-response mechanisms of the human body, it’s nervous system and endocrine system to learn ways to manipulate and control people’s behavior like robots.

In contrast, the goal of Dianetics and Scientology therapies are to increase a person’s self-determinism and raise their emotional state to a higher stable level of happiness.

Let’s take a look at the basic difference between the model of the human being and their mental health of Psychiatry and Psychology and that of Dianetics and Scientology.

Psychiatry and traditional Psychology as conceived in the early 1900’s treat human beings as just physical animals who for some unknown reason evolved to a higher level of intelligence and ability than all other animals on earth. And that human beings’ thoughts and emotions are determined solely by the condition of the brain, nervous system and endocrine system, like a flesh robot or what I term “fleshbots”.

In contrast, Dianetics explains mental illness as resulting from a hidden, subconscious mind called the Reactive Mind, that stores all of a person’s painful memories of moments of injury, druggings, surgery etc that contained pain and unconsciousness.

Scientology describes human beings as evolved, hominoid beings who’s sentience, intelligence, awareness, emotions, thoughts, choices, beliefs and self-determination are caused by a spiritual, immortal being termed a “thetan”, inhabiting or located in close proximity to their body.

The word thetan is simply derived from the Greek word “theta” which means spirit or thought.

The basic agenda of Psychiatry is to indoctrinate the public with false ideas about the mind and emotions to confuse people and destroy their confidence in their natural evaluations and understanding of their own emotions and thoughts so they become desperate for the “truth”. Then Psychiatrists, acting with authority in a pedantic, patronizing, condescending manner (or disingenuous), tell the patient they have a chemical imbalance so they will be willing to start taking dangerous psychotropic drugs which actually create mental illness and chemical imbalances.

Psychiatry typically blasts the public with TV, magazine and internet ads about anxiety and depression and how awful and dangerous they are and that the simple, safe, correct solution is to take a psychotropic drug that will calm their nerves and help them feel “happy” and stable and safe. Their hidden cohorts in Big Media make sure to announce ever day in the news all of the horrible, dangerous things happening everywhere to make sure they are anxious.

But the pills or drugs they offer as a solution only numb the worry or make the person “high-happy” so they aren’t worried or scared, and only temporarily. They aren’t helping the person understand what life is and the mind and emotions and how to handle difficult situation and people better. So their patients become dependent on the drug because their world remains full of uncertainties and dangers and they remain ignorant of how to handle it all.

In contrast, Dianetics helps people discover that a majority of their anxiety and mysterious emotions and nagging thoughts are caused by restimulation of the hidden memories in their reactive mind. Through Dianetics therapy they can discover these memories and discharge the force and pain of the memory so it does not have a dominating effect on them anymore.

More importantly, Scientology offers the widest, most thorough and accurate descriptions and explanations of what the human spirit is, what life (ie. existence-reality-the world) is made of and how it’s created and describes life as a game and what the rules are.

It explains the scale of emotions and why people move up and down the scale of emotions, the Tone Scale, and what a person can do to have better control of their emotions without the use of dangerous psychotropic drugs.

It exposes a primary cause of anxiety in people, the social connection to or influence by Anti-Social people, and how to handle them.

With Scientology there is a very precise map or path called The Bridge To Total Freedom. It is a list and sequence of exact “Rundowns” (precise series of actions) that a person can do to vanquish for good their reactive mind and attain the state called “Clear” and to recover their innate abilities as a spiritual, immortal being that have been hidden or lost over eons.

The slave masters of earth who use Psychiatry and psychotropic drugs and electroshock to disable and dominate humans spread black propaganda about Scientology in sleazy tabloids such as The Inquirer to scare people away from learning the true facts of life, the mind and spirit.

Never the less, Scientology is the fastest growing major religion in the world. People of all traditional religions study and use it’s spiritual technology because it is a practical religious philosophy with tools that work.

Scientology offers the most successful and safest methods and services for drug rehabilitation (Narconon), illiteracy (Applied Scholastics) and criminology (Criminon). It has the most effective Anti-drug program in the world, Drug Free World. It has the most effective human rights program on earth, United For Human Rights and the most effective organization for fighting the abusive, inhumane practices of Psychiatry, CCHR.org

And L. Ron Hubbard’s book The Problems Of Work is a phenomenal book that anyone can read and use to make holding a job or succeeding in a career much easier and more enjoyable.

Every day Dianetics and Scientology are helping more and more people recover from the tragedies of live and to become more and more able, sane, ethical and productive in life. You can see countless success stories at scientology.tv

In contrast, at CCHR.org you will see many documentaries on the crimes and destruction of lives caused by Psychiatry.

Psychiatry and related schools of Psychology have created an epidemic of people who are ignorant about life, the mind and spirit and are dependent on harmful psychotropic drugs and can no longer be responsible for themselves or hold a full time job or career.

