Fazenda Crysler, 11 de novembro de 1813

Fazenda Crysler, 11 de novembro de 1813


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Fazenda Crysler, 11 de novembro de 1813

A batalha de Crysler's Farm foi uma vitória britânica na Guerra de 1812 que acabou com qualquer esperança de sucesso para um ataque americano a Montreal. Durante o verão de 1813, os americanos decidiram lançar um ataque em duas frentes contra Montreal. Um exército, sob o comando do General Wade Hampton, atacaria do Lago Champlain, enquanto uma força maior, sob o comando do Major General James Wilkinson, avançaria ao longo do Rio St. Lawrence a partir do Lago Ontário.

A expedição de St. Lawrence deixou Sackets Harbor em 17 de outubro. Wilkinson tinha pouco menos de 8.000 homens, 300 barcos de transporte e 12 canhoneiras, enquanto Hampton tinha 4.000 homens. Em Montreal, os britânicos tinham 6.000 regulares, fencibles e milícias, com outras 8.000 milícias sedentárias na reserva. Se os dois exércitos americanos pudessem se unir, seriam mais numerosos que o exército de campo britânico na proporção de dois para um.

Infelizmente para os americanos, as duas expedições não foram coordenadas. Wilkinson e Hampton eram inimigos, e Hampton quase se demitiu quando descobriu que Wilkinson havia recebido o comando geral das duas expedições. O mau tempo atrasou a expedição de St. Lawrence, que só entrou no rio no início de novembro. Por esta altura, Hampton avançou para o rio Chateauguay, onde foi rechaçado por uma força da milícia canadiana e fencibles (26 de outubro) e voltou ao território americano para ir para os quartéis de inverno. A notícia desse revés não chegaria a Wilkinson até depois da batalha da Fazenda de Crysler.

Quando os britânicos descobriram que a expedição americana havia entrado no St. Lawrence e não iria atacar Kingston (no Lago Ontário), um pequeno “corpo de observação” foi enviado para seguir os americanos. Este continha 630 homens dos 49º e 89º Regimentos sob o comando do Tenente-Coronel Joseph W. Morrison e era apoiado por duas escunas e sete canhoneiras.

O primeiro obstáculo para enfrentar a expedição americana foi o Fort Lawrence, em Prescott. Os canhões deste forte comandavam o rio. Wilkinson passou pelo forte desembarcando seus homens na margem americana do rio e marchando para além do forte, enquanto os barcos vazios passavam flutuando na noite de 7 a 8 de novembro. Os americanos agora estavam sob ataque da milícia canadense, que atirava em seus barcos sempre que o rio era estreito o suficiente. Wilkinson também sabia que estava sendo seguido por Morrison. Tendo passado por Prescott, ele dividiu seu exército. Uma parte foi desembarcada no banco canadense, com ordens de expulsar a milícia. Ao mesmo tempo, o Brigadeiro-General John Parke Boyd recebeu 2.000 regulares e recebeu a ordem de formar uma retaguarda.

Morrison pegou reforços em Prescott, dando-lhe cerca de 900 homens. A força americana havia alcançado o próximo obstáculo no rio, o Long Sault Rapids. Wilkinson decidiu que precisava derrotar a força britânica em sua retaguarda antes que pudesse seguir em frente com segurança, e assim Boyd recebeu permissão para atacar os britânicos.

Morrison havia assumido um cargo em uma fazenda de propriedade de John Crysler. Aqui, uma estreita faixa de terras agrícolas era delimitada pelo St. Lawrence à direita e por um pântano e bosques à esquerda. Morrison colocou 450 de seus regulares atrás de uma cerca de toras que corria ao longo de uma estrada que corria para o interior a 90 graus em direção ao rio. À frente e à direita ele colocou outra força de regulares. Uma pequena força de volitgeurs canadenses assumiu uma posição na frente da linha britânica para atuar como escaramuçadores. Uma pequena força de 30 índios estava na floresta à esquerda.

Na tarde de 11 de novembro, Boyd atacou em três colunas. Os americanos empurraram os escaramuçadores canadenses, mas depois foram atacados pela linha de regulares britânicos e recuaram. Ele então enviou uma coluna à sua direita, em uma tentativa de virar a esquerda britânica. Esta era uma esperança perdida em um campo de batalha tão estreito, e Morrison foi capaz de reorganizar sua linha para ver este segundo ataque. Apesar de estar em desvantagem numérica por dois para um, Morrison então lançou um contra-ataque, que forçou os americanos a recuar.

Ambos os lados sofreram baixas relativamente pesadas nesta batalha. Morrison perdeu 22 mortos, 148 feridos e 9 desaparecidos, quase 20% de sua força. Os americanos perderam 102 mortos, 237 feridos e 100 prisioneiros, pouco mais de 21% da força comprometida com o ataque.

Wilkinson agora se encontrava em uma posição difícil. Sua guarda avançada havia preparado o caminho para um novo avanço em direção a Montreal, mas ele estava certo de que os britânicos teriam forças fortes defendendo a cidade, e ele ainda estava sendo treinado por Morrison. No dia seguinte à batalha, ele encontrou uma saída fácil para essa dificuldade, quando uma carta finalmente chegou até ele do General Hampton relatando o fracasso de sua própria expedição. Wilkinson convocou um conselho de guerra, que decidiu entrar nos quartéis de inverno na margem americana do St. Lawrence. Seu exército passou o inverno em French Mills, no rio Salmon, antes de se dispersar em fevereiro de 1814.

Livros sobre a guerra de 1812 | Índice de Assunto: Guerra de 1812


Fazenda de Crysler, 11 de novembro de 1813 - História

Em 11 de novembro de 1813, as forças americanas foram derrotadas por um número menor de forças britânicas na Batalha de Chrysler Farm, a 100 milhas de Montreal.

