Tallit

Tallit


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O talit é uma vestimenta usada por aqueles de fé judaica como um símbolo de solidariedade comunitária e devoção a seu deus. A base para os conceitos sócio-religiosos judaicos modernos é o Tanakh, ou bíblia hebraica que também é o cristão Antigo Testamento. Dentro dele, os primeiros cinco livros do Texto Massorético (ou seja, Bereʾšyt, Shemot, Vayikra, Bəmidbar, Devarim), ou Torá, são onde as Leis, tradições e a história antiga da cultura hebraica são encontradas. É daqui que a cultura material israelita tradicional (ou israelense) e a unidade nacional são originalmente derivadas. Principalmente, o טַלִּית, ou talit, funciona como um lembrete para os judeus permanecerem constantemente devotados a Deus. Além disso, é também um símbolo da solidariedade judaica dentro de um mundo gentio e pode ser entendido por meio de uma dicotomia judeu / gentio.

No entanto, deve-se notar que a identidade judaica moderna é um assunto extremamente complexo que facilmente se fragmenta em várias yeshivas com relação a crenças religiosas (por exemplo, ortodoxa, conservadora, reformada) e afiliações políticas (por exemplo, israelense-Likud, americano-democrata), que são ainda mais complicadas por lealdades nacionais (por exemplo, israelense, anglo-judaico), filosofias sociais (por exemplo, religioso-sionismo, socialismo) e até mesmo pesquisa genética. Simplificando, muitos judeus contemporâneos não usam o talit. Considerando a natureza socialmente sensível do acima mencionado, no restante desta entrada nos referiremos a 'Hebreus e Judeus' e a todas as interpretações antropológicas do 'Judaísmo' no contexto Ultraortodoxo.

Os quatro cantos da vestimenta

A origem do talit pode ser encontrada em duas cláusulas em Números 15: 37-41 onde Deus ordenou o uso de uma 'borla', ציצית ou tsitzit, em cada um dos 'quatro cantos' de uma 'vestimenta' padrão. Em termos práticos, as tendências da moda medieval frustraram o cumprimento desse mandamento ao não permitir tsitzit para ser usado facilmente nas roupas do dia a dia. Consequentemente, o talit foi projetado especificamente para cumprir a obrigação de usar o tzitziyot. Sob esta luz, o talit atua como uma ponte social que permite aos judeus funcionarem no mundo moderno (Cf. Deuteronômio 22:12). No entanto, ao contrário da iconografia religiosa de outras culturas, um tsitzit normalmente não é considerado que possua propriedades amuléticas. Materialisticamente, o significado cultural de tzitziyot só podem ser compreendidos por meio de seu tedioso processo de produção e pela construção social que significam para os outros.

A origem do talit pode ser encontrada em Números 15: 37-41, onde Deus ordenou o uso de uma 'borla' em cada um dos 'quatro cantos' de uma 'vestimenta' padrão.

Por exemplo, um tsitzit é moldado em um dos cantos de um talit, amarrando sete linho branco e um azul, ou t'kheilet, fios de lã de tecido cinco vezes, no valor de quinze. Além disso, a tradição rabínica fixa o valor numérico de ציצית em seiscentos. Coletivamente, a soma de todos os números (cinco, sete, um e seiscentos) é seiscentos e treze - o número exato de 'mandamentos' na Torá. Portanto, a própria Torá é imediatamente representada pelo uso de tzitziyot.

Uma observação interessante é que o azul especial t'kheilet tintura era usada na vestimenta sagrada do Sumo Sacerdote Levítico. Dado o papel deferente que a tribo levita desempenhou na sociedade hebraica, o uso de t'kheilet por judeus não levíticos pode inferir uma percepção de 'santidade' comum para todos os judeus observantes da Torá, independentemente da filiação tribal (Cf. Números 18:1-32).

A Páscoa no Talit

Outro significado para o talit pode ser observado por meio de um exame atento da historiografia judaica e da tradição oral. Por exemplo, a injunção bíblica de vestir tzitziyot está intimamente associado à narrativa do período hebraico no Egito e sua 'libertação' (ou independência e separação) do Faraó (Números 15:37-41; Cf. Êxodo 12: 37-51). Curiosamente, esses eventos são comemorados na festa da Páscoa da Páscoa, que historicamente é vista como o primeiro festival (ou 'dia da independência') do antigo estado-nação de Israel (Levítico 23:4-5; Êxodo 12:14, 13: 5). Cosmologicamente, pode-se inferir que o Egito faraônico é um símbolo do antigo 'globalismo gentio', do qual uma 'nação judaica' tornou-se independente (Cf. o rito abraâmico da aliança em Gênese 17: 7-16 com sua reinstituição pós-mosaico em Joshua 5: 3-5). Assim, um tsitzit também pode ser um sinal do antigo nacionalismo judeu. Dito isso, as evidências arqueológicas do período Bar Kokhba (132-136 CE) revelam que os zelotes usavam tzitziyot durante sua guerra de 'libertação' da ocupação romana.

