Manasquan AG-36 - História

Manasquan AG-36 - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Manasquan

Uma enseada na costa de Nova Jersey.

(AG-36: dp. 2.580; 1. 261 '; b. 43'6 "; dr. 18110"; s. 10 k .;
cpl. 58; uma. 14 ", 4,50 cal. Mg; 2 dcp.)

Manasquan (Ag-36) foi construído em 1918 como Lago Catherine por Toledo Shipbuilding Go., Toledo, Ohio; assumido pelo U.S. Shipping Board na cidade de Nova York em 4 de outubro de 1918; e comissionado no mesmo dia para o serviço com NOTS, Tenente Comdr. Richard F. McNabb, USNRF, no comando.

Depois de embarcar para Norfolk e de volta para carregar a carga, o Lago Catherine partiu de Nova York em comboio em 19 de outubro e rumou para Rochefort, França, onde chegou em 10 de novembro. Atribuída ao serviço de carvão, ela operou entre os portos britânicos e franceses até 24 de fevereiro de 1919, quando chegou a Rotterdam, na Holanda. Dois dias depois, ela começou a trabalhar para a Administração de Alimentos dos EUA. Enquanto a caminho de Danzig, Alemanha, ela resgatou nove sobreviventes no dia 3 de março, depois que a traineira alemã Berthold atingiu uma mina e afundou.

O lago Catherine continuou com a ajuda alimentar até 5 de julho, quando ela partiu de Barry, País de Gales, para os Estados Unidos. Carregada com carga militar geral, ela chegou a Nova York em 8 de agosto. Ela descomissionou 15 de agosto e foi devolvida à USSB no mesmo dia.

Posteriormente, o Lago Catherine retomou o serviço mercantil. Ela foi renomeada como Oscar J. Lingeman em 1926 e Aetna em 1937. Aetna foi comprada pela Comissão Marítima de seu proprietário, Mid-West Transportation Co., Inc., Bay City, Michigan, em 1941; transferido para a Marinha em 14 de outubro de 1941; renomeado Manasquan (AG-36) 15 de outubro de 1941; convertido para uso como navio de patrulha meteorológica pela Bethlehem Steel Co., East Boston, Mass .; e comissionado sob empréstimo à Guarda Costeira dos EUA em 2 de abril de 1942.

Manasquan serviu às importantes, mas pouco elogiadas, estações de patrulha meteorológica no tempestuoso e infestado de submarinos do Atlântico Norte. Equipada com instrumentos meteorológicos especiais, ela percorreu suas áreas de patrulha designadas fora de Boston e Argentia, Newfoundland. Enfrentando os perigos do mar e dos submarinos, ela operou isolada - por semanas a fio para coletar valiosos dados meteorológicos usados ​​na previsão do tempo para a área do Atlântico, norte da África e Europa Ocidental ocupada pelo Eixo. Percebendo a importância estratégica dos dados coletados por navios de patrulha meteorológica como o Manasquan, o chefe do US Weather Bureau escreveu durante a Segunda Guerra Mundial: ". Os relatórios meteorológicos desses navios estavam entre as informações meteorológicas mais vitais para as operações de guerra das Nações Unidas . A dificuldade e as privações do serviço nessas embarcações de estação foram totalmente reconhecidas, mas o valor de seus relatórios mais do que compensou essas dificuldades, e os homens servindo assim estavam desempenhando funções de alta prioridade no esforço de guerra. "

Além disso, Manasquan participou do teste inicial no mar do sistema loran (navegação de longo alcance), que se tornou de valor inestimável tanto para navios navais e mercantes quanto para aeronaves militares e comerciais como um sistema eletrônico de localização de posição altamente preciso e confiável , Loran emergiu para se tornar um auxílio à navegação revolucionário em todos os tipos de clima e a grandes distâncias da terra.

Como resultado de experimentos conduzidos pelo Laboratório de Radiação do MIT, pelo Laboratório Bell Telephone e pelo Comitê de Pesquisa de Defesa Nacional durante os meses finais da neutralidade americana em 1941, o ímpeto para o cultivo e o desenvolvimento completo ocorreu nos meses agitados após Pearl Harbor . Sob o contra-almirante Julius A. Furer, coordenador de pesquisa e desenvolvimento do Secretário da Marinha, a Marinha forneceu "patrocínio ativo e agressivo" para o projeto, Capitão Lawrence M. Harding, USCG, que mais tarde cunhou a palavra loran, desempenhou um papel importante nos aspectos de pesquisa de seu desenvolvimento.

Em junho de 1942, o sistema estava pronto para testes ambientais. De meados de junho a meados de julho, o Manasquan, equipado com instrumentos especiais de recebimento, realizou com sucesso os primeiros testes de bordo que comprovaram a viabilidade e praticidade do sistema. Como resultado desses testes, a construção e conclusão da importante cadeia de sete unidades do Atlântico noroeste, que se estendia de Delaware à Groenlândia, foi concluída em menos de um ano.

Manasquan continuou a patrulha meteorológica durante o restante da 11ª Guerra Mundial. A Marinha a transferiu para a Guarda Costeira dos EUA em 22 de outubro de 1943, e ela continuou a servir como Manasquan (WAG-273). Seu nome foi retirado da lista da Marinha em 30 de outubro de 1943. Após o fim da guerra, ela foi vendida em 11 de março de 1946.


