417º Grupo de Bombardeio

417º Grupo de Bombardeio


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

417º Grupo de Bombardeio

História - Livros - Aeronave - Linha do tempo - Comandantes - Bases principais - Unidades de componentes - Atribuído a

História

O 417º Grupo de Bombardeio (Light) foi uma unidade A-20 que operou contra os japoneses, lutando na Nova Guiné e nas Filipinas.

O grupo foi ativado em março de 1943 e treinado com o A-20 Havoc. Ele operaria aquela aeronave durante a guerra.

O grupo mudou-se para a Nova Guiné entre dezembro de 1943 e janeiro de 1944 e ingressou na Quinta Força Aérea. Ele fez sua estreia no combate em março de 1944, atuando para apoiar as tropas terrestres que lutavam na Nova Guiné. Foi usado para atacar aeródromos japoneses, concentrações de tropas, instalações gerais e navegação. Participou da campanha contra a base japonesa em Hollandia e ajudou a localizar as tropas japonesas que haviam sido contornadas em Wewak.

Entre setembro e dezembro de 1944, o grupo operou em Noemfoor, atacando alvos no oeste da Nova Guiné e em Ceram e Halmahera. Em setembro, o grupo participou de um ataque de duas semanas nas Molucas, perdendo um A-20 por fogo antiaéreo japonês durante um ataque ao campo de aviação de Kaoe em 11 de setembro. O grupo voltou ao mesmo alvo no Dia D para a invasão de Morotai.

Em dezembro de 1944, o grupo mudou-se para as Filipinas e, entre então e junho de 1945, foi usado para apoiar as tropas terrestres que libertavam as ilhas, atacando aeródromos japoneses, transportes e outras instalações em Luzon, Cebu, Negros e Mindanao. O grupo recebeu uma Menção de Unidade Distinta por ataques a comboios japoneses em torno de Lingayen entre 30 de dezembro de 1944 e 2 de janeiro de 1945 durante a preparação para a invasão de Luzon. Janeiro de 1945 foi um mês caro para o grupo em que o comandante do grupo (o tenente-coronel Howard S. Ellmore foi morto durante um ataque a alvos navais em San Fernando em 2 de janeiro), dois comandantes de esquadrão e muitos de seus tripulantes seniores foram perdidos - tantos que os comandantes substitutos tiveram que vir de fora do grupo. Os perigos de um ataque de baixo nível foram demonstrados durante um ataque a um campo de aviação japonês em Luzon em 7 de janeiro, quando três A-20s foram destruídos por bombas de 50 kg que foram detonadas no solo pelos japoneses. O grupo forneceu apoio para os desembarques no Golfo de Lingayen em 9 de janeiro, embora tenha sido demitido após 45 minutos, quando ficou claro que haveria poucos alvos para eles.

As últimas operações do grupo aconteceram em julho e viram folhetos de propaganda para as tropas japonesas em Luzon. O grupo mudou-se para Okinawa em agosto de 1945 e para o Japão em novembro, mas foi desativado em 15 de novembro de 1945.

Livros

-

Aeronave

Março de 1943-: Douglas A-20 Havoc

Linha do tempo

23 de março de 1943Constituído como 417º Grupo de Bombardeio (Light)
28 de março de 1943ativado
Dezembro de 1943 a janeiro de 1944Para a Nova Guiné e a Quinta Força Aérea
Dezembro de 1944Para as filipinas
Julho de 1945Últimas missões de combate
Agosto de 1945Para Okinawa
Novembro de 1945Para Japão
15 de novembro de 1945Inativado

Comandantes (com data de nomeação)

Coronel Jack W Saunders: 31 de março de 1943
Tenente Coronel Howard S Ellmore: 5 de julho de 1944
Tenente Coronel Milton W Johnson: 2 de janeiro de 1945
Tenente-coronel Charles W Johnson: 28 de abril de 1945
Tenente Coronel James E Sweeney: 10 de outubro a 15 de novembro de 1945.

Bases Principais

Will Rogers Field, Okla: 28 de março de 1943
DeRidder AAB, La: 4 de agosto-01 de dezembro de 1943
Cabo Sudeste, Nova Guiné: 28 de janeiro de 1944
Dobodura, Nova Guiné: 7 de fevereiro de 1944
Saidor, Nova Guiné: 8 de abril de 1944
Noemfoor, c. 9 de setembro de 1944
Tacloban, Leyte: 6 de dezembro de 1944
San Jose, Mindoro: 22 de dezembro de 1944
Okinawa: 17 de agosto de 1945
Itami, Japão: c. 1-15 de novembro de 1945.

Unidades de componente

672º Esquadrão de Bombardeio: 1943-45
673º Esquadrão de Bombardeio: 1943-45
674º Esquadrão de Bombardeio: 1943-45
675º Esquadrão de Bombardeio: 1943-45

Atribuído a

1944-1945: V Comando de Bombardeiro; Quinta Força Aérea


417º Grupo de Bombardeio - História

Fundo
O 417º Grupo de Bombardeio & quotSky Lancers & quot (417º BG) foi designado para a 5ª Força Aérea na Área do Sudoeste do Pacífico (SWPA), incluindo o 672º Esquadrão de Bombardeio & quotTomahawks & quot (672º BS), 673º Esquadrão de Bombardeio & quotCavalos de Bombardeio & quot (673º Esquadrão de Bombardeiros), 674º Esquadrão de Bombardeio & quotWolf Pack & quot (674th BS) e 675th Bombardment Squadron & quotDauntless Demons & quot (675th BS).

Durante o final de 1943, o 417º BG partiu para o exterior e chegou na área do Sudoeste do Pacífico (SWPA) no final de janeiro de 1944. O 417º BG operou A-20 Havoc em missões de ataque de baixo nível na Nova Guiné e mais tarde nas Filipinas. Além disso, algumas aeronaves B-25 Mitchell e C-47 Skytrain foram designadas para transporte. Em 27 de março de 1944, o grupo realizou sua primeira missão de combate. O 417º BG permaneceu em combate até o final da Guerra do Pacífico.

Esquadrão Sede (HQ)
Em 28 de janeiro de 1944, chegou ao Cabo Sudest, na costa norte da Nova Guiné. Em 7 de fevereiro de 1944, a sede muda de Cape Sudest para Dobodura. Em 8 de abril de 1944, o quartel-general mudou-se para o aeródromo de Saidor. Em 9 de setembro de 1944, o quartel-general muda-se para o campo de aviação Kornasoren na Ilha de Noemfoor. Em 6 de dezembro de 1944, o quartel-general muda-se para o campo de aviação de Tacloban em Leyte. Em 17 de agosto de 1945 muda-se para Okinawa.

672º Esquadrão de Bombardeio & quotTomahawks & quot (672º BS)
Em 28 de janeiro de 1944, chegou ao Cabo Sudest, na costa norte da Nova Guiné. Em 4 de fevereiro de 1944 mudou-se do Cabo Sudest para Dobodura.

Em 12 de março de 1944, o piloto do A-20G & quotA Touch of Texas & quot 43-9623, segundo tenente McCoy E. Palmer, em uma missão prática de bombardeio contra o Ayatosan Maru (os destroços de Gona), foi perdido com os três resgatados.

Em 20 de março de 1944, perdeu-se o piloto do A-20G 42-54157, segundo tenente Raymond H. Brock, que decolou em um vôo administrativo com destino a Dobodura e caiu no interior de Cape Ward Hunt com o piloto morto. Os dois passageiros foram resgatados posteriormente e sobreviveram.

Em 16 de abril de 1944, "Domingo Negro", o esquadrão lançou um ataque de baixo nível contra Hollandia. Retornando, a formação encontrou uma frente de mau tempo retornando ao campo de pouso de Saidor. A força pousada foi o piloto A-20G Havoc 43-9401, segundo tenente Phillip Crow (sobreviveu) e o piloto A-20G "In The Mood" 43-9669, segundo tenente Arthur Gresen (sobreviveu). Posteriormente, esta missão foi apelidada de & quotBlack Sunday & quot devido ao número de aeronaves perdidas devido ao mau tempo.

