Bell P-39L Airacobra (Modelo 26B)

Bell P-39L Airacobra (Modelo 26B)


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Bell P-39L Airacobra (Modelo 26B)

A designação Bell P-39L Airacobra foi dada a 250 aeronaves produzidas com o motor Allison V-1710-63 e uma hélice elétrica Curtiss de 10 pés 4 polegadas. Essas aeronaves foram originalmente encomendadas como P-39Gs e, exceto a hélice, eram virtualmente idênticas ao P-39K. Onze dessas aeronaves foram modificadas para se tornarem aeronaves de reconhecimento de foto e receberam a designação P-39L-2.

Favoritar esta página: Delicioso Facebook StumbleUpon


Mais de 5 projetos de P-39 Airacobra com serviço do Pacífico oferecido para venda

Uma extensa coleção de & # 82205 + Bell P-39 Airacobra, veteranos de combate da guerra do Pacífico & # 8221, chegou ao mercado. As aeronaves estão listadas como & # 8220 danificadas, reparáveis, reconstruíveis, aeronaves veteranas de combate & # 8221 e são descritas a seguir:

P-39D 41-69xx, fuselagem principal com nariz cortado, mas presente, seções das asas presentes, mas cortadas, cauda cortada, mas bons padrões de encaixe. história completa da aeronave disponível. Usado anteriormente pelo NACA. P-39L desconhecido s / n consistindo de fuselagem dianteira do piso da cabine ao acoplamento da caixa de câmbio, muitas peças utilizáveis, & # 8220 sucateado & # 8221 recentemente por um fazendeiro maluco. Seção da cauda do P-39F 41-71xx incluindo vários pés de fuselagem traseira, vertical utilizável com pequenos reparos / reskin. Fuselagem do P-39Q, seção central, cabine, seção de montagem do motor, seções do nariz presentes, mas cortadas pelo Exército dos EUA. P-39Q hulk, seção central cheia de acessórios originais, extrusões, etc. P-39Q peças somente / rebitadas para padrões.

A oferta supostamente inclui & # 8220milhares de outras peças & # 8221 e está localizada em Maitland, NSW, Austrália com remessa mundial disponível. As aeronaves estão sendo oferecidas atualmente por US $ 125.000, embora ofertas também estejam sendo aceitas. Clique aqui para verificar a lista completa.


Benjamin Scovill & quotBen & quot Kelsey (9 de março de 1906 e 3 de março de 1981) foi um engenheiro aeronáutico americano e piloto de teste que trouxe sucesso na Segunda Guerra Mundial para as Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos, iniciando a fabricação de projetos de aeronaves de combate inovadores e trabalhando aumentar rapidamente a produção de caças americanos para atender às necessidades da guerra que se aproxima.

Robert Anderson & quotBob & quot Hoover (24 de janeiro de 1922 & ndash 25 de outubro de 2016) foi piloto de caça das Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos, piloto de teste da USAF e civil, instrutor de vôo, piloto de show aéreo e recordista de aviação.


Histórico operacional

O Airacobra viu combates em todo o mundo, particularmente nos cinemas do sudoeste do Pacífico, Mediterrâneo e russo. Como seu motor estava equipado apenas com um supercompressor de estágio único e velocidade única, o P-39 teve um desempenho ruim acima de 17.000 pés (5.200 m) de altitude. Tanto na Europa ocidental quanto no Pacífico, o Airacobra se viu ultrapassado como interceptador, seu papel mais antigo proposto, e o tipo foi gradualmente relegado a outras funções. [5] Freqüentemente, era usado em altitudes mais baixas para missões como metralhamento terrestre.

Reino Unido

Em 1940, a Comissão de Compra Direta Britânica nos EUA estava procurando aeronaves de combate que encomendou 675 da versão de exportação Bell Model 14 como o "Caribou"com base nas representações da empresa em 13 de abril de 1940. O armamento britânico era composto por duas metralhadoras de 12,7 mm (0,50 pol.) montadas no nariz e quatro metralhadoras Browning de 0,303 pol. (7,7 mm) nas asas, a arma de 37 mm foi substituída por um Hispano-Suiza de 20 mm (0,79 pol.).

As expectativas britânicas foram definidas pelos números de desempenho estabelecidos pelo protótipo XP-39 desarmado e não blindado. O contrato de produção britânico estabelecia que uma velocidade máxima de 394 mph (+/- 4%) era necessária na altitude nominal. [41] Em testes de aceitação, as aeronaves de produção reais foram consideradas capazes de apenas 371 mph a 14.090 pés. Para permitir que a aeronave fizesse a velocidade de garantia, uma variedade de modificações de redução de arrasto foram desenvolvidas pela Bell. As áreas do elevador e do leme foram reduzidas em 14,2% e 25,2%, respectivamente. Filetes modificados foram instalados na área da cauda. O vidro da copa estava coberto com massa de vidraceiro. As portas de acesso às armas na asa foram vistas como protuberantes durante o vôo, então foram substituídas por uma folha de alumínio mais espessa. Da mesma forma, as portas do trem de pouso se abriram em até duas polegadas na velocidade máxima, então uma articulação mais forte foi instalada para mantê-las niveladas. A saída de ar de resfriamento dos radiadores de óleo e refrigerante foi reduzida em área para coincidir com a velocidade de saída com o fluxo local. Novas pilhas de escapamento do motor, desviadas para corresponder ao fluxo local e com bocais para aumentar o aumento de empuxo, foram instaladas. As portas da metralhadora foram fechadas, o mastro da antena foi removido, uma carenagem do motor de peça única foi instalada e uma carenagem da pilha de escapamento foi adicionada.


A fuselagem foi pintada com 20 demãos de primer, com amplo lixamento entre demãos. A camuflagem padrão foi aplicada e lixada para remover as bordas entre as cores. Além disso, cerca de 200 libras de peso foram removidas, tornando-o mais leve do que o normal (7.466 libras bruto). [42] Após essas modificações, a segunda aeronave de produção (série AH 571) atingiu uma velocidade de 391 mph a 14.400 pés, em teste de voo. Como essa velocidade estava dentro de 1% da garantia, a aeronave foi declarada satisfeita com as obrigações contratuais. Apesar do sucesso dessas modificações, nenhuma foi aplicada a outros P-39s de produção. Testes posteriores de um P-400 de produção padrão pelo Airplane and Armament Experimental Establishment (A & AEE) revelaram uma velocidade máxima de apenas 359 mph. [43]

Os modelos de exportação britânicos foram renomeados "Airacobra"em 1941. Outros 150 foram especificados para entrega sob Lend-lease em 1941, mas não foram fornecidos. A Royal Air Force (RAF) recebeu a entrega em meados de 1941 e descobriu que o desempenho da aeronave de produção não turbo superalimentada diferia marcadamente do que eles esperavam. [44] Em algumas áreas, o Airacobra era inferior às aeronaves existentes, como o Hawker Hurricane e o Supermarine Spitfire, e seu desempenho em altitude sofreu drasticamente. Os testes do RAE em Boscombe Down mostraram que o Airacobra atingiu 355 mph (571 km / h) a 13.000 pés (3.962 m). [45] O layout da cabine foi criticado e notou-se que o piloto teria dificuldade para saltar em uma emergência porque o teto da cabine não poderia ser descartado. de um painel de visão clara no conjunto do pára-brisa significava que, em caso de chuva forte, a visão frontal do piloto seria completamente obliterada. As notas do piloto informavam que, neste caso, as janelas das portas teriam que ser abaixadas e ed reduzido para 150 mph (241 km / h) [46] Por outro lado, foi considerado eficaz para caças de baixo nível e trabalhos de ataque ao solo. Problemas com a supressão do flash da pistola e do escapamento e a bússola puderam ser corrigidos.