Manasquan


Clique para visitar o site da cidade de Manasquan

Breve História de Manasquan NJ:

Muito antes de o holandês Henry Hudson desembarcar em Manasquan em seu navio, o & ldquoHalf Moon & rdquo, os índios Unamis, um ramo local do Lenni Lenape & rsquos, viviam ao longo do rio Manasquan e à beira-mar. Vários registros antigos mostram a terra nomeada como & ldquoMiniquan & rdquo, & ldquoMannisquan & rdquo, & ldquoSquan & rdquo e & ldquoSquan Village & rdquo. Diz-se que o nome & ldquoManasquan & rdquo significa & ldquoan ilha com cercadura para squans & rdquo.

Desde que o capitão Hudson chegou a Manasquan em 1609, muita coisa mudou. As primeiras centenas de anos de colonos em Manasquan foram dedicadas principalmente à agricultura e pesca como sua principal base econômica. No século 19, os investidores viram a oportunidade de comercializar Manasquan como uma cidade turística para pessoas ansiosas por sair de Nova York e Filadélfia nos dias quentes de verão. Hotéis foram erguidos, bem como grandes chalés de verão para os ricos. Os visitantes podem desfrutar da praia e do rio Manasquan.

Hoje, Manasquan continua sendo um dos melhores refúgios em New Jersey Shore. Milhares de pessoas vão à praia a cada verão durante o dia e muitos mais vão a Manasquan à noite para desfrutar dos bons restaurantes e da vida noturna. Manasquan oferece pesca no mar e no rio, além de uma praia inteira voltada para as necessidades dos deficientes.

Sentado ao norte de Pt. Agradável, Manasquan é um local de férias ideal para casais, famílias e qualquer pessoa que procure muito sol, areia e muita atividade.


Linha do tempo da história do Manasquan Bank

Constituída e licenciada pelo Estado de Nova Jersey como Squan Village Building & amp Loan Association. A Associação esteve localizada no edifício Borden em Manasquan até 1922.

A associação foi reincorporada, mudando o nome para Manasquan Building & amp Loan Association.

A Associação mudou-se para o Edifício Tassini na rua principal, Manasquan, e depois para o novo Edifício Tassini na rua principal 129, onde permaneceu até 1936.

A Associação adquiriu uma propriedade localizada na 185 Main Street, na qual uma casa estava sendo utilizada como restaurante.

A Associação construiu seus primeiros alojamentos permanentes na 185 Main Street, Manasquan.

O nome foi alterado para Manasquan Savings & amp Loan Association.

A Associação recebeu seu Certificado de Seguro da Federal Savings & amp Loan Insurance Corporation. Em 1989, passamos a ser segurados pelo FDIC SAIF Fund, proporcionando proteção a cada depositante até o máximo previsto por lei.

Nosso escritório na Meetinghouse Road e Route 35, Wall Township foi inaugurado. Em 1970, a primeira adição foi adicionada e o departamento de empréstimos do Banco mudou do escritório de Manasquan para Wall Township. Em janeiro de 1991, o banco acrescentou sua terceira adição, expandindo o departamento de empréstimos e movendo o departamento de contabilidade do escritório de Manasquan para Wall Township.


Lingeman, Oscar J.

Construído em Toledo OH pela Toledo Shipbuilding Co., Hull 147
Lançado
Lançado como Arthur R. Lewis para serviço fora dos Lagos. Requisitado pelo United States Shipping Board, renomeado Lago caterina e deixou os Grandes Lagos após a conclusão

261 'LOA, 251' LBP, viga 43'6 ", profundidade de 21'6"
1 deck, motor de expansão tripla a carvão, 1200 IHP

Inscrito em
252,0 x 43,5 x 18,9, 2016 GT, 1193 NT US 216528
Vendido em 1926 para Mid-West Transportation Co., Detroit MI (porto de origem para Detroit MI), renomeado Oscar J. Lingeman e voltou para os Grandes Lagos

Entrou no serviço dos Grandes Lagos em 1926

Renomeado Aetna (2) 1937

Vendeu 1941 para a Marinha dos EUA para serviço fora dos Lagos durante a Segunda Guerra Mundial e deixou os Grandes Lagos


Manasquan AG-36 - História

Uma breve história de Manasquan, Nova Jersey


Manasquan foi estabelecido pela primeira vez como uma parte de Shrewsbury no final dos anos 1600. Ela leva o nome de Man - A - Squaw - Han (riacho da Ilha de Squaws) dos índios Lenni Lenape que foram visitantes de verão aqui por centenas de anos.

Manasquan, devido à sua localização privilegiada na costa de Jersey Central e ao bom clima, tem sido um resort de verão ideal e residência o ano todo há séculos.

Manasquan tem uma milha de praias arenosas limpas e recentemente renovadas. O surf cristalino garante aos banhistas e nadadores o máximo em relaxamento refrescante. Com abundância de peixes, Manasquan é um verdadeiro paraíso para o surf e a pesca em alto mar.

Manasquan tem uma abundância de acomodações para aluguel para grupos familiares. Muitas casas estão disponíveis na área da praia em uma base semanal, mensal ou sazonal. A maioria dessas acomodações tem caráter estritamente de verão. As reservas podem ser feitas nas cidades vizinhas, nos principais motéis e hotéis. Ligue para o escritório da Câmara de Comércio (732) 223-8303 para obter mais informações.

Além de nossa milha de praias à beira-mar, há uma comunidade de negócios completa e próspera centrada em uma pequena cidade com atmosfera de rua principal. O centro possui uma variedade de lojas, lojas e serviços que atendem às necessidades de toda a família.


یواس‌اس ماناسکان (ای‌جی -۳۶)

یواس‌اس ماناسکان (ای‌جی -۳۶) (به انگلیسی: USS Manasquan (AG-36)) یک کشتی بود که طول آن ۲۶۱ فوت (۸۰ متر) بود. این کشتی در سال ۱۹۱۸ ساخته شد.