Em 6 de dezembro de 1944, o 672º BS move-se para o campo de aviação de Tacloban em Leyte. Em 22 de dezembro de 1944 muda-se para o campo de aviação San Jose em Mindoro.

Em 17 de agosto de 1945 muda-se para Okinawa.

673º Esquadrão de Bombardeio & quotCaviões voadores & quot (673º BS)
Em 28 de janeiro de 1944, chegou ao Cabo Sudest, na costa norte da Nova Guiné. Em 3 de fevereiro de 1944 mudou-se do Cabo Sudest para Dobodura. Em 25 de março de 1944, o 673º BS realizou sua primeira missão de combate. Em 14 de abril de 1944, o 673º BS muda-se de Dobodura para o campo de aviação Saidor.

Em 22 de maio de 1944, perdeu o piloto do B-25D & quotTorrid Tessie The Terror & quot 41-29692 (MIA), primeiro tenente Edward V. Atwell, Jr. em um vôo administrativo do aeródromo de Nadzab com destino ao aeródromo de Saidor e desapareceu em ação (MIA). O local do acidente foi encontrado em 1959 e permanece recuperado pelo American Graves Registration Service (AGRS) e enterrado em um cemitério coletivo, caso resolvido.

Em 6 de dezembro de 1944, o 673º BS move-se para o campo de aviação de Tacloban em Leyte. Em 22 de dezembro de 1944 muda-se para o campo de aviação San Jose em Mindoro.

Em 19 de março de 1945, estava perdido o A-20G 43-22155 primeiro-tenente-piloto Ralph M. Jennings em uma missão de metralhamento de baixo nível contra Bacold em Negros e retornando com tróbulo do motor e largado de Panay, piloto desaparecido e artilheiro resgatado.

Em 27 de março de 1945, o C-47A & quotWindy City & quot 43-16011 (MIA) perdeu o capitão Eldred E. Kellogg decolou do campo Garbutt em Townsville em um voo com destino ao aeródromo de Finschafen com 24 tripulantes e passageiros, a maioria do 417º BG desapareceu Em ação (MIA).

674º Esquadrão de Bombardeio & quotWolf Pack & quot (674th BS)
Em 28 de janeiro de 1944, chegou ao Cabo Sudest, na costa norte da Nova Guiné. Em 4 de fevereiro de 1944 mudou-se do Cabo Sudest para Dobodura.

Em 10 de abril de 1944, perdeu o piloto do A-20G 43-9410, segundo tenente James W. Wisdom, em uma missão prática de bombardeio contra o Ayatosan Maru (Os destroços de Gona) e colidiu com o naufrágio com os quatro desaparecidos a bordo.

Em 10 de junho de 1944, estava perdido o piloto do A-20G 42-86621, o tenente Richard V. McGaughey, em uma missão contra Wewak. Acima do alvo, atingido por fogo antiaéreo e enterrado perto da Ilha de Muschu, o piloto resgatou o artilheiro SSgt Oscar B. Macias MIA.

Em 11 de setembro de 1944, o 674º BS conduziu uma missão de combate contra o Aeródromo de Kaoe na Ilha Halmahera. Lost is lost is A-20G 43-9416 (MIA).

Em 1 de outubro de 1944, perdeu-se o piloto do A-20G, 1º tenente Norman J. Summers, em uma missão contra o campo de aviação Langgoer nas Ilhas Kai e enterrado entre a Ilha Adi e o continente do oeste da Nova Guiné e a tripulação foi resgatada pelo OA-10 Catalina .

Em 6 de dezembro de 1944, o 674º BS move-se para o campo de aviação de Tacloban em Leyte. Em 22 de dezembro de 1944 muda-se para o campo de aviação San Jose em Mindoro.

Em 15 de agosto de 1945 muda-se para Okinawa.

675º Esquadrão de Bombardeio & quotDauntless Demons & quot (675th BS)
Em 28 de janeiro de 1944 chegou ao Cabo Sudest, na costa norte da Nova Guiné. Em 4 de fevereiro de 1944 mudou-se do Cabo Sudest para Dobodura.

Em 16 de abril de 1944, "Domingo Negro", nove A-20 do 675º BS realizaram um ataque de baixo nível contra Hollandia. Retornando, a formação encontrou uma frente de mau tempo retornando ao campo de pouso de Saidor. Vendo o caos de outras aeronaves em que a força pousou, o esquadrão foi desviado para o campo de aviação de Finschafen. Três A-20s foram perdidos. Piloto A-20G 43-9488, segundo tenente Michael Jovanovich, sem combustível, lançado a noroeste de Finschafen, piloto resgatou dois desaparecidos. O piloto do A-20G 43-9629, segundo tenente Edward Davidson, quando o trem de pouso esquerdo colapsou, pousou no campo de aviação Yamai (Saidor No. 2). Posteriormente, esta missão foi apelidada de & quotBlack Sunday & quot devido ao número de aeronaves perdidas devido ao mau tempo.

Em 23 de julho de 1944, estava perdido o piloto do A-20G 42-54089, Capitão Kramer Thomas Jr. (MIA) em um vôo do Aeródromo de Nadzab com destino ao Aeródromo de Saidor e desapareceu.

Em 10 de setembro, 1044 perderam o piloto do A-20G 43-9180, 1º Tenente Thomas R. Grimes (MIA), quando ele teve problemas no motor e abortou uma missão contra o Aeródromo Amahai e a força pousou perto do Piloto do Aeródromo Otawir morto e o artilheiro SSgt Frank J. Kramerich permanece listado como Missing In Action (MIA).

Em 6 de dezembro de 1944, o 675º BS move-se para o campo de aviação de Tacloban em Leyte. Em 22 de dezembro de 1944 muda-se para o campo de aviação San Jose em Mindoro.

Em 9 de janeiro de 1945 estava perdido o piloto do A-20G 43-22160, segundo tenente Bertrand E Major (MIA) em uma missão de ataque contra o centro de Luzon e foi visto pela última vez a cerca de quatro milhas ao norte de Bolongapo, na baía de Subic. Piloto desaparecido, atirador morto.

Em 17 de agosto de 1945 muda-se para Okinawa.

Referências
417º Grupo de Bombardeios The Sky Lancers [417º Anuário BG]


Após a ativação com a Terceira Força Aérea, o 417th treinou no Douglas A-20 Havocs em Louisiana e Oklahoma. Mudou-se para a Nova Guiné entre dezembro de 1943 e janeiro de 1944, onde foi designado para a Quinta Força Aérea. Começou o combate em março de 1944, operando em apoio às forças terrestres na Nova Guiné e atacando campos de aviação, pontes concentrações de pessoal, instalações e navegação naquela área. [1]

A maioria das surtidas foi realizada em baixo nível, já que o flak japonês não era muito intenso. Durante essas operações de bombardeio de baixo nível, descobriu-se que havia pouca necessidade de um apontador de bomba. Conseqüentemente, o apontador da bomba era frequentemente substituído por metralhadoras adicionais de tiro frontal montadas em um nariz coberto. O grande poder de fogo do A-20, sua capacidade de manobra, velocidade e carga de bomba tornavam-no uma arma ideal para ataques precisos contra aeronaves, hangares e depósitos de suprimentos. Em formação, seu pesado poder de fogo avançado poderia sobrepujar as defesas antiaéreas de bordo e, em nível baixo, os A-20s poderiam lançar suas bombas para os lados dos transportes e destruidores com efeito mortal. Alguns A-20s tinham seu pesado armamento de disparo para frente complementado por grupos de três tubos de foguete do tipo Bazooka embaixo de cada asa. Cada um desses tubos continha um foguete M8, T-30 de 4,5 polegadas (110 mm) com rotação estabilizada. Esses tubos de lançamento de foguetes revelaram-se pesados ​​e complicados e geralmente traziam mais problemas do que valiam e não eram usados ​​com frequência.