Uma força de oitocentos soldados britânicos e canadenses liderados pelo tenente-coronel Joseph W. Morrison enfrentou os avanços americanos no Canadá. O Brigadeiro General Boyd americano foi despachado com 2.000 homens para lidar com a ameaça de Morrison. Na noite de 10 de novembro, Morrison instalou seu quartel-general em uma casa de fazenda de John Chrysler, na margem norte do St Lawrence. O St. Lawrence de um lado e os pântanos do outro protegeram suas linhas. As forças americanas não tiveram escolha a não ser atacar a linha britânica diretamente. Os britânicos mantiveram sua posição e não atiraram até que as Américas estivessem próximas. Eles então abriram fogo com um efeito devastador. A linha americana quebrou e o assalto acabou. Foi uma derrota humilhante para os americanos. Os britânicos perderam 22 mortos e 148 feridos, os americanos 102 mortos e 237 feridos.


Conteúdo

O plano americano [editar | editar fonte]

A batalha surgiu de uma campanha americana que pretendia capturar Montreal. As ações militares resultantes, incluindo a Batalha do Chateauguay, a Batalha do Campo de Crysler e uma série de escaramuças, são conhecidas coletivamente como a Campanha de São Lourenço.

O plano americano foi elaborado pelo Secretário da Guerra dos Estados Unidos, John Armstrong, Jr., que originalmente pretendia entrar em campo. & # 916 & # 93 Porque era difícil concentrar a força necessária em um lugar devido à disposição inicialmente dispersa das tropas e linhas de comunicação inadequadas, envolveu duas forças que se combinariam para o ataque final. A divisão do general James Wilkinson de 8.000 se concentraria no porto de Sackett, no lago Ontário, e seguiria pelo rio Saint Lawrence em canhoneiras, batteaux e outras pequenas embarcações. Em algum ponto, eles se encontrariam com outra divisão de 4.000 sob o comando do General Wade Hampton, avançando para o norte de Plattsburgh no Lago Champlain, para fazer o ataque final a Montreal.

Mesmo enquanto os preparativos prosseguiam, era evidente que o plano tinha várias deficiências. Até o último minuto, era incerto se Montreal seria o objetivo, já que Armstrong originalmente pretendia atacar Kingston, onde o esquadrão naval britânico no Lago Ontário estava baseado. No entanto, o Comodoro Isaac Chauncey, comandando o esquadrão naval americano no lago, recusou-se a arriscar seus navios em qualquer ataque contra Kingston. & # 917 & # 93 Havia desconfiança entre os oficiais do Exército preocupados com que Wilkinson tinha uma reputação desagradável de canalha, e Hampton recusou-se originalmente a servir em qualquer cargo no mesmo exército de Wilkinson. & # 916 & # 93 As tropas não tinham treinamento e uniformes, as doenças eram abundantes e havia muito poucos oficiais experientes. Principalmente, porém, parecia que nenhuma das forças poderia carregar suprimentos suficientes para se sustentar antes de Montreal, tornando um cerco ou qualquer bloqueio prolongado impossível.

Movimentos preliminares americanos [editar | editar fonte]

Hampton começou sua parte na campanha em 19 de setembro com um avanço pelo rio Richelieu, que flui ao norte do lago Champlain. Ele decidiu que as defesas nessa rota óbvia eram muito fortes e, em vez disso, mudou para o oeste para Four Corners, no rio Chateauguay, perto da fronteira com o Canadá. Ele foi forçado a esperar lá por várias semanas, pois a força de Wilkinson não estava pronta, o que lhe custou parte de sua vantagem inicial em número, pois as tropas canadenses foram transferidas para Châteauguay e reduziram seus suprimentos.

Armstrong pretendia que a força de Wilkinson partiria em 15 de setembro. Em 2 de setembro, o próprio Wilkinson fora ao Forte George, que os americanos haviam capturado em maio, para organizar a movimentação da divisão do Brigadeiro General John Parker Boyd do Forte George para um encontro com as tropas do Porto de Sacket. & # 917 & # 93 Possivelmente porque estava doente, ele demorou cerca de um mês em Fort George. Ele voltou para Sacket's Harbor, e a divisão de Boyd começou seu movimento, apenas na primeira semana de outubro.

As poucas perspectivas de sucesso (e possivelmente sua própria doença) & # 916 & # 93 levaram Armstrong a abandonar sua intenção de liderar o ataque final ele mesmo. Ele entregou o comando geral da expedição a Wilkinson e partiu de Sacket's Harbor a caminho de Washington em 16 de outubro, pouco antes de a parte de Wilkinson na campanha ser finalmente lançada. A carta de Armstrong para Hampton, notificando-o da mudança no comando e também jogando grande parte do fardo de fornecer a força combinada sobre ele, chegou na noite anterior ao exército de Hampton travar a Batalha de Chateauguay. Embora Hampton tenha atacado, como parte de sua força já estava comprometida com um movimento de flanqueamento, ele imediatamente enviou sua renúncia e recuou quando seu primeiro ataque foi repelido. & # 918 e # 93

As jogadas de Wilkinson [editar | editar fonte]

A força de Wilkinson deixou o porto de Sackett em 17 de outubro, com destino inicialmente à Ilha Grenadier, na cabeceira do St. Lawrence. O meio de outubro foi muito tarde no ano para uma campanha séria nos Canadas e a força americana foi prejudicada pelo mau tempo, perdendo vários barcos e sofrendo de doenças e exposição. Demorou vários dias para os últimos retardatários chegarem à Ilha Grenadier.