یواس‌اس ماناسکان (ای‌جی -۳۶)
پیشینه
مالک
آغاز کار: ۱۹۱۸
مشخصات اصلی
وزن: ۲ ٬ ۵۸۰ tonelada longa (۲ ٬ ۶۲۱ تن)
درازا: ۲۶۱ ​​فوت (۸۰ متر)
پهنا: ۴۳ فوت ۶ اینچ (۱۳ ٫ ۲۶ متر)
آبخور: ۱۸ فوت ۱۰ اینچ (۵ ٫ ۷۴ متر)
سرعت: ۱۰ گره (۱۹ کیلومتر بر ساعت ؛ ۱۲ مایل بر ساعت)

این یک مقالهٔ خرد کشتی یا قایق است. می‌توانید با گسترش آن به ویکی‌پدیا کمک کنید.


Filiação

O Manasquan River Marlin & amp Tuna Club é uma organização sem fins lucrativos 501 (c) (7), apenas para membros, clube de pesca esportiva e conservação, fundado em 1936 e com sede em Manasquan Inlet, NJ. Com mais de 225 membros, o MRMTC hospeda inúmeros torneios de pesca e eventos sociais que promovem nossa paixão pela pesca e ajudam a arrecadar dinheiro para apoiar os esforços filantrópicos dos clubes que incluem nossa bolsa George Burlew, esforços de construção de recifes e apoio a várias questões legislativas e de pesca. Somos um grupo de pescadores ávidos que passam incontáveis ​​horas no mar aprimorando nossas habilidades e ensinando as gerações futuras sobre a tradição familiar de pesca milenar.

A afiliação ao Clube cresceu a ponto de não estarmos aceitando novos membros no momento. Temos uma lista de espera para futuros membros em potencial. O patrocínio de um de nossos curadores e cartas de recomendação de dois membros são necessários para iniciar o processo. Embora a lista de membros não seja divulgada, os barcos dos membros podem ser identificados por nosso clube. Também hospedamos um torneio público a cada ano em agosto, o Offshore Open, participação no qual você terá uma exposição direta ao nosso grupo.


Manasquan AG-36 - História

1685:
A Manasquan Beach Company reivindica 2.500 acres de Spring Lake a Barnegat Bay. A área ao sul de Manasquan Inlet é chamada de Squan Beach. Faz parte de Shrewsbury Township, Monmouth County.

1778:
As tropas inglesas navegam no rio Manasquan e destroem a Union Salt Works, no lado norte do rio.

1804:
Construção de uma ponte sobre o rio Manasquan onde o atual Rt. 70 cavaletes de ponte. Anteriormente, a rota terrestre mais próxima do norte era sobre o rio, onde agora é Allenwood-Lakewood Road.

1811:
O primeiro prédio em Mantoloking, a Taverna do Tio Jakey, de propriedade de Jacob Herbert, atende caçadores e pescadores.

1817:
O primeiro assentamento do tipo vila na área de Point Pleasant. Charles Stout constrói uma casa em Lovelandtown, na atual Bay Avenue, ao sul da Bridge Avenue, fundando uma vila de pesca, caça e claming no topo da Baía de Barnegat.
Lovelandtown

1826:
O turismo começa. Thomas Cook, proprietário de uma das cinco fazendas que ocupam a praia, abre sua casa perto da atual Escola Antrim para internos. The Cook Homestead, Forman House e Curtis House posteriormente recebem inquilinos de verão.

1833:
A Assembléia de Nova Jersey autoriza a criação de uma empresa para construir um canal entre o rio Manasquan e a baía de Barnegat. Esse canal não se tornaria uma realidade até 1925
Canal The Point Pleasant

1846:
O naufrágio do John Minturn navegando cargueiro ao largo de Mantoloking, 15 de fevereiro. Mais de 30 vidas foram perdidas. As equipes de resgate locais são acusadas de saquear o navio e suas vítimas, mas um comitê de investigação federal não encontra provas concretas. Como resultado da tragédia e do inquérito, é criado o Serviço de Salvamento dos Estados Unidos, o antecessor da Guarda Costeira dos EUA.
Relato de testemunha ocular do John Minturn Naufrágio

1847:
Uma empresa é formada para construir um canal entre o Rio Manasquan e a Baía de Barnegat. Nada sairá desse empreendimento e o canal só será aberto por mais 79 anos.

1850:
O condado de Ocean começa com o condado de Monmouth. A área de Point Pleasant torna-se parte de Brick Township.

1867:
A primeira escola pública é construída, um prédio de uma sala no lado sul da Arnold Avenue, perto da Lincoln Avenue.
Primeiras escolas

1870:
O capitão John Arnold constrói uma estrada, mais tarde chamada Arnold Avenue, de sua pensão (agora atrás da papelaria Borden) até o oceano. O capitão do mar aposentado, amplamente considerado como a pessoa mais importante no desenvolvimento de Point Pleasant, mais tarde criaria a cidade de Arnold, entre as avenidas Central e Arnold.

1872:
Clark's Landing - o primeiro resort de diversões. O veterano da Guerra Civil ferido Roderick Clark adquire uma propriedade no rio Manasquan. Nos 20 anos seguintes, seu negócio de construção de barcos evoluiu para um local de pesca, natação e piqueniques e, em seguida, para a primeira área de diversão local, com um órgão a vapor e carrossel elétrico.
A história de Clark's Landing, o primeiro resort

1875:
A primeira ponte entre Brielle e Point Pleasant. River Avenue é a única abordagem. O capitão Arnold é fundamental para garantir o projeto.

