Guia Ultimate Golden Pavilion (Kinkakuji)

Guia Ultimate Golden Pavilion (Kinkakuji)


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Descubra o Templo Kinkakuji, Kyoto e o Pavilhão Dourado # 8217s

Aninhado entre o Templo Daitokuji, o Santuário Kitano Tenmangu e o Templo Ryoanji Templo Kinkakuji, um dos edifícios mais populares encontrados no Japão. Principalmente devido à aparência única e deslumbrante do Pavilhão Dourado e jardins circundantes, o Templo Kinkakuji tem atraído visitantes de todo o mundo para ver sua beleza e arquitetura interessante. Embora os visitantes venham principalmente para ver o interior do templo através das janelas abertas & # 8211, que incorpora lindamente três estilos distintos de arquitetura & # 8211, muitos ficam deliciosamente surpresos ao ver os magníficos jardins que circundam a área.

O templo é designado como Sítio Histórico Especial Nacional, uma Paisagem Especial Nacional e um dos locais dos Monumentos Históricos da Antiga Kyoto como Patrimônio Mundial. Resumindo, o templo é realmente tão importante quanto impressionante de se ver. Incorporando beleza arquitetônica com a história japonesa, o Templo Kinkakuji é um lugar que você deve se esforçar para visitar pelo menos uma vez na vida!


O que ver no templo Kinkakuji?

Uma abordagem para “Shariden”, o pavilhão dourado

Uma abordagem de Kinkakuji. (1 no mapa) É um prelúdio de “Shariden”, o pavilhão dourado. Temos muitas árvores de bordo ao longo dela.

No outono, podemos admirar uma das cores de outono mais bonitas de Kyoto.

Cinco mandamentos

No portão da frente (2 no mapa), “Cinco Mandamentos de Kinkakuji”.

1) Você não deve matar nada que tenha vida.

2) Você não deve querer nada que não recebeu.

3) Você não deve cometer adultério.

4) Você não deve contar mentiras.

5) Você não deve se entregar ao amor.

“Shariden”, o pavilhão dourado

Lago “Kyo-ko-chi” (鏡湖 池)

Um lago localizado na frente de Shariden. (3 no mapa) Faz “Shakkei” do mt. Kinugasa e até Shariden. “Shakkei” é uma técnica de construção de jardins tradicionais japoneses. Ele “pega emprestado” o cenário atrás do jardim. Um bom exemplo de belo jardim do período Kitayama.

O jardim seco (方丈 庭園)

É um jardim seco subestimado no templo Kinkakuji. (4 no mapa) Muitos visitantes prestam pouca atenção a ele. No lado norte, há um pinheiro em forma de navio chamado “Riku-syu-no-matsu (O navio em forma de pinheiro no solo).

Ginga sui (銀河 水)

Ashikaga Yoshimitsu costumava tirar água do pequeno poço para a cerimônia do chá. (5 no mapa)

A cascata recebeu o nome de uma antiga anedota chinesa: uma carpa rastejando até o topo da cascata se tornou um dragão. No Oriente, o dragão é o Deus da água e da chuva, embora signifique algo maligno no Ocidente. A pedra na frente da cascata significa uma carpa. (6 no mapa)

Costumava haver uma villa dos Saionjis. Agora podemos ver um pequeno pagode e estátuas de Jizo, a divindade budista que salva as pessoas que sofrem. (7 no mapa)

Você ka tei (夕 佳 亭)

“Yuka-tei” significa “A cabana em que podemos ter uma boa visão ao crepúsculo”. (8 no mapa)

A “Tokobashira (indicada pela seta na 1ª foto)” feita de árvore Nanten indicada na foto é tão rara porque Nanten sempre teve árvore rala (A árvore na 2ª foto).

Fudo-doh (不 動 堂)

O edifício mais antigo de Kinkakuji. Foi construído no século XVI. Acla (a divindade na tradição Shoigon) é consagrada. (9 no mapa)


Lembrança de Kinkakuji

Temos três lojas de souvenirs em Kinkakuji. A seguir estão minhas recomendações.

Livro-guia Kinkakuji

Um guia escrito em japonês e inglês. 550 ienes.

Cartões postais Kinkakuji

Você pode ver o interior do Shariden. 310 ienes.


Flora do templo Ginkakuji

Em Ginkakuji, temos muitas plantas e flores. Claro que podemos vê-los em outros lugares. A característica distintiva em Ginkakuji é que não há muitas flores e sim muitas folhas verdes e musgos. Graças a isso, podemos ver flores contra o verde.


11 templos e santuários imperdíveis em Kyoto

Viagem Na Cultura © 2021 | Todos os direitos reservados

Usamos cookies para fins técnicos, de desempenho e de publicidade, para análise do tráfego do site, para lembrar suas preferências, bem como para lhe fornecer o melhor serviço e experiência.
Ao clicar em ‘Aceitar’, você concorda com o armazenamento de todas as categorias de cookies em seu dispositivo, conforme detalhado em nossa Política de Privacidade, que também especifica como coletamos, usamos e armazenamos dados pessoais e outros. Escolha 'Configurações' para gerenciar suas configurações de cookies. Se você clicar em "Rejeitar", apenas os cookies necessários serão armazenados, mas o site pode não funcionar conforme o esperado. Você pode alterar suas preferências a qualquer momento no link Cookies na parte inferior da página.

Visão geral de privacidade

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para o funcionamento adequado do site. Esses cookies garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site, de forma anônima.

BiscoitoDuraçãoDescrição
cookielawinfo-checbox-analytics11 mesesEste cookie é definido pelo plug-in GDPR Cookie Consent. O cookie é usado para armazenar o consentimento do usuário para os cookies na categoria "Analytics".
cookielawinfo-checbox-funcional11 mesesO cookie é definido pelo consentimento do cookie GDPR para registrar o consentimento do usuário para os cookies na categoria "Funcional".
cookielawinfo-checbox-others11 mesesEste cookie é definido pelo plug-in GDPR Cookie Consent. O cookie é usado para armazenar o consentimento do usuário para os cookies na categoria "Outros.
cookielawinfo-checkbox-anúncio1 anoO cookie é definido pelo consentimento do cookie GDPR para registrar o consentimento do usuário para os cookies na categoria "Publicidade".
cookielawinfo-checkbox-needed11 mesesEste cookie é definido pelo plug-in GDPR Cookie Consent. Os cookies são usados ​​para armazenar o consentimento do usuário para os cookies na categoria "Necessário".
cookielawinfo-checkbox-performance11 mesesEste cookie é definido pelo plug-in GDPR Cookie Consent. O cookie é usado para armazenar o consentimento do usuário para os cookies na categoria "Desempenho".
visualizado_cookie_policy11 mesesO cookie é definido pelo plug-in GDPR Cookie Consent e é usado para armazenar se o usuário consentiu ou não com o uso de cookies. Ele não armazena nenhum dado pessoal.
__cfduid1 mêsO cookie é usado por serviços cdn como CloudFare para identificar clientes individuais por trás de um endereço IP compartilhado e aplicar configurações de segurança por cliente. Ele não corresponde a nenhum ID de usuário no aplicativo da web e não armazena nenhuma informação de identificação pessoal.

Os cookies funcionais ajudam a realizar certas funcionalidades, como compartilhar o conteúdo do site em plataformas de mídia social, coletar feedbacks e outros recursos de terceiros.

BiscoitoDuraçãoDescrição
__cf_bm30 minutosEste cookie é definido pela CloudFare. O cookie é usado para dar suporte ao Cloudfare Bot Management.

Os cookies de desempenho são usados ​​para entender e analisar os principais índices de desempenho do site, o que ajuda a fornecer uma melhor experiência do usuário para os visitantes.


Os melhores lugares para ver na histórica Kyoto

Além da capital Tóquio, Kyoto é uma das cidades mais populares do Japão. Kyoto goza de sua fama mundialmente conhecida devido ao grande número de locais históricos e culturais que possui. Kyoto tem alguns dos melhores templos budistas e santuários xintoístas do país, com um grande número deles declarados como Patrimônio Mundial oficial pela UNESCO.