A unidade operou de Noemfoor entre setembro e dezembro de 1944, atacando aeródromos e instalações em Ceram, Halmahera e oeste da Nova Guiné. Mudou-se para as Filipinas em dezembro de 1944, no final da campanha da Nova Guiné. Até junho de 1945 apoiou as forças terrestres e atacou campos de aviação, transportes e instalações inimigas em Luzon, Cebu, Negros e Mindanao. Recebeu um DUC por atacar comboios japoneses em Lingayen, 30 de dezembro de 1944 - 2 de janeiro de 1945, uma ação que não apenas prejudicou a navegação inimiga e a força de abastecimento, mas também ajudou a abrir caminho para a invasão americana de Luzon. Realizou suas últimas missões em julho, lançando panfletos de propaganda para as tropas japonesas em Luzon. Depois que as Filipinas foram asseguradas, o grupo voltou sua atenção para alvos japoneses em Formosa no início de 1945. Mudou-se para Okinawa em agosto de 1945 e para o Japão em novembro para ser desativado lá em 15 de novembro de 1945.


417º Grupo de Bombardeio - História

o 417º Grupo de Bombardeio foi ativado na primavera de 1943 em Will Rogers Field, Oklahoma, com os esquadrões de bombardeio 672d, 673d, 674th e 675th atribuídos. O grupo obteve seu quadro inicial dos 46º e 416º Grupos de Bombardeio. Uma vez designado, o pessoal-chave do 417º viajou para a Base Aérea do Exército de Orlando em meados de abril, onde recebeu treinamento de combate da Escola de Tática Aplicada das Forças Aéreas do Exército. [

Os primeiros Douglas A-20 Havocs chegaram para equipar o grupo em meados de maio junto com alguns modelos de exportação DB-7 do Havoc. O treinamento inicial do grupo foi conduzido pelo 46º Grupo de Bombardeio, a Unidade de Treinamento Operacional no Campo de Will Rogers. O grupo então se mudou para a Base Aérea do Exército DeRidder, Louisiana, para treinamento avançado. De agosto a setembro, o 417 operou com a II Divisão Aérea Tática, dando apoio de baixo nível às unidades terrestres em manobras. Assim que o treinamento foi concluído, o 417th partiu do Porto de Embarque de São Francisco de navio no dia de Ano Novo de 1944.

Combate no Sudoeste do Pacífico

O grupo chegou à Nova Guiné no final de janeiro de 1944, onde passou a fazer parte da Quinta Força Aérea. Ele começou o combate em março, operando em apoio às forças terrestres na Nova Guiné e atacando aeródromos, pontes, concentrações de pessoal, instalações e navegação na área. O grupo participou com outras unidades da Quinta Força Aérea em ataques a embarcações e pistas de pouso inimigas perto de Hollandia em 16 de abril que resultou na destruição de 298 aviões inimigos.

A maioria das surtidas foi realizada em baixo nível, já que o flak japonês não era muito intenso. Durante essas operações de bombardeio de baixo nível, descobriu-se que havia pouca necessidade de um bombardeiro. Conseqüentemente, o bombardeiro era frequentemente substituído por metralhadoras adicionais de tiro frontal montadas em um nariz coberto. O grande poder de fogo do A-20, sua capacidade de manobra, velocidade e carga de bomba tornavam-no uma arma apropriada para ataques precisos contra aeronaves, hangares e depósitos de suprimentos. Em formação, seu pesado poder de fogo avançado poderia derrotar as defesas antiaéreas de bordo e, em nível baixo, os A-20s poderiam lançar suas bombas nas laterais dos transportes e destruidores com efeito mortal. Alguns A-20s tinham seu pesado armamento de disparo para frente complementado por grupos de três tubos de foguete do tipo Bazooka embaixo de cada asa. Cada um desses tubos continha um foguete M8, T-30 de 4,5 polegadas (110 mm) com rotação estabilizada. Esses tubos de lançamento de foguetes revelaram-se pesados ​​e complicados e geralmente traziam mais problemas do que valiam e não eram usados ​​com frequência.

A unidade operou de Noemfoor de setembro a dezembro de 1944, atacando aeródromos e instalações em Ceram, Halmahera e oeste da Nova Guiné. As operações de Noemfoor incluíram ataques a instalações petrolíferas. O 417º mudou-se para as Filipinas em dezembro de 1944, no final da campanha da Nova Guiné. As equipes de terra do grupo deixaram Noemfoor de navio enquanto a tripulação voava para as Filipinas, uma vez que o grupo avançado preparou o Campo McGuire para uso no final de dezembro. Durante a rota, o comboio que transportava o escalão terrestre sofreu dois ataques aéreos japoneses.

O grupo recebeu uma Menção de Unidade Distinta por atacar comboios japoneses em Lingayen entre 30 de dezembro de 1944 e 2 de janeiro de 1945, uma ação que não apenas prejudicou a navegação inimiga e a força de abastecimento, mas também ajudou a abrir caminho para a invasão americana de Luzon. Infelizmente, durante o ataque de 2 de janeiro, o comandante do grupo, o tenente-coronel Howard S. Ellmore, foi derrotado pelo fogo inimigo. Durante esses ataques, o grupo afundou 36.000 toneladas de navios, incluindo um cargueiro, uma escolta de contratorpedeiro e vários transportes.

Até junho de 1945, o 417º apoiou as forças terrestres e continuou a atacar aeródromos, transportes e instalações inimigas em Luzon, Cebu, Negros e Mindanao. O grupo realizou suas últimas missões em julho, entregando panfletos de propaganda às tropas japonesas em Luzon. Depois que as Filipinas foram asseguradas, o grupo voltou sua atenção para os alvos japoneses em Formosa no início de 1945. Mudou-se para Okinawa em agosto de 1945 e para a Base Aérea de Itami, no Japão, em novembro, onde foi desativado em 15 de novembro de 1945.


História [editar | editar fonte]

O esquadrão foi estabelecido em setembro de 1939, a 27º Esquadrão de Reconhecimento (Longo alcance), uma Fortaleza Voadora B-17 e # 91 verificação necessária & # 93 esquadrão de reconhecimento em Langley Field, Virginia. O dia 27 foi implantado no Campo de Borinquen, Porto Rico, em novembro. & # 911 & # 93 Em Porto Rico, foi atribuído à 13ª ala composta, & # 91 verificação necessária & # 93 e foi redesignado como o 27º Esquadrão de Reconhecimento (Pesado) em 20 de novembro de 1940. & # 911 & # 93 A unidade realizou uma série de missões de longo alcance na cadeia das Ilhas Antilhas, incluindo viagens frequentes a St. Croix. & # 91 citação necessária ]

Após o Ataque a Pearl Harbor, elementos foram anexados aos 25º e 40º Grupos de Bombardeio. & # 91 citação necessária & # 93 Em 16 de fevereiro, o Esquadrão foi designado para a Força-Tarefa Aérea das Antilhas. & # 91 verificação necessária & # 93 O Voo "A" do Esquadrão foi implantado no Campo de Aviação de Camaguey, Cuba, em abril de 1942, & # 911 & # 93 e um destacamento estava no Campo de Vernam, na Jamaica. & # 91 citação necessária ]