História de amor?

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo semanal gratuito por e-mail!

Fascinantemente, o jovem Rabino Jesus de Nazaré, cuja vida iria desencadear uma das grandes religiões do mundo, usava um talit enquanto pregava 'libertação' aos habitantes da Palestina Romana (Judeia) (marca 9:5; Lucas 4:18). Isso é evidenciado pelo uso de κράσπεδον quando se refere à 'bainha' (canto) da vestimenta de Cristo em Mathew 9:20 e 14:36. Κράσπεδον é a tradução do grego antigo para tsitzit. Tal fato lembra um dos laços históricos entre as tradições judaicas e o cristianismo primitivo. Mais importante, ressalta a estrutura sociocultural compartilhada na mensagem religiosa de ambas as religiões. Em resumo, pode-se argumentar que o talit contemporâneo e tsitzit são uma difusão microcósmica da fé hebraica, história judaica, costumes levantinos e nacionalismo israelense. Assim, o sagrado costume de usar talit publicamente pode ser visto como um exercício justificável de autossegregação decorrente de uma objeção de consciência ao secularismo do globalismo pós-moderno.


Um cristão pode usar um talit?

Absolutamente! Na verdade, é uma ferramenta sobrenatural notável disponível para os crentes. Isso carrega muito significado bíblico. O problema é, infelizmente, que a maioria das igrejas não ensina sobre o talit, seu simbolismo espiritual ou como ele se relaciona com as raízes judaicas da fé cristã.

Nos últimos anos, Curt Landry passou um tempo estudando e ensinando sobre o talit e o tzitzit. Ele e Ron Phillips da Casa do Abba se conheceram e Curt ensinou uma série sobre o talit.

Compreender o que o talit representa pode transformar sua fé à medida que você começa a ver seu Salvador de maneiras novas e íntimas.


A evolução do papel do talit

Quando eu estava falando com uma congregante de 95 anos esta semana, ela compartilhou comigo a sensação desagradável de ter sua sinagoga mudando ao seu redor. “Parece que perdemos o nosso caminho”, disse ela. “Costumávamos ser adequadamente reformadores. Agora, quando chego, vejo pessoas usando um talit. Isso me faz sentir como se o templo estivesse tentando ser conservador ou ortodoxo. Eu sinto que não pertenço. "

Tenho grande respeito por essa mulher, que fez uma escolha consciente em sua juventude para ingressar em uma sinagoga da Reforma por sua progressividade e inclusão. Na percepção dela, era um lugar onde todos eram iguais, unidos em uma abordagem moderna. Para ela, ver outros membros da congregação usando um talit parece uma traição aos princípios da Reforma que ela tanto preza. "Por que diabos eles estão fazendo isso?" ela pergunta. "E o que eles pensam de mim, quando eu não?"

O mandamento de usar tsitsit, as franjas nos cantos do talit, vem deste parashah. O contexto nos dá uma visão sobre as origens da prática e o que ela pode - ou não - significar para nós hoje.

Sh’lach L'cha começa com Deus dizendo a Moisés para enviar 12 batedores para relatar sobre a Terra Prometida. Todos os 12 voltam descrevendo sua bondade, mas 10 compartilham sua convicção de que a Terra “devora seus habitantes” e, além disso, é colonizada por gigantes que os israelitas não podem esperar conquistar (Números 13: 32-33). Os israelitas acreditam neles e, como resultado, Deus condena uma geração inteira a morrer no deserto.

Duas palavras saltam desses capítulos iniciais: Latur, "Para explorar" e zenut, frequentemente traduzido como “falta de fé”, mas na verdade significa “prostituição” (Números 13: 16-17ss 14:33). Os 12 homens são enviados para explorar a Terra: seus relatórios negativos, juntamente com o acordo dos israelitas, são vistos como uma traição do tipo mais íntimo.

Essas duas palavras se repetem no final do parashah, na passagem sobre o tsitsit:

O Eterno disse a Moisés o seguinte: Fale com o povo israelita e instrua-os a fazer para si mesmos franjas nos cantos de suas vestes ao longo dos tempos, deixe-os prender uma corda azul na franja em cada canto. Essa será a sua franja: olhe para ela e relembre todos os mandamentos do Eterno e observe-os, para que você não siga [lo taturu] seu coração e olhos de prostituta atrás deles [Zonim Achareihem] Assim, você deve ser lembrado de observar todos os meus mandamentos e ser santo para o seu Deus. Eu sou o Eterno, teu Deus, que te tirou da terra do Egito para ser o teu Deus: Eu, o Eterno, teu Deus. (Números 15: 37-41)

Esta passagem é incluída após o Shema em livros de oração tradicionais. A maioria dos livros de oração da Reforma o eliminou, com a notável exceção de Mishkan T’fillah, que o inclui como opção. É compreensível que ele teria sido removido em uma era em que os judeus reformistas não usavam tal vestimenta ritual, vendo-o, nas palavras da Plataforma de Pittsburgh de 1885, como algo que era "mais apto para obstruir do que para promover o espiritual moderno elevação."