Se você tiver apenas alguns dias em Kyoto, pode ser difícil ver todos esses templos junto com outros locais pertinentes. Portanto, se você nos perguntar como explorar Kyoto, nossa resposta simples seria: “Depende ...” Como viajantes, todos nós temos nossas prioridades e preferências individuais. No Chasing Places, tentamos encontrar um equilíbrio em termos de visitas às atrações, especialmente se tivermos um período de tempo limitado. Queremos ver uma arquitetura maravilhosa, ver a arte de perto, vivenciar a cultura e aprender um pouco sobre a história. Gostamos de estar em um ambiente muito animado, mas também apreciamos a serenidade que a natureza oferece.

Uma das ruas mais tranquilas de Gion, Kyoto

De todos os templos da cidade, alguns definitivamente se destacariam como o Pavilhão Dourado, por exemplo. Existem também distritos e ruas fascinantes em Kyoto que são difíceis de perder. Felizmente, a maioria desses sites fica a curtas distâncias uns dos outros. Alguns deles podem ser alcançados a pé. Enquanto outros, exigem que você pegue um ônibus. Mas o sistema de transporte é a menor das suas preocupações quando você está no Japão, já que tudo é organizado e no prazo (incrivelmente na hora!) Mas se você ainda está confuso sobre o que visitar, aqui estão alguns dos nossos top escolhidos lugares para ver quando em Kyoto.

1. Arashiyama Bamboo Grove

Arashiyama Bamboo Grove, Kyoto, Japão

Se você quiser ver algo além de pagodes e templos, o Arashiyama Bamboo Grove na área de Sagano é um local refrescante para visitar. Por ser descrito como um bosque, eu esperava que fosse mais extenso do que realmente é. No entanto, o acesso ao Bamboo Grove é gratuito. Mas você não passa, tecnicamente, por uma floresta densa. Em vez disso, o local apresenta uma passarela alinhada com inúmeras árvores de bambu finas e familiares. A passarela se estende por menos de 1 quilômetro, com algumas partes mais impressionantes do que outras por causa da densidade dos bambus salientes. A iluminação natural do sol vem através das árvores de bambu para adicionar mais personalidade à passarela. Se a iluminação for suave, mas brilhante, o contraste da cor com o tom esverdeado das árvores é simplesmente deslumbrante. Dito isso, você pode não apreciar muito se visitar o Bamboo Grove de Kyoto em um dia nublado.

Na outra extremidade da passarela, há outras atrações menores, como um jardim privado, uma ponte sobre um belo riacho e também um mirante. Visitamos o Bamboo Grove no início da manhã, quando havia menos visitantes. O local é bastante sereno, mas rapidamente perde a serenidade quando mais gente começa a encher a passarela. No entanto, era um site interessante que merecia ser visitado. Nossos amigos visitaram o bosque à noite e, com base em suas fotos, parecia que o bosque tinha um apelo totalmente diferente à noite, quando tudo ao redor estava triunfante.

2. Gion

Gion é um bairro moderno e histórico. Algumas partes da área estão repletas de estabelecimentos comerciais e locais de diversão noturna que atendem a uma grande quantidade de turistas. Mas também envolve o que é chamado de Distrito das Gueixas. A primeira vez que ouvimos sobre este distrito em Kyoto, pensamos que era o único no Japão. Apesar de descobrirmos que havia outros distritos de gueixas no país, aparentemente, o de Kyoto é considerado um dos mais bem preservados.

As gueixas são as tradicionais mulheres artistas durante a época feudal no Japão. As gueixas são treinadas para serem especialistas nas áreas de arte e entretenimento. Ruas de paralelepípedos e lindas casas de madeira antigas dominam o distrito das gueixas. Hoje em dia, a maioria desses edifícios são restaurantes e cafés. De acordo com os guias, ainda existem gueixas e maikos (seus aprendizes) que continuam a divertir seus ricos patronos no distrito. No entanto, eles raramente são vistos ao ar livre, a menos que você esteja disposto a pagar para vê-los se apresentar em restaurantes designados (localmente chamados de Ochaya no distrito).

Considerada uma das ruas mais bonitas da Ásia, Shimbashi em Kyoto

Aparentemente, as gueixas se escondem conscientemente dos turistas, que costumam persegui-las como os paparazzi. Na verdade, vimos mulheres usando, o que presumimos ser, os trajes e maquiagem típicos das gueixas. Mas tínhamos certeza de que eles estavam fazendo isso para algum tipo de sessão fotográfica ou apenas queriam enganar os turistas e fazê-los pensar que eles eram verdadeiros!

Com ou sem gueixa, vale a pena conhecer o bairro por seu valor histórico e cultural. O único problema é que pode ficar muito lotado nas ruas principais, pois todos querem dar uma olhada neste bairro icônico.

Gion também é o lar da Rua Shimbashi. Também conhecida como Shirakawa Minamidori, a rua é considerada uma das mais pitorescas da Ásia, com suas ruas de paralelepípedos, lindas pontes sobre canais e cerejeiras em flor.


Locomovendo-se em Kyoto

Kyoto é muito amigável para bicicletas, o que é um meio de transporte preferido, já que a maioria das pessoas depende de uma enorme rede de ônibus com apenas algumas linhas de metrô ao longo das avenidas principais

Você pode obter um passe de metrô / ônibus de 2 dias por 1700 ienes / adulto

Aí está. Um excelente itinerário de Kyoto por cerca de 4 dias inteiros nesta cidade japonesa.

Leia mais sobre viagens para o Japão

Se você gostou de todos esses lugares incríveis para visitar em Kyoto, salve-os no Pinterest para planejamentos de viagens futuras.

Recursos de planejamento de viagens

Quer reservar sua próxima viagem? Por que não usar esses recursos que foram testados e aprovados por você.

Voos: Comece a planejar sua viagem encontrando as melhores ofertas de voos no Skyscanner

Reserve seu hotel: Encontre os melhores preços de hotéis com esses dois fornecedores. Se você estiver na Europa, use Booking.com e, se estiver em qualquer outro lugar, use o TripAdvisor

Encontre aluguel de apartamentos: Você encontrará os preços mais baratos em aluguel de apartamentos com VRBO.

Seguro de viagem: Não saia de casa sem ele. Aqui está o que recomendamos:

    - Nômades Digitais ou Viajantes Frequentes. - Viajantes ocasionais. - Transporte aeromédico global e segurança em viagens.

Precisa de mais ajuda para planejar sua viagem? Certifique-se de verificar nossa página de recursos, onde destacamos todas as grandes empresas em que confiamos quando estamos viajando.


Itinerário de Kyoto de 1 dia

Arashiyama Bamboo Grove

Comece seu itinerário de Kyoto em Arashiyama Bamboo Grove. Este famoso local é uma visita obrigatória para quem deseja percorrer um caminho cercado por bambus verdes altos e grossos.

Portanto, é melhor ir cedo. It & rsquos 35 minutos a noroeste do centro da cidade no transporte San-in Line. Antes que você perceba, você estará na pacata cidade de Arashiyama, cruzando o rio Katsura sobre o Ponte Togetsu-Kyo.

Super charmoso. Não esqueça sua câmera!

Pavilhão Dourado

De Arashiyama, pegue o transporte público para chegar a Kinkakuji e mdashaka, o Pavilhão Dourado.

Um templo zen budista oficialmente chamado Rokounji, este Patrimônio Mundial da UNESCO foi construído em 1397 para Yoshimitsu, então Shogun do Japão.

É incrível, não apenas por causa de sua história, mas porque é coberto por uma folha de ouro. O cenário, que se reflete no lago Kyokochi & mdash assemelha-se ao equilíbrio da natureza que é tão importante nas religiões japonesas & mdash o torna ainda mais bonito.

Esta é a única visão de Kyoto no Japão que você não deve perder!