O Esquadrão No. 601 RAF foi a única unidade britânica a usar o Airacobra operacionalmente, recebendo seus dois primeiros exemplares em 6 de agosto de 1941. Em 9 de outubro, quatro Airacobras atacaram barcaças inimigas perto de Dunquerque, na única ação operacional do tipo com a RAF. O esquadrão continuou a treinar com o Airacobra durante o inverno, mas uma combinação de baixa capacidade de manutenção e profunda desconfiança desse caça desconhecido resultou na rejeição do tipo pela RAF após uma missão de combate. [4] Em março de 1942, a unidade foi reequipada com Spitfires.

As Airacobras já no Reino Unido, junto com o restante do primeiro lote em construção nos Estados Unidos, foram enviadas para a Força Aérea Soviética, com a única exceção sendo AH574, que foi passado para a Marinha Real e usado para trabalho experimental, incluindo o primeiro porta-aviões pousando por uma aeronave triciclo rodante em 4 de abril de 1945 no HMS Castelo de pretória, [47] até que foi descartado por recomendação de um piloto de teste visitante da Bell em março de 1946. [48]

Forças Aéreas do Exército dos EUA

Pacífico

Airacobras lutou pela primeira vez com os Zeros japoneses em 30 de abril de 1942 em uma ação de baixo nível perto de Lae, Nova Guiné. De maio a agosto de 1942, combates entre Airacobras e Zeros ocorreram regularmente na Nova Guiné. A compilação de relatórios de combate indica que o Zero era igual ou próximo ao P-39 em velocidade nas altitudes dos vários encontros de baixo nível.

De setembro a novembro de 1942, os pilotos do 57º Esquadrão de Caça voaram P-39s e P-38s de um campo de aviação construído em terra arrasada na Baía de Kuluk, na ilha árida de Adak, nas Ilhas Aleutas, no Alasca. Eles atacaram as forças japonesas que invadiram as ilhas Attu e Kiska nas Aleutas em junho de 1942. O fator que mais matou não foram os japoneses, mas o clima. As nuvens baixas, a neblina e o nevoeiro pesados, a chuva torrencial, a neve e os ventos fortes tornaram o voo perigoso e a vida miserável. O 57º permaneceu no Alasca até novembro de 1942, depois retornou aos Estados Unidos.

O tenente Bill Fiedler se tornou um ás em um P-39, enquanto muitos ases dos Estados Unidos obtiveram uma ou duas de suas vitórias na modalidade. O desempenho do Airacobra em baixa altitude foi bom e seu poder de fogo impressionante, e com as batalhas aéreas no Pacífico travadas em altitudes intermediárias, o P-39 se saiu bem contra os leves e ágeis A6Ms e Ki-43s japoneses (considerando a inferioridade numérica americana e o veterano japonês pilotos). Logo se tornou a piada no Pacific Theatre que um P-400 era um P-40 com um Zero em sua cauda. Somente com seu canhão, duas metralhadoras .50 e quatro metralhadoras calibre .30, um P-39 poderia enfrentar um caça japonês. [50]

Mediterrâneo

No Norte da África, o 99º Esquadrão de Caça (também conhecido como Tuskegee Airmen) fez a transição rapidamente do P-40 e foi designado para os P-39 em fevereiro de 1944, mas voou nesse tipo por apenas algumas semanas. O 99º cumpriu suas funções, incluindo o apoio à Operação Shingle sobre Anzio, bem como missões sobre o Golfo de Nápoles no Airacobra, mas obteve poucas vitórias aéreas. [51]

Os principais operadores do MTO P-39 incluíam os 81º e 350º Grupos de Caças, ambos voando a missão de patrulha marítima do Norte da África e através da Itália. O 81º foi transferido para o China Burma India Theatre em março de 1944 e o 350º iniciou a transição para o P-47D em agosto de 1944, permanecendo na Itália com a 12ª Força Aérea.

O uso mais bem sucedido e numeroso do P-39 foi pela Força Aérea Vermelha (Военно-воздушные силы, Voenno-Vozdushnye Sily, VVS) Eles receberam os modelos N e Q consideravelmente melhorados pela rota de balsa Alasca-Sibéria. O ambiente tático da Frente Oriental não exigia o desempenho em alta altitude da RAF e da AAF. A natureza comparativamente de baixa velocidade e baixa altitude da maioria dos combates aéreos na Frente Russa se adequava aos pontos fortes do P-39: construção robusta, equipamento de rádio confiável e poder de fogo adequado.

Os pilotos soviéticos apreciaram o P-39 com armas de canhão principalmente por sua capacidade ar-ar. Um equívoco comum no Ocidente é que os caças Bell foram usados ​​como aeronaves de ataque ao solo.

“Gostei do Cobra, principalmente da versão Q-5. Era a versão mais leve de todos os Cobras e o melhor lutador que já voei. A cabine era muito confortável e a visibilidade excelente. O painel de instrumentos era muito ergonômico, com o todo o conjunto de instrumentos até um horizonte artificial e uma bússola de rádio. Tinha até um tubo de alívio em forma de funil. O vidro blindado era muito forte, extremamente grosso. A armadura na parte de trás também era grossa. O equipamento de oxigênio era confiável, embora a máscara fosse muito pequena, cobrindo apenas o nariz e a boca. Usávamos essa máscara apenas em grandes altitudes. O rádio HF era potente, confiável e claro. "

Os primeiros Cobras soviéticos tinham um canhão Hispano-Suiza de 20 mm e duas metralhadoras Browning pesadas, sincronizadas e montadas no nariz. Posteriormente, o Cobras chegou com o canhão M-4 de 37 mm e quatro metralhadoras, duas sincronizadas e duas de asa. "Removemos imediatamente as metralhadoras laterais, deixando um canhão e duas metralhadoras", recordou Golodnikov mais tarde. [54] Essa modificação melhorou a taxa de rotação, reduzindo a inércia rotacional. Os aviadores soviéticos apreciaram o canhão M-4 com seus poderosos projéteis e ação confiável, mas reclamaram da baixa cadência de tiro (três cartuchos por segundo) e armazenamento inadequado de munição (apenas 30 cartuchos). [54]

Os soviéticos usaram o Airacobra principalmente para combate ar-ar [55] contra uma variedade de aeronaves alemãs, incluindo Bf 109s, Focke-Wulf Fw 190s, Ju 87s e Ju 88s. Durante a batalha do rio Kuban, o VVS confiou nos P-39s muito mais do que nos Spitfires e nos P-40s. Aleksandr Pokryshkin, de 16 anos.Gv.IAP, (16º Regimento de Aviação de Caça de Guardas) reivindicou 20 vitórias aéreas naquela campanha. [56] Pokryshkin, o segundo ás aliado com maior pontuação (59 vitórias aéreas mais seis compartilhadas) [57] voou o P-39 do final de 1942 até o final da guerra (embora existam rumores de que ele mudou no final de 1944 para um P -63 Kingcobra).