1877:
The Point Pleasant Land Company compra os 250 acres da Fazenda Forman, incluindo a praia de Forman a Elizabeth Avenues, começando o desenvolvimento à beira-mar. Chamando o projeto de Point Pleasant City, a empresa iniciará os primeiros loteamentos na área para a venda de residências e construção de hotéis resort.

1878:
O primeiro dos grandes hotéis, o Resort House, abre na Richmond Avenue, entre a Forman e a Atlantic. A estrutura de quatro andares, o maior edifício de Point Pleasant, acomoda 200 convidados.

1879:
A Bay Head Land Company é formada por vários empresários de Princeton com o objetivo de estabelecer uma cidade turística de alta classe.

1880:
A ferrovia chega a Point Pleasant, tornando-o facilmente acessível pela primeira vez. O capitão John Arnold convence a Central Railroad de New Jersey a estender sua linha dando terras e dinheiro à empresa. Os primeiros passageiros chegam em 3 de julho.

O primeiro pavilhão à beira-mar é construído na Avenida Atlântica.

1881:
O nome de Mantoloking foi dado por uma empresa imobiliária que está preparando um resort planejado. O nome é de derivação indiana óbvia, mas de tradução incerta. O capitão John Arnold está associado à empresa fundiária.

1883:
O jornal Point Pleasant Beacon, antecessor do Ocean County Leader, começa a ser publicado.

1885:
Point Pleasant Hardware abre para negócios e James M. VanNote torna-se proprietário do que mais tarde se chama VanNote Lumber. Ambas as empresas serão os pilares do distrito comercial do centro por mais de 100 anos.

1886:
Point Pleasant Beach e Bay Head tornam-se municípios independentes, derivando de Brick Township. Quarenta eleitores votaram na primeira eleição de Point Pleasant Beach. A receita tributária total da cidade é de $ 1.248.

1890:
O primeiro calçadão, uma estrutura frágil e portátil é construído. Ele desaparece dois anos depois.

1894:
A eletricidade é introduzida. O serviço de bonde elétrico começa em agosto. No Natal, várias residências particulares são conectadas à mesma casa de força usada pela linha de bonde.
Trolley Follies: a história das linhas de bonde na área de Point Pleasant

1895:
O serviço telefônico começa. A Ocean Telephone Company é criada com três assinantes. Ele passa por vários nomes e chega a mais de 300 clientes antes que o Bell System o compre em 1925.

1896:
O prédio da Point Pleasant Library é inaugurado na McLean Avenue.

1897:
A decisão é tomada por praias privadas em Point Pleasant Beach. A partir de minutos de 16 de agosto de 1887 Point Pleasant Beach Council: & quotA propriedade da praia rejeitada pelo município devido ao custo extremo para o bairro para manutenção. & Quot

1902:
A primeira turma se forma na Point Pleasant Beach High School. Três recebem diplomas após dois anos de estudos. Aqueles que desejam um diploma de quatro anos devem viajar para Asbury Park.

Cidadãos locais proeminentes encontraram o Ocean County National Bank. Nas décadas seguintes, o banco é fundamental no financiamento do crescimento da região. O controle local terminou quando foi assumido pelo Summit Bank em 1983.

1903:
Lakewood Road (Route 88) torna-se a primeira estrada "pavimentada" ou de cascalho duro construída em Ocean County.

1906:
O Grande Incêndio destrói o coração do distrito comercial do centro. Quatro prédios e dois celeiros no canto sudeste das avenidas Arnold e Bay queimam em 20 de março, causando uma perda impressionante de US $ 82.000. Não há ferimentos graves.
Relato do Grande Incêndio

1909:
Um incêndio destrói o primeiro grande hotel, o Resort House, agora conhecido como Warwick Arms, construído há 31 anos e em dificuldades financeiras.

1911:
Mantoloking se torna um município independente, derivado de Brick.

1915:
O primeiro calçadão permanente é construído entre a Avenida Filadélfia e a Avenida Central.

1916:
O jornal Ocean County Leader começa a ser publicado.

1918:
Fundação do Hospital Point Pleasant. Dr. Frank Denison reserva quatro camas no andar de cima em sua casa na River Avenue para os pacientes.
A história do Hospital Point Pleasant

O Point Pleasant Fishing Pier foi construído a partir do que hoje é o Martell's. Com o passar dos anos, ele será danificado, destruído e reconstruído várias vezes.

Eugene O'Neill, que se tornaria o dramaturgo mais proeminente da América, passa um inverno em West Point Pleasant, trabalhando em várias peças, incluindo Chris Christopherson. Ele acha a área desagradável e não volta. Mas nos últimos anos, seu filho Shane e sua filha Oona (que mais tarde se casou com Charlie Chaplin) passam seus anos de formação aqui. Oona se torna o nativo de Point Pleasant mais conhecido de todos os tempos.
Eugene O'Neill em Point Pleasant
Oona O'Neill Chaplin

1920:
Point Pleasant Borough torna-se um município independente, derivado de Brick. Brick pede alívio financeiro ao estado, reclamando que todos os impostos foram tomados pela nova cidade.
A criação de Point Pleasant Borough

1924:
Um importante rali da Ku Klux Klan em Point Pleasant Borough termina com & cotação de várias & quot lesões. O chão da superlotada Casa da Comunidade da Primeira Igreja Metodista desaba. O rali atrai 600 pessoas, 400 com trajes completos. O acidente chama a atenção para a atividade generalizada da Klan local.