Então, por que a mudança? Na maioria das vezes, não usamos tsitsit por um senso estrito de comando. Afinal, como observa a teóloga feminista Judith Plaskow, "por que o criador do universo se importaria se colocamos uma 'borla na ponta de nossas roupas a cada geração' e que possível diferença isso pode fazer ...?" (Lawrence Hoffman, ed., Livro de Oração do Meu Povo, vol. 1 [Woodstock, VT: Jewish Lights, 1997], p.115). E ainda assim vemos mudanças no comportamento. Duvido que haja sinagogas reformistas nas quais todos usem talit, mas, na maioria, muitos usam. Existem inúmeras razões sociológicas e históricas, incluindo uma abertura renovada ao povo judeu e à prática particularista, que se desenvolveu após o Holocausto e a fundação do Estado de Israel. No final das contas, porém, acho que a resposta é que, para muitos judeus reformistas, usar um talit voltou a ser uma fonte de significado espiritual.

Fiel à teologia reformada e ao contrário de uma abordagem mais ortodoxa, usar o talit é igualmente aberto a mulheres e homens, e nunca é algo que tornaríamos obrigatório. Em vez disso, nos apegamos à escolha individual, por meio da qual os indivíduos não julgam os outros pelas decisões rituais que tomam. (Nessa perspectiva, o apedrejamento do homem que ajunta lenha no sábado, que vem imediatamente antes da passagem em tsitsit, é muito mais desafiador!). A questão permanece: qual é o significado que pode ser potencialmente encontrado nesta escolha?

Em primeiro lugar, os tsitsit são tangíveis. Não precisamos ir tão longe quanto a história midráshica do estudante da yeshivá cujo tsitsit assumiu vida própria para impedi-lo de consumar sua visita a uma prostituta (Talmud Babilônico, M’nachot 44a) reconhecer que os lembretes físicos podem ajudar a orientar nossas ações. Como o proverbial fio em torno do dedo, os tsitsit servem como contrapeso às forças de distração ou esquecimento. A porção da Torá começa com os batedores sendo desviados do curso pelo que seus olhos veem e pelo que seus corações temem. O mandamento de tsitsit, no final de parashah, dá uma estratégia para evitar tais erros.

Você ou eu raramente nos deparamos com um desafio como o dos batedores. Mas há algo universalmente humano no risco de sair do curso. Como escreve o rabino David Dunn Bauer, “O amor e o desejo humanos nos energizam e inspiram. Por outro lado, eles podem nos desviar completamente e nos fazer fazer coisas realmente estúpidas, se não prejudiciais ”(Lisa Grushcow, ed., O Encontro Sagrado [NY: CCAR Press, 2014], p.735).

Isso, talvez, seja o que os tztitzit nos ajudam a evitar. Mas o que eles podem nos ajudar a alcançar? Uma resposta pode estar em uma palavra pouco notada. Nós traduzimos kanfei big’deihem como "os cantos de suas vestes". Kanaf mais comumente significa "asa" e muitas vezes se refere metaforicamente às asas da Presença Divina, kanfei haShechinah. Em um nível individual, a experiência de usar um talit pode ser como estar envolvido em algo sagrado, criando um espaço sagrado para a oração. E no nível comunitário? Talvez o talit possa ser visto como a grande tenda do Judaísmo. Quer você use um ou não, há espaço suficiente para todos nós.

Rabi Lisa Grushcow, D. Phil., É rabino sênior em Templo Emanu-El-Beth Sholom em Montreal, Canadá. Rabino Grushcow é o autor de Escrevendo a esposa rebelde: interpretações rabínicas de Sotah, o editor do Encontro sagrado: perspectivas judaicas sobre sexualidade, um colaborador de The Torah: A Women’s Commentary, e um colunista regular com o Canadian Jewish News. Ela atua como co-presidente do Conselho de Rabinos de Montreal.


Significado do Talit (xale de oração)

O talit (às vezes chamado de & # 8220talis& # 8221 com pronúncia Ashkenazic) é uma vestimenta que pode ser usada para criar uma sensação de espaço pessoal durante a oração. Envolvendo-se nele ou cobrindo sua cabeça com ele, a intenção e a direção de suas orações podem ser aumentadas. A tradição é que o talit seja usado apenas durante as orações matinais, embora também seja usado no serviço noturno de Kol Nidre durante o Yom Kippur. A vestimenta pode ser feita de linho, lã, seda ou sintéticos, desde que seja observada a proibição bíblica de usar roupas que combinem linho e lã.