Cinco dos dez ases soviéticos com maior pontuação registraram a maioria de suas mortes em P-39s. Grigoriy Rechkalov, o terceiro ás soviético com maior pontuação (56 vitórias aéreas individuais mais cinco compartilhadas), ocasionalmente era o ala de Pokryshkin em 16.Gv.IAP, [58] obteve 44 vitórias voando Airacobras. A maioria de suas mortes foram alcançadas em P-39N-0 número 42-8747 e P-39Q-15 número 44-2547. Durante a guerra, ele foi premiado com a Ordem de Lênin, a Ordem da Bandeira Vermelha (quatro vezes), a Ordem de Alexandr Nievskii, a Ordem da Guerra Patriótica de 1ª Classe e a Ordem da Estrela Vermelha (duas vezes). [59] Esta é a pontuação mais alta já atingida por qualquer piloto com qualquer aeronave de fabricação americana.

Os Estados Unidos não forneceram cartuchos perfurantes de blindagem M80 para os canhões automáticos dos P-39 soviéticos - em vez disso, os soviéticos receberam 1.232.991 cartuchos M54 de alto explosivo que os soviéticos usaram principalmente para combate ar-ar e também contra alvos terrestres frágeis. O VVS não usava o P-39 para tarefas de rebentar tanques. [60]

Um total de 4.719 P-39s foram enviados para a União Soviética, representando mais de um terço de todas as aeronaves de caça fornecidas pelos EUA e Reino Unido no VVS e quase metade de toda a produção de P-39. [61] As perdas do Airacobra soviético em 1941–45 foram 1.030 aeronaves (49 em 1942, 305 em 1943, 486 em 1944 e 190 em 1945). [62]

Airacobras serviu nas Forças Aéreas Soviéticas até 1949, quando dois regimentos operavam como parte da 16ª Divisão de Aviação de Caça de Guardas no Distrito Militar de Belomorsky. [63]

Austrália

Um total de 23 Airacobras recondicionados, emprestados pela Quinta Força Aérea dos Estados Unidos (5 AF), foram usados ​​pela Real Força Aérea Australiana (RAAF) como interceptador temporário em áreas traseiras. A aeronave recebeu o prefixo de série RAAF A-53. [64]

Nos primeiros meses da Guerra do Pacífico, a RAAF conseguiu obter apenas Curtiss Kitthawks suficientes para equipar três esquadrões, destinados a tarefas de linha de frente na Nova Guiné. [65] e - em face do aumento dos ataques aéreos japoneses em cidades no norte da Austrália - foi forçado a contar com as unidades P-40, P-39 e P-400 de 5 AF para a defesa de áreas como Darwin. Em meados de 1942, as unidades USAAF P-39 na Austrália e na Nova Guiné começaram a receber P-39Ds totalmente novos. [65] Consequentemente, os P-39s que foram reparados em oficinas australianas foram emprestados pela 5 AF à RAAF. Em julho, sete P-39Fs chegaram ao 24 Squadron, em RAAF Bankstown, em Sydney. [64] [65] Em agosto, sete P-39Ds foram recebidos pelo No. 23 Squadron RAAF no Lowood Airfield, perto de Brisbane. [64] [65] Ambos os esquadrões também operaram outros tipos, como o treinador armado CAC Wirraway. Nenhum dos esquadrões recebeu um complemento total de Airacobras ou viu o combate com eles. Desde o início de 1943, o papel de defesa aérea foi preenchido por uma ala de Spitfires.

Os esquadrões 23 e 24 foram convertidos no bombardeiro de mergulho Vultee Vengeance em meados de 1943, e seus P-39s foram transferidos para dois esquadrões de caça recém-formados: No. 82 (aumentando os P-40, ainda em falta) em Bankstown e No. 83 ( enquanto esperava o CAC Boomerang de design australiano) em Strathpine, perto de Brisbane. [64] Depois de servir com esses esquadrões por alguns meses, os Airacobras restantes foram devolvidos à USAAF e a RAAF deixou de operar o tipo. [64]

França

Em 1940, a França encomendou os P-39 da Bell, mas por causa do armistício com a Alemanha eles não foram entregues. Após a Operação Tocha, as forças francesas no norte da África se aliaram aos Aliados e foram reequipadas com equipamentos aliados, incluindo P-39Ns. De meados de 1943 em diante, três esquadrões de caça, o GC 3/6 Roussillon , GC 1/4 Navarra e GC 1/5 champanhe , voou esses P-39 em combate sobre o Mediterrâneo, a Itália e o sul da França. Um lote de P-39Qs foi entregue mais tarde, mas os Airacobras, que nunca foram populares entre os pilotos franceses, foram substituídos por P-47s em unidades da linha de frente no final de 1944.

Itália

Em junho de 1944, a Força Aérea Co-Beligerante Italiana (ICAF) recebeu 170 P-39s, a maioria deles -Qs, e alguns -Ns (15ª aeronave excedente da USAAF armazenada no aeródromo Napoli-Capodichino) e também pelo menos um -L e cinco -Ms. O P-39 N (sem a carenagem underwing para 12,7 metralhadoras) tinha motores com cerca de 200 horas um pouco mais recente do que os motores P-39Q com 30-150 horas. Um total de 149 P-39s seriam usados: o P-39N para treinamento, enquanto os Qs mais novos seriam usados ​​na linha de frente.

Em junho-julho de 1944, Gruppi 12 °, 9 ° e 10 ° de 4 ° Stormo, mudou-se para a pista de aterragem do Campo Vesúvio para reequipar os P-39. O local não era adequado e, em três meses de treinamento, ocorreram 11 acidentes, devido a falhas de motor e má manutenção da base. Três pilotos morreram e dois ficaram gravemente feridos. Uma das vítimas, em 25 de agosto de 1944, foi o "ás de ases", Sergente maggiore Teresio Martinoli. [66]

Os três grupos de 4 ° Stormo foram enviados primeiro para a pista de aterragem de Leverano (Lecce) e, em seguida, em meados de outubro, para o campo de aviação de Galatina. Ao final do treinamento, ocorreram mais oito acidentes. Quase 70 aeronaves estavam operacionais e, em 18 de setembro de 1944, os P-39s do 12 ° Grupo voaram sua primeira missão sobre a Albânia. Concentrando-se no ataque ao solo, os P-39s italianos mostraram-se adequados para essa função, perdendo 10 aeronaves para ataques antiaéreos alemães em mais de 3.000 horas de combate. [67]

Ao final da guerra, 89 P-39s ainda estavam no aeroporto de Canne e 13 no Scuola Addestramento Bombardamento e Caccia (Escola de Treinamento para Bombardeiros e Caças) no campo de aviação Frosinone. Em 10 meses de serviço operacional, o 4 ° Stormo tinha sido premiado com três Medaglia d'Oro al Valore Militare "alla memoria". [ 68 ]

Portugal

Entre dezembro de 1942 e fevereiro de 1943, o Aeronáutica Militar (Aviação Militar do Exército) obteve aeronaves operadas pelo 81º e 350º Grupos de Caças originalmente despachadas para o Norte da África como parte da Operação Tocha. Devido a vários problemas durante o percurso, algumas aeronaves foram obrigadas a aterrar em Portugal e Espanha. Dos 19 caças que aterraram em Portugal, todos foram internados e entraram em serviço nesse ano na Aviação Militar do Exército Português. [69]

Embora desnecessário, o governo português pagou aos Estados Unidos US $ 20.000 por cada uma dessas aeronaves internadas, bem como por um Lockheed P-38 Lightning internado. [70] Os EUA aceitaram o pagamento e deram como presente quatro caixas adicionais de aeronaves, duas das quais não estavam muito danificadas, sem o fornecimento de peças de reposição, manuais de voo ou manuais de serviço. [70] Sem o treinamento adequado, a incorporação da aeronave em serviço foi afetada por problemas, e os últimos seis Airacobras portugueses que permaneceram em 1950 foram vendidos para sucata.