1925:
O canal Point Pleasant é aberto. Água salgada penetra na parte superior da Baía de Barnegat. A enseada de Manasquan começa a fechar enquanto as águas do rio Manasquan correm pelo novo canal. Em 1928 e 1929 a entrada não existe mais. Os pescadores estão fora do mercado.
Canal The Point Pleasant

1928:
Charles Jenkinson constrói o Pavilhão e a piscina de Jenkinson em uma propriedade à beira-mar que comprou há dois anos.

1929:
O Point Pleasant Emergency and First Aid Squad é organizado.
Site de primeiros socorros e esquadrão de emergência

Tempestades de inverno consecutivas em abril causam graves danos à beira-mar. O calçadão perto da enseada está destruído, assim como vários edifícios. Parte do Leighton Hotel desaba.

1930:
O pátio ferroviário de Point Pleasant Beach, localizado ao norte da Arnold Avenue, fecha. Já teve uma plataforma giratória, uma casa de gelo e tanques de água.

1931:
O Manasquan Inlet é reaberto após um projeto de construção de um ano. Os cais são construídos pela primeira vez para evitar que a entrada se mova e feche novamente.
A construção da moderna Manasquan Inlet

1934:
A Point Pleasant Beach é a principal base das operações de resgate quando o luxuoso transatlântico do Castelo de Morro queima em Sea Girt em 8 de setembro. Cento e trinta e três pessoas morrem. Muitos dos sobreviventes e corpos são trazidos para o Ken's Landing atual.

1937:
A construção da estação da Guarda Costeira está concluída.

1938:
3.800 pés do calçadão de Point Pleasant Beach e metade do calçadão de Bay Head foram arrastados por uma tempestade de 21 de setembro. O Point Pleasant Fishing Pier perde 75 pés. Numerosos edifícios são destruídos. O extremo sul do calçadão de Point Beach nunca é reconstruído.
Reportagem do jornal local sobre a tempestade de 1938

1944:
Um furacão de setembro destrói o calçadão de Bay Head e a 90 metros do cais de pesca de Point Pleasant Beach. O calçadão de Point Pleasant Beach ao norte de Jenkinson está muito danificado.

1947:
É criada a Câmara de Comércio da Área Agradável de Greater Point.
Site da Point Pleasant Beach Chamber

1954:
Um plano para construir uma usina elétrica na Ilha Gull, no rio Manasquan, é derrotado pelos eleitores de Point Pleasant Beach. Os oponentes disseram que a proposta da Central Power and Light de Jersey mudaria permanentemente a cidade de um resort para uma área industrial.
A luta contra a usina

1975:
Dois incêndios separados destroem virtualmente todos os edifícios pioneiros deixados no calçadão. Um incêndio de abril incendeia a casa do carrossel de 1893 na Arnold Avenue e oito outros edifícios. Em setembro, o Martell's original é destruído.

1977:
A praia, as diversões e o pavilhão de Jenkinson são vendidos para Pat Storino, dando início a um processo de consolidação da propriedade da maioria das propriedades comerciais do calçadão sob um único proprietário.

1989:
O pavilhão de Jenkinson arde até o chão. É reconstruída no ano seguinte.


Parte III

PARTE III VISÃO GERAL HISTÓRICA DO NASCIMENTO DE MANASQUAN: Os anos de expansão & # 8230

No final do século 19, o estado de Nova Jersey começou a financiar a construção de rodovias. Em 1857, o condado de Monmouth havia estabelecido pedestais de Red Bank a Shrewsbury e de Shrewsbury a Tinton Falls e Colts Neck. A expansão de linhas regulares de ônibus em toda a área incentivou um maior desenvolvimento, como tavernas e pousadas para servir como pontos de parada ao longo das rotas. Em Manasquan, Elias R. Height estabeleceu um serviço de ônibus de estágio entre o terminal de barcos em Red Bank e Manasquan em 1855. Ele também operou uma linha de ônibus de palco de Jay Street em Nova York para Squan Village e Point Pleasant.

Manasquan era como muitas pequenas cidades costeiras de Nova Jersey, que foram muito afetadas pela expansão das ferrovias na década de 1870. A ferrovia criou uma indústria turística para cidades litorâneas, suplementou as economias marítimas locais e ajudou a criar novos resorts que atendiam à classe média emergente. O desenvolvimento de Manasquan realmente começou a progredir com o estabelecimento da ferrovia em Squan Village em 1872. Sete trens parados em cada sentido diariamente Manasquan era uma das poucas cidades costeiras de Nova Jersey ligada aos três centros urbanos mais populosos - New York City, Trenton e Filadélfia. Como resultado, em 1887, Manasquan era a maior vila de Wall Township, com uma população de 900 residentes. Diz-se que a ferrovia foi a que mais contribuiu para o desenvolvimento de Manasquan, e que & # 8220 'a eles se pode atribuir o surgimento de hotéis palacianos, pensões e vilas e todas as melhorias que com eles cresceram.' & # 8221

Já em 1877, foi relatado que os residentes de Squan & # 8220 & # 8216 discutiram por algum tempo a conveniência de mudar o nome deste lugar e restaurar o nome original, do qual Squan é uma contração & # 8217. & # 8221. Acreditava-se que o termo Squan era & # 8220destimulante & # 8221 e um novo nome deveria ser determinado que refletisse melhor a prosperidade da área, incluindo seus bons estabelecimentos comerciais, igrejas e residências. Com o recente crescimento da vila, muitos residentes também desejaram não apenas uma mudança de nome para & # 8220Manasquan & # 8221, mas a incorporação oficial como um Borough. Em dezembro de 1887, uma eleição foi realizada que decidiu a incorporação oficial do Município de Manasquan Edward S. Van Leer foi eleito o primeiro prefeito.