Em 7 de maio de 1942, o esquadrão foi redesignado como o 417º Esquadrão de Bombardeio (Médio) enquanto anexado ao 25º Grupo de Bombardeio & # 911 & # 93 e o esquadrão estava fortemente envolvido em varreduras anti-submarino nas águas ao redor de Cuba, na Passagem de Barlavento e na Fossa das Caimão. & # 91 citação necessária & # 93 O esquadrão mudou-se para o oeste em 24 de setembro de 1942 para Vernam Field, Jamaica, depois mudou-se para Losey Field, Porto Rico, em 29 de maio de 1943, onde o anexo de longa data do 25º Grupo de Bombardeio tornou-se uma atribuição. & # 911 & # 93 Destacamentos em momentos diferentes operados do Campo de Borinquen, Estação Aérea Naval de San Juan de Puerto Rico, NAS da Baía de Guantánamo de Porto Rico, Campo de Camaguey de Cuba, Cuba. & # 91 citação necessária & # 93 Em agosto de 1943, o Esquadrão recebeu o norte-americano B-25D Mitchell. O Esquadrão mudou-se em 12 de setembro, desta vez retornando ao Campo de Borinquen. & # 91 verificação necessária & # 93 O destacamento no Campo de Camaguey, Cuba, foi interrompido em agosto de 1943. & # 911 & # 93 No entanto, essas equipes foram aparentemente transferidas para o Campo de San Julián, Cuba, & # 91 citação necessária ]


Conteúdo

Segunda Guerra Mundial [editar | editar fonte]

Guerra anti-submarino no Mar do Caribe [editar | editar fonte]

B-18s do 12º Esquadrão de Bombardeio sobrevoando a Guiana Britânica

O primeiro predecessor da asa foi o 25º Grupo de Bombardeio, que foi ativado em Langley Field, Virginia durante a formação do Air Corps antes da entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, com os 10º, 12º e 35º Esquadrões de Bombardeio como seus componentes originais. & # 912 & # 93 & # 913 & # 93 & # 914 & # 93 & # 915 & # 93 A maior parte do quadro do grupo foi retirada do 2d Grupo de Bombardeio em Langley. & # 916 & # 93 Embora inicialmente designado como uma unidade de bombardeiro pesado, o grupo treinou com bombardeiros leves Northrop A-17 e bombardeiros médios Douglas B-18 Bolo & # 912 & # 93 (embora o 10º Esquadrão tenha brevemente tido alguns Boeing B-17 Fortaleza voadora disponível). & # 913 & # 93

No final de outubro de 1940, o 25º partiu no USAT & # 160Hunter Liggett para o Campo de Borinquen, Porto Rico, junto com a recém-organizada 13ª Ala Composto. & # 916 & # 93 & # 917 & # 93 Após sua chegada em Porto Rico em 1 de novembro, o grupo foi designado para a 13ª Asa e tinha o 27º Esquadrão de Reconhecimento, que estava em Borinquen desde 1939, anexado a ele pelo porto-riquenho Departamento. & # 918 & # 93 Em abril de 1941, o grupo forneceu o quadro inicial para o 40º Grupo de Bombardeio, que foi ativado em Borinquen, perdendo quase metade de seu pessoal para formar o novo grupo. & # 916 & # 93 & # 919 & # 93

O grupo participou da defesa das Antilhas e, após o início das hostilidades, escoltou comboios e conduziu patrulhas anti-submarinas. & # 912 & # 93 Pouco antes da entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, em novembro, o grupo dispersou dois de seus esquadrões para aumentar sua cobertura, com o 12º mudando para Benedict Field em St Croix e o 35º para Coolidge Field em Antígua. Durante seu tempo restante no Caribe, o grupo operou com seus esquadrões ou destacamentos em vários locais das Antilhas. & # 914 & # 93 & # 915 & # 93 Em parte devido à dispersão de suas unidades, o 12º Esquadrão estava sob o controle operacional da Força-Tarefa Aérea das Antilhas desde novembro de 1942 e o 10º foi transferido para o VI Comando de Bombardeiro em 1943. & # 913 e # 93 e # 914 e # 93

Em maio de 1942, a designação do grupo finalmente correspondeu ao seu equipamento, quando se tornou o 25º Grupo de Bombardeio (Médio). Em novembro daquele ano, o grupo mudou-se para Edinburgh Field, Trinidad. O B-18 foi sua principal aeronave operacional, embora em outubro de 1943, o 59º Esquadrão de Bombardeio, que havia sido anexado ao grupo brevemente no início do ano, tenha sido designado para o grupo. A 59ª aeronave Douglas A-20 Havoc operada. & # 912 & # 93 & # 9110 & # 93 Entre novembro de 1942 e agosto de 1943, a 26ª Ala Antisubmarine implantou esquadrões de Jacksonville e Miami Army Air Fields para Edinburgh Field, onde foram anexados ao 25º grupo para operações até o retorno à Flórida. & # 9111 & # 93 & # 9112 & # 93 & # 9113 & # 93 Depois que o grupo voltou para Borinquen no outono de 1943, & # 912 & # 93, iniciou um programa de treinamento para converter para o norte-americano B-25 Mitchell. & # 916 e # 93

Em abril de 1944, devido à diminuição da ameaça no Caribe e à transferência da missão anti-submarino restante para a marinha dos Estados Unidos, & # 9114 & # 93, o grupo mudou-se para Alamogordo Army Air Field, Novo México, onde começou a treinar com a Boeing B-17 Flying Fortresses, mas foi dissolvido em junho de 1944 e seu pessoal e equipamento foram transferidos para a 231ª Unidade Base AAF (Combat Crew Training Station, Bombardment, Heavy), que conduziu o treinamento B-17 em Alamogordo. & # 912 & # 93 & # 9115 & # 93

Reconhecimento no Teatro Europeu de Operações [editar | editar fonte]

Mosquito XVI de Havilland da 654ª bomba quadrada

O reconhecimento do tempo para a Oitava Força Aérea foi inicialmente executado em uma base ad hoc por bombardeiros pesados ​​destacados para o 18º Esquadrão do Tempo para missões individuais. Na primavera de 1944, a Oitava Força Aérea criou unidades provisórias de reconhecimento, principalmente para reconhecimento do clima. Em 22 de março, reuniu essas unidades provisórias, junto com um esquadrão de reconhecimento especial, sob o 8º Grupo de Reconhecimento (Especial) (Provisório) na RAF Cheddington, Inglaterra. Esta unidade tornou-se o 802d Reconnaissance Group (Special) (Provisional) em 30 de março de 1944, e mudou-se para RAF Watton em 12 de abril de 1944. & # 9116 & # 93 Em julho, a Oitava recebeu permissão para organizar essas unidades provisórias em uma organização regular e assim por diante 9 de agosto, ativou o 25º Grupo de Bombardeio, Reconhecimento com os recursos do Grupo 802d provisório e atribuído a ele os 652d, 653d e 654º Esquadrões de Bombardeio. & # 9117 & # 93 & # 9118 & # 93 & # 9119 & # 93 & # 9120 & # 93

As missões de reconhecimento meteorológico do grupo incluíram o reconhecimento de áreas sobre o Oceano Atlântico, até aos Açores, para obter informações sobre a previsão do tempo para as unidades da Oitava e Nona Forças Aéreas a operar nas Ilhas Britânicas. Esses voos foram realizados por B-17s e Liberated B-24 Consolidated atribuídos ao Esquadrão 652d. & # 9117 & # 93 Os bombardeiros de esquadrão nessas missões de longo alcance, codinome Sharon e Allah, faziam leituras meteorológicas periódicas em altitudes variando de 50 a 30.000 pés. & # 9121 & # 93

Vôos sobre o continente europeu para obter informações para uso no planejamento operacional e missões ocasionais de observação do tempo sobre alvos para fornecer informações meteorológicas atualizadas para retransmissão aos bombardeiros em seu caminho para o ataque caíram para o de Havilland Mosquitos Mk. XVI do 653d Esquadrão. & # 9117 & # 93 & # 91note 4 & # 93 Essas missões receberam o nome de código Bluestocking. & # 9121 & # 93