Kiyomizu

Kiyomizu e mdashor Kiyomizu-Dera& mdashis localizado mais ou menos no centro de Kyoto vindo de Kinkakuji. Você não precisará mais usar transporte público (tanto) depois disso.

São mais de 1.200 anos de história na Kiyomizu-Dera, que tem sido retratado em tudo, desde histórias a gravuras e pinturas em xilogravura. Não é à toa que é um Patrimônio Mundial da UNESCO.

Muitos edifícios diferentes compõem o complexo do templo budista aqui. Há o pagode de três andares que data de 1633, a torre do sino que foi construída em 1596, e o Cachoeira Otowa com seus poderes supostamente de prolongamento da vida.

Além disso, a vista deste templo budista da cidade abaixo também é bastante espetacular.

Você pode até mesmo se juntar a outras senhoras japonesas locais enquanto elas se vestem com quimonos para ter uma aparência especial durante a visita!

Mercado Nishiki

A partir de Kiyomizu-Dera, it & rsquos apenas uma simples caminhada de 15 minutos do complexo do templo até seu próximo destino & mdashMercado Nishiki.

A esta altura, você deve estar se sentindo com muita fome. Bem, como seu guia de viagem em Kyoto, recomendo que você pare sua excursão a pé em Kyoto e encontre algo para comer na rua comercial de cinco quarteirões que é Mercado Nishiki!

Chamado de & ldquoKyoto & rsquos Kitchen & rdquo, este mercado do centro é onde você encontrará todos os tipos de lojas e restaurantes, vendendo todos os tipos de coisas, desde frutos do mar frescos e wagashi (Doces japoneses) a utensílios culinários e souvenirs. Você basicamente conseguirá encontrar qualquer coisa aqui.

Muitos dos restaurantes e lojas aqui são especialistas e darão amostras grátis para você provar antes de comprar.

Aberto até as 18h, você tem bastante tempo no seu itinerário de Kyoto para decidir o que comer aqui!

Gion

Próxima parada em seu itinerário, Kyoto oferece a famosa Gion!

É apenas um passeio de 10 minutos de Mercado Nishiki. Gion é muito famosa por ser um bairro tradicional das gueixas de Kyoto.

Só para você saber, isso não significa que & ldquored light district & rdquo & mdashgeisha eram (e ainda são) mais como artistas, que envolvem os clientes em conversas animadas, jogos de bebida e apresentações musicais.

Simplesmente vagar pelas ruas e vielas ladeadas por casas de madeira aqui é o suficiente para levá-lo de volta alguns séculos! É muito legal.

No entanto, se você conseguir passar Gion enquanto admira o tradicional bairro das gueixas com muito tempo de sobra, não se preocupe. Há mais coisas para fazer nas proximidades.

Se você tiver tempo para caminhar, pode passear pelos muitos santuários e templos e obter uma visão mais aprofundada de Kyoto e rsquos, passando pelo Philosopher & rsquos Path, que corre ao longo de um pitoresco riacho.

Santuário Fushimi Inari

Ok, agora é hora de terminar o seu dia no icônico Santuário Fushimi Inari Taisha. Também conhecido como Inari Taisha, Fushimi ou o santuário Inari, fica a 20 minutos de carro de Gion na Linha Principal Keihan para a Estação Fushimi-Inari.

A partir daqui, é uma caminhada fácil até a base da pequena montanha onde fica este famoso complexo de santuários.

Bem, você provavelmente conhece do Instagram ou sabe, de qualquer lugar. Existem milhares de vermelhos torii (portões do santuário) abrangendo trilhas e degraus que serpenteiam ao redor e sobem a montanha.

Fundado em 711 DC, este lugar tem uma história extremamente longa. Você pode sentir isso enquanto sobe, especialmente porque você estará lá ao pôr-do-sol, pois muitos turistas desaparecem. O lugar fica positivamente assustador ao anoitecer e depois de escurecer.

Minha dica definitivamente seria programar sua viagem para Fushimi Inari para o pôr do sol, quando você pode assistir o pôr do sol atrás das montanhas do mirante a meio caminho. Celestial!

Aí está, minha edição do itinerário de 1 dia de Kyoto para uma viagem à cidade japonesa mais histórica de todos os tempos!

Um dia não dá a você tempo suficiente para ver tudo, mas dá-lhe tempo suficiente para aprender sobre o que torna esta cidade tão grande e ver seus destaques. A quantidade de templos é incrível, assim como o sentido da história e a quantidade de belos pontos que você pode encontrar perto das principais ruas da cidade.

Reserve um tempo em seu itinerário de um dia em Kyoto para fazer um tour por esta antiga capital por conta própria, e você descobrirá por que tantas pessoas optam por visitá-la todos os anos. Se você quiser ficar mais tempo, não deixe de conferir os hotéis de Kyoto!

Se você planeja passar um dia em Kyoto, conte-me sobre isso! Marque-me @wtfab em suas histórias ou fotos no Insta para que eu possa me lembrar que eu realmente preciso voltar um dia !!

Planejando uma viagem ao Japão? Certifique-se de verificar meus outros guias de viagem do Japão aqui.

Kyoto definitivamente vale a pena visitar com uma série de locais históricos para ver. Pode ser muito turístico, mas vale a pena com muitas coisas para mantê-lo ocupado.

Recomenda-se passar pelo menos 2 dias em Kyoto para ver todos os grandes pontos turísticos de Kyoto.

A melhor época do ano para viajar para o Japão é de abril a maio, pois será a temporada das cerejeiras em flor e o clima estará no seu melhor!


50 templos espetaculares da Ásia: o guia de viagens definitivo

Santuários gloriosos, entalhes intrincados e alguma fé em nossa mente nos levam a esses templos & # 8230 que parecem altos e brilhantes. Seja um vislumbre do passado glorioso, um toque de elegância histórica ou uma olhada na arquitetura antiga, esses templos têm uma história dourada para contar. Hoje, 50 blogueiros de viagens falam sobre sua experiência em vários templos da Ásia.

Role para ler o guia de viagem definitivo para os templos mais espetaculares da Ásia & # 8230

Índia

1. Templo de Khajuraho, Índia Central:

Khajuraho é uma cidade no centro da Índia, na região de Madhya Pradesh, uma parada popular para viagens de trem de longa distância de um lado a outro do país. Também é muito famoso por seus templos listados pela UNESCO, que são o maior grupo de templos hindus e jainistas do mundo.

Hoje, apenas cerca de 20 permanecem dos 85 originais construídos durante a Dinastia Chandella entre 900-1130 DC. Os templos estão espalhados por uma área de 9 milhas quadradas, apresentando uma série de entalhes realmente intrincados que retratam o estilo de vida tradicional das mulheres na idade medieval, incluindo alguns entalhes eróticos muito claros. Naquela época, acreditava-se que as esculturas eróticas eram auspiciosas e trariam sorte e bem-estar. Hoje, essas esculturas são uma das atrações imperdíveis na cidade de Khajuraho.

2. Complexo Swaminarayan Akshardham, Delhi

Akshardham é um dos complexos de templos hindus mais fascinantes que já visitei. Sua arquitetura com detalhes intrincados pode capturar sua atenção por horas. Seus jardins e programas culturais podem lhe dar uma visão mais profunda do hinduísmo, da cultura indiana e de importantes figuras nacionais. Eu recomendo visitar o complexo por volta das 16h. Desta forma, você poderá explorar o templo, seus jardins e também assistir a programas culturais como o show de luzes e exposições. O show de luzes se passa em uma grande arena construída em um estilo tradicional de degraus. Toda a atmosfera e as luzes, as fontes, os sons e a apresentação gráfica fazem você se sentir parte da peça.

Outro programa cultural, como passeio de barco, leva você de volta à Índia antiga e mostra a história e as invenções avançadas do passado. Observe que qualquer equipamento técnico e alimentos não são permitidos no complexo Akshardham. Você terá que depositar câmeras, telefones e alimentos na sala de segurança na entrada.