Na virada do século, os visitantes e turistas de verão se tornaram uma parte importante da vida de Manasquan. Esses visitantes se hospedaram em hotéis e pensões na cidade e nas proximidades de Brielle. Mais ou menos na mesma época, vários pescadores da região começaram a construir bangalôs na parte de trás das dunas de areia para suas famílias. Um artigo de 1974 da Asbury Park Press, intitulado & # 8220Manasquan & # 8217s Beach Colony is Still Going Strong & # 8221 afirma que Obadiah Herbert, um fazendeiro de Marlboro, foi o primeiro a construir um barraco nas dunas no início da década de 1890. O artigo afirma que ele construiu sua casa, localizada 25 jardas ao norte da enseada do rio Manasquan, com madeira recuperada de um naufrágio. Logo, outras famílias seguiram, até que durante os meses de verão, & # 8220, havia 400 ou mais de todas as formas e tamanhos lotados na praia. & # 8221 Como muitas dessas famílias começaram a se estabelecer permanentemente, tornou-se necessário construir estradas, e fornecer melhores instalações e serviços de água e esgoto. Essas melhorias incentivaram ainda mais a cidade em seu crescimento gradual.

A ascensão do transporte automotivo mudou ainda mais a maneira como os turistas visitavam as cidades litorâneas. A construção de grandes estradas, como a New Jersey Turnpike e, mais tarde, a Garden State Parkway (que se estendia de Montvale a Cape May), foram de grande importância para a região litorânea. A tendência de viagens curtas de um dia, que havia começado com as ferrovias, tornou-se mais popular. Os turistas de classe média tinham acesso ainda maior e mais fácil à costa, e as cidades atendiam melhor às necessidades dos visitantes. Cidades pequenas como Manasquan sentiram a influência dos automóveis não apenas em áreas como o turismo, mas também nas tradições comunitárias de longa data. Desde 1800, os fazendeiros das áreas vizinhas vinham para a praia de Squan no segundo sábado de cada agosto para desfrutar de um dia no mar. Este dia era conhecido como & # 8220Big Sea Day & # 8221 e as pessoas desfrutaram de comida, bebida, música e dança. Essa tradição foi mantida por um grande número de visitantes até a época do automóvel. Embora a celebração do dia continuasse como uma tradição da comunidade, parte de seu significado se perdeu. Nesse ponto, as praias tornaram-se mais acessíveis aos visitantes com regularidade, tornando desnecessária a reserva de um feriado especial.

Hoje, Manasquan desenvolveu um distrito comercial com serviços e estabelecimentos de varejo para acomodar seus residentes durante o verão e o ano todo. O turismo continua a ser uma parte importante do Borough, com um aumento da população durante os meses de verão, no entanto, o número de residentes permanentes durante todo o ano continua a crescer. Em 2000, de acordo com o Censo dos EUA, Manasquan tinha uma população de 6.310 durante todo o ano, mais que o dobro de sua população em 1937.


História de Howell Township

História Antiga e Acordo Lenape

A história de Howell Township está ligada à sua localização ao longo do rio Manasquan, onde os humanos viveram desde os tempos antigos. Os arqueólogos estimam que os paleo-índios (antigos nativos americanos) se estabeleceram na bacia hidrográfica de Manasquan já em 9.000 aC. Isso torna o sítio Paleo-indiano de Manasquan localizado em Howell Township, ao sul de Squankum Yellowbrook Road, uma das áreas de assentamento mais antigas no leste da América do Norte (Manasquan Watershed Management Association, 1999). A descoberta de um ponto de projétil no local levou a novas escavações, que revelaram resíduos, pisos e outros vestígios pré-históricos (Monmouth County Environmental Council, 1978). O Turkey Swamp Park em Freehold Township também contém um antigo local de assentamento de Paleo-índios. Naquela época, a linha costeira do Oceano Atlântico se estendia por 50 milhas e a bacia hidrográfica do Manasquan consistia em pastagens e pântanos que eram habitat para mamutes, caribus, bois almiscarados e cavalos (Kraft, 1986).
O rio Manasquan foi observado pela primeira vez pelos europeus na década de 1520, quando Giovanni da Verrazano subiu a costa de Nova Jersey. O nome “Manasquan” deriva de uma palavra Lenape que significa “foz do rio”. Os Lenape eram uma tribo pacífica que praticava a agricultura, a caça, a pesca e a colheita de marisco. Além disso, os Lenape possuíam wampum preto altamente valorizado feito de conchas locais polidas, que eles usavam para comercializar com outras tribos. Relíquias arqueológicas encontradas em Allenwood em Wall Township, adjacente a Howell Township, mostram evidências de um grande ponto de encontro para Lenape (MWMA, 1999).