O 654º Esquadrão conduziu missões noturnas de reconhecimento fotográfico (codinome Joker) & # 9121 & # 93 para detectar operações alemãs sendo conduzidas sob a cobertura da escuridão, bem como missões diurnas e de mapeamento sobre a Europa Ocupada usando uma variedade de aeronaves. Algumas missões foram realizadas para fornecer imagens de alvos para radares H2X para serem usados ​​em ataques posteriores. & # 9121 & # 93 O grupo também realizou reconhecimento visual pós-ataque e guerra eletrônica pré-ataque, distribuindo joio à frente das formações de ataque. Experimentos mostraram que os mosquitos equipados com sistema elétrico de distribuição em seus compartimentos de bombas proporcionavam uma cobertura ideal de palha e trinta das aeronaves do grupo estavam especialmente equipadas para esta missão. & # 9117 & # 93 & # 9122 & # 93 O esquadrão também tinha três Martin B-26 Marauders para missões Joker e dois Douglas A-26 Invaders designados para operações especiais com o Office of Strategic Services. & # 9121 & # 93 & # 91note 5 & # 93

Até o final da guerra, o grupo havia voado 3501 surtidas, cada uma das quais (com exceção das missões chaff) foi feita por uma única aeronave. & # 9121 & # 93 & # 91note 6 & # 93 Após o Dia do VE em julho de 1945, o grupo e o 654º Esquadrão de Bombardeio deixaram o Teatro Europeu de Operações pelos Estados Unidos. & # 9120 & # 93 & # 91note 7 & # 93 Foi desativado em setembro de 1945 em Drew Field, Flórida. & # 9117 & # 93

Guerra Fria [editar | editar fonte]

Em 1965, as Forças Aéreas dos Estados Unidos na Europa reorganizaram suas unidades de reconhecimento na França, várias das quais fisicamente separadas de sua sede, a 10ª Asa de Reconhecimento Tático na RAF Alconbury, na Inglaterra. Em 1 de julho de 1965, o 42º Esquadrão de Reconhecimento Tático mudou-se da Base Aérea de Toul-Rosieres para a Base Aérea de Chambley, França. & # 9123 & # 93 Os dois 25º Grupos de Bombardeio da Segunda Guerra Mundial consolidados como os 25º Grupo de Reconhecimento Tático e ativado junto com elementos de apoio em Chambley como o pai para o 42º Esquadrão. O grupo absorveu o pessoal e o equipamento do 7367º Grupo de Apoio ao Combate, que foi interrompido simultaneamente em Chambley. & # 9124 & # 93 Em 1º de outubro, o 19º Esquadrão de Reconhecimento Tático juntou-se ao 42º em Chambley e o 25º Grupo foi desativado e substituído pelo 25ª Asa de Reconhecimento Tático. Ώ]

O 25º voou variantes do Destruidor Douglas B-66 em missões de reconhecimento fotográfico e guerra eletrônica. Seu 42º Esquadrão voou RB-66Cs com uma tripulação de sete homens para operações de reconhecimento eletrônico (comumente chamado de Ferret). Os operadores das contramedidas eletrônicas do esquadrão eram conhecidos como Ravens. O 19º Esquadrão voou RB-66Bs com uma tripulação de três homens para realizar missões fotográficas diurnas e noturnas. & # 9125 & # 93 As marcações do esquadrão eram uma faixa vermelha na nacela do motor para o dia 19 e uma faixa azul para o 42d.

Embora o 19º e o 42º estivessem voando com o Destroyer antes de entrar no 25º, grandes projetos de construção eram necessários para acomodar seus bombardeiros modificados, uma vez que Chambley já havia hospedado unidades de caça. & # 9126 & # 93 hangares maiores, instalações de manutenção e um sistema elétrico mais eficiente foram construídos. A instalação de operações de base foi expandida para acomodar o simulador de tripulação RB-66 especializado. Este simulador poderia ser usado para treinar pilotos, navegadores / operadores de câmeras e artilheiros, mas não previa o treinamento dos 42d Squadron's Ravens. O treinamento do piloto também representou um problema porque não havia B-66 de controle duplo para verificação do piloto. Outro obstáculo ao treinamento de reconhecimento fotográfico foi um decreto de 1965 que proibia a fotografia aérea na França. Isso forçou a realização de missões de treinamento na Alemanha Ocidental e na Grã-Bretanha. O fechamento das bases americanas no Marrocos privou a ala de distâncias adequadas, onde bombas flash poderiam ser usadas para treinamento noturno de reconhecimento fotográfico. & # 9125 & # 93

Em outubro de 1965, seis dos RB-66Cs da asa foram implantados na Tailândia para estabelecer uma capacidade de contramedidas eletrônicas no sudeste da Ásia. Estes foram organizados como Destacamento 1 da ala em 10 de outubro. O destacamento recebeu o Prêmio de Unidade de Destaque da Força Aérea por seu desempenho. & # 9127 & # 93 O movimento dos B-66 para o teatro de combate resultou na inativação do 42º Esquadrão em agosto de 1966 e na transferência da maioria de suas aeronaves e uma grande proporção de suas tripulações para a Base Aérea Real Tailandesa Takhli, onde foram designados para a 432d Asa de Reconhecimento Tático. & # 91 nota 8 & # 93 Algumas das aeronaves foram levadas para a fábrica da Douglas Aircraft em Tulsa, Oklahoma, para modificações antes de irem para o sudeste da Ásia. & # 9128 & # 93

O impacto da necessidade de meios de reconhecimento no Sudeste Asiático e as limitações no treinamento na existência continuada da asa foi agravado pelo anúncio do presidente francês Charles De Gaulle em março de 1966 de que a França estava se retirando da estrutura militar integrada da OTAN. Em conexão com a retirada da França, todas as tropas estrangeiras estacionadas na França deveriam ser retiradas até 1º de abril de 1967. Como resultado, o 19º Esquadrão de Reconhecimento Tático mudou-se para a Base Aérea de Shaw, Carolina do Sul, e foi designado para a 363ª Asa de Reconhecimento Tático em 1 Setembro de 1966. O esquadrão voou seus RB-66Bs de Chambley para Shaw com três reabastecimentos ar-ar sobre o Atlântico após uma parada na Base Aérea de Moron, Espanha. Embora o dia 19 fosse baseado nos Estados Unidos e estivesse disponível para operações da OTAN, treinou principalmente tripulações aéreas para operações de combate no Sudeste Asiático. & # 9128 & # 93

Embora não estivesse mais operacional, a asa continuou a encerrar as operações em Chambley até 15 de outubro de 1966, quando foi desativada. & # 911 & # 93 O restante do pessoal de apoio foi transferido para o 7367º Grupo Tático, que administrou as operações da Força Aérea dos EUA em Chambley até o seu término em abril de 1967. & # 9128 & # 93 & # 9129 & # 93

Consolidação [editar | editar fonte]

Em janeiro de 1984, o 25º Grupo de Reconhecimento Tático e 25ª Asa de Reconhecimento Tático foram consolidados em uma única unidade. Permaneceu inativo até fevereiro de 2018, quando foi redesignado o 25º Grupo de Ataque e ativado na Base Aérea de Shaw, na Carolina do Sul. & # 9130 & # 93