Não é a própria vestimenta, seja bonita e adornada ou simples e simples, que torna o xale de oração especial. O que transforma um pedaço de pano em talit são os tsitzit, as franjas em seus quatro cantos. A Torá nos instrui a usar essas franjas nos cantos de nossas vestes para que possamos vê-las e ser lembrados de todos os mandamentos de Deus (Números 15: 37-41). A mitzvá (mandamento) é lembrar de Deus, para promover a santidade em nossas vidas e guardar os mandamentos, o tsitsit é o lembrete visual. O talit não é usado à noite porque devemos & # 8220 ver & # 8221 as franjas rituais à luz do dia.

Receber um talit pode ser um momento maravilhoso durante um bar ou bat mitzvah. Aqui, Stella recebe um talit de sua avó em seu bat mitzvah e ele se torna um ponto focal da cerimônia.

& lt & # 8220& # 8220 / & gt

Você também pode achar útil nossa Bênção para Colocar Talit, com transliteração em áudio e inglês da bênção, bem como um vídeo.


Significado religioso de um talit judeu

O significado religioso do talit judaico não reside em si mesmo, mas nas franjas especificamente detalhadas, ou tzitzit, que são amarradas a cada canto com base em uma passagem na Torá (Números 15: 37-41) instruindo os usuários de "quatro pontas vestimentas "para fazer isso a fim de lembrar os mandamentos de Deus.

Por estarem isentas de qualquer mitsvá que envolva restrições de tempo e consideradas inatamente mais próximas de Deus por sua própria natureza, as mulheres não são obrigadas a usar talit como preparação para a oração ou como lembrete de sua fé. Portanto, usar um talit judeu é uma escolha pessoal da mulher baseada em seu próprio desejo de contemplação e expressão de reverência.


Aprendendo a história por trás do The Beautiful Acrylic Tallit

Um talllit é um pedaço de traje retangular com seus quatro cantos pendurados e amarrados com tufos chamados tzittzit. Homens judeus usam o talit por meio de solicitações a Deus na sinagoga todas as manhãs. O Mishkan T & # 8217chelet também faz o novo apelo a Deus, o xale talit katan, que é usado de maneira confiável e consistente para cumprir a mitzvá de tsitsit a cada minuto de vigília.

O talit é geralmente feito de lã de cordeiro perfeita, tendo em vista que, de acordo com o Shulchan Aruch, todas as peças de vestuário obrigam as bordas conforme mostrado pela Torá. O poder Chachamim anexando artigos de vestuário tsitzit feitos de outro tecido consistente como resultado da Lei da Torá. De acordo com alguns sentimentos, a declaração rabínica estende o essencial para tzitzit ao material projetado independentemente, talitot há muito tempo é tecido com fios de seda e acrílico e todas as forças concedem / pedem que sejam aprimorados com tzitzit.

Inicialmente, o talit era uma peça externa de roupa com quatro pontas à qual eram anexadas as bordas, ou tzitzit. Apesar do fato de que o uso do talit tem sua premissa nas Escrituras do Antigo Testamento, a palavra em si não é encontrada na Bíblia.

A imensidão genuína do talit não está na peça de roupa em si, mas nas bordas. Em termos atuais, pode ser comparado a um moletom ou casaco de estádio, onde o significado não está na peça real do traje, mas sim no lema ou na insígnia escolar que ele transmite.

Da mesma forma que outros objetos da época do Antigo Testamento, artigos de vestimenta com bordas também eram encontrados em sociedades não hebraicas, por exemplo, egípcia, mesopotâmica e midianita. As bordas de países alternativos provavelmente foram usadas como enriquecimento ou ornamentos para afastar os espíritos dissimulados. Seja como for, como com inúmeras outras leis do Antigo Testamento, Deus pegou o conhecido e deu-lhe outra essencialidade para Israel. Os tufos ou bordas deveriam ajudar Israel a se lembrar de Suas acusações.

Ao lado do papel básico do tsitsit à luz do Pentateuco, encontramos outro significado posterior. Antigamente, os tufos eram uma peça consertada de uma peça de roupa, e a correção simbolizava o poder do usuário. No momento em que Davi salvou a vida de Saul no vale em En Gedi, ele removeu a ponta do manto de Saul, normalmente mostrando que o poder do senhor seria cortado.

Inevitavelmente, o talit não era mais usado como uma peça externa de roupa, mas sim como uma peça interna. Alguns pensam que essa mudança ocorreu depois que Israel foi expulso da área devido ao fato de que o usuário do talit, claramente considerado um judeu, estaria sujeito a maus-tratos ou segregação. Judeus extremamente religiosos ainda usam o talit & # 8220innerwear & # 8221, com apenas as bordas óbvias. Assim, eles satisfazem a regra de Números 15:39, que exige que o usuário & # 8220 olhe & # 8221 as arestas.