Estratégia no jogo [editar | editar fonte]

Devido ao impressionante poder de fogo do P-39 Airacobra, ele é um dissuasor incrivelmente eficaz contra grandes inimigos, como bombardeiros variados, atacantes e caças pesados. Apesar disso, no entanto, ainda é um lutador razoável quando em apuros. Sua taxa de subida e velocidade no ar permite que o Airacobra seja capaz de superar a maioria dos oponentes se necessário, mas pode virar bem o suficiente para lutadores de dogfight de agilidade impressionante, como o Yak-7 ou o Typhoon. & # 160

Como a maior força do Airacobra é seu canhão automático de 37 mm montado no nariz, ele pode ser usado para enviar uma saraivada de balas letais e mundanas em direção aos inimigos ou para "atirar" nas asas de aeronaves desavisadas de cima. Infelizmente, a maior força do P-39 é também sua maior fraqueza. O canhão pode superaquecer ou emperrar em até 5 disparos, fazendo saídas prolongadas enquanto espera para recarregar muito arriscadas. Devido ao seu pequeno tamanho, também é muito possível que tiros de canhão de outras naves atinjam a cabine de um Airacobra, por isso é altamente recomendável manter os inimigos abaixo da barriga do avião para proteger o piloto vulnerável.

Como um interceptor de alta altitude, o P-39 Airacobra é melhor usado contra bombardeiros. Seu canhão voraz pode arrancar a asa da fuselagem de um B-25 em apenas 2 tiros.


Bell P-39 Airacobra

Disponível em todas as boas livrarias por £ 13,99, ou £ 15,50 direto dos editores: 3 Gloucester Close, Petersfield, Hants GU32 3AX Tel: +44 (0) 1730 300795.

Nossos agradecimentos a Mushroom Model Publications por fornecer a amostra de revisão.

Este é o mais recente em MMPSérie amarela e é absolutamente obrigatório para os fãs do P-39.

Este livro é absolutamente embalado com quase tudo que um modelador poderia pensar em colocar na história de um livro, fotografias de época (coloridas e em preto e branco), fotos panorâmicas, planos em escala com detalhes completos de rebites em 1:32, 1:48 e 1:72, perfis em cores (impressionantes, a propósito) etc. etc.

As palavras quase me faltam quando tento revisar este livro. É o pacote absolutamente completo e é extremamente inspirador.

Normalmente pego um modelo e procuro um recurso para ajudar nesse projeto. Considerando que isso é o contrário, apenas folhear este livro significava que projetos de modelagem potenciais estavam nadando em minha cabeça e eu definitivamente estarei construindo um P-39 em breve.

É exatamente assim que todo livro de referência de modelagem deve ser. Mal posso esperar para comentar mais na série. Eu não posso recomendar esse livro com toda certeza.


Sisällysluettelo

Larry Bell näki elämänsä ensimmäisen lentokoneen teini-ikäisenä lentonäytöksessä, mistä alkoi koko elämän kestänyt kiinnostus ilmailuun. Bell lopetti opiskelun vuonna 1912 seuratakseen veljeään nopeasti kasvavaan Glenn L. Martin Companyn lentokonetehtaaseen, jossa hänestä tuli myymäläpäällikkö vuonna 1914. 1920-luvulla Bellenhejo Bell toimi nyttemmin Clevelandiinapinana si. Hän uskoi ansaitsevansa omistajuusosuuden yrityksestä ja vaati osuutta Martinista loppuvuodesta 1924. Glenn Martin vastusti, joten Bell erosi. lähde?

Bell vietti useita vuosia lentokoneteollisuuden ulkopuolella, mutta vuonna 1928 majuri Reuben H. Fleet Consolidated Aircraftistä palkkasi hänet Buffalossa, Nova Yorkin osavaltioon, jossa hänelle taattiin osuus yhtiöstä. Lopulta Bellistä tuli yhtiön päämanageri, yritystoiminta kukoisti, mutta hän silti halusi johtaa omaa yritystä. Hän tiesi kuitenkin, ettei voisi kilpailla Consolidatedin tai Curtiss-Wrightin kanssa, jotka kumpikin olivat suuria lentokonevalmistajia Buffalossa. Vuonna 1935 Consolidado siirrettiin San Diegoon, mutta Bell jäi Buffaloon perustaakseen Bell Aircraft Companyn. 10. heinäkuuta 1935 hän perusti yrityksen päämajan Consolidatedin entisiin tiloihin 2050 Elmwood Avenuelle Buffaloon. Bell oli kolmas näissä tiloissa toiminut suuri lentokovalmistaja. Tehdashalli oli alkujaan rakennettu vuonna 1916 Curtiss Airplane & amp Motor Companylle [1] ja toisen maailmansodan aikana sitä pidettiin maailman suurimpana lentokonetehtaana. lähde?

Bellin ensimmäinen sotilassopimus oli YFM-1 Airacuda, epätavallinen työntömoottorillinen pommikoneentuhoaja Allisonin moottoreilla. Koneessa oli ajalleen ennennäkemätöntä teknologiaa, mutta se osoittautui epäonnistuneeksi loputtomien vikojensa vuoksi. USAAC valmisti 13 Airacudaa ja käytti niitä osittain operatiivisesti vuosina 1938–1940. Koneet romutettiin 1942. lähde?

Seuraavana vuonna Bell onnistui hyvin yksipaikkaisen P-39 Airacobra -hävittäjän suunnittelussa, ja konetyyppiä tuotettiin 9 588 yksilöä. Käyttämällä hyväkseen kokemustaan ​​Allison-moottoreista Bell sijoitti P-39 moottorin keskelle konetta ohjaamon taakse. Moottori pyöritti kolmilapaista potkuria pitkän akselin välityksellä. Koska moottori ei vienyt tilaa koneen eturungosta, voitiin kyseiseen tilaan asentaa kolmipyörälaskuteline ja voimakas 37 milimetrina potkurinnavan läpi ampuva konetykki. Ongelmat turboahtimen kanssa johtivat yksinopeuksisen mekaanisen ahtimen käyttöön, mikä oli vakiovaruste kaikissa muissa Allison-moottoria käyttävissä koneissa, P-38 Lightningia lukuun ottamatta. lähde?


Bell P-39L Airacobra (Modelo 26B) - História

Caso você tenha perdido a análise de Ed Kinney do lançamento do AM Air Racer P-39 do kit irmão deste, e o & quotFirst Look & quot de Henry Cramer do lançamento do P-39L / N Dual Combo em escala 1/48 da Eduard, este kit também é uma reembalagem do kit Eduard. Embora o kit Eduard e este kit A-M compartilhem as mesmas peças plásticas básicas, existem algumas diferenças entre os dois.

O que você ganha

  • P-400 (BW-156) & quotFancy Nancy & quot of the 347th FG, 67th FS de Guadalcanal em agosto de 1942.
  • Airacobra I (AH-636) pilotado pelo Capitão Ivan Gaidaenko na Rússia, outubro de 1942.
  • P-39M do 345º FS, 350º FG na Argélia, abril de 1943.