417º NOTÍCIAS E ATUALIZAÇÕES DO BOMB GROUP

Joseph A. Nedela, de 90 anos, um comerciante especializado aposentado da General Motors, sucumbiu ao câncer após uma longa batalha em 11 de março de 2010 no Genesys Hospice - Goodrich. A cremação ocorreu. Uma Missa Memorial será celebrada 11 horas da manhã no sábado, 13 de março de 2010 na Igreja Católica de Santa Maria, 2500 N. Franklin Ave., Flint, Rev. Fr. Santhiyagu Arokiyasamy celebrante. O inurnamento, com honras militares, será às 13h00. Terça-feira, 16 de março de 2010 no Cemitério Católico do Novo Calvário. A família receberá visitantes das 12h00 às 15h00 e das 17h00 às 20h00. Sexta-feira na casa funerária Allen, 9136 Davison Rd., Davison. A família receberá os visitantes por uma hora antes da missa do sábado na igreja. A Rosary will be prayed 7:00 p.m. Friday. In lieu of flowers, memorial contributions may be made to Genesys Hospice, St. Mary's - Flint or Michigan's Own Military and Space Museum in Frankenmuth. Joseph was born in Flint, MI on December 30, 1919, son of the late Paul and Mary (Blazecovic) Nedela. Joseph lived in Flint and Davison most of his life. After a career of 42 years at GM's AC Spark Plug Division, he moved to Northern Wisconsin where he lived for 10 years. There he built a home in the rural woods next to a lake where he pursued his love of nature and honed his artistic talents painting wildlife, woodland scenes and portraits. Following that, he settled in Davison and began a successful period of painting in oils with a focus on WWII aviation. Several of his paintings are in the U.S. Air Force art collection and some are on display in an aviation museum in Oklahoma City, OK and at the Michigan's Own Military and Space Museum in Frankenmuth. Mr. Nedela's love of aviation began at an early age. He designed and built numerous, flyable models. By the time he graduated from Flint Northern High School, he had built nearly 200. In 1937, his significant model-building skill was recognized in an article in the Flint Journal. Joseph also served his country during WWII in the Pacific Theater as an aircraft mechanic in the 674th Squadron of the 417th Bomb Group, U.S. Army Air Corps. He served from August 1942 into January 1946, participating in Campaigns in New Guinea, the Philippines and Okinawa, Japan. Following the war, Joseph returned to Flint and his job at AC, but he did not give up on his love of aviation. He continued building both scale models and those of his own design. With the help of two long-time and dear friends, he designed, built and marketed various model airplane engine propellers and powered control-line race planes. For many years, he was an active member and supporter of the Academy of Model Aeronautics (AMA) and won numerous awards at local and national racing events. Joseph was a long-time member and supporter of St. Mary's Church, Flint. He is survived by three daughters, Janice (Ken) Daniel of Gladwin, AnnMarie Nedela of Davison, Kathryn (Gene) Rumbel of Davison two sons, Colonel David (Penny) Nedela of Purcellville, VA, Tony (Lynn) Nedela of Davison, 10 grandchildren six great-grandchildren brother, Stephen Nedela of Ann Arbor sister, Angeline of Fenton numerous close friends of the 417th Bomb Group and 3rd Emergency Rescue Squadron (ERS) across the U.S. numerous close friends and associates. Mr. Nedela was preceded in death by his former wife, Dorothy (Nelson) Nedela and Ailene Schank, his dearest friend and companion of many years. Please share your thoughts with the family at www.allenfuneralhomeinc.com

******NEW LOCATION FOR 417th BOMB GROUP PLAQUE******
On December 7, 2009 a 417th Bomb Group Plaque was placed on the Memorial Wall at THE NATIONAL MUSEUM OF THE PACIFIC WAR at Fredericksburg, Texas. This was made possible by the efforts of 4 members of the 417th, and 4 family members of the 417th.
The museum's addition was dedicated at the same time, with a large section telling the story of the Pacific War, and what led up to it. I was there for the opening. I think it is very well presented and urge every one to see it.

*** I now have the 417th Bomb Group Yearbook on a CD
***** for $15.00 including postage.
***** I would like to post the date of death of our deceased members, just send me an e-mail.
***** More news later this year.

*********************APRIL 18, 2005********************
****************IMPORTANT NEWS FLASH****************
Charles Troutman, 674th Sqdn. has just informed me that the OKLAHOMA MUSEUM of HISTORY, in OKLAHOMA CITY will be opening this fall, and that they will have a permanent display about the 417th Bomb Group. They are looking for items to use in this display. If you have any items you would like to donate, please get in touch with Charles. His phone number is: 405-942-1256. This is certainly a very worthy cause, the 417th will have a permanent place in our Nation's History.

April 20, 2005
I have just been advised of the death of Ralph W. Sutor, 675th Sqdn, 417th Bomb Group on April,15 in Phoenix, AZ.

*****PLEASE NOTE THE NEW E-MAIL ADDRESS IS: [email protected]

( LATEST UPDATE: OCTOBER 9, 2004 )


*********PICTURES FROM OUR 2004 REUNION*********

********PICTURES AT THE WWII MEMORIAL: SEPTEMBER 17, 2004****

********

********

********

********672nd. Esquadrão
********

********673rd. Esquadrão
********

********674th. Esquadrão
********

********675th. Esquadrão
********


*****2004 REUNION DATE AND LOCATION SET*****

Our next Reunion will be September 16-17-18-19 in Washington, DC. at the Crystal City DoubleTree hotel. This is just across the river from the Capitol, close by the Pentagon. A good location and a very good rate.

The following is a copy of the first notice that was mailed December 5, 2003 to all members and friends (181) that I have addresses for. If you are interested in receiving more information and a registration form, please let me know by January 15, 2004, by a telephone call (719-574-4818), letter (3048 Ellesmere Dr., Colorado Springs, CO 80922), or e-mail (Note new address: [email protected]).

Plans are taking shape for our next reunion: Sept. 16, 17, 18, 19, 2004, in Washington, DC, with highlights being a visit to the WWII Memorial, the site of the AF Memorial, and other memorials. We are working with a military reunion planning organization. This seemed necessary due to distance and location, and we have been impressed with their offerings.
The room rate at the Crystal City DoubleTree Hotel will be $89/night for double occupancy. This rate is good 3 days before and 3 days after the reunion dates, so include some extra time to see the sites at this great rate. We will have the usual hospitality, banquet, and meeting rooms. There will be two leisurely bus tours (with limited walking), all handicap and wheelchair accessible. We need to get some numbers to work with, PLEASE LET ME KNOW BY JAN. 15, 2004, IF YOU ARE YES, NO, or MAYBE.

The registration notice with more details will be mailed in Feb. 2004. PLEASE NOTE THAT THE REGISTRATION FORM AND FEES ARE TO BE MAILED TO: MILITARY REUNION PLANNERS AND YOU MUST MAKE YOUR OWN HOTEL RESERVATIONS, WHICH CAN BE CANCELED RIGHT UP TO SEPT. 15TH, WITHOUT CHARGE.

. THERE IS FREE TRANSPORTATION FROM RONALD REAGAN NATIONAL.
. BUT NOT FROM DULLES INTERNATIONAL.

******THIS COULD BE OUR LAST ONE SO LET'S HAVE A GOOD ATTENDANCE*****

As of today (I had requested replys by Jan.15), I have had 89 responses to the post card that was mailed to 181 names the first part of December 2003. That's 50% for what ever that's worth.
There are 40 families that replied YES, they plan to attend. Some have never been to our Reunions and some are 417th. members that just found out about our Reunions since our last one in Colorado Springs. Several have indicated they will have 4 to 10 guests with them, so it looks like we will have a good group.
11 replied NO
21 replied MAYBE
7 were invalid addresses
10 deceased, that I know of, since our last Reunion
The registration form with complete information should be mailed the first part of February. Please note that it is to be returned to the Military Reunion Planners. They will keep the records, and set up the information on their Web Site, so any one can check on the status of the registrations. They will keep me informed, and assist thru out the Reunion.
Please!! Please!! Make your Hotel Reservations as soon as you get the information. This is necessary, so we will be assured of getting the rooms we need at our group rate. There is no risk as you can cancel right up to the day before your resveration date with out any penalty. We also need the reservations to insure that we get all the banquet and meeting rooms we need.
KEEP CHECKING OUR WEB SITE FOR MORE INFORMATION. YOUR COMMENTS IN THE GUEST BOOK ARE WLCOME.