Em 1º de novembro, os primeiros barcos partiram da ilha e chegaram a French Creek (perto da atual Clayton, Nova York) em 4 de novembro. Aqui, os primeiros tiros da campanha foram disparados. Brigadas e canhoneiras britânicas sob o comando do comandante William Mulcaster haviam deixado Kingston para se encontrar e escoltar batteaux e canoas que transportavam suprimentos até Saint Lawrence. O agressivo Mulcaster bombardeou ancoradouros e acampamentos americanos durante a noite. Na manhã seguinte, artilheiros americanos comandados pelo tenente-coronel Moses Porter o expulsaram, usando um "tiro quente" aquecido às pressas. & # 919 & # 93 (As balas de canhão americanas em brasa atearam fogo no brigue Conde de Moira, e a tripulação intencionalmente afundou o brigue para extinguir o fogo. O brigue foi posteriormente recuperado e voltou ao serviço.) & # 9110 & # 93

De French Creek, Wilkinson desceu o rio. Em 6 de novembro, enquanto estava no assentamento de Hoags, ele recebeu a notícia de que Hampton havia sido repelido no rio Chateauguay em 26 de outubro. Ele enviou novas instruções a Hampton para marchar para o oeste de sua posição atual em Four Corners, Nova York, e encontrá-lo na Cornualha.

A força de Wilkinson contornou com sucesso o posto britânico em Prescott no final de 7 de novembro. As tropas foram desembarcadas e marcharam ao redor de Ogdensburg, na margem sul do rio, enquanto os barcos iluminados passavam pelas baterias britânicas sob a cobertura da escuridão e pouca visibilidade. Apenas um barco foi perdido, com dois mortos e três feridos. No dia seguinte, enquanto o corpo principal embarcava novamente, um batalhão de guarda avançada comandado pelo coronel Alexander Macomb e um batalhão de fuzileiros comandados pelo major Benjamin Forsyth desembarcou no lado canadense do rio para livrar a margem do rio da perseguição à milícia canadense.

No dia seguinte (9 de novembro), Wilkinson realizou um conselho de guerra. Todos os seus oficiais superiores pareciam determinados a prosseguir com a expedição, independentemente das dificuldades e relatos alarmantes da força inimiga. A guarda avançada foi reforçada com a 2ª Brigada (6ª, 15ª e 22ª Infantaria dos EUA) sob o comando do Brigadeiro General Jacob Brown, que assumiu o comando da força e marchou para o leste ao longo da margem norte do rio. Antes que o corpo principal pudesse seguir por água, Wilkinson soube que uma força britânica o estava perseguindo. Ele desembarcou quase todas as outras tropas na retaguarda, sob o brigadeiro-general John Parker Boyd. No final de 10 de novembro, depois de um dia em marcha sob fogo intermitente de canhoneiras e canhões de campanha britânicos, Wilkinson estabeleceu seu quartel-general na Taverna de Cook, com as tropas de Boyd acampadas na floresta ao redor.

Contra-movimentos britânicos [editar | editar fonte]

Os britânicos sabiam da concentração americana no porto de Sackett, mas por muito tempo acreditaram, com bons motivos, que sua principal base naval em Kingston era o alvo pretendido da força de Wilkinson. O general-de-divisão Francis de Rottenburg, o vice-governador do Alto Canadá, reuniu ali suas tropas disponíveis. Quando Mulcaster voltou de French Creek no final de 5 de novembro com a notícia de que os americanos estavam descendo o Saint Lawrence, de Rottenburg despachou um Corpo de Observação depois deles, de acordo com as ordens anteriormente emitidas pelo Governador Geral Sir George Prevost. & # 9111 & # 93

O corpo inicialmente contava com 650 homens e era comandado pelo Tenente Coronel Joseph Wanton Morrison, o comandante do 2º Batalhão, o 89º Regimento. Eles foram embarcados nas escunas Beresford e Sidney Smith, acompanhada por sete canhoneiras e várias pequenas embarcações, todas comandadas por Mulcaster. Eles partiram de Kingston com mau tempo no final de 7 de novembro & # 9112 & # 93 e evadiram os navios do Comodoro Isaac Chauncey, que estavam bloqueando a base, entre as Mil Ilhas na cabeceira do Rio São Lourenço. Em 9 de novembro, eles chegaram a Prescott, onde as tropas desembarcaram porque as escunas não podiam prosseguir (embora Mulcaster continuasse a acompanhá-los com três canhoneiras e alguns batteaux). Morrison foi reforçado por um destacamento de 240 homens da guarnição de Prescott, para uma força total de cerca de 900 homens. & # 9111 & # 93

Marchando rapidamente, eles alcançaram a retaguarda de Boyd em 10 de novembro. Naquela noite, eles acamparam perto da Fazenda Crysler, duas milhas rio acima das posições americanas. O terreno era constituído principalmente de campos abertos, o que dava total espaço às táticas e mosquetes britânicos, enquanto o solo lamacento (plantado com trigo de outono) e a natureza pantanosa das matas ao redor da fazenda dificultariam as manobras americanas. Morrison estava disposto a aceitar a batalha aqui, se oferecida. & # 9113 & # 93


Preço: $12.00

Quantidade: 1 disponível

50 pp. Fotos. Diagramas. Desenhos. Edgewear leve, cantos esfregados. Descreve uma das batalhas cruciais da Guerra de 1812, junto com o estabelecimento da Upper Canada Village, um assentamento recriado de 1800. 4 a 11 e # 34 - 13 e # 34 de altura

Título: O dia da fazenda de Crysler, 11 de novembro de 1813 The Upper Canada Village Story

Local publicado: Cornwall, On, Canadá, The Ontario St. Lawrence Development Commission: 1960

Condição do livro: Muito bom-

ID do vendedor: HIS3382

Palavras-chave: canada upper canada village st. guerra marítima de Lawrence de 1812


& quotA ordem de batalha para a Fazenda Crysler em 11 de novembro de 1813 & quot Tópico

Todos os membros em situação regular podem postar aqui. As opiniões expressas aqui são exclusivamente dos participantes, e não foram autorizadas nem são endossadas por A página de miniaturas.

Áreas de interesse

Artigo de notícias sobre hobby em destaque

Mares negros Munição

Link em destaque

Batalha de Roncesvalles & # 401813 & # 41 na Wikipedia

Artigo de demonstração em destaque

Vampiros Noviços de 28 mm

Blue Table Painting faz alguns vampiros juniores para nós.