Diagrama de Cores

Este kit inclui uma folha de diagrama de esquema de pintura multicolor para as três marcações da aeronave delineadas em quatro vistas (superior, inferior e ambos os perfis laterais) de cada uma. Infelizmente, não está claro qual das cinco referências de cores FS deve ser usada para qual das cores impressas nos três esquemas de pintura diferentes. Eles listam 36270 Medium Grey e 34079 Olive Drab que se encaixam no esquema de pintura russo. Em seguida, as outras duas únicas cores de camuflagem listadas (além de um vermelho para o spinner) são 33531 Sand e 30266 Middle Stone. Nenhuma dessas quatro cores listadas funciona para o Earth Brown no P-400 ou o Algerian P-39M. Eu também não tenho certeza de qual deveria ser o uso pretendido da cor de areia. É possível que o Sand and Olive Drab fossem usados ​​na aeronave argelina. A folha de cores descreve erroneamente a aeronave 347ª FG como tendo sido pintada com 36270 de cor cinza médio nas superfícies inferiores e não faz referência a qualquer uso de azul claro, azul celeste ou céu (dependendo da sua crença de qual cor foi realmente aplicada) essa teria sido a cor que as superfícies inferiores receberam para a RAF Airacobras britânica original antes que os EUA as comandassem.

Folha de Instruções

As instruções de 16 páginas incluem um breve histórico de desenvolvimento de aeronaves, texto que cobre as diferenças entre as várias versões e suas peças de modelo associadas, um gráfico de codificação de cores numerado para componentes de pintura, seguido por 10 etapas com diagramas de montagem claros e instruções de montagem escritas. Existem algumas & quot; quotholes & quot nas instruções e eu me peguei repetidamente voltando às instruções de Eduard apenas para ter certeza de que não estava ficando bobo e estava faltando alguma coisa. Por exemplo, em nenhum lugar da folha A-M há qualquer menção à necessidade de adicionar peso ao nariz, como o peso de chumbo meio redondo / cunha bacana que você obtém no kit Eduard. Na verdade, a etapa 2 faz com que você cole o conjunto da cabine na metade direita da fuselagem, mas nunca diga ao construtor para colar as duas metades e então pula para o conjunto fuselagem-asa. Além disso, alguns dos números do decalque na folha A-M não correspondem ao que é impresso na folha do decalque real. Um pouco de trabalho de detetive foi necessário para colocá-los todos corretamente.

Além disso, as instruções carecem de clareza sobre qual nariz / ponta da pistola usar para qual versão e nenhuma menção é feita à pré-perfuração e subsequente instalação das pistolas aletadas internas. Eles incluem notas de montagem para os pods de canhão sob as asas.

Opções de peças

Como na versão original do Eduard, você ainda tem todas as opções para construir quase todas as variantes do P-39 e do P-400. Você obtém as três tampas de nariz superiores diferentes (com e sem portas de arma, algemadas ou não), portas / respiros de pistola de nariz como peças separadas, as diferentes pontas de arma para o spinner, três tipos diferentes de lâminas de hélice (um conjunto, eu acredito destinam-se a ser lâminas mais longas para a questão do Air Racer), dois conjuntos giratórios diferentes (3 lâminas e 4 lâminas), acomodações para bordas dianteiras de asas armadas e não armadas, três conjuntos diferentes de pilhas de escapamento (sólidas), duas rodas de nariz diferentes (cubos diferentes), pneus de aparência pesada e não pesada, um tanque de combustível externo, uma bomba de 1000 libras e pacotes de armas auxiliares. O cockpit se compara muito bem com as fotos do interior e pode ficar de pé sozinho, sem muito mais detalhes ou após uma substituição no mercado. Todos os poços de três rodas são totalmente encaixotados com qualidade de detalhes de moderada a excelente. Embora o kit inclua um belo defletor em caixa para entrar no coletor de entrada de ar, ele não inclui o divisor horizontal que pode ser facilmente visto no meio. Quando construí o meu, a única coisa que acrescentei fora do que está incluído na caixa foi o notável divisor de admissão e um conjunto de cintos de segurança pré-pintados e pré-pintados de Eduard.

Notas de montagem

Embora a maioria das peças do kit fossem simples e exigissem quase nenhum ajuste e / ou aplicação excessiva de massa, eu tive uma área problemática que realmente não mostrou sua feiura até que fosse tarde demais. Essas foram as asas superiores para a montagem da fuselagem. Por engano, segui o caminho de colar cada asa superior à sua respectiva raiz da fuselagem ANTES de colá-las na asa inferior (o tempo todo mantendo um olho no alinhamento com a fuselagem e a cauda vertical). Já fiz isso com outros kits no passado, com relativamente grande sucesso. Eu escolhi fazer isso neste kit porque outros modeladores que já haviam construído o kit Eduard me avisaram que haviam deixado uma lacuna significativa entre as asas e os filetes quando montaram as asas da maneira tradicional (colando o topo e as metades inferiores da asa juntas primeiro e, em seguida, anexando-as ao subconjunto da fuselagem).

Assim, ao uni-los, obtive o alinhamento e a uniformidade da colocação da asa de um lado ao outro corretas e excelentes juntas asa-para-filete, mas o que perdi foi o diedro da asa superior correto quando puxei os topos para baixo para vínculo com a metade inferior. Caramba. Eu empurrei e puxei sem sucesso. Por outro lado, enquanto olhava atentamente para as asas durante esta aventura, percebi uma aparência diédrica significativa na parte inferior da asa. Eu imagino que se eu tivesse puxado as asas superiores ainda mais para cima, eu também teria aumentado o diedro da asa inferior e, finalmente, optado por deixá-lo sozinho. Confira as fotos, seja você o juiz.

As peças transparentes deste kit eram tão transparentes e perfeitamente moldadas quanto o lançamento de Eduard. O velame principal parecia um pouco estreito na metade traseira quando era colado à fuselagem, mas colar um lado antes de aplicar um pouco de persuasão na metade traseira enquanto colava o outro lado parecia corrigir isso. Todos pequenos, mas dignos de nota.

Pintura e decalques de amplificação

Dos três esquemas de pintura interessantes fornecidos, eu gostei mais do esquema bem conhecido & quotidiano do 347º Guadalcanal. I figure these markings will look cool next to another P-400 built as the infamous "Hells Bell" of the same squadron. (That will follow later). When I applied the airbrush camouflage, I also tried another experiment. Lately, I have been trying out the "Pre-shading" method of airbrushing a darker color than the camo colors along the panel lines prior to actual camo application, to provide a 3 dimensional forced accent to the paint scheme. Many times, modelers just use flat black. Because of the trickiness associated with having good aim while airbrushing the pre-shading, I thought that I would try to "brush" paint the pre-shade using a thinned down flat black paint. While I am happy with the forced pre-shade look of the finished paint job, I am not as happy with the visibly stepped layer the pre-shade black left after the application of the camo colors. Even though I thinned the black down it still shows up. And also the application of Future floor wax prior to decal application and oil paint wash followed by the typical flat coat afterwards still didn t level the step out completely.

The kit decals were applied over the noted Future floor wax coating using the standard Superscale Set and Sol system. I had a fair amount of time for positioning and corrections before the decals began to adhere and they were then gently blotted and pressed down onto the model. They laid down very well. While some other decals require several attempts at poking and coating with Sol to get them to completely lay down, these required only one pass.

If it weren t for the potential tail heavy syndrome (and the lack of a preventative notation about it in the instructions), the camouflage color recommendations, and a potential minor wing-to-fillet gap issue, I could confidently recommend this kit to modelers with minimum building experience. However, I think that any modeler with moderate building experience should have little problems with this kit and be able to garner several hours of building satisfaction. I think that this kit is a good value for the return enjoyment of the build.