ALERT!! ALERTA!! ALERTE!! WAKZAARN!! ACHTUNG!!

Any WWII Veteran that has not registered in the WWII Memorial Registry, I would urge to do so. You may do so by calling 1-800-639-4922, or on the internet at : www.wwiimemorial.com. This Registry will be accssible at the Memorial Site, and on the internet, so people can look up names of people they are interested in.

Today, 165 letters were mailed with complete information about our SEPTEMBER 2004 REUNION, including events, prices, and registration proceedures. Again, I urge those intending to attend to register, and make room reservations now at the DoubleTree Hotel so they will hold enough rooms for us. We had to guarantee 30 rooms to get the $89.00 rate and the meeting rooms.

. ONLY 20 DAYS TO OUR REUNION.
Registrations have really picked up in the last 2 months. There are now 103 registered and 107 planning to attend the banquet.
The hotel has been very accomadating, we have been able to add more hotel rooms as needed, they are also changing some of our meeting rooms to larger rooms.
COL. Pete Lindquist, USAF RET, of The Air Force Memorial Foundation, will be our guest speaker at the Banquet.

. ONLY TWO MONTHS TO OUR 2004 REUNION.
Registrations are picking up, we now have 64 people registered: 672nd. 33, 673rd. 6, 674th. 20, 675th 5, HQ still O.
There are several more registered at the hotel that have not registered with Reunion Planners.
Registrations close August 15, so please get registered, if you plan to attend.

It has been a while since I updated our Reunion News, but I wanted to have some Reunion registration numbers, and hotel reservations to report.
We now have 21 families with 48 people registered with the Reunion Planners, this includes my family (all 8).
The breakdown is: HQ--0, 672nd.--22, 673rd.--6, 674th.--15, 675th.--5.
There are 22 different families registered at the DoubleTree Hotel, some with two rooms, so we have a total of 55 people and 29 rooms.
The Reunion Planners suggest that the 417th. members make their hotel reservations now, so if it is necessary, we can increase our block of rooms while they are available at our reduced rate.

PHOTOS-PHOTOS-PHOTOS
At this Reunion we are promoting a project to scan all the WWII photos of the 417th. that attendees bring to our Reunion. We will have someone there to scan the photos, right at the hotel, during the Reunion so you can take them back home with you. This is a very important step in recording and preserving pictures and history of the 417th. Bomb Group, and the Reunion Committee urges every one to bring their photos.


THE NEW WWII MEMORIAL

We plan to have a picture like this by Bob Vandehagen.


. ALL AUTO DRIVERS TAKE NOTICE .

Thursday, September 16 : REGISTRATION in DOUBLETREE HOTEL, Hospitality room will be open all day.

Friday, September 17 : VIP VETERANS TOUR (included in registration fee)
This will include the new WWII Memorial, Korean Memorial and many others. Also Arlington Cemetery for Changing of the Guard, and the site of the new Air Force Memorial.


Saturday, September 18 : NATIONAL AIR & SPACE MUSEUM TOUR (optional tour $22.00pp) This is the Smithsonian's newest facility and should be a great experience.
Saturday Evening September 18: BUSINESS MEETING and .

Sunday, September 19 : GUIDED SIGHT SEEING BUS TOUR OF WASHINGTON, DC. (optional tour $35.00pp)

Sunday evening, September 19 : BANQUET at DOUBLETREE HOTEL (included in registration fee)

*****PLEASE NOTE MY E-MAIL ADDRESS IS NOW: [email protected]

******RECENT PICTURES OF INTEREST WILL BE INCLUDED IN THE REUNION PICTURES FILE******

ALL THE "PICTURES FROM THE PAST" ARE BACK ON THE WEB SITE AND PICTURES OF THE 2002 PLAQUE DEDICATION SERVICE ARE NOW READY FOR VIEWING. CLICK ON THE PROPER LINE ON THE HOMEPAGE

The 59th Anniversary Reunion of the 417th Bomb Group was held Sept. 12,13,14, 2002, at the Sheraton Hotel, Circle Drive, Colorado Springs, CO. We had 36 members in attendance, plus 54 family members and friends. There were 20 cancellations (most due to family illness) in the last 10 days before the reunion. Each member received an A-20 picture with the appropriate tail color for his squadron, an engraved pen, and a composite picture of Colorado Springs scenes.
The weather was beautiful for the Memorial Service on Friday morning at the U. S. Air Force Academy Memorial Gardens.

Lt. Col. Hammes, of the Air Force Academy, was introduced, followed by the posting of The Colors by the Air Force Academy Color Guard. "To The Colors" was played by T/Sgt. Steve Kindermann, U. S. Air Force Band of the Rockies bugler.

The Invocation was given by Pastor Joseph Wheat, of Village 7 Presbyterian Church, Colorado Springs.

Col. Hammes welcomed the 417th Bomb Group to the proceedings with some brief remarks about the history of the Air Force and service to our country.

Lt.Col. H. F. (Kip) Klopp, of the 417th Bomb Group, gave a brief history of the 417th, relating events from our activation in 1943 through deactivation in 1945.

Former S/Sgts. (gunners) Myles Alderman and Tony Duran were called to unveil the 417th plaque, which is on the 5th Air Force Memorial Wall.

Lt.Col. Klopp presented the plaque to the Air Force Academy and it was accepted by Col. Hammes.

Pastor Wheat then gave the Benediction.

The Colors were then retired and the service ended with the playing of "Taps" by Sgt. Kindermann.

It was a very solemn and moving ceremony - very meaningful to the members of the 417th, families, and guests. We can all be proud of having been members of the 417th and grateful for this country, The United States of America.

We got a few sprinkles of rain as we departed the cemetery for a tour of Arnold Hall. The cadet noon formation was next on our schedule, but a bit more rain caused its cancellation.

Following lunch at the Officer's Club, we stopped at the Visitor Center to view the museum displays, watch the orientation film, and do some shopping. Our next stop was a guided tour of the Cadet Chapel, the most recognized building on the campus, and an inspiration to everyone of all faiths.

At about 3 p.m. we boarded the buses to return to the hotel, driving through the "Garden of The Gods", Colorado Springs' most visited tourist attraction. Many thanks to my friend and neighbor, Capt. Mark Strub for his services as unofficial guide and chauffeur for the day. As a '94 graduate of the Academy, he had much to offer and had the answers to many questions that were asked throughout the day regarding the Academy.

There were several highlights of the Friday night business meeting. The main event was a showing of a 417th Bomb Group Video produced by the son of one of our members. It was made from photos and actual movie footage supplied by 417th members, as well as some footage from the WWII National Archives. Each member present was presented with a copy of the video.

George Ertzbischoff presented an article on the proposed Air Force Memorial to be constructed in Washington, DC, (ground breaking in '04 with completion in '06). He suggested that a donation be made on behalf of the 417th Bomb Group. A collection was taken, with a total of $550 donated. A check for $550 has already been sent to the Air Force Memorial Foundation in the name of the 417th Bomb Group. We will be listed as a charter sponsor. A copy of the acknowledgement of our gift will be posted later.

The biggest surprise to me, was the appearance of a birthday cake, (Friday, 9/13, was my 80th) accompanied by the singing of Happy Birthday by the entire group. My children had arranged for the cake, decorated with my A-20 named "The Kitten" on top. The cake was taken to the Hospitality Room to share with the group following the meeting.

Saturday was primarily unscheduled. About 30 people took the Pikes Peak Cog Railway trip to the top of the Peak (14,000 plus feet) and were surprised by the ice and snow on top. One member tried to make the drive, but was turned around at about 12,000 feet as the ice made the drive too dangerous. (This same person had tried to reach the summit a few of years ago, but his car "couldn't breathe" so he had to turn around - better luck next time Dave!) The Hospitality Room was open all day and many spent several hours telling "war stories", looking at photos, or watching videos of previous reunions and of the 2006 AFA cadet basic training.