3. Templo Brihadeeswar, Thanjavur

O Templo Brihadeeswar em Thanjavur é o símbolo de poder e poder do governante da dinastia Chola. Também conhecido como o Grande Templo, foi construído pelo Raja Raja Chola I da dinastia Chola em 1010 DC. A arquitetura do templo é grandiosa e em consonância com o poder e a visão do grande rei. Um Patrimônio Mundial da UNESCO, o complexo tem muitos templos construídos por outras dinastias reinantes. Mas a joia da coroa continua sendo o principal templo central dedicado ao Senhor Shiva, a divindade favorita do Rei Chola.

O templo é uma maravilhosa obra de granito. Há uma estátua de Nandi em frente ao templo que também é a segunda maior estátua de Nandi na Índia. Afrescos adornam as paredes. Existem vários mitos relacionados a esta grande estrutura arquitetônica. Verdadeiramente, o templo mostra o grande passado dos governantes, bem como a habilidade proficiente dos fabricantes.

4. O Templo Dourado, Amritsar

O Sri Harmandir Sahib ou “O Templo Dourado”, como é mais comumente conhecido como, é uma impressionante peça de arquitetura localizada em Amritsar, Punjab, Índia. É o local de peregrinação mais importante do Sikhismo e a tradução literal do nome do templo significa “A morada de Deus”. Ele foi coberto com 162 kg de ouro 24 quilates cerca de 200 anos após sua construção original e é de tirar o fôlego de ver pessoalmente. A cozinha no local serve até 100.000 refeições grátis por dia e as duas salas de jantar têm uma capacidade combinada de 5.000 de cada vez.

O templo fica lindamente iluminado à noite, e vale a pena visitá-lo em diferentes momentos do dia para ver toda sua beleza sob diferentes condições de iluminação. Com sua incrível história, passeios são recomendados para entender o quão deslumbrante este lugar realmente é.

5. Templo Sahastrabahu, Gwalior

A cidade de Gwalior é conhecida por seus marcos reais e templos. É mais uma cidade histórica que visitei este ano como uma escapadela de fim de semana de Delhi. Gwalior faz parte do Estado de Madhya Pradesh (MP), na Índia central. É um dos destinos reais a visitar. Embora MP seja famosa pelos templos de Khajuraho, desta vez também descobri arquitetura semelhante em Gwalior. Os templos de Gwalior eram tão grandiosos que me hipnotizaram.

Um templo muito recomendado para se visitar é o Templo de Sahastrabahu, também agora chamado de Templo de Saas Bahu pelos habitantes locais. Sahastrabahu significa “Alguém com milhares de armas”, e representa uma forma de “Senhor Vishnu” da religião hindu. Embora aqui também não haja nenhum ídolo dentro do templo, a bela arquitetura permanece forte. Há também outro templo perto dele e que é dedicado a outro deus hindu, Lord Shiva. Esses templos são localmente chamados de templos ‘Saas Bahu’ porque a palavra Sahastra Bahu rima com ela. Verifique o templo enquanto visita Gwalior.

6. Templo Karni Mata Rat

Este templo extraordinário na vila de Deshnok, perto de Bikaner, na Índia, é o lar de cerca de 25.000 ratos. Os devotos viajam longas distâncias para adorar as criaturas peludas, reverenciadas como seguidores reencarnados de Karni Mata, um avatar da deusa Durga. Os roedores, carinhosamente chamados kabbas ou crianças pequenas, são alimentados com grãos, leite e prasad, um doce alimento sagrado. Beber água ou leite para os ratos ou comer alimentos que eles mordiscaram é considerado como algo que confere bênçãos supremas.

Visitar o templo não é para os fracos: sapatos não são permitidos e é considerado boa sorte um rato passar por cima de seus pés. Avistar um rato albino raro é particularmente auspicioso, pois acredita-se que sejam as manifestações da própria Karni Mata e de seus quatro filhos.

7. Templo Sri Varasidhi Vinayaka Swamy - Kanipakam

O Templo Sri Varasidhi Vinayaka Swamy em Kanipakam é um destino divino que deve ser visitado. Kanipakam fica no distrito de Chittoor de Andhra Pradesh - um estado do sul da Índia. Cerca de 70 km de Tirupati e 180 km de Bangalore, este templo hindu é historicamente significativo. A principal divindade aqui é Lord Ganesha, também conhecido como Vinayaka e o ídolo é considerado Swayambhu (Auto-manifestado). Acredita-se também que o ídolo está crescendo por conta própria, o que é mais um motivo para visitar este lugar. Diz a lenda que quando três irmãos deficientes de diferentes maneiras cavavam um poço para buscar água, eles encontraram o ídolo e o sangue começou a escorrer tornando a água do poço de cor vermelha, esse avistamento os curou de suas deformidades e eles se tornaram normal novamente e assim começou a conexão divina. A arquitetura do templo é incrível e o ambiente dentro da felicidade.

O Lago do Templo aumenta a aura e a iluminação de Diya ou Lâmpada acalma a alma. Câmeras e telefones celulares não são permitidos dentro e, portanto, capture a essência do lugar com seus olhos. Existem salas de camuflagem disponíveis para armazenar seus gadgets. A entrada no templo é gratuita, mas se você quiser vencer a fila, ingressos especiais estão disponíveis por Rs 10, Rs 50 e Rs 100, dependendo da preferência e das limitações de tempo. Estacionamento e salas de lavagem também estão disponíveis.

8.Shri Mata Vaishnodevi, Katra, Jammu e Caxemira

Shri Mata Vaishnodevi é o famoso templo em Katra, uma pequena cidade popular localizada no distrito de Reasi, de J & ampK, situada nas colinas das montanhas Trikuta, onde os devotos visitam para orar por uma vida melhor. Este templo é dedicado à Deusa Vaishno. Este templo é um dos lugares mais atraentes, onde muitos peregrinos vêm de diferentes partes do estado indiano e de todo o mundo ao longo do ano. O templo permanece aberto 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Para visitar o templo Vaishno Devi, os peregrinos devem se registrar em Katra antes de iniciar a caminhada no balcão de registro próximo ao ponto de ônibus de Katra. Eles receberão um número de registro e um número de grupo. Para chegar ao Bhawan, os peregrinos precisam caminhar 14 km, mais 1,5 km do templo Vaishno Devi até Baba Baironath. Acredita-se que a peregrinação não está completa até que você visite este templo. Você pode chegar lá por meio de caminhadas, passeios a cavalo ou usando o serviço de helicóptero. Trekking oferece paisagens incríveis das montanhas Trikuta. Espere ver um belo santuário na forma de 3 pindis, experimente vibrações positivas, balcões de comida subsidiados, Café Coffee Day e outros restaurantes populares. Dispositivos eletrônicos não são permitidos dentro do templo principal.

9. Templo Meenakshi, Madurai, Índia

A Índia com certeza tem muitos templos para encantar os olhos e entre eles se destaca o majestoso Templo Meenakshi em Madurai. O templo é dedicado à deusa Meenakshi, uma forma de Parvati, esposa de Shiva. Este antigo templo aparece em textos que datam do século 6 aC, embora tenha sido reconstruído e ampliado a partir do século 14. É um importante local de peregrinação e também é famoso por seu tamanho impressionante. Abrange uma área de mais de 15 acres, repleta de numerosos santuários e 12 torres importantes.

O templo pode ser visitado diariamente e encontra-se aberto desde as primeiras horas da manhã até às 22h00, mas permanece encerrado entre as 12h30 e as 16h00. Infelizmente, você não tem permissão para levar sua câmera para dentro, mas pode levar seu telefone após pagar uma pequena taxa. Mas isso não deve impedi-lo de explorá-lo e assistir às cerimônias diárias, que são impressionantes mesmo para um não hindu.