P400 airacobra

The P-400 was armed with one Hispano-Suiza Mk 404 (M1) 20mm cannon in the nose. The four .30in machine guns in the wings were replaced with British standard .303in guns. The P-400 entered British service as the Airacobra I, after a brief spell when it was known as the Caribou The Bell P-39 Airacobra was one of the principal American fighter aircraft in service when the United States entered World War II.The P-39 was used by the Soviet Air Force, and enabled individual Soviet pilots to collect the highest number of kills attributed to any U.S. fighter type flown by any air force in any conflict. Other major users of the type included the Free French, the Royal Air. This is part 1 of my full build video for the Eduard 1/48 P-400 Airacobra. This is the initial release and comes with nose weight and vinyl masks, I have use.. In 1940, the British were desperate for combat aircraft and were willing to consider just about anything that had wings, irrespective of how poor its perform..

o P-400 and P-39 Airacobra were United States Army Air Force fighters that served in both theatres of WWII. Produced by Bell, it was a whole new type of fighter the engine was in the back of the plane, it had tricycle landing gear, and made use of cannons . Engaging at lower altitudes, the P-39, with its heavy armament, frequently proved a tough opponent for the famed Mitsubishi A6M Zero. Also used in the Aleutians, pilots found that the P-39 had a variety of handling problems. P-400 Airacobra. Editar. Edit source History Talk (0) Share. An export model of the P-39 with a less powerful cannon, using a 20 mm cannon rather than the common 37 mm cannon. It also had 2 .50 caliber machine guns in the nose, and 2 .30 caliber machine guns in each wing. One of the first variants of P-39

Bell P-400/ Airacobra I - HistoryOfWar

  1. Bell P-400 Airacobra US Army Air Forces (1941-1947) 39 FS, 35 FG 13 (Lt. Eugene Wahl) | Twelve Mile Aerodrome . Newsfeed. The newsfeed doesn't contain any items. More about the Bell P-39 Airacobra propellers
  2. Airacobra I for RAF, P-400 - P-400 Airacobra AP347 AP347 to USAAF. force landed Aug 20, 1943 at emergency strip with 36th FS of 8th FG. Retrieved by RAAF Chinook and now rests at the Jackson's Airport Pilots Club in a fenced enclosure. PNG Museum Aircraft Status Card - P-400 Airacobra AP 347 Attack and Conquer (1995) page 144 (reference to Huff
  3. Bell P-400 Airacobra (20 / BW146) operating in the assembly of the 67th Fighter Squadron subordinate 347th Fighter Group, New Caledonia, 1942. The pilot of the aircraft was lt. Zed Fountain. The pilot of the aircraft was lt. Zed Fountain

Bell P-39 Airacobra - Wikipedi

This is a commission to build a P-400 Airacobra. Kit is Special Hobby 1:32 Airacobra Mk.I/P-39F, but I need to build her as a 67th Fighter Squadron P-400 Airacobra BW-146 Whistlin Britches. Thanks for your watching. Special Hobby 1:32 Airacobra Mk.I/P-39F. I am going to build her as a P-400 Aira.. P-400 Airacobra: Scale: 1/48: Kit Number: 09092: Primary Media: Styrene: Pros: Can be built to just about anyone's level. Had a blast! Cons: Minor shape problem in the tail, decals and air intake fit is poor: Skill Level: Basic: MSRP (USD) $30.9 The Airacobra found its niche and excelled on the Eastern Front in the hands of Soviet pilots. The air war on the Eastern Front was tactical by nature and fought at low altitude focusing in close air support therefore the lack of high altitude performance didn't matter. The kit only offers two options, to model the P-400 or the P-39D.

Eduard 1/48 P-400 Airacobra, Full Build Part 1 - YouTub

  1. P400 may refer to: P400 class patrol vessel P-400, the export model of P-39 Airacobra fighter This disambiguation page lists articles associated with the same title formed as a letter-number combination. If an internal link led you here, you may wish to change the link to point directly to the.
  2. Bell P-400 Airacobra Aircraft Profile 165. Frank Dial. Bell P-39 Airacobra (Перевод А. Плахова, редакция В.Моисеева) Crowood. Robert F. Dorr, Jerry C. Scutts. Bell P-39 Airacobra Monografie Lotnicze. Jacek Tomalik. Bell P-39 Airacobra WarbirdTech. Frederick A. Johnsen. Bell P-39/P-63 Airacobra & Kingcobra Air.
  3. g from World War 2 in the what-might-have been category. The system had all the looks of a top performer, armament that could go head-to-head with any contemporary and a design philosophy that could have brought about a whole new era is aircraft engineering
  4. The Airacobra was one of the first American fighters to be exported an export version designated as the P-400 was produced for delivery to British forces, who called it the Airacobra I. The first P-400s were produced to fill a French order, but none had been delivered before France fell

The P-400 differed from the US versions by having a 20 mm cannon in the nose and their exhausts were of 12-stubs type. In the 1/32 P-400 Airacobra model you can find in total seven frames of plastic parts, a frame with clear parts, resin casted exhausts and gunsight, two PE-part frets, one standard and the other one is pre-coloured During 1985 to 2009 this Airacobra been under restoration by Jack Taft at his home in Michigan. He first restored the tail section. On August 15, 1993, the 50th Anniversary of the force landing at Bulldog Airfield, former pilot Everett Van Patten of P-400 AP335 and Tom Huff, former pilot of P-400 AP-347 were reunited with this aircraft Not only did the Airacobra defend Port Moresby, but few are aware that American airman Lt. George Leo Cantello lost his life on Australian soil in defence of Sydney. Flying a P400 (export version of the P-39) Cantello scrambled from Bankstown airport the night a Japanese I Class submarine shelled the city with her deck gun

Bell Airacobra Mk 1 for the RAF (P-39/P400) - YouTub

  • Here is the Bell P-39 Airacobra modeler's one-stop resource for photos, kits, details, and references. Bell P-39 Airacobra Modeler's Online Reference Cybermodeler Onlin
  • Today's review is dedicated to big kit from Special Hobby, which is molded in 1/32 scale. As you can see on the main photo, it copies famous P-400 Airacobra. Scale is big, so box with parts is not small either. Inside you can find plastic parts together with PE, resin and decals
  • The P-400 was the USAAF designation for RAF Airacobra I aircraft taken from the production line and quickly sent overseas when war broke out. Originally destined for the UK the RAF eventually got their aircraft, however by that time they'd decided the underpowered (for the European theatre) Airacobra could be redirected to the USSR, who loved.