O talit de vestuário exterior dos tempos antigos cresceu de outra forma que é mais comumente conhecida hoje. Não é a peça de roupa interior retratada durante todo o dia, mas sim um xale a ser usado apenas em momentos certos de pedidos a Deus.

No judaísmo atual, apenas os rapazes usam o talit e o tsitsit, no entanto, fontes rabínicas nos informam que, nos tempos anteriores, os tsitsits também eram usados ​​por mulheres. O tzitzit inicialmente continha uma corda ou barbante de cor azul. Conforme indicado por alguns, depois das duas guerras romanas, o negócio das cores sofreu um retrocesso. O grupo ficou pobre e o pré-requisito do barbante azul foi descartado. Como para outros, o sombreado foi alterado para todo branco com o fundamento de que um debate surgiu sobre qual tom de azul a corda deveria ser.

Este Talit acrílico tem listras brancas e prateadas sensíveis. O talit também destaca um Atara com cenas de Jerusalém, por exemplo, suas estruturas e encostas bem conhecidas. Os enfeites são trançados em azul fosco criando um lindo visual junto com o talit branco acrílico. Este deslumbrante Tallit é ideal para Bar Mitzvahs! Fibra de engenharia trançada de talit acrílico. Procedimento de conclusão do Talitania & # 8217s Acrílico talit indistinguível dos xales de lã extravagante e destina-se a fazer pedido brilhante e consistente a Deus xale ao longo dos anos.

Os xales de súplica a Deus vêm em uma ampla gama de tons de escuro, azul e branco e rosa e roxo, que consolidam listras metálicas de lurex em tons de ouro e prata. Delineado como uma representação imaculada do talit de acrílico, este talit tem a aparência convencional de um talit de lã não adulterado. Este xale de pedido a Deus é a decisão perfeita para santuários, sinagogas e reuniões, ou para quem procura um talit de acrílico de incrível qualidade a um custo temperado. O presente do colar é em hebraico.

Em www.iholyland.com, oferecemos o Tallit judeu disponível para ser adquirido com uma auditoria completa de qualidade, plano, administração e garantia do melhor valor. Como nosso forte, oferecemos a escolha mais adequada para qualquer talit judeu. Como especialistas em talit, oferecemos especialmente tecelagem de qualidade em sua peça de roupa ou pacote de talit para um toque e bênção incomuns adicionais. Compre um talit Bar Mitzvah, talit Bat Mitzvah, talit de casamento, súplica a Deus, ou suplante um antigo com uma determinação fenomenal de estilo e opções de talit de custo que ninguém olha. Nós classificamos nossa petição judaica para xales de Deus em escritórios para homens e mulheres em uma grande variedade de subcategorias para escolher a correta recomendada por orientação sexual. Você pode escolher sua inclinação de material em lã, algodão, acrílico, grosso, seda, organza, chiffon e materiais diversos.

Seleção de tecido

Nossa escolha está disponível em vários tecidos e tamanhos para se adequar ao seu estilo e evento. Desde excelente lã em listras azuis, pretas e brancas até Organza e Sheer para aquele look feminino sensível. Feito com a natureza mais notável dos modelos Kashrut, oferecemos cordas de techelet azul Ptil e várias opções diferentes que você descobrirá em cada estilo de item.

Usando Seu Xale de Oração na Torá e Opções de Amarração

Talit são geralmente usados ​​nos dias de semana, Shabat e feriados em meio aos pedidos matinais a Deus. É uma convocação especial da Torá para usar tzizit (bordas) em uma peça de roupa com quatro pontas, ao longo dessas linhas, todas têm 4 bordas engatadas chamadas tzizit que são amarradas em cada canto. Existem algumas tradições sobre como os tzizit são amarrados e oferecemos todas as opções com nossa administração de subordinação personalizada. Um talit exemplar é tecido em lã e a maioria contém uma joia deliciosa chamada de & # 8220atarah & # 8221 que pode incluir o pedido a Deus para quebrar o dia de súplica a Deus xale. Para ajudar a manter o xale sobre os ombros sem escorregar, muitas pessoas compram um excelente arranjo de fechos que cortam perfeitamente antes do meio, mantendo ambas as áreas juntas sobre os ombros.

Opções de cores escuro, azul, roxo e rosa

Obtenha o sombreamento de talit de decisão ao procurar seu talit. Tecido em talit preto, talit azul, talit rosa, talit roxo seu xale pode coordenar qualquer roupa e tema de sombreamento de sua inclinação.

Toda a nossa acumulação pode ser amarrada na convenção sefardita, combinada com nossos exemplos e matizes centro-leste convencionais, oferecemos a verdadeira amarração sefardita de cordas tzizit com e sem cordas azuis de techelet.