Liquidação e Incorporação

Os primeiros assentamentos coloniais dentro e ao redor da atual Howell Township giravam em torno da agricultura como a principal indústria e atividade. Os padrões de assentamento correspondiam aproximadamente à localização de solos de alta qualidade. A sociedade da igreja metodista foi um dos primeiros assentamentos europeus dentro de Howell, fundado na década de 1760, e as primeiras reuniões metodistas no condado de Monmouth foram realizadas em um celeiro. Uma estrutura permanente para a Igreja Metodista Bethesda foi construída em 1779 no que hoje é a Lakewood Road (Donahay, 1967). A área foi mais tarde chamada de Turquia, que deu nome ao Turkey Swamp Park em Freehold Township, antes de se tornar conhecida como Adelphia.
Além de Adelphia, Howell tem várias outras áreas de assentamento inicial que mais tarde se tornaram bairros suburbanos: Bethel (Southard), Jerseyville (originalmente chamada de Green Grove), Ramtown, Squankum, Freewood Acres e Ardena. Betel, uma área na parte sudoeste de Howell Township, foi colonizada em 1865 quando um lote foi doado por Israel Reynolds para construir uma Igreja Metodista que foi concluída em 1866. Uma escola foi inaugurada em 1870, seguida por uma loja em 1872. A a agência dos correios foi inaugurada em 1882 e refletia a mudança de nome da área de Bethel para Southard (Donahay, 1967). Hoje, o J.W. Reynolds House and Outbuildings e Southard Grange estão listados no National Register of Historic Places.
O Borough of Farmingdale era conhecido como Marsh Bog até que seu nome foi mudado para Upper Squankum em 1815, antes de se tornar conhecido como Farmingdale em 1854. Esta área fazia parte de Howell até se tornar um distrito separado em 1903. Farmingdale era o centro do comércio no século XIX e abrigava igrejas, tabernas, lojas e outros estabelecimentos. Durante a Guerra Revolucionária, tanto as tropas britânicas quanto as americanas estavam ocasionalmente estacionadas na Mariner’s Tavern em Farmingdale, mais tarde chamada de Our House Tavern (Donahay, 1967).
Howell foi incorporado como um município em 1801 e recebeu o nome de Richard Howell, o terceiro governador de Nova Jersey que serviu de 1793 a 1801. Na época de sua incorporação, Howell Township incluía sua área atual, além do atual Wall Township, Brick Township, Lakewood Township, bem como vários pequenos bairros ao longo da costa atlântica. Brick Township, Lakewood Township e os distritos costeiros separaram-se de Howell quando Ocean County foi formado em 1850. Em 1851, Wall Township se separou de Howell Township. Em 1927, a fronteira de Howell Township encolheu novamente quando uma porção sul se juntou a Lakewood Township (Greer, 2000 e Donahay, 1967).
Early roadways in the area were built to connect farms with the Manasquan River for transportation of goods, and access to other farms, mills, and churches. The roadways that would become US Highway Route 9 and State Highway Route 33 were based on old Lenape trails. Other roadways were created to connect different settlements and named accordingly – Lakewood Farmingdale Road and Adelphia Farmingdale Road are two such examples. Stagecoach service operated through the area starting in the 1850s along Route 524, part of which is called Stagecoach Road in nearby Millstone.
By the early- to mid-1800s, the population in and around Howell Township had grown significantly and many schools were built to accommodate the growing youth population. A number of churches were also built during this same time period.

Agriculture and Industry

Farming continued to be the primary economic activity in the area through the early 1900s, and some estimates are that Monmouth County contained over 200,000 acres of active farmland in 1910 (MWMA, 1999). Freehold Township was the center of agricultural activity and had one of the busiest public markets in the state. Potatoes were a main crop in the region until at least the 1950s, although a Colorado potato beetle infestation in 1870 caused severe damage to the local crop. Along Marsh Bog Brook near the Squankum area of Howell were a number of large-scale cranberry bogs that operated during the late 1800s to early 1900s. The opening of the Point Pleasant Canal in 1926, however, introduced saltwater to the freshwater bogs. This saltwater intrusion, combined with persistent pest problems, led to the closure of some cranberry bogs in the 1930s, although many continued to have high production through the 1950s.
In addition to agriculture, natural resource extraction and processing was another primary industry in the area. One colonial industry was the production of “bog iron,” a type of iron with rust resistant qualities that could be produced from natural deposits found alongside slowmoving acidic waters and marshes.
James P. Allaire purchased 5,000 acres of land in Howell Township in 1822 and built a self-sufficient industrial company town centered on the production of bog iron. Part of the purchase included the Monmouth Furnace, a pig iron furnace built in 1814. Allaire had a three-mile canal built from Mingamahone Brook to the site to provide power for the furnace. The company, Howell Works, produced iron that was used primarily for the construction of ships, particularly at Allaire’s shipping yards in New York. Many other iron products were also manufactured, such as stoves, cookware, pipes, and irons. At the height of Howell Works, the company town boasted 70 buildings and a resident population of 500. In addition to iron manufacturing, Howell Works produced hundreds of thousands of bricks every year. The town also contained a boarding house, a hotel, individual residences, a school, a church, several mills, a blacksmith shop, a carriage house, a screw factory, a store, a bakery, and other buildings. The bog iron industry, however, began to suffer a decline, due in part to increased competition from higher quality Pennsylvania iron. In addition, the massive amount of charcoal derived from wood that was required to fuel the furnaces put an immense strain on the local timber resources.
After little more than two decades of operation, Howell Works ceased production in the 1840s and the village was abandoned. The village was a ghost town until it was purchased, along with other lands, by Arthur Brisbane in 1907 to build the Howell Preventorium, discussed below. Allaire Village was leased to the Monmouth Council of the Boy Scouts between 1927 and 1947. In 1941, the property was deeded to the State of New Jersey and underwent renovations to convert it to an educational exhibit (MWMA, 1999). Allaire Village is now an historic park that offers tours, demonstrations of traditional trades and crafts, and special events.
Another natural resource found and extracted in Howell Township was marl, which is loose, earthy material composed of calcium carbonate, clay, and silt. It is derived from decomposing prehistoric marine life deposited in central and southern New Jersey Marl had been used for fertilizer since the 1700s and was discovered in Howell Township in 1830 along the Manasquan River. Great amounts of marl were extracted from the Manasquan River and Mingamahone Brook and shipped to farms across the state. The great demand for marl led to the construction of numerous roadways and railroads, including the Freehold and Jamesburg Agricultural Railroad in 1853, the Raritan and Delaware Railroad in 1861, the Squankum Marl and Railroad in 1866, and the Farmingdale and Squan Village Railroad in 1872 (MWMA, 1999). In 1897, the United Canal and Railroad Company of New Jersey acquired several of the railroads and subsequently leased the property to the Pennsylvania Railroad for 999 years. The marl industry in Howell Township thrived until about 1900, when more efficient types of nitrogen-basedfertilizers were introduced (Donahay, 1967).
In addition to iron, timber, and marl, the brickwork industry also thrived in Howell Township during the 1800s due to the area’s abundance of clay suitable for bricks. The different varieties of local clay created bricks of varying colors. A number of brick-making operations were established in the northern part of Howell Township on the present-day Naval Weapons Station Earle. Similar to bog iron production, brick making required a great deal of locally resourced timber to fire the kilns. A large labor force was required to cut timber for the furnaces and to dig and transport clay. The brick-making companies within Howell largely ceased production in the late 1800s as resources and labor were more difficult to obtain and brick production became more mechanized (MWMA, 1999).
The manufacturing of munitions was another thriving local industry in the late 1800s, and several gunpowder operations were established in and around Howell Township. Like the brickmaking operations, the Phoenix Powder Manufacturing Company established a plant in the northern area of Howell Township near the present-day Naval Weapons Station Earle. Another munitions operation in Howell Township was the Maxim Powder Company, located just southwest of the Squankum area, which was founded by Hudson Maxim (MWMA, 1999). The Maxim area of Howell is named after this inventor and entrepreneur.