10. Sai Baba Mandir em Shirdi, Maharashtra

Sai Baba de Shirdi é um reverenciado mestre espiritual indiano. Curiosamente, ele é reverenciado por seus devotos hindus e muçulmanos durante e após sua morte. Seus ensinamentos se concentraram no código moral de amor, perdão, ajuda ao próximo, caridade, contentamento, paz interior e devoção ao Todo-Poderoso. Ele passou os anos mais importantes de sua vida ascética em Shirdi, onde morreu em 1918. Assim, Shirdi em Maharashtra assumiu importância entre os devotos de todas as religiões.

Shirdi fica a 250 km de Mumbai. A estação ferroviária Kopergaon está bem conectada às principais cidades da Índia e fica a 16 km de Shirdi. Visitei Shirdi no ano passado com minha família e estava passando por momentos difíceis na vida. A viagem a Shirdi foi rejuvenescedora e muito calmante.

11. Templo Shore, Mahabalipuram

Mahabalipuram era o principal porto marítimo do reino Pallava, que governou o sul da Índia desde o primeiro século a.C. A 60 kms de Chennai ao longo das margens da Baía de Bengala, agora esta pequena cidade se orgulha de locais de Patrimônio Mundial, o paraíso dos surfistas e tem um ar hippie - um lugar perfeito para aprender sobre a história, saborear frutos do mar frescos e experimentar a ascensão ininterrupta da maré à noite.

Uma das principais atrações e uma maravilha arquitetônica em Mahabalipuram é o Templo Shore construído com blocos de pedras de granito. O complexo do templo consiste em três santuários principais e # 8211 o principal é dedicado ao Senhor Shiva. É um arquétipo típico das estruturas dos templos dravidianos, amplamente decoradas com entalhes e esculturas de arte.

Tailândia

12. O Templo Azul, Chiang Rai

O Templo Branco e a Casa Negra são os templos mais famosos de Chiang Rai, atraindo milhares de turistas todos os anos. Mas agora, há um novo e impressionante templo em cena - o Templo Azul (Wat Rong Suea Ten). Concluído em 2016, o Blue Temple não foi amplamente promovido e continua sendo um local menor e mais silencioso.

Este templo único é pintado em um azul atraente com sobreposições de enfeites dourados. The centerpiece inside the great hall, is a huge statue of a White Buddha in sitting position surrounded by contemporary Buddhist art in a psychedelic style. The name ‘Rong Suea Ten’ in Thai, translates as ‘house of the dancing tiger’ because historically, the area surrounding the temple, was full of wildlife, in particular tigers who leapt into the nearby Mae Kok river. The temple is located just a few kilometers from Chiang Rai city, in the district of Rimkok.

13. White Temple, Chiang Rai

The Famous White Temple or Wat Rong Khun in is a Buddhist temple found in Chiang Rai, Thailand. It is one of the temples that I highly recommend visiting when in Thailand. It’s uniquely designed and constructed lush with those silver and white ensembles. There is an art exhibit inside the temple which is open for people to see, yet, prohibited from taking photos or videos. The one thing that boosts my interests is the design this temple differ among many others in the country, it uniquely resembles stories of each building. Like for instance the hundreds of outreaching hands visibly situated at the bridge which symbolizes unrestrained desire, in which they call this bridge as “the cycle of rebirth”.

As a woman, the design and structure of this temple certainly amazed us plus its useful symbols on why this was unconventionally created. Don’t forget to check the “Golden Building” which is formed as the restroom building, where its gold effects mean worldly desires and money, it is absolutely the fanciest restroom that I had in my life. Don’t forget that this is a temple which is a respected place in the country, wear clothes suitable for their temple.

14. Wat Phra That – Doi Suthep, Chiang Mai

The Northern Thailand city of Chiang Mai has over 300 Buddhist Temples. The official name for these temples are Wats and they are often very elaborate and adorned with many traditional and brightly coloured reliefs depicting Buddha. Situated high on the Doi Suthep mountain overlooking Chiang Mai can be found the most famous of these temples Wat Phra That which dates from the 14th century. A deeply religious site that is visited by thousands of Thai people who make the pilgrimage up the 306 stairs to pray at the site, it’s also a must visit attraction for tourists. There are many local Chiang Mai tourist companies who can arrange a personal visit to Wat Phra That, or it can be easily reached by any of the local transport options.

We recently visited and were spellbound by its beauty. The centrepiece of the temple is the brightly coloured gold chedi, colourful statues and the smell of incense wafting through the air. We enjoyed a wonderful afternoon exploring the site with its sweeping view of Chiang Mai, and highly recommend it for anyone visiting this exciting city.

15. Wat Chedi Luang, Chiang Mai

Wat Chedi Luang is a Buddhist temple, and one of the most beautiful buildings in Chiang Mai. Located in the historic centre, it’s easy to get to and a definite addition for the Chiang Mai bucket list. King Saen Muang Ma commissioned the construction of the temple in the 14th Century, after his father died and he needed a suitable resting place for the ashes. Saen Muang Ma himself died ten years later, long before the temple ended up being completed halfway through the 15th Century.

The finished temple was slightly different to what you can see today. Back then there were three temples (Wat Chedi Luang, Wat Ho Tham and Wat Sukmin) and the building housed an emerald Buddha (Phra Kaew) as well. Unfortunately, the building was damaged during an earthquake in the late 15th Century and the Buddha was moved to Wat Phra Kaew in Bangkok. Today, a jade replica sits in its place. Since the 90s, UNESCO and the Japanese government have been working together to restore the building. It’s still very much a work in progress, but that doesn’t stop Wat Chedi Luang from being one of Chiang Mai’s most beautiful buildings.

16. Wat Pho, Bangkok

Wat Pho Temple is the oldest and largest complex in Bangkok. The said temple is located in Phra Nakhon District, just the opposite from where the Grand Palace is. Also known as Wat Phra Chetuphon, this Buddhist temple is believed to be the birthplace of famous Thai massage and also home to a 15-meter tall and 46-meter long Reclining Buddha with its feet inlaid with mother-of-pearl.

The entrance to the complex is about 100 Baht. You’re required to take off your shoes upon entering though you may put it in the bag provided at the entrance. For a good luck, I recommend to buy a bowl of coins that you can drop in the 108 bronze bowls lined parallel to the wall.

Malaysia

17. Batu Caves, Kuala Lumpur:

Batu Caves is the most sacred site for Hindus in Malaysia, with the 272 steps to the famous cave temple at the top of the hill. Located at the fringe of Kuala Lumpur City, Batu Caves offers a unique experience to the Hindu religion up close and is the home to the largest Lord Murugan statue in the world and covered with 300 litres of gold paint.

During the annual Thaipusam festival in February, Batu Caves turns into a jam-packed place filled with Hindu pilgrims from all across the country to perform their religious rituals and rite. You’ll find some mind-blowing rituals such as body piercing the skin, tongue or cheeks, as part of their offerings to the gods. Last but not least, visitors also would be able to have a little fun with wild monkeys all around Batu Caves when they make their way up to the cave temple.

18. Kek Lok Si Temple, Penang

This temple in George Town, Malaysia is one of our favourite temples in the region. It sits on top of the hill dominating the area and looks impressive when you approach it. Kek Lok Si is the biggest Buddhist temple in Malaysia. It was constructed in 1890 and is also known as the Temple of Supreme Bliss. The complex is huge and consists of multiple pagodas and shrines.

You can literally spend the whole day exploring it. The highlights of Kek Lok Si: the Pagoda of Rama VI, the Ten Thousand Buddhas pagoda, 36 meter-high bronze statue of Kuan Yin (the Goddess of Mercy), the Turtle Pond, the Three-Tier pagoda and the beautiful gardens of the top level. On the bottom level, there is a market where you can buy all sort of curiosities and souvenirs.

19. Dragon Boat Temple, Kelantan

Nestled in a quiet corner of the Tumpat district of Kelantan, is an exceptional temple carved on a boat. Yes, you heard that right. The temple stands tall with its intricate shrines and fierce dragon head supported by nagas on either side. Commonly referred to as Wat Mai Suwankiri, the complex lies at a driving distance of 30-40 minutes from the city of Kota Bharu.