No momento em que estiver usando seu xale, pela primeira vez, avalie se as 4 pontas angulares estão em civilidade, caso contrário, você estará favorecendo um pedido não substancial a Deus xale, que apresenta o nome de deus fútil enquanto a mitzvá não é cumprida de forma alguma. Na chance remota de que você tenha o presente na joia (atarah), você pode segurá-lo diante de você e apresentar o presente em hebraico antes de usar o xale.

Tamanhos expansivos são básicos para o grupo religioso e indivíduos que apreciam uma aparência imperial ao usar seu xale de súplica a Deus. Veja um gráfico de dimensionamento completo e certifique-se de visitar nosso local de aprendizagem para a importância e bênção. Estilo exemplar para mulheres e homens são feitos de lã ou uma mistura de materiais com listras em preto, marinho ou branco. Nossa súplica exemplar a Deus Shawls é uma máquina feita em Israel para estimativa de qualidade e financeira. São de lã delicada, de cor branca e têm toque e visual dinâmico em suas listras.

Os originadores vêm em lã, seda, Shiffon e materiais mistos. O pedido mais sofisticado aos xales de Deus é feito à mão por especialistas selecionados e, doravante, pode levar de 1 a 3 semanas para terminar, dependendo do estilo. As bordas dos quatro cantos são chamadas de tzitzit e usadas também como Talit Katan. Regularmente, você terá a possibilidade de tzitzis ou tzitzit grossos versus tzitzit habituais. Embora um pouco demais, na maior parte, o tzitzit mais espesso é apenas uma inclinação. Eles podem ser menos exigentes até o fim em uma lavagem, e mais substanciais para segurar uma petição a Deus. Techelet tzizit são cordas sombreadas turquesa que são convocadas para ter 1 em 4 cordas para cada canto. O livro das escrituras ordena que essas cordas de Techelet sejam de uma criatura do oceano chamada & # 8220chilazon & # 8221.

Ao longo de um grande número de anos, esse animal do oceano foi perdido por causa de provas distintas, e a prática regular era usar todas as cordas brancas. Hoje, houve uma ressurreição da cor techelet com um animal do oceano que foi reconhecido como o & # 8220Chilazon & # 8221 por várias vozes convincentes em Israel. Assim, oferecemos as principais strings mais definitivas de Techelet acessíveis de Israel. Sabe-se que esses fios não ficam rodando na sombra na máquina de lavar, e é recomendado para lavar à mão.

Finalmente, oferecemos uma personalização de elite por método para tecer em todos os nossos sacos fantásticos e, além disso, a maioria dos nossos tópicos de planejador e de seda. A personalização deve ser possível em ouro, prata, marinho ou outras cordas favoritas e pode ser costurada no canto ou sobre o centro para fornecer a você sua petição interessante para o xale de Deus.

Hoje, alguns de nossos tallits para mulheres & # 8217 mais comuns são feitos de seda, organza e materiais transparentes. Esses talits femininos são 100% genuínos com quatro tsitsits amarrados da maneira convencional habitual nas quatro bordas do xale talit. Cada um de nossos talits é feito em Israel e apropriado para você nosso cliente no caminho mais produtivo.

Usar um Talit para mulheres é um padrão proeminente hoje e começa com o talit de moça Bat Mitzvah & # 8217s e usado com prazer por mulheres em grupos tradicionais progressivos, de mudança e avançados. Nossa escolha de talit para mulheres é basicamente enorme.

A organza feminina e os talits transparentes são incomumente femininos e uma decisão das mulheres, já que sua simplicidade complementa as roupas usadas por baixo. Talit de folha de ouro delicioso e talit de chumbo de prata em organza são tons delicados que combinam com todos os tipos de roupas.

Uma decisão popular de talit para mulheres é talit rosa e talit roxo. Esses tons femininos são característicos para mulheres e roupas da moda # 8217 em talit. O material utilizado para esses talit pode ser seda e grosso com placas de seda rosa ou roxa. Compre seu talit de senhora aqui para o clima de Bat Mitzvah que você está elogiando aos 12 ou 82 anos. Compre online com nossa garantia de qualidade e transporte auspicioso. Nossos clientes são frequentemente mais inspirados em aceitar que seu talit supere seus desejos.

Tallit

A imagem do talit pode ajudar os professores em Y & # 8217shua a se lembrarem de quem são em Cristo. Atualmente, Israel, assim como toda a humanidade, tem a porta aberta através do Messias Y & # 8217shua para se tornar um & # 8220 reino de ministros & # 8221 intervindo em petição a Deus pelo mundo. Obviamente, como em tempos antiquados, esse benefício tem apenas um impacto, pois conferimos nossas vidas em obediência a Deus.

Hoje, os indivíduos da Nova Aliança de Deus não são chamados a usar o talit ou tzitzit. Numerosos usam outros artigos de vestuário de prova reconhecível, por exemplo, trajes com marcas cristãs, adornos que levam o nome de Jesus ou cobertores de cabeça excepcionais para mulheres em meio ao amor.