Artigo de bancada de trabalho em destaque

Perfurando Orifícios em Minis - Parte III: Ampliando

Editor-chefe Bill pondera os prós e os contras de usar uma furadeira elétrica na bancada minis.

Artigo de perfil em destaque

Primeira vista: Battlefront's Expansão de trilhos de trem

Editor-chefe Bill vai além da linha reta.

Enquete Atual

Filme favorito de Charlton Heston (2ª rodada)

1.630 acessos desde 18 de setembro de 2014
& # 1691994-2021 Bill Armintrout
Comentários ou correções?

"Durante a batalha de Crysler 'Farm (o exército americano sob o comando do general Wilkinson veja A batalha Crysler' Farm em 11 de novembro de 1813)), encontrou uma força anglo-canadense inferior em número, mas excepcionalmente puxada

O staff americano varia de acordo com as fontes de 2.500 a 4.000 homens efetivamente comprometidos na ação deste dia. 9º, 11º, 12º, 13º, 14º, 16º, 21º, 25º infantaria dos EUA, 2º dragão leve, 1º rifle e 6 peças de artilharia compunham a força americana que tinha diante de seus únicos elementos de fencível canadense, acrobatas canadenses, milícia, Índios e 49º e 89º regimento de futebol. Ou 8 regimentos regulares de infantaria contra dois.

Em vários ataques sucessivos, os americanos não conseguiram fazer seu oponente se curvar e finalmente tiveram que bater em retirada, tendo sofrido 450 derrotas contra 200 para o anglo-canadense & hellip "
Daqui.
ligação

Com certeza você vai curtir a página principal
ligação

Uau! Os britânicos e canadenses tinham acrobatas, índios e 2 regimentos de jogadores de futebol !! Não é de admirar que eles tenham vencido.

Bom encontrar Armand. Estou prestes a empreender um grande projeto da Guerra de 1812 de 28 mm, então adicionarei este site aos favoritos.

Um local muito bom para a Guerra de 1812 com muitas placas de grande uniformes.

No entanto, a tradução para o inglês soa como uma reconstituição do Monty Python !!
Melhor olhar para o francês original:

Sim, muitos detalhes perdidos na tradução inadequada. Isso costumava ser um site muito bom há cerca de um ano, mas foi invadido por anúncios pop-up do tipo spam. Não foi adicionado muito no ano passado.

Olivier, o criador, mudou-se para um site de uniformes ACW. Crysler's Farm é uma grande batalha para o jogo de guerra e o inferno jogado cerca de dois anos atrás.

Desculpem a tradução meus amigos, mas fico feliz que tenham gostado mesmo assim! (sorriso)


Batalha de Crysler e sítio histórico nacional da fazenda # 039s do Canadá

Este monumento perto de Morrisburg, Ontário, comemora a Batalha da Fazenda de Crysler, travada no local em 11 de novembro de 1813 (foto usada com permissão do site www.ontarioplaques.com).

Battle of Crysler's Farm National Historic Site of Canada

A Batalha do Sítio Histórico Nacional Crysler's Farm comemora uma batalha travada durante a Guerra de 1812 nos campos do fazendeiro John Crysler nas margens do Rio São Lourenço perto de Morrisburg, Ontário, em 11 de novembro de 1813. Os britânicos estavam em grande desvantagem numérica nesta batalha , mas conseguiu derrotar um exército americano, encerrando seus planos de atacar Montreal.

Antes de um programa nacional de designação de locais históricos ser desenvolvido, o governo do Canadá ergueu um monumento em homenagem à Batalha de Crysler's Farm no campo de batalha em 1895. Em 1920, o recém-formado Conselho de Locais e Monumentos Históricos do Canadá designou o local como um histórico nacional local, e o quadro o marcou com uma placa de bronze em 1923.

Em 1958, o campo de batalha foi inundado pela construção do St Lawrence Seaway, e o monumento e o solo do local foram movidos para um terreno mais alto, adjacente ao recém-estabelecido Upper Canada Village. A Comissão de Parques de St Lawrence administra os dois locais históricos. Um pequeno centro interpretativo foi inaugurado nas proximidades em 1959 para contar a história da batalha. Como parte da comemoração do bicentenário da Guerra de 1812, um novo centro de visitantes foi construído. Todos os anos, reencenadores do Canadá e dos Estados Unidos se reúnem aqui para encenar a batalha.

Visão geral da batalha da fazenda de Crysler

No início do outono de 1813, o Secretário da Guerra americano John Armstrong pôs em ação uma grande estratégia para capturar o Alto Canadá, enviando dois exércitos para atacar Montreal, o que forçaria os britânicos a abandonar todas as suas possessões a oeste dessa cidade.

Um exército comandado pelo General Wade Hampton recebeu ordens de avançar do Lago Champlain em direção a Montreal, enquanto um segundo exército comandado pelo General James Wilkinson deveria navegar pelo rio St Lawrence para se juntar a Hampton na invasão. O exército de Hampton começou a campanha, mas uma força de canadenses e das Primeiras Nações parou seu exército em 26 de outubro na Batalha de Châteauguay.

O exército de Wilkinson deixou Sackets Harbor, em Nova York, em 17 de outubro. As canhoneiras britânicas comandadas pelo comandante William Mulcaster dispararam contra a frota americana perto da Ilha Grenadier e retornaram a Kingston para relatar a invasão. Em Kingston, o tenente-coronel britânico Joseph Wanton Morrison do 89º Regimento reuniu um "corpo de observação" de 650 homens e embarcou na flotilha de Mulcaster para navegar pelo St Lawrence para perseguir o exército de Wilkinson. Sua força desembarcou em Prescott e foi acompanhada por 240 homens da guarnição de Prescott para continuar a perseguição aos americanos. Esse pequeno exército então marchou pelo rio St Lawrence, chegando à fazenda de Crysler em 10 de novembro.