P-400 and P-39 Airacobra - 1

  • Having the Eduard Airacobra Profipack kit in the cupboard, I took the opportunity to do some comparisons and it was then I realised I had a PE set for P-39 flaps. The P-39 has split flaps (the upper surface of the wing remained fixed, whilst the lower section extended)
  • Type reported as P 400 - Einzelstück. This can be the only original built P-400 (not means the later destination P-400 for 128 ex RAF Airacobra IA in USAAF use), but not sure. Fontes
  • Front Stbd view of stripped/ vandalized Bell P-400 Airacobra AP347 Cn 14-254 near the PNGDF Air Transport Squadron HQ at Port Moresby (AYPY / POM) on 14Mar1988. (RAAF C-130H A97-012 and an ex-RAAF C-47B/DC-3 are at rear right). The Airacobra was Built for the RAF as AP347, but was Assigned to the 5th Air Force, 8th Fighter Group, 36th Fighter Squadron, in New Guinea
  • Five U.S. Army Air Force Bell P-400 Airacobra fighters of the 67th Fighter Squadron, 347th Fighter Group, after having arrived at Henderson Field, Guadalcanal, on Aug. 22, 1942. These planes were the first U.S. Army personnel or aircraft to reach Guadalcanal. The first aircraft in line carries the British serial BW167. National Archives phot

On evaluation, the P-400 turned out to be about 10% slower than advertised, and of course its high-altitude performance was pathetic. It should be noted, however, that Bell engineers were correct in believing the mid-mounted engine was good for maneuverability, the RAF report concluding that an Airacobra could easily out-turn a Messerchmitt Bf 109 Shortly after RAF received first Airacobra Is (which were later redesignated P-400 by USAAF) with self-sealing tanks, external drop tank, 20mm nose cannon, among other things. RAF flight tests demonstrated top speed of 355 mph, faster than Spitfire VB at 15,000' but with a slower rate of climb The P-39 Airacobra made by Bell Aircraft Corporation was produced from 1939 until 1944. It might be called the most controversial U.S. fighter of the Second World War. Embraced by the Soviet Union, shunned by the Western Allies and hounded by myths and falsehoods that distort history's judgement The P-400 Airacobra uses a Allison V-1710-85 engine which is Liquid Cooled V-12 with 1,325 HP The airplanes top speed is 360 MPH At 15,000 Feet MSL and has a service ceiling of 35,000 Feet MSL. There was one huge problem with the P-400 Airacobra, and that was that there was a door to get into the canopy The P-39 Airacobra may be the least loved American fighter plane of World War II, deemed inadequate by military planners at the outset of hostilities and written off as nearly useless by many.

o P-400 differed from the US versions by having a 20 mm cannon in the nose and their exhausts were of 12-stubs type. In the 1/32 P-400 Airacobra model you can find in total seven frames of plastic parts, a frame with clear parts, resin casted exhausts and gunsight, two PE-part frets, one standard and the other one is pre-coloured Bell P-400 (P-39) Airacobra 'The Flying Fiends' of Port Moresby, 1943 Relic Display. $160.00. This aircraft, serial number AP335, was one of several P-400, export versions of the Bell P-39, built and painted for delivery to the Royal Air Force under Lend Lease prior to Pearl Harbor in 1941. As a consequence of the outbreak of the WAr in the. Aug 31, 2015 - Period pictures of Bell P-39/P-400 Airacobra. See more ideas about ww2 aircraft, wwii aircraft, warbirds

P-39 Airacobra: Bell Aircraf

The P-400 differed from the US versions by having a 20 mm cannon in the nose and their exhausts were of 12-stubs type. Special Hobby's 1/32 kit of the P-400 Airacobra, is molded in gray plastic, with photo-etched metal parts, decals for markings and an illustrated, full-color assembly guide and painting guide Bell P-400 Airacobra 39th Fighter (Pursuit) Squadron, 35th Fighter (Pursuit) Group Port Moresby, New Guinea, 1942 pilot Richard Suehr. The aircraft presented on the profile was produced for RAF as mid-series Airacobra Mk. I. With the British disappointment in Airacobra's combat qualities and the US entry into war it was taken over by USAAC. Latest off the bench is Eduard's kit of the P-400 Airacobra. With lots of spare time, because of the Covid-19 shelter in place orders, I've used this time to reduce some of my stash. Lots has been written about this kit as well as why it's called a P-400, so I'll spare you a rehash. This is Eduard's 2000 version, kit #8061, and came.

P-400 Airacobra Medal of Honor Wiki Fando

  • P-400 of 36th FS/8th FG, June 1943, Port Moresby, New Guinea The Bell P-39 Airacobra was one of the principal American fighter aircraft in service when the United States entered World War II. The P-39 was used with great success by the Soviet Air Force, which scored the highest number of kills per pilot attributed to any U.S. fighter type
  • Like all Osprey Duel titles, P-39/P400 Airacobra vs. A6M2/3 Zero-Sen: New Guinea 1942 begins with the design and development of the respective aircraft as well as technical specifications of both.It moves on to the strategic situation, looks at the opponents and then moves into detailed review of documented combat between the sides
  • P-400 (BW-156) Fancy Nancy of the 347th FG, 67th FS out of Guadalcanal in Aug 1942. Airacobra I (AH-636) flown by Capt Ivan Gaidaenko in Russia, Oct 1942. P-39M of the 345th FS, 350th FG in Algeria, April 1943
  • The P-400 was followed by a P-39Q. This was essentially the same kit with a small extra sprue containing the under-wing machine gun pods often seen on American-operated P-39Qs. Accurate Miniatures has now packed the expanded plastic sprues from Eduard's P-39Q release into their 1/48 scale P-400 Airacobra offering
  • Eduard 1/48 P-400 Airacobra #8061 plastic model kit with express mask.Condition is Used. Box is opened parts still sealed. Shipped with USPS Priority Mail
  • Bell P-39 Airacobra Fighter: Variants (P-39C, P-400) P-39C (Bell 13, P-45) Premier modèle de série du Airacobra. Un temps envisagé être livré en tant que P-45, il sera en définitive livré sous l'appelation P-39C à partir de 1941

P-400 Airacobra 1/32 . Following the Japanese attack at Pearl Harbor, the United States of America declared war on the Japanese Empire which led to short-lived but drastic reduction in weapon supplies to foreign countries. The USA seized plenty of aircraft that had been ordered by Sweden and Great Britain for its own usage P-39/P-400 Airacobra / 1:32 / Special Hobby / Maski do malowania / Dodatki / Ha a termék jelenleg nem kapható, írd be a lenti mezőbe az e-mail címed és automatikus értesítést kapsz, amint megjelenik The decal option provided for this kit is for a Bell Airacobra P-400 BW167 of the 67th Fighter Squadron of the 347th Fighter Group, 13th Air Force based at Henderson Field in Guadalcanal in 1942. The aircraft is finished in Dark Green and Dark Earth upper surfaces and Sky under surfaces

<p>EDUARD Bell P400 Airacobra Fighter Aircraft 1/48 Kit # 8061. Condition is new. Everything is still in plastic. Pictures are the best description. Thank you for looking.</p> Bell P-400 Airacobra Generic Type. Bell P-39/400 Airacobra Basic Type. Bell P-39/400 Airacobra Manufacturer. Bell MSN. 14-254 Military SN. AP347 Location. Port Moresby Country. Papua New Guinea Date Photographed. August 7, 2016.