Lembrete Visual

O versículo em Números 15:39 oferece uma razão para a mitsvá de tsitsit. Ver as borlas faz com que o judeu se lembre das 613 mitzvot da Torá e o ajuda a evitar comportamentos impulsivos e indesejáveis. Como o versículo enfatiza o benefício de "ver" o tsitsit, alguns judeus praticantes têm o costume de deixar as borlas para fora da calça, permitindo que fiquem visivelmente penduradas sob as abas das camisas. Em todos os momentos do dia, o que quer que um judeu esteja fazendo - estudando, trabalhando ou jogando uma bola de futebol com os amigos - seus tsitsit pendurados são um lembrete visual constante de sua obrigação para com Deus. Idealmente, vê-los leva um judeu a refletir sobre a presença de Deus, relembrar suas obrigações e se comportar de acordo com a Torá.


Tudo sobre a experiência do mistério do xale de oração aponta para Yeshua, o Mestre. O talit é tudo sobre ele.

Representa a Palavra de Deus e Ele é a Palavra Viva. É mais provável que Yeshua sempre usasse um talit porque isso era exigido pela Torá e Ele obedecia à Lei de Moisés. Mas havia algo especial no talit do professor. Na Palavra de Deus, vemos casos de pessoas estendendo a mão para segurar a orla de Sua vestimenta, o tsitsit, para que fossem curadas. Este foi um ato profundo e cheio de fé que, como veremos neste capítulo, confirmou que Yeshua era de fato o Messias prometido.

As Escrituras nos dizem: "Mas para vocês que temem o meu nome, o sol da justiça nascerá com cura em suas asas" (Mal. 4: 2).

o sol da justiça foi interpretado como significando o Messias, e o termo hebraico para "asas" é kanaph ou Kanaphecha. Consequentemente, o versículo foi interpretado como: "Quando o Messias surgir, haverá cura por meio de Sua kanaph ou tzitzit, a ponta de Seu talit. "É por isso que aqueles que estavam doentes queriam agarrar a ponta da vestimenta de Yeshua, o tzitzit, que representa a Palavra de Deus. Eles acreditavam que Yeshua era o Messias e que havia cura em Sua "asas."

Lemos no livro de Mateus: "Então, uma mulher, que estava com um fluxo de sangue por doze anos, veio atrás dele e tocou a orla de Sua vestimenta. Pois ela disse consigo mesma: 'Se eu apenas tocar em Suas vestes, serei curada.' Mas Jesus se virou e, quando a viu, disse: 'Tem bom ânimo, filha. Sua fé o curou. ' E a mulher ficou boa instantaneamente" (Mat. 9: 20-22).

Lembro com boas lembranças que quando eu tinha 10 anos, meus pais me levaram para ver o filme Ben Hur no Radio City Music Hall. O que me chamou a atenção foi que esse Messias tinha multidões e multidões de seguidores por onde quer que viajasse, e aqueles que tocava eram curados. O filme estava realmente me mostrando o cumprimento da Palavra de Yeshua:

"E quando os homens daquele lugar O reconheceram, enviaram uma mensagem a toda a região circunvizinha e trouxeram a Ele todos os que estavam enfermos, e imploraram a Ele que apenas tocassem a orla de Sua vestimenta. E todos os que tocaram foram feitos perfeitamente bem" (Mat. 14: 35-36).

Claro, eu não tinha ideia do que aquela passagem dizia porque, como um jovem menino judeu que crescia nos Estados Unidos na época do pós-Holocausto, nunca fui ensinado sobre Yeshua. Eu não tinha ideia de que a vestimenta que Ele estava usando era um tallit katan, uma vestimenta que continha o tzitzit ou o kanaph, e que há cura pelo poder de Sua Palavra.

Ainda hoje a cura vem pelo poder da Palavra. Embora o próprio Adonai seja Aquele que cura & mdash, seu nome é Adonai Rofecha, "o Senhor, o seu Curador" (Êxodo 15:26) & mdashEle o faz por meio da Palavra de Deus.

O anterior é um trecho de Rabi Charlie Kluge's livro, O talit (© Charisma House, 2016, todos os direitos reservados).

Para entrar em contato conosco ou enviar um artigo, clique aqui.

Obtenha o melhor conteúdo da Charisma diretamente na sua caixa de entrada! Nunca mais perca uma grande notícia. Click here to subscribe to the Charisma News newsletter.

Five ways to deepen your relationship with God, increase your faith and save money!