Na manhã de 11 de novembro, Wilkinson decidiu atacar a força de Morrison de 1169 regulares, milícia canadense superior e aliados Mohawk para que não ameaçassem os americanos durante a descida das traiçoeiras corredeiras Long Sault no rio. Wilkinson ordenou que o Brigadeiro General John Boyd liderasse 2.500 homens contra a força de Morrison.

Morrison implantou a milícia canadense e os guerreiros Mohawk na floresta em ambos os lados do campo de John Crysler e formou os regulares britânicos em 2 linhas. Os americanos estavam desorganizados, enquanto os regulares britânicos mantinham uma formação bem disciplinada, disparando contra os americanos à queima-roupa. Vários ataques à linha de Morrison foram repelidos, forçando os americanos a eventualmente recuar do campo.

O exército desmoralizado de Wilkinson continuou a descida do St Lawrence, parando perto da Cornualha em 12 de novembro. Aqui Wilkinson soube que o exército de Hampton, derrotado anteriormente em Châteauguay, não se juntaria a suas forças para um ataque a Montreal. Wilkinson encerrou a campanha e conduziu seus homens de volta aos Estados Unidos. Montreal foi salvo.


Batalha da Fazenda de Crysler: 11 de novembro de 1813

O general-de-brigada John Wilkinson liderou sua força de 8.000 soldados americanos para fora do porto de Sackett em 27 de outubro de 1813. Ele se juntou ao contingente de 4.000 homens do brigadeiro-general Wade Hampton que avançava do Lago Champlain para o rio St. Lawrence. Assim que os generais americanos combinassem seus exércitos, eles deveriam tomar Montreal.

Quando o exército de Wilkinson subiu o St. Lawrence vindo do Lago Ontário, ele foi seguido por 600 soldados britânicos do 89º Regimento. O tenente-coronel Joseph Morrison comandava o regimento. Ele foi reforçado com duas companhias do 49º Regimento, três companhias de Voltigeurs e um pequeno bando de guerreiros Mohawk. Com 880 soldados, ele continuou a acompanhar a força americana, muito maior.

Finalmente, em 11 de novembro de 1813, o comandante americano, Brigadeiro-General Wilkinson, voltou-se para enfrentar as tropas de Morrison. Os britânicos assumiram posições defensivas ao longo de uma cerca pesada de toras de cedro na fronteira com os campos de um fazendeiro local, John Crysler. Os Voltigeurs e Mohawks implantados na floresta próxima. Enquanto os americanos atacavam, os homens dos 89º e 49º regimentos os enfrentaram com fogo disciplinado. Os voleios britânicos devastaram a infantaria americana. Dos bosques adjacentes, os Mohawks e Voltigeurs dizimaram as fileiras americanas com fogo certeiro.

As baixas americanas continuaram a aumentar até que o Brigadeiro-General Wilkinson finalmente retirou suas forças. Após a batalha, o exército americano recuou para Plattsburg, Nova York.


Locais históricos canadenses: artigos ocasionais em Arqueologia e História No. 11

A principal coluna americana sob James Wilkinson estava caindo sobre Montreal na época da retirada de Hampton, e ainda representava a ameaça mais séria para o Baixo Canadá. A defesa canadense superior havia sido abalada pela vitória que Perry obtivera no Lago Erie e a subseqüente derrota de Procter pelas forças americanas comandadas por William Harrison no Tâmisa. Um ataque bem-sucedido de Wilkinson teria tornado séria toda a situação da defesa canadense.

Por sorte, uma força de 800 homens escapou com sucesso de Kingston sob o comando do coronel Morrison e correu para ultrapassar o exército de Wilkinson, na esperança de uma oportunidade para atacar. Esta oportunidade se apresentou finalmente na Crysler's Farm em 11 de novembro de 1813. Um ataque americano descoordenado contra a linha rígida e disciplinada do 800 de Morrison não teve sucesso, e Wilkinson, lutando contra a doença, usou a notícia do dia seguinte da retirada de Hampton para cancelar a campanha . Um conselho de guerra enviou seu exército de volta aos quartéis de inverno nos Estados Unidos.

Os desastres no oeste foram suavizados um pouco para os britânicos pela boa sorte no leste, a isso foi adicionada a oportunidade que agora se apresentava na região do Niágara, deixada por Wilkinson sob pouco mais do que uma guarda da milícia. A ação rápida do Tenente General Drummond e do Coronel Murray viu as tropas britânicas não apenas retomarem o Forte George, mas também cruzar para tomar o Forte Niagara na ponta da baioneta. As paixões estavam altas à medida que o ano se aproximava. A guarnição americana segurando Fort George incendiou a vila canadense de Newark enquanto recuava, e a força de Drummond carregava suas próprias tochas em retaliação, capturando e destruindo Fort Schlosser, Black Rock, Lewiston e Buffalo. O ano de 1813 terminou com as verdadeiras vitórias americanas no Tâmisa e no Lago Erie, obscurecidas pelos fracassos de Wilkinson e Hampton, e finalmente ofuscado pela devastadora varredura britânica ao longo da fronteira do Niágara.

À medida que a temporada de 1814 se aproximava, havia terreno para otimismo nos Canadas. Quase enquanto Procter fugia do Tâmisa e Morrison e de Salaberry se mantinha firme mais a leste, a Grande Armée de Napoleão estava sendo dizimada em Leipzig (16-19 de outubro de 1813). O poder da Grã-Bretanha e de seus aliados europeus, combinado com a exaustão e desilusão dos franceses, ocasionou a abdicação de Napoleão em abril de 1814. O governo britânico informou a Prevost que havia toda a intenção de liberar unidades regulares britânicas veteranas para o Canadá, e de empreender uma ação agressiva política contra os Estados Unidos. Não apenas o destruidor bloqueio costeiro seria reforçado, mas o Ministério da Guerra britânico formulou um plano de amplas dimensões. Uma invasão ao sul através da rota Champlain tinha como objetivo encorajar a já forte aversão da Nova Inglaterra à continuação da guerra, e as forças anfíbias deveriam dirigir ataques punitivos ao longo da costa leste, culminando na apreensão e bloqueio de Nova Orleans e do Mississippi. O duque de Wellington declarou francamente que não conhecia nenhuma maneira particular pela qual um único ataque pudesse ferir a longínqua república e viu os planos com certo pessimismo que o Ministério da Guerra estava determinado a prosseguir.