The banquet Saturday evening was the closing event. It was preceeded by a group photograph by a commercial photographer. The pictures have already been mailed and are quite good. Bob Vanderhagen, who has always taken pictures in the past, was unable to attend this year, as his wife has been very ill. She was in the hospital for three months, but is home now, and doing better.

The banquet was opened with an Invocation by my friend and neighbor, Pastor Jay Klopfenstein. Following the meal, Capt. Mark Strub, USAF, addressed the group, comparing the Air Force (and the men and women who served) of the WWII era with that of today. He was given a standing ovation following his remarks. Pastor Klopfenstein led the group in singing "America The Beautiful" and closed with the Benediction. Capt. Strub and fellow Academy graduate, Christy Lowe, then led the group in singing the official "Air Force Song". The Hospitality Room was open for a while to allow for final good-byes and plans to meet again at the next reunion.

Thanks for all the kind words of appreciation from those who attended, for the assistance of members and their children, and to my daughters, Jan and Kim, and granddaughter Mindy.

By Bob Kunselman, 2002 Reunion Host


A CD containing 52 photos from the dedication service at the AFA Cemetery (taken by an AFA representative) is available for $10. The pictures can be viewed on your computer and then photos of your choice made by most photo shops. If you don't have a computer at home, take the CD to your local library, Kinko's, or a similar store and they can help you. There is also a 30 min. video of the dedication service at the AFA (also taken by an AFA representative). Copies of this are also available for $10 each. If you would like a CD and/or video, please send your order and check made out to Robert N. Kunselman by 10/15/02. Send your check to 101 E. Sioux Rd., #1457, Pharr, TX 78577. The postage is included in the price of both the CD and video. If you have any questions, you can reach me at 956-783-5607 or by e-mail at [email protected]

We also took up a collection ($550) for a donation on behalf of the 417th Bomb Group, for the Air Force Memorial to be dedicated 9/2004 and completed in 2006 in Washington, DC.

There are no plans at this time for a reunion in 2003. If you would be interested in planning one, please let me know. We do have tentative plans for 2004 in Washington, DC, after the WWII Memorial is completed.

We will keep everyone informed and will keep news posted on the website. In order to keep the website, we have to keep it active. So please keep checking it every few weeks. I will be adding pictures of the reunion to the website and I would be glad to continue to add other photos if you would get them scanned and put on a disk or cd (this can be done at a reasonable cost at Kinko s). Those could be sent to the same address in TX as listed above for convenience and expense, I will not return the disk or cd, so please make an extra copy for yourself if you want one. Please briefly identify the who, what, and where of each photo.


*****UPDATE FOR November 6, 2002*****

I am in receipt of a letter fom the AIR FORCE MEMORIAL FOUNDATION acknowledging a donation of $550.00 from the 417th Bomb Group. It further states that the 417th Bomb Group will be listed in the Charter Sponsor's Registry. I will try to put the entire letter on as soon as possible.

***** UPDATE FOR DECEMBER 17, 2002*****

******************MERRY CHRISTMAS AND HAVE A GOOD 2003*****************

*****UPDATE FOR JANUARY 10, 2003*****

It's a New Year. Resolve to attend the 2004 Reunion. I have added a picture of Doug Fairchild in A-20 cockpit. I will try to add any you send to me, but I can't always make them good enough to show!! I would like to see more comments in the guest book so others will know what your thoughts are about the 417th.

Thanks to Joe Nedela, there are 4 new (more recent) pictures of New Guinea on our web site, check them out. I now have a scanner and can do a better job of adding pictures, so send me some to put on.
The Air Force Memorial Foundation web site is now open. It is //www.airforcememorial.org/
After you get on, click on Charter Registry, put 417 in THE LAST NAME box and click SUBMIT to see our listing.
There are many other sections to look at, as well as some good pictures. The ground breaking is scheduled for September, 2004. Thanks to George Ertzbischoff for getting us involved with this important Memorial.

Not much to report. I have added some more pictures of varied subjects of interest. Keep checking the web site and send me items and/or pictures to use.

I am sorry to report the death of Col. Milton Wayne Johnson, Commanding Officer of the 417th. Bomb Group, on July 18, 2003. Col. Johnson was a big booster of the 417th., very popular with the men and greatly enjoyed being with all the members. He attended all our Reunions up to and including the one at Oklahoma City in 2000. Charles Troutman and Andros Peck represented the 417th. at the Memorial Service.
Please click on Pictures from the Past for more information.

Time and place for our 2004 Reunion is set. Please read all the news at top of page.

COMMENTS and NEWS in the guest book are most welcome.

A phone call, card, or e-mail will keep you on the active mail list.

Robert N. Kunselman
417th Bomb Group
3048 Ellesmere Dr.
Colorado Springs, CO 80922
Phone: 719-574-4818


WWII USAAF Unit History: "The Sky Lancer, 417th Bomb Group South-West Pacific 1944-45"

ARTIFACT: This is a book on the unit history of the United States Army Air Forces 417th Bombardment Group, also know n as the "Sky Lancers". Attached to the Third Air Force and later the Fifth, the 417th was active from March 23, 1943 until November 15, 1945, flying Douglas A-20s. The 417th served primarily in New Guinea and the Philippines, and received the United States Distinguished Unit Citation for an offensive maneuver at Lingayen, as well as the Philippine Presidential Unit Citation. This book was published in Australia in 1946. It has rosters, some excellent photographs, including action shots and some informal pictures of the men and of the natives, and is a wonderful insignia reference manual.

VINTAGE: Covers circa World War II (published 1946).

SIZE: 226 pages with black and white photographs approximately 11" in height and 8-3/4" in width and 5/8" in thickness.

MATERIALS / CONSTRUCTION: Paper, cloth-covered.

ATTACHMENT: Glued binding.

MARKINGS: Registered at the C.P. O. Sydney, for transmission by post as a book. 1946 Printed by John Sand Pty. Ltd. Sydney. N.S.W., Australia. (on second page) Printed by John Sands Pty. Ltd. Sydney, Australia (on last page).

ITEM NOTES: This is from a United States Army Air Forces collection which we will be listing more of over the next few months. VAJJX12 LBFEX10/12 SBFEX3/16

CONDITION: 8 (Excellent-): The book is in excellent condition with some minimal cover wear and no rips, stains or writing within.

GUARANTEE: As with all my artifacts, this piece is guaranteed to be original, as described.


417th Bombardment Group - History

When Adolph Hitler began his conquest of Europe in 1939, he began to turn that continent into "Festung Europa". Fortress Europe. The lone hold-out against the Third Reich was the island nation of Great Britain. In the summer of 1940, the Royal Air Force defeated the Luftwaffe in "The Battle of Britain" and Britain survived to become the launching point for the Allied war against the Nazis. Until sufficient forces could be built up to attack Fortress Europe's walls, the Allies took to the war on wings, for Hitler had built a fortress without a roof.

Early in 1942, the American 8th Air Force began arriving in England to help the British with strategic bombing of Nazi manufacturing, transportation and military targets. The RAF bombed by night, the 8th by day. Thus began one of the greatest conflicts of human history. the air war over Europe.

The Eighth Air Force faced a formidable opponent - the Luftwaffe, with outstanding equipment and training, and more importantly, they were battle-tested. By the end of the war, the air battles that involved thousands of bombers and fighters, claimed over 26,000 American lives. This accounted for 10% of all American deaths during the war. 18,000 airmen were wounded and over 28,000 were shot down and captured.

One of the many groups of the Eighth Air Force sent to England to participate in this enormous struggle was the 487th Bombardment Group (Heavy), which was based at Army Air Forces Station 137 near the village of Lavenham, England in 1944 1945. This page is dedicated to the airmen and ground crews of that group, and to all who served.