  • Deepen Your Relationship with God with a FREE eCourse:Click Here to view all of our free e-Courses. Favorite topics include Fear, Forgiveness, Holy Spirit, Supernatural, and How to Hear God.
  • Super Discounts and Close-Out Specials:Click Here to view all our bundles and close-out specials and save up to 86%! Prayer, Holy Spirit, Anointing, the Supernatural and more.
  • God Wants to Anoint Women Now: Rise up and enter the anointing of Deborah, Anna, Esther, Ruth and Hannah. You were called to go higher. Click Here to learn more.
  • Change Your Atmosphere and Circumstances Through Prayer! John Eckhardt's prayer bundle gives you six powerful books to help you pray and change any situation. Click Here.
  • HUGE Bible Sale!:Click Here to save up to 50% off a great selection of Bibles. Plus, get a free gift with each order!

Subscription Special: Subscribe to Charisma for Only $24.97 and get a free gift. With your subscription, you'll receive Born For Significance by best-selling author Bill Johnson. View Offer

Attention Pastors and Leaders: Leadership training and development are crucial for success. Enroll in a FREE 1-hour leadership mini-course by Dr. Mark Rutland. View Details


Women and Tallit

Why do some women wear Tallit? Why shouldn’t women wear Tallit? What’s the big deal?

If you’re like me, you probably haven’t spent a lot of time pondering these questions. As someone who falls somewhere outside of regular observance, a tallit, or prayer shawl, isn’t usually on the forefront of my thoughts. (Even defining a tallit required a quick search of myjewishlearning.com.)

Last week I was lucky enough to join hundreds of Jewish educators at NewCAJE, a peer led conference that brings together educators from all walks of Jewish life. One of the highlights of my time at the conference was attending a session led by Ronni Ticker entitled “Women of the Wall- What’s the Big Deal?”

What’s the big deal, indeed! The Women of the Wall have struggled for almost 25 years to pray at the most holy site in Jerusalem. The movement has always fascinated me, but I’ll admit that I haven’t done my due diligence in terms of research and learning. There was—and remains—much for me to discover. What I knew about the group could be summed up quite easily from my own experiences at the Western Wall. I’ve struggled in the past with feeling unequal—which has felt more like the political equivalent of putting baby in the corner than an affront on my religious freedom. At NewCAJE Ronni asked those of us at her session to take a look at Israeli law. If Israeli law protects religious expression without respect to race, gender or creed— as it clearly does—why are these women arrested and detained?

The answer, it appeared, isn’t so easy to understand. During Ronni’s session Jewish texts were presented and examined, as the texts of our tradition are at the root of the struggle to allow women to wear tallit, to wrap tefillin and to read from the Torah. We broke into pairs and began to sort through the texts. Yet for all the intellectual discourse in the room, I couldn’t take my eyes off of one woman who stood in front of the room to demonstrate how to wear a Tallit.

As she rocked back and forth, she caressed the fabric around her shoulders. Her hands moved in a way that was somehow both unaware and purposeful. She moved as if she were dancing, she smiled as if she were floating. When she returned to her seat she whispered to me, “it’s as if G-d was hugging me.”

In that one moment the politics of the debate melted away. I found myself questioning what I had considered to be a movimento, realizing that this wasn’t about a fight for equality or a rally for politics. The issue at the heart of the Women of the Wall was a woman swaying silently with G-d. And I'm not sure anyone has the right to tell her she can't.

In fact, the Talmud says specifically that women are required to wear a tallit, just as men are, but the rabbis exempted women because they are not free agents, as they are subject to their husbands' orders. Today when women are no longer considered the subjects of men, there is no reason for this exemption.

That is false, women are not supposed to wear a tallis because it is considered a male garment which falls into the sin of cross-dressing. It also causes arguments between Jews which is also a sin.


3 Size and Types

The talit comes in two varieties: the prayer shawl proper ("talit gadol" or "big talit") and the small version which is more like a poncho, often worn as an undershirt ("talit katan" or "small talit"). Observant Orthodox Jewish men wear the talit katan at all times, and the larger version during morning prayers. The size of the larger version should ideally fall to the small of the back when worn with two corners over the shoulders, although some Jews wear much smaller versions that are folded and worn around the back of the neck with four corners hanging approximately to the belt line. Women in non-Orthodox congregations sometimes wear a prayer shawl they are typically designed with more feminine motifs and colors than the traditional white with black or blue stripes favored by men.



Comentários:

  1. Lunden

    Aconselho você a dar uma olhada no site, que tem muitos artigos sobre esse assunto.

  2. Digis

    Sinto muito, mas, na minha opinião, erros são cometidos. Eu sou capaz de provar isso. Escreva para mim em PM, discuta isso.

  3. Ancil

    Frio! Sorriu! Aftar - respeito!

  4. Delvin

    Sinto muito, mas acho que você está errado. Vamos discutir. Me mande um e-mail

  5. Zuzragore

    Realmente e como eu não adivinhei anteriormente

  6. Kashura

    O portal é excelente, eu recomendo a todos que conheço!

  7. Taban

    Mensagem maravilhosa



Escreve uma mensagem