Os sentimentos americanos eram confusos. O bloqueio costeiro britânico foi um enorme sucesso e prometia se tornar ainda mais formidável. A chegada iminente de unidades regulares britânicas veteranas ao Canadá representou apenas problemas para o secretário Armstrong e suas forças inconsistentes, e produziu uma sensação de desespero.

Um motivo de orgulho americano, entretanto, foi o rápido desenvolvimento da capacidade de suas tropas no campo. Homens mais jovens como Winfield Scott e Izard ocuparam posições de comando sênior. O próprio Scott perfurou implacavelmente sua própria brigada na fronteira do Niágara durante o inverno de 1813-14, até que ela tivesse a mesma qualidade de qualquer coisa que os britânicos pudessem enviar. O clima quando a neve começou a derreter era de urgência. O exército americano tinha novas ferramentas para fazer o trabalho - a questão era se o trabalho poderia ser feito antes que os veteranos de Wellington começassem a embarcar em grande número dos navios em Quebec.

Junho se tornou o mês crítico. Além da corrida para a construção naval no Lago Ontário, pouco foi realizado no início da primavera por ambos os lados, cada um sofrendo com o excesso de recursos financeiros e de mão de obra. O exército americano na região do Niágara aos poucos construiu sua força em direção à invasão do rio em junho. Os reforços europeus de Prevost só começaram a chegar em junho. Ambos os lados se contentaram com breves ataques e depredações ao longo da fronteira Montreal-Niágara, e ações sem importância no remoto oeste.

Em julho, os Estados Unidos avançaram decisivamente para a travessia do rio Niágara. Fort Erie caiu para o novo exército do General Brown, e as forças de defesa britânico-canadenses no Fort George, sob Riall, marcharam para o sul para enfrentá-los. O resultado foi uma vingança do treinamento incansável de Winfield Scott, enquanto sua brigada e as outras unidades americanas travavam uma batalha constante que forçou Riall a se aposentar em 4 de julho em Chippawa. Apenas a falta de cooperação das forças navais americanas no Lago Ontário impediu Brown de fazer um avanço profundo no Alto Canadá. Do jeito que as coisas aconteceram, ele foi forçado a se retirar enquanto os britânicos se reagrupavam, tanto para persegui-lo quanto para ameaçar seus depósitos americanos. Brown se virou e lançou suas tropas contra os britânicos em Lundy's Lane em 25 de julho. Esse confronto indeciso, mas selvagem, terminou com a posse britânica do campo de batalha e a retirada da força esfarrapada de Brown para o Fort Erie. Aqui, ele resistiu a um ataque britânico determinado até 21 de setembro, quando este último finalmente se aposentou. Ambos os lados sofreram muito com esse engajamento, talvez o confronto mais acaloradamente contestado da guerra. Embora Izard tenha chegado com reforços de Plattsburg, ele pouco poderia realizar sem ajuda naval, e apenas realizou incursões até a evacuação final e destruição do Forte Erie em novembro.

Enquanto isso, a invasão do vale Champlain fora empreendida por decisão de Prevost, depois que o governo britânico lhe deu a escolha de Sackets Harbour ou Plattsburg. Izard havia fortificado o último antes de ser enviado para protestar contra a fronteira do Niágara.

A inadequação naval americana no lago foi corrigida pelos esforços de Thomas Macdonough, U.S.N. no entanto, quando Prevost cruzou a fronteira com um exército bem treinado de 15.000 pessoas em 3 de setembro, havia poucos obstáculos em seu caminho. A hesitação de Prevost o levou a parar em Plattsburg para esperar uma vitória naval no lago ao lado dele. Quando Macdonough derrotou a força britânica do lago de Downie não completamente preparada e seu próprio esquema de ataque enfrentou dificuldades iniciais, Prevost retirou-se para Montreal, para grande desgosto dos veteranos que liderava.

Os britânicos estavam pressionando a costa leste, onde a força de Robert Ross incendiou prédios públicos em Washington no dia 24 de agosto. O único brilho em uma imagem sombria para os americanos foi o bombardeio do Fort McHenry em Baltimore, onde o mastro sobrevivente inspirou Francis Scott Key três dias após a retirada de Prevost de Plattsburg. À medida que o outono e o inverno se aproximavam, nada de permanente foi alcançado em qualquer teatro do norte. A única grande operação militar remanescente da guerra, o assalto a Nova Orleans, culminou em 8 de janeiro de 1815 com a terrível perda de mais de 2.000 soldados regulares britânicos diante das paliçadas de fardos de algodão dos defensores de Andrew Jackson.

The American government, deep in the gloom of March 1813, had agreed to an offer from the czar of Russia to mediate, and had hurried a negotiating team to St. Petersburg to conclude peace. Britain declined comment until the new year, 1814, when, while rejecting the czar's offer of mediation, she offered to negotiate directly with the United States. It was not until after Napoleon's defeat that the meeting place of Ghent was agreed to, by which time British public opinion was calling for punishment of the United States rather than negotiation. The negotiations commenced in August, with British demands being somewhat severe. As time, however, brought news of Prevost's retirement, the inconclusive coastal expeditions and growing uneasiness in Europe, these demands were eased. Moderation was further supported by the Duke of Wellington, who argued against excessive British claims.

The belligerency of both sides faded as Christmas approached, and the earnest desire of both parties to conclude matters produced a peace settlement on Christmas Eve, 1814, based on status quo ante bellum. None of the original problems which had led to the war were resolved. The neutrality of the settlement left resolution of the differences which caused the war to the years ahead.