Some of the most noteworthy features of the temple include red dragon-wrapped pillars, the preserved body of Phor Tan Di for worshippers to seek blessings, a tall statue of Standing Buddha and a large number of bells along the length of the temple. Brave the heat and visit this gorgeous structure by noon.

Singapore

20. Buddha Tooth Relic Temple, China Town

Situated at the heart of Chinatown, the Buddha Tooth Relic Temple is arguably the most magnificent temple of Singapore. It was set up with the objective of preserving the teachings of Buddha and providing a deeper understanding of Buddhism. Admission is free of charge. The 5-storey temple contains an impressive collection of Buddhist artefacts, relics and stupas which reflects the rich history of the religion. The Sacred Light Hall in the fourth storey contains the temple’s centrepiece, after which the temple is named.

Here, a giant stupa weighing 3500 Kilograms and made of 320 kilograms of gold, holds the Buddha tooth relic. The temple also provides plenty of opportunities for self-meditation as well as many courses that introduce the teachings of Buddhism. If you happen to drop by at the right time, you may even be able to witness a prayer in progress. Whether you are an architecture buff, a religious soul or just a traveller seeking some peace in the city, this temple is your place.

Indonésia

21. Gunung Kawi, Bali

With 83% of Bali’s population following the Hindu religion, the island has quite a large number of stunning Balinese Hindu Temples to explore. Did you know that each village has three?! You’ll also find temples in many traditional homes. Some of the larger Balinese temples are on many travellers’ itineraries but after you’ve visited a few of them they can all start to look pretty similar. That’s why we recommend visiting Gunung Kawi Temple.

Gunung Kawi is unlike any other temple we saw in Bali. Dating back to the 11th century, the highlight of Gunung Kawi is the huge shrines carved into giant rocks. Surrounded by overgrown jungle and rainwater falling over the top it feels like you’ve entered a world from India Jones. The site of Gunung Kawi is massive so even at peak times of the day there’s plenty of space to wander and explore to find your own piece of serenity. The temple entrance also features a beautiful steep rice terrace which you’re free to walk around.

22. Tanah Lot, Bali

Due to its strategic location and the wonderful views around it, Tanah Lot is one of the most beautiful and most visited temples in Bali, Indonesia. The temple, whose deity is Dewa Baruna, the protector of the seas and oceans, is an attraction not to be missed when visiting the island. The whole complex around it is very large and full of green grass and colorful flowers, but the temple itself is accessible only during the low tide, being placed on a rock surrounded by ocean waves.

Besides the dreamy panorama, the temple also has a very interesting legend to tell, about a black and white snake hiding in the black rocks and always ready to defend the temple from evil, whenever it is needed. Ideally, visit the temple in the middle of the day to catch the amazing sunset.

23. Pura Taman Ayun, Bali

As I am a huge fan of Unesco sites, I really looked forward to visit Pura Taman Ayun in Bali as it’s the only temple in Bali that is on the Unesco list. Pura Taman Ayun means ‘beautiful garden’. This 17th century temple was the main temple of the Mengwi Kingdom that ruled until the end of the 19th century. The complex has an amazing main gate and a few meru towers. The highest Meru Tower has 11 floors.

The place is a so-called penyawangan, where holy places are offered. There are altars for the mountains Agung, Batukau and Batur. Broad canals surround the complex and the pools are full of Lotus blossoms. Tourist may not enter the courtyard but are only allowed to walk around the complex.

24. Borobudur, Yogyakarta

Visiting Borobudur was definitely one of my favourite things to do in Yogyakarta. I really recommend visiting the temple at sunrise, as the atmosphere is simply magical, even on a rainy and misty day. Borobudur is the largest Buddhist temple in the world, and its sheer size will blow you away! It’s a giant pyramid with 9 different levels, including 2672 carved panels and 504 Buddha statues. And I am talking about one single temple here. Borobudur was so much larger than I expected – even with a wide-angle lens, it was impossible to capture it all in one single shot.

Make sure you allow yourself some time to walk around the temple and enjoy not just the views, but also the spectacular carvings and statues. If you have time, don’t miss the nearby Prambanan temples, which are also spectacular.

25. Prambanan, Yogyakarta

Prambanan on the island of Java is the largest Hindu temple in Indonesia. It’s located a short half-hour drive away from Yogyakarta, one of Indonesia’s main cultural hubs. Prambanan is actually a temple compound, consisting of 240 temples of varying sizes. Part of the temples have been destroyed by the 2006 earthquake. Since it’s protected by the UNESCO World Heritage Convention only parts of it can be restructured, so most of the smaller outer temples are still in ruins today.

It is one of the most visited temples and tourist attractions, so I recommend visiting early in the morning if you can. You can visit Prambanan either with an organised tour or by yourself by renting a scooter or car, just bear in mind local guides will try to offer you their services once you get there.

Japan

26. Zojoji, Tokyo

Zojoji is a Buddhist temple that is located just under the Tokyo Tower in Tokyo, Japan. This beautiful temple was relocated to its present spot in 1598. Once it had become the family temple of the Tokugawa family, additional buildings were built to increase the capacity and functionality of the temple. This included the traditional Japanese gates at the entrance, the daibonsho (big bell) and a cathedral.

Interestingly enough, Zojoji was the administrative center to govern the religious studies and activities of the Jodo shu. There were as many as 3,000 priests and novices residing within the temple. During World War II the temple was burnt down during air raids, although these have been rebuilt today.

27. Kiyomizudera, Kyoto

The historic city of Kyoto in Japan is said to contain more than 1600 temples so it can be hard to narrow it down and decide where to start but most would agree that the Buddhist temple of Kiyomizudera should be at the top of that list. Founded in 798 its history is impressive enough to see it listed as a UNESCO World Heritage site. Kyoto is famed for its seasonal celebrations and the temple is one of the top spots to view the cherry blossoms or jewel toned autumn leaves.

The ‘mizu’ part of Kiyomizudera means water and at the foot of the hill is a fountain with three streams of water, drinking from one of these is said to give you love, longevity or knowledge, but what will you choose? There’s also a Shinto Shrine and some great festivals throughout the year where the guardian dragon makes an appearance. The walk up to Kiyomizudera is lined with traditional style merchant houses offering interesting souvenirs and some excellent tasty treats along the way and don’t forget to look back from the entrance, the view of southern Kyoto from there is spectacular.

28. Toyokawa Inari, near Nagoya

One of the most fascinating and visually interesting temples I visited during a recent trip to central Japan was the Toyokawa Inari, about 60 km south-east of the city of Nagoya in the Aichi Prefecture. It is curious in that it is a Buddhist temple that venerates a Shinto deity, the fox god, or Inari. Over the centuries, as first one religion and then the other was persecuted, this combination aided in the temples survival.

Today Toyokawa Inari is visited by Japanese people who work in the creative arts, most notably on New Year’s Eve, when they pray for good fortune in the coming year to the Benzaiten, one of Japan’s seven deities and the only one of Indian origin (the rest being Chinese). The hundreds of stone foxes that guard the shrine are an impressive site as are the thousands of red and white banners – petitions for health, wealth and safety – that flutter in the breeze lining the path to the shrine.

29. Kinkakuji Temple, Kyoto

Kyoto, Japan is full of temples but no trip to Kyoto is complete without a visit to the iconic Kinkakuji Temple (or The Golden Pavilion). Kinkakuji is one of the most famous tourist attractions in Kyoto and chances are you have seen this temple in photos or postcards from Japan. Its official name is Rokuon-ji and it is also one of the Historic Monuments of Ancient Kyoto which are UNESCO World Heritage Sites.

Located in northern Kyoto, this Zen temple is also called the Golden Pavilion because its top two floors are covered in gold leaf. Although it has a long history, Kinkakuji has been burned down a few times and the present structure was rebuild in 1955. Although you cannot enter inside the temple, make sure to enjoy its surrounding beautiful gardens and take a photo of its golden reflection shining across the pond.