This epidemic and the phenomena resulting from it inspired me to conceive 2 concepts that I mention in my book of short stories Zen N and my space adventure fictional novel Captain Sherwood – Sailing To Saturn.

psychbots – people treated by Psychologists and Psychiatrists with psychotropic drugs and false data about life, so they would cause confusion, accidents, calamity in their family, work and social life, henceforth making people feel they need Psychiatrists and their “happiness pills” to handle all the insanity that the Psychiatrists were actually creating and causing and injecting into society via the psycbots they created. It’s coined after the term computer “bot” which is a program or malware designed to go out on the internet under it’s own guidance and to find vulnerable computers it can take control of and to then be exploited by the originator. With psychbots the person messed up by Psychiatry goes back into society and causes continual aggravation and frustration for normal, sane, responsible, hard working taxpayers, by their intensely annoying, illogical and stupid demands, complaints, comments, beliefs, disaster-causing-actions and their cowardness, laziness, irresponsibility and unquenchable thirst for sympathy and pampering because of what a poor victim they are because of how much they’ve supposedly been mistreated by everyone under the sun. You’ll know one when you meet one. Don’t do to them what you start to feel like doing to them. You’ll end up in jail.

Pliginiforisity – inexcusable laziness, insanity and stupidity disguised as genuine mental illness, created and induced by Psychiatrists and their Psychotropic drugs and theories that were purported to help with the bogus, fraudulently diagnosed mental illnesses they claimed most people had

Disclaimer – the opinions expressed in this article are solely the opinion of Norman Schoonebeek and do not represent the official opinions of any representatives or executives of any Church Of Scientology. They have not been reviewed or approved by any official representatives or officers of any Church of Scientology or Scientology Organization. Any ideas described or mentioned in this article are not official definitions or descriptions of any policies or concepts of Dianetics or Scientology. For the genuine, accurate, authorized philosophies and technologies of Dianetics and Scientology please visit the official websites or Churches. Dianetics, Scientology, The Bridge To Total Freedom are trademarks of the Religious Technology Center.


Today in History – 9 May

Maharana Pratap, great soldier and a great King , was born.

Maharaja Surajmal attacked on Delhi.

On this day in 1791, Francis Hopkinson, signer of the Declaration of Independence and the first American secular composer, died suddenly of a seizure in Philadelphia, Pennsylvania.

Gopal Krishna Gokhale, freedom fighter and political leader, was born in Kotluk village of Ratnagiri district of Maharashtra.

First horse-drawn tram car started running in Mumbai.

Gandhiji announced suspension of Civil Disobedience Movement for six weeks and called on the Government to withdraw its Ordinances.

On this day in 1950, Lafayette Ronald Hubbard (1911-1986) published Dianetics: The Modern Science of Mental Health. With this book, Hubbard introduced a branch of self-help psychology called Dianetics, which quickly caught fire and, over time, morphed into a belief system boasting millions of subscribers: Scientology.

Karmaveer Bhaurao Patil, founder of Rayat Educational Institute, passed away.

Pandit Sundarlal, great revolutionary and writer of ‘Bharat Mein Angreji Raj’, passed away.

Durga Bai Deshmukh passed away at Hyderabad. She was a social reformer, freedom fighter, planner, administrator, educationist and parliamentarian. She worked for peace, social welfare and for betterment of the downtrodden.

Madhu Sapre, Miss India, is crowned the second runner-up at the Miss Universe beauty pageant.

M.J.Pherwani, National Housing Bank Chairman, resigns following his bank’s involvement in the Security scandal.

Militants set Charar township on fire in the vicinity of the Charar-e-Sherif shrine. More than 1,000 houses burnt.


L. Ron Hubbard

Nossos editores irão revisar o que você enviou e determinar se o artigo deve ser revisado.

L. Ron Hubbard, na íntegra Lafayette Ronald Hubbard, (born March 13, 1911, Tilden, Nebraska, U.S.—died January 24, 1986, San Luis Obispo, California), American novelist and founder of the Church of Scientology.

Hubbard grew up in Helena, Montana, and studied at George Washington University in Washington, D.C. In the 1930s and ’40s he published short stories and novels in a variety of genres, including horror and science fiction. After serving in the navy in World War II, he published Dianética (1950), which detailed his theories of the human mind. He eventually moved away from Dianética’ focus on the mind to a more religious approach to the human condition, which he called Scientology. After founding the Church of Scientology in 1954, Hubbard struggled to gain recognition of it as a legitimate religion and was often at odds with tax authorities and former members who accused the church of fraud and harassment. He lived many years on a yacht and remained in seclusion for his last six years.

Este artigo foi revisado e atualizado mais recentemente por Amy Tikkanen, Gerente de Correções.


Assista o vídeo: A perda do acervo do Museu Nacional


Comentários:

  1. Nikozuru

    Desculpa para isso eu interfiro ... em mim uma situação semelhante. Vamos discutir. Escreva aqui ou em PM.

  2. Bazshura

    Sorry to interrupt you, I would like to suggest another solution.

  3. Terell

    Ah, obrigado

  4. Danawi

    Por favor, mais detalhes

  5. Skye

    Você rapidamente inventou essa frase incomparável?

  6. Jared

    Obrigado por escolher assistência sobre este assunto.

  7. Tarn

    Sim, é ficção científica



Escreve uma mensagem