Some historians speculate that the news of the British disaster at New Orleans, which arrived too late to influence the Treaty of Ghent, might have hardened the American position. Yet this position was fairly uncomplicated from the beginning peace without any concessions. What it might have done was speed British determination to end the affair. This, too, was already present. Meanwhile the Canadian colonies realized that their existence had been preserved in no small part by their own work and determination.


War of 1812 Timeline

This illustration is from the 1816 book, The History of England, from the Earliest Periods, Volume 1 by Paul M. Rapin de Thoyras.

February 1 – France declares war on Great Britain

August 20 – General Anthony Wayne defeats a Native American confederation at the Battle of Fallen Timbers, paving the way for the settlement of present-day Ohio

April 30 – The Louisiana Purchase is finalized, adding more than 800,000 square miles to the western frontier of the United States

November 21 – Napoleon issues the Berlin Decrees

December 4 – Napoleon is crowned Emperor of France following a coup d'etat

April 18 - Non- Importation Act passed

June 22 – HMS Leopardo fires on the USS Chesapeake

November 11 – Great Britain passes the 1807 Orders in Council, restricting international trade with France

December 22 – Embargo Act Passed

March 4 – James Madison is sworn in as the 4th President of the United States.

May 16 – The American frigate USS Presidente fires on the British sloop HMS Little Belt

October 9 – Major General Isaac Brock is appointed Administrator of Upper Canada

June 18 – The United States declares war on Great Britain

June 22 – A mob in Baltimore destroys the printing offices of an anti-war newspaper

July 12 – General William Hull invades Canada from Detroit

July 17 – Fort Michilimackinac surrenders to British-Canadian forces

August 5 – Skirmish near Brownstown, Michigan

August 8 – General Hull returns to Detroit

August 15 – British forces bombard Detroit

August 16 – General Hull surrenders Detroit

August 19 – The USS Constituição defeats the HMS Guerriere

October 13 – British-Canadians win the Battle of Queenston Heights, Ontario

November 27 – Skirmish at Fort Erie

December 28 – William Henry Harrison formally resigns as Governor of Indiana Territory and takes the rank of Brigadier General.

December 29 – USS Constituição defeats the HMS Java

January 9 – Great Britain declares war on the United States

January 13 – John Armstrong replaces William Eustis as Secretary of War

January 18 – American forces seize Frenchtown, Michigan

January 22 – The Battle of River Raisin roughly 40 to 60 American soldiers are killed in “The River Raisin Massacre”

February 22 – Battle of Ogdensburg

March 4 – James Madison inaugurated for the second term as President

March 27 – Oliver Hazard Perry takes command of the flotilla at Lake Erie

April 27 – Attack on York [modern today Toronto] General Zebulon Pike is killed

April 29 – Raid on Frenchtown, Maryland by a British flotilla under the command of Admiral George Cockburn

May 1 – American forces evacuate York Siege of Fort Meigs near modern-day Toledo Ohio begins

May 3 – Royal Marines land and burn Havre de Grace, Maryland

May 27 – Engagement at Fort George

June 1 – USS Chesapeake captured by the British frigate HMS Shannon Captain James Lawrence dies days later

June 6 – Engagement at Stoney Creek

June 22 – Battle of Craney Island

June 24 – Battle of Beaver Dams

June 25 – Burning of Hampton, Virginia

August 10 – Battle of St. Michaels

August 30 – Attack on Fort Mims, Alabama

September 10 – Battle of Lake Erie

October 5 – Battle of the Thames Tecumseh is killed

October 7 – Andrew Jackson establishes camp at Fayetteville, TN to recruit American forces to combat the Creeks in Alabama

October 26 – Engagement at Chateauguay

November 11 – Battle of Crysler’s Farm

November 29 – Battle of Autossee

December 19 – Capture of Fort Niagara

March 19 – Winfield Scott is promoted to Brigadier General at the age of 27

April 4 – Napoleon abdicates and is exiled to Elba off the coast of Tuscany Great Britain now turns its focus to the war in America

July 3 – American troops under Major General Jacob Brown cross the Niagara River and capture Fort Erie

July 22 – Treaty of Greenville

July 25 – Battle of Lundy’s Lane, one of the fiercest battles of the war

August 8 – Peace negotiations begin

August 9 - Treaty of Fort Jackson

August 9 – Stonington, CT raid begins

August 12 – Stonington Raid Ends

August 14 – General Robert Ross in command of a reinforcement consisting of 4,500 veteran
British troops arrive at the Chesapeake Bay

August 19 – British troops land at Benedict, Maryland

August 24 – Burning of Washington, D.C.

August 27 – Abandonment of Fort Warburton

August 28 – Alexandria Raid

September 6 – Battle of Plattsburgh

September 11 – Battle of Lake Champlain

September 12 – Battle of North Point General Ross is killed

September 14 – Francis Scott Key writes the first lines of the poem which would become “The Star-Spangled Banner”

November 6 – Battle of Malcolm's Mills

December 1 – Peace delegates reconvene at Ghent

December 14 – Delegates to the Hartford Convention meet in Hartford, Connecticut

December 24 – The Treaty of Ghent is signed

December 28 – The Treaty of Ghent is ratified by the British

January 5 – The Hartford Convention concludes

February 16 – The United States Senate ratifies the Treaty of Ghent

February 18 – The Treaty of Ghent is declared the War of 1812 is over

February 20 – USS Constituição engages the HMS Cyane e HMS Levant, not knowing the war was over

April 6 – Seven American prisoners are killed and 32 wounded in the “Dartmoor Massacre” at Dartmoor Prison in Devon, England


Tag Archives: Hampton

In September 1813 the USA invaded Lower Canada with the intention of capturing Montreal, thus cutting the lines of supply to British troops in Upper Canada. See this website for a map of the theatre of operations.

Two US armies took part in the invasion. One, commanded by General Wade Hampton, was to move from Plattsburgh along the River Chateuaguay, whilst the other, under General James Wilkinson, was to advance from Sackett’s Harbor along the River St Lawrence. The two were to unite at Montreal, but co-operation between them was hampered by a long running feud between the two US generals.