China

30. Luohan Temple, Chongqing

Chongqing’s Luohan Temple is a calm oasis in the middle of one of China’s biggest, noisiest, and most polluted cities. First built around 1000 years ago and remodeled in 1752, it was then rebuilt in 1945. The most famous sight at the temple is the hall containing the 500 grotesque clay arhat statues. Getting lost in the maze-like paths beneath their strange gaze is one of most disorientating experiences I’ve had at any temple, anywhere.

Temple etiquette and personal values prevented me from photographing the statues, which means you have a choice. You could either look on Google to see what they’re like, or you could go visit Luohan Temple and get face to face with them yourself. Should you find yourself in Chongqing, I highly recommend the latter.

31. Mogao Caves, Western China

Dating back to the 4th century, the Mogao Caves complex in western China is one of the most interesting Buddhist locations in the world. Located along the Silk Road, the 492 caves near the city of Dunhuang, China served as temples, monasteries, and storehouses for important Buddhist art. The Mogao Caves are now a national park and receive protection by UNESCO.

While much of the art has been removed, there are still 2,400 clay sculptures. You can see how these pieces of art were constructed by stopping by the visitor center. The number of visitors is limited to 6,000 per day, so tickets must be reserved in advance if visiting in high season (spring to fall).

Hong Kong

32. 10,000 Buddhas Monastery, Hong Kong

You will actually find 13,000 buddhas at the 10,000 Buddhas Monastery in the mountains of the New Territories in Hong Kong. To get to the temple, you must climb over 400 steps. The path is steep and of course, lined with Buddhas. Be sure to go inside the temple where the columns and walls have lots of individual little Buddhas.

The main altar contains three large Buddha statues and the embalmed remains of the Reverend Yuet Kai, the founder of the Monastery. The nine-story pagoda in the center of the plaza outside the temple is actually the one that is pictured on the back of the 100 HKD note. Above the temple, you will find the Monastery and an impressive waterfall. You will also want to admire the nice views of Hong Kong from the top.

33. Man Mo Temple, Hong Kong

The Man Mo Temple was built in 1847 and is located at 124-126 Hollywood Road. It is a traditional Chinese temple in the midst of towering skyscrapers where worshippers come to pay their respects and request wishes fulfilled by the God of Literature and the God of Martial Arts. The God of Literature (Man Cheong) is a Taoist deity he was known for being a filial scholar as well as a heroic warrior. Because of this, students often call on him for help in passing exams. The God of Martial Arts (Kwan Tai) is worshipped by both Taoists and Buddhists alike. He was best known for his loyalty and valor in times of war.

Man Mo Temple is one of the most popular temples in Hong Kong and provides amazing insight into traditional Cantonese culture.

34. Sik Sik Yuen Wong Tai Sin Temple, Hong Kong

Home of the three religions, Taoism, Buddhism and Confucianism, Sik Sik Yuen Wong Tai Sin Temple is named after the combination of Taoist organization who currently administer and run the temple (Sik Sik Yuen) and the person it is dedicated to (Wong Tai Sin).

The temple is not only popular for its pluralism for being the home of three different religions, but also for its fortune-telling as many said that the accuracy of fortune-telling in this temple is very high and accurate. And some even claim that the temple is where all the wishes come true. Not only that we can pray and make a wish in front of the altar, but we also can find the fortune teller who will interpret what they see for the worshipper. Around the temple, you can also find other fortune tellers who can do the palm and face reading.

Cambodia

35. Angkor Wat, Siem Reap

Located amongst the jungles along the outskirts of Siem Reap, the Angkor Wat temple is an architectural marvel. This temple which has been featured in a few Hollywood adventure movies, is one of the most popular destinations in the entire Southeast Asia region. Built within the confined walls of the huge ancient city of Angkor, this temple has withstood some of the most turbulent times in Cambodian history.

Each and every stone of Angkor Wat depicts tales from a bygone era of religious conflicts to the more recent Khmer Rouge regime. The beauty of this monument is best explored during dusk and dawn where you can witness some of the most stunning sunrise and sunsets at the backdrop of the magnanimous temple structure. A trip to this place is worth memories of a lifetime.

36. Valley of 1000 Lingas, Kbal Spean, Siem Reap District

On my trip to Cambodia last month, I discovered this temple of Magnificence. Around 25kms drive from Siem Reap, lies the most miraculous place I’ve seen. The area consists of many thousands of sandstone stone carvings on the river bed mainly in the formation of lingas (symbol of Lord Shiva). The river bed also has beautiful carvings of Lord Bramha, Lord Vishnu and Goddess Lakshmi. So we can see the entire Trinity on the riverbed. Your heart and mind feel so peaceful. From the parking, there is a 500 feet hike to experience a lot more lingas and motifs. I’m a total bhakt of Lord Shiva, so I felt this was an absolutely perfect place for me to visit. I’ve never seen so many Shivalings together.

You also get to see pure volcanic water. Touch it and be sure to pour a drop on your forehead, to feel all the stress and tension being released. There is also a very beautiful temple, where you can go and pour water on the Shivaling, and pray to Lord Vishnu & Lord Buddha. To reach here you need to climb a few steps, and the view from the top is simply mind blowing. End your day, by going to the magical, waterfalls and don’t forget to take a swim there. You’re surely going to feel at bliss.

Tips: Wear walking shoes, with an anti slip grip, reach early as it’s a day long experience. Carry adequate mosquito repellent. Visiting this place in dry summer seasons, is highly recommended. During rains, you cannot see the Shiva kings, and it’s risky to trek. Carry enough water, as the trek is little tiring.

Sri Lanka

37. Anuradhapura Temple, Anuradhapura

Anuradhapura definitely is one of the nicest temples and archaeological sites to visit in Sri Lanka. Located right near the city of Anuradhapura, from where there’s easy access, this is a series of Buddhist temples which are still used by the locals. On prayer days, they can be seen dressed in white (the color of prayer in Sri Lanka), placing their offerings and paying their respects at the various temples.

Given how vast it is, the best way to visit Anuradhapura is by bike. Bikes can be rented at various shops not far from the entrance of the site, and rental for the entire day shouldn’t cost more than 750 Rupees. Given the heat, it is better to set nice and early as at around 2:00 pm it becomes virtually unbearable. Make sure to wear comfortable clothes, preferably long pants and a T-shirt covering the shoulders as these are required in order to enter temples. Also carry plenty of cold water, though small shops that sell water and other drinks and food can be found around the site.

38. Dambulla Caves, Sri Lanka

The Dambulla caves complex sits on a beautiful hillside in Sri Lanka’s Golden Triangle. The temple was originally built in 80 BC but was a multi-century work in progress. The site consists of natural caves that have been painstakingly enlarged to accommodate large Buddha statues which were added in the 12th century. The caves were enhanced once again in the 18th century with the addition of detailed ceiling paintings. Then, during the British empire period in the 1930’s, a temple veranda was added which overlooks the beautiful valley below.

But what makes Dambulla truly remarkable is that the temple monastery is still in use today. It’s hard enough to imagine that this place isn’t a ruin after 1,936 years, but the fact that it still has a practical religious purpose attests to its ongoing relevance to Sri Lankan culture.

39. Temple of the Sacred Tooth Relic, Kandy

If you are planning a trip to Sri Lanka, you will likely visit Kandy, the former royal capital of Sri Lanka and an essential cultural centre. The most important site in Kandy is the Temple of the Sacred Tooth Relic and is a must-see. A UNESCO World Heritage site and one of the most sacred Buddhist sites in the world, the temple holds a tooth of Buddha, enshrined in seven golden caskets. The tooth is venerated by Buddhists around the world and is an essential pilgrimage for Sri Lankans.

Image credit: Thierry Mignon

The temple is a large compound with various buildings and is also an insight in Sri Lankan life. Indeed, the crowds wander around and the place is alive with prayers and music. You are welcome to participate with flower offerings and respectful photography is allowed.