Local Jewish History

Jewish residents have lived in Monmouth County since the 1780s, and Revolutionary War maps labeled an area in present-day Colts Neck Township as “Jewstown” (Klerman, 2007). This name, however, was most likely not derived from a significant Jewish population, but rather from a Jewish-owned tavern called Hart’s Tavern. In the late nineteenth century, many Eastern Europe Jews fled to New York City to escape persecution and many then moved to rural Howell Township (Pine, 1981).
In the 1920s and 1930s, a larger wave of Jewish New Yorkers moved to Howell with help from the Jewish Agricultural Society in New York (Hunton, 1990). The Agricultural Society encouraged the Jewish émigrés to operate poultry farms. The poultry industry, established by Jewish farmers in Howell, Farmingdale, and Freehold, grew tremendously and at its peak in the 1930s, Monmouth County was the leading egg producer in the nation. Rapid suburbanization, along with changing economic conditions, contributed to the decline of the poultry industry in Howell Township in the 1950s and 1960s (Blair 1993).
Howell’s Jewish Community Center began holding meetings at members’ houses in 1926 (Donahay, 1967). In 1930 a permanent building was constructed on Peskin Road on land donated by a local farmer. This original Jewish Community Center was closed in the early 1970s in conjunction with the creation of the Manasquan Reservoir and a new building was completed in 1975.

Howell Preventorium

Arthur Brisbane bought 5,000 acres in Howell Township in 1907 for the establishment of a Preventorium. This was a facility to quarantine children who had been in contact with people suffering from tuberculosis so the children would not contract the highly infectious disease. Brisbane purchased the former Allaire Village but built the Preventorium on the current site of the Howell Municipal Complex. Up to 230 children were housed at the Preventorium, which operated from 1912 until about 1962 (MWMA, 1999). The Tuberculosis Preventorium for Children is currently the Howell Township Municipal Complex.

Naval Weapons Station Earle

In the midst of World War II, the US Government purchased land in northern Howell and southern Colts Neck Township to satisfy the need for a weapons facility in the New York metropolitan region. The station was commissioned in 1943 and named after Rear Admiral Ralph Earle, who during World War I was the Chief of the Bureau of Ordnance, the department in charge of the procurement, storage, and deployment of naval weapons. This facility handled most of the munitions used by the Army in Europe during the war (MWMA, 1999). In 1974, the facility’s name was changed from Naval Ammunition Depot to Naval Weapons Station.
The station is divided into two sections: Main-side is located in Colts Neck and Howell, and the Waterfront Area is on Sandy Hook Bay. Normandy Road, a 15-mile road and rail line, connects the two sites. The station’s Public Works Detachment maintains the railroad, which consists of 130 miles of track, nine locomotives, and 520 pieces of rolling stock. Located mostly in Colts Neck, Main-side covers more than 10,000 acres and is where most of Earle’s storage facilities are located. Main-side also contains its own police and fire departments, health facilities, homes, office buildings, stores, restaurants, and recreational facilities (Naval Weapons Station Earle).
As a weapons station, Earle handles, stores, transports, renovates, and issues all types of weapons and ammunition to the US Navy and Coast Guard. The station also manages handling equipment and containers for the fleet, including design, testing, acquisition, in-service engineering, and logistical support (Naval Weapons Station Earle).


Assista o vídeo: Whats under the water in NJ bays and inlets? Lets find out! Point Pleasant


Comentários:

  1. Nairne

    Me desculpe, que eu interrompi você.

  2. Ola

    Talvez eu concorde com sua opinião

  3. Mogis

    Informação radicalmente errada

  4. Panteleimon

    Pensamento útil



Escreve uma mensagem