On 6 November Wilkinson learnt that Hampton’s army had been defeated by a Canadian force in the Battle of the Chateuaguay on 26 October. Wilkinson sent a messenger ordering Hampton to march west and rendezvous with him at Cornwall in Eastern Ontario. However, Hampton was retreating towards winter quarters at Plattsburgh.

Wilkinson’s 8,000 men were being followed and harried by a 1,200 man corps of observation as it sailed down the St Lawrence. It was commanded by Lieutenant-Colonel Joseph Wanton Morrison, a British officer who had been born in New York when it was still under British control towards the end of the American War of Independence. The main British force was at their naval base of Kingston, which they assumed was Lawrence’s objective.

Morrison’s troops consisted of a mixture of British regulars from the 49th and his own 89th Regiments of Foot, three Royal artillery guns and crews, Canadian Fencibles, Canadian Voltigeurs, Tyendinaga and Mississauga Mohawk warriors and the Dundas County Militia. They were supported by a flotilla of gunboats commanded by William Howe Mulcaster. Two-thirds of the 270 Canadian regulars were French speakers.

On 10 November a skirmish was fought at Hoople’s Creek. The next day Wilkinson decided that he needed to chase Morrison away before crossing the Long Sault Rapids. He was ill and his second in command, Major-General Morgan Lewis was unavailable, so Brigadier-General John Parker Boyd was put in command.

The Anglo-Canadians headquarters was at Crysler’s Farm, sometimes mis-spelt Chrysler’s Farm. Morrison was able to fight on ground of his choosing . Woods and two ravines enabled his men to take up concealed positions , but the Americans were moving across an open battlefield that exposed them to the accurate fire of the Anglo-Canadians

On 11 November the Americans were slow to attack, used only 4,000 of their troops and committed them piecemeal. They lost 102 killed, 237 wounded and 120 captured. Anglo-Canadian casualties were 31 killed, 148 wounded and 13 missing. About a third of the Fencibles, half of whom were French-Canadians, became casualties.

The American attack was called off after three hours. Their men were tired and hungry, and they had fewer experienced officers than their opponents. Despite the defeat Wilkinson ordered his army to cross the Long Sault rapids. However, the next day he received a message informing him that Hampton would not make their planned rendezvous, as he had retreated to winter quarters. Wilkinson therefore ordered his army to retire to winter quarters at French Mills.

As well as ending the US 1813 invasion, the battle is very important in Canadian history because it was a victory won by a mixture of British, English-speaking Canadians, French-Canadians and Mohawks.

The following websites were used in researching this post, in addition to those linked in the text:


Brig Gen Leonard Covington

War of 1812 hero born at nearby Covington Farm, Aquasco. Covington served in the Maryland Senate (1802, 1807-1809) and U.S. House of Representatives (1805-1807). Mortally wounded on November 11, 1813, at the Battle of Crysler's Farm, Ontario, he is buried at Sackets Harbor, New York. Over twenty-one American cities, towns and counties are named for Covington including Fort Covington, Baltimore, which protected the flank of Fort McHenry.

Erected 2014 by Maryland Historic Trust, Maryland Highway Administration.

Tópicos This historical marker is listed in these topic lists: Government & Politics &bull Patriots & Patriotism &bull War of 1812. A significant historical date for this entry is November 11, 1813.

Localização. 38° 35.115′ N, 76° 43.49′ W. Marker is in Aquasco, Maryland, in Prince George's County. Marker is at the intersection of Aquasco Road (Maryland Route 381) and St. Mary's Church Road, on the right when traveling north on Aquasco Road. Toque para ver o mapa. Marker is at or near this postal address: 22200 Aquasco Road, Aquasco MD 20608, United States of America. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. At least 8 other markers are within 4 miles of this marker, measured as the crow flies. Alarming Sight (within shouting distance of this marker) Woodville School (approx. 0.6 miles away) Maxwell Hall (approx. 3.7 miles away) Test of a New Nation

(approx. 3.7 miles away) Begin Your Adventure (approx. 3.7 miles away) a different marker also named Maxwell Hall (approx. 3.8 miles away) War of 1812 (approx. 3.8 miles away) Warships and Raids (approx. 3.9 miles away). Touch for a list and map of all markers in Aquasco.

More about this marker. Aquasco is unincorporated.

Regarding Brig Gen Leonard Covington. After the Battle of Crysler's Farm, General Covington and the soldiers retreated to French Mills, NY on the Salmon River, where the general died on November 14. He was buried at Sackets Harbor in 1820. French Mills became Fort Covington in 1817.

Marcadores relacionados. Clique aqui para obter uma lista de marcadores relacionados a este marcador. Battle of Crysler's Farm 1813 and French Mills to where American forces retreated.

Also see . . .
1. Brigadier General Leonard Covington Roadside Marker 8 20 14 - You Tube. Marker dedication ceremony. (Submitted on December 2, 2014, by Anton Schwarzmueller of Wilson, New York.)

2. Covington, Leonard, (1768-1813) - Biographical Directory of the United States Congress. (Submitted on December 2, 2014, by Anton Schwarzmueller of Wilson, New York.)
3. Leonard Covington - Wikipedia. (Submitted on December 2, 2014, by Anton Schwarzmueller of Wilson, New York.)

4. Battle of Crysler's Farm - Wikipedia. aka: Chrysler's Field (Submitted on December 2, 2014, by Anton Schwarzmueller of Wilson, New York.)

Additional keywords. Brigadier General Leonard Covington, Ft. Covington, Ft. McHenry, Chryslers Farm, Chrysler's Farm, Chryslers Field, Chrysler's Field, Crysler's Field, Crylers Filed, French Mills, Frenchs Mills, French's Mills, French Mill, Frenchs Mill, French's Mill, Sacket's Harbor


Assista o vídeo: 7 de setembro - Independência do Brasil. Brasil Colônia de Portugal. Independência ou Morte