Nepal

40. Boudhanath Stupa, Kathmandu

Situated outside of Kathmandu, Boudhanath is probably the largest Buddhist stupas in Nepal. The mystical atmosphere in Boudhanath is heightened especially in the late afternoon or early evening when scores of devotees converged at the dome of the stupa performing the kora (ritual circumnavigation) and chanting mantras. You will see Tibetan monks in maroon robes, devotees spin prayer wheels and sounds of Tibetan chants played from shops selling Tibetan religious paraphernalia.

Boudhanath is my favourite place in Kathmandu so much so that I visited the site twice in two days! When you’re at the stupa, remember to walk around it clockwise.

41. Kopan Monastery, Kathmandu

Overshadowed by the famous Boudhanath Temple in Nepal, the Kopan Monastery is not to forget and not to be ignored when you visit Kathmandu, Nepal. It is on a high view point, 15-minute drive north of the Boudhanath. It is around 6 km away from the Thamel district, which is recommended to take a taxi to, as walking uphill in unknown and uneven streets of Kathmandu aren’t too enjoyable. This Monastery is completely calm and peaceful, perfect to go early in the day and grab a grass spot to read a book under the sun. There is no entrance fee, it’s an actual temple that you can go to pray and learn about Buddhism.

Kopan Monastery is the most popular place for foreigners to go to study about Tibetan Buddhism. It is known for people to stay for a while to study. Otherwise you can join daily morning prayers that are meditation sessions, an important part of Buddhism.

Bangladesh

42. Buddha Dhatu Jadi Temple, Bangladesh

Buddha Dhatu Jadi Temple also known as the Bandarban Golden Temple, is the biggest Buddhist Temple in Bangladesh. Buddha Dahtu Jadi Temple is located in Bandarban District in one of the most remote and least populated district in all of 64 districts in Bangladesh and with only about 0.3% of the population in Bangladesh being Buddhists, this is a rare sight in a country where 90% of the population is Islamic.

The Temple is located on the top of the highest hill in the area, 4km outside of Bandarban town. The easiest way to reach the temple is to take a local Tuk Tuk here for less than 1 USD. From the temple, you will get a panoramic view of the major parts of the State.
Myanmar.

Myanmar

43. The Popa Taungkalat Monastery, Myanmar

The monastery sits alluringly atop of a steep sided, extinct volcano, about 60 kilometers from Bagan and takes a little over an hour to get to. I visited as part of a day trip that also included a visit to a local market and a place that makes rather tasty coconut candy.

As I arrived, I looked up at Popa Taungkalat in awe, wondering how they managed to build such a spectacular feat and how knackered I’ll feel after I have climbed the 777-steps to the top. But climb I did and it was well worth it. I felt detached from the real world, perched so high with the breathtaking panoramic views of the plains below. And if you get bored of that, there are plenty of monkeys to entertain you as they surprise unsuspecting tourists . . . you have been warned.

44. Shwedagon Pagoda, Yangon

Most probably one of the most impressive golden pagodas in Asia! On my travels around the world I have seen many temples and a lot of them claim to be golden but this famous temples complex in Yangon, Myanmar is so shiny it hurts my eyes. The golden color of the Shwedagon Pagoda is so impressive that everyone who walks into the complex stops and stares.

The temple complex sits on a little hill and can be spot from around the city. Cool tip is to have a beer in the evening in any of the nearby rooftop bars and cheers with the golden Pagoda in the background.

45. Sule Pagoda, Yangon

Sule Pagoda is a 2,500-year-old Buddhist temple located on Yangon, Myanmar. According to legend, the king of spirits wanted to help a Burmese king build a shrine for a Buddha relic on the same site as where three previous Buddha relics had been buried, but he didn’t know where they were. With the help of another powerful spirit, they were able to locate these three other relics, making it so Sule Pagoda is home to four Buddha relics instead of the customary one or two.

Another interesting fact about the Pagoda is that it was constructed using a basic form utilized in Indian architecture, but the embellishments and final design are of a Mon-style Burmese influence. The main pagoda is octagonal with each side 24 feet long and the pinnacle reaches 144 ft 9 1/2 in.

Laos

46. Wat Si Saket, Vientiane

With only one day to spend in Vientiane, we knew we had to pick the perfect Wat to add to our itinerary for a single day in Laos’ capital city… and we couldn’t have chosen better than the Buddhist temple of Wat Si Saket. Located in the heart of Vientiane, Wat Si Saket dates back to the early 19th century and ranks as the oldest Wat in Vientiane.

Not only is the Wat very peaceful both inside the buildings and throughout the grounds, its decor is very memorable: we will never forget the hundreds of very small Buddha statues set into enclaves of the walls.

47. Wat Xieng Thong, Luang Prabang

Listed as a World Heritage Site, the ancient city of Luang Prabang is one of my favorite cities among Asia. Its temples, small lanes and monks in saffron-yellow robes make the city livelier. Among the temples I explored, Wat Xieng Thong is the most interesting one. Built in 1560, it is marked as the oldest temple of the city and also reputed as the most important temples of Laotian history and a great example to show the Laotian architecture of Buddhist Temples.

The beautiful two-tiered roofs – sweeping low to the ground, the highly decorated glass mosaics set of “tree of life” on its western exterior walls and the mythical statues including the famous Nagas make Wat Xieng Thong more stunning.

Taiwan


48. Wenwu Temple at Sun Moon Lake, Taiwan

Built rather recently in 1932 and then rebuilt after an earthquake in 1999, this exceptionally beautiful, well-kept temple is filled with stone carvings and fountains. I was most impressed by two immense red stone lions that guard the gates – they are the perfect place to take a souvenir photograph. The temple with its gorgeous Sun Moon Lake offers beautiful views that can enjoyed from many vantage points.

It is here that I learned that temples have three doors. No one enters through the middle door because that is for the deities. As you face the temple, you must enter through the right door, which is on the side of the dragon’s mouth, and exit through the left door, which is on the side of the tiger’s tail.

South Korea

49. Bulguksa Temple , Gyeongju

Gyeongju, South Korea was once one of the largest cities in the world, serving as the capital of the Silla Dynasty for hundreds of years. During this period, Bulguksa Temple was an important Buddhist temple, a designation that continues to this day, even as Gyeongju’s overall importance faded. The current temple was built in 751, with several rounds of reconstruction having taken place during the following centuries. Today, Bulguksa Temple is a grand complex of various sized buildings, with lovely gardens to explore as well.

The colorful architectural details of Bulguksa Temple merit close attention, while the expansive grounds mean that it’s easy to find a quiet corner experience tranquility. There are little gems to find everywhere, including dragon door handles, drums, roof decorations, statues, and more. Gyeongju isn’t on the itinerary of many visitors to South Korea, but it should be. The city’s historic center is a UNESCO World Heritage Site, with Bulguksa Temple being just one of the many magical places that give travelers a better sense of Korean history.

50. Haedong Yonggungsa Temple, Busan

Built in 1376, Haedong Yonggungsa Temple in Busan is a beautiful Buddhist temple situated right on the coast with breathtaking views of the East Sea. The best time to visit this coastal temple is during the summertime when the weather is hot and the sun is shining. However, the temple is open year round so you could explore when the temperatures are chilly.

Walking and exploring the majestic grounds is worth the trip out to the far-east area of Busan. Marvel at the large golden Buddha statues while the waves crash against the rocky shores. Make sure you throw a coin over the bridge. If it lands into the ceramic bowl, it is said to bring you much luck and prosperity.


Assista o vídeo: The Golden Pavillon Kinkakuji Kyoto


Comentários:

  1. Dalmaran

    Eu penso que eles estão errados. Eu sou capaz de provar isso. Escreva para mim em PM.

  2. Tygolmaran

    Que frase necessária ... super, uma ideia brilhante

  3. Kwabena

    Legal, estou emocionado)

  4. Zac

    Devo dizer que este é um caminho falso.

  5. Irvine

    Isto é ridículo.

  6. Vudozil

    Claramente, obrigado pela informação.



Escreve uma mensagem