Nov 15, 2019 - The Bell P-39 Airacobra was one of the principal American fighter aircraft in service when the United States entered World War II. The P-39 was used with great success by the Soviet Air Force, which scored the highest number of individual kills attributed to any U.S. fighter type. Designed by Bell Aircraft, it had an innovative layout, with the engine installed in the center. USAAF Bell P-400 (P-39) Airacobra (80th Fighter Squadron Headhunters, 8th FG) Lt. Bill Fiedler, became an ace in a P-39, while many U.S. aces scored one or two of their victories in the type. The Airacobra's low-altitude performance was good and its firepower was impressive, and with air battles in the Pacific fought at intermediate altitudes. The Model 14 received the British designation of Airacobra I, and was known in the USAAC, were many examples (coming from RAF) served, by the non-standard designation of P-400. The aircraft was equipped with an Allison V-1710-35 (E4) engine of 12 cylinders in V, with 1150 hp at takeoff

• P-400 Airacobra, OK+L, 331 of the Força Aérea Portuguesa (Portuguese Air Force), June 1943 • P-39F Airacobra, A52-3, Royal Australian Air Force • Airacobra Mk I, AH574 used for deck-landing trials by the Royal Navy at RAE Farnborough the type was never intended for carrier use, it was just a case of being the first tricycle. This webpage was updated 25th November 2012. Please help me to improve these articles with any addition information or if you should encounter any broken links or Web page errors : Rear view of stripped/ vandalized P-400 Airacobra AP347 Cn 14-254 near the PNGDF Air Transport Squadron HQ at Port Moresby (POM) on 14Mar1988. The aircraft was Built for the RAF as AP347, but was Assigned to the 5th Air Force, 8th Fighter Group, 36th Fighter Squadron, in New Guinea. While on an escort mission on 15Aug1943, the engine failed and Pilot Lt. Thomas Huff force-landed the P-400 no. - From aircraft flying combat Corps 80th Fighter Group 8th U.S. Army, to reproduce the P-400 which drew the shark teeth. Shark teeth 80FS [F] is in the mouth has been painted in blue, it is an unusual atmosphere. - Decal 80th Corps combat flying machines, [K] (New Guinea: 1942) 80th Corps combat.

P-400 Airacobra, Eduard 8061 (2000) - Scalemate

This is a P-400 Airacobra or less likely a P-39 Airacobra. They had a lot of low altitude fights with Zeros and held their own. I cant make up the tail number 210- or 24-- or 28--? but the name on the nose is Jeannie II with a big white questionmark below the cockpit. The original photo is very s.. I need help to identify this photo of the wreck of a P-400 Airacobra taken in 1942. The tail has the number 16 on it. The notes on the back say it is a 36FS aircraft shot down on Fishermans Island (now Daugo Island) just off Port Moresby Damaged Airacobra P-400/P-39 'Pat' 175 35th Fighter Group I know this is the 35th Fighter Group but I'm not sure where this is. Seeing how the men are dressed in jackets, in this series of four photos, I believe it to be some where in Australia and not New Guinea

Pacific Wrecks - P-400 Airacobra Serial Number AP34

  • CRASH OF A P-400 AIRACOBRA INTO MORETON BAY, QLD ON 15 JULY 1942 . On the morning of 15 July 1942, 2nd Lieutenant Tevis C. Ferguson (0431958) of the 80th Fighter Squadron, 8th Fighter Group, USAAF, based at Petrie Airfield, misjudged his distance from the water on a mission over Moreton Bay near Brisbane.He was killed when his left wing clipped the water causing his aircraft to crash
  • Airacobra and P-400 are extremly easy to kill. They are too fragile, and also flamable. Use Airacobra to hunt bombers. Use P-400 to kill fighters. Share this post. Link to post Share on other sites. Lunatic242 3,073 Lunatic242 3,073 Air Marshal Member 3,073 5,340 posts.
  • P400: 14-306: The P400 loaned for initial training at Laverton. P400 Airacobra BW114 Built to Contract DA-42-4801(Defense Aid) Received from Bell Aircraft Company :25/12/41 To Memphis Tenn.: 25/12/41 To Port of Exit : San Francisco :10/02/42 Left USA Cont to Project X : 19/02/42 Arrived Australia: 15/04/42 Assembled and accepted USAAF (Sumac.
  • The Airacobra I was an export version of the P-39 very similar to the P-39D, other than the 37mm Oldmobile cannon was exchanged for a 20mm Oerlikon. The Airacobra I went operational with 610 Squadron in the fall of 1941, where it was quickly discovered that the Airacobra did not meet the requirments of air combat over western Europe
  • 2017-aug-14 - Utforska Urban Gardinis anslagstavla Bell P-39 / P-400 Airacobra in scale på Pinterest

Video: Bell P-400 Airacobra - Armedconflicts

P-400 Airacobra - 41st FS, 35th FG, 5th AF Milne Bay (Hasegawa 1/48) With the recent release of the new P-400 tool from Hasegawa, I decided to continue my run of WWII aircraft. As you would expect this kit is worth the A$40. I deviated from the kit build (and markings) where I thought it would benefit the end result.. Hasegawa 1/48 P-400 Airacobra 6 offers from $74.33. Eduard Kit 1:48 Profipack - Bf 109F-2 5.0 out of 5 stars 2. $49.99. Tamiya America, Inc 1/48 Supermarine Spitfire Mk.I, TAM61119 4.6 out of 5 stars 63. $37.31. Eduard 1/48 Messerschmitt Bf 110 E # 8203 5.0 out of 5.

1:32 P-400 Airacobra - LSM Work In Progress - Large Scale

  • The story about the airplanes struggled on the Soviet-German front would be not full without a mention about American P-39 Airacobra - a multi-purpose fighter, manufactures of Bell. In manoeuvrable fights in small and mean altitudes it has proved to be well enough. In a nose bay the 37-mm cannon, and two 12,7-mm machine guns were placed
  • The P-400, based on the P-39D, was an export version, with 650 of these aircraft sold to the RAF. The 37mm cannon was replaced by a Hispano-Suiza 20mm cannon, British radios were added and armor was deleted to increase performance. Named the Airacobra I, they saw very limited service and were withdrawn thereafter, with 200 of them going to the USAAF, these being re-designated P-400. In 1937.
  • Bell P-400 Airacobra 347th FG, 67th FS 13th USAAF Guadalcanal, 1942: HA1703 P-39 Mk. I Airacobra AH601 601 Squadron County of London Duxford, Oct. 1941: HA1706 P-39L Airacobra
  • Bell P-39F Airacobra 41-7246 on the ground P-400 of the 80th Fighter Squadron, 8th FG Turnbull Airstrip Milne Bay P-39Q of the 82d Reconnaissance Squadron (Fighter), 71st Reconnaissance Group, New Guinea 28 May 1944 Bell P-39Q Airacobra on the ground American fighter aircraft with the engine installed in the center fuselage, behind the pilot.

<p>After the huge advances made in the early months of the Pacific war, it was in remote New Guinea where the advance of Imperial Japanese Naval Air Force (IJNAF) A6M Zero-sen fighters was first halted due to a series of offensive and defensive aerial battles ranging from treetop height up to 30,000 ft. </p><p>Initially, the IJNAF fought Australian Kittyhawks, but by May 1942 they had fought. This is a commission to build a P-400 Airacobra. Kit is Special Hobby 1:32 Airacobra Mk.I/P-39F, but I need to build her as a 67th Fighter Squadron P-400 Airacobra BW-146 Whistlin Britches. Thanks for your watching. Special Hobby 1:32 Airacobra Mk.I/P-39F. I am going to build her as a P-400 Airac..

Hasegawa 09092 1/48 Bell P-400 Airacobra Build Revie

WARBIRD REGISTRY > AIRACOBRA REGISTRY > PREVIOUS PAGE. P-400 AIRACOBRA/BW157. Serial #: BW157 Construction #:? Civil Registration: None : Model(s): P-400 Name: None Status: Displayed Last info: 2002: History: Delivered to USAAF as BW157, 19. - Assigned to 67th Pursuit Squadron, New Caledonia. Fuselage recovered from Henderson Fiels. Eduard P-400 Airacobra, 1/48th scale, Kit No. 8061 ProfiPak Kit box top: Photos of the Air-A-Cutie in 1943. Public Domain. Rarely do I make a kit a second time. This is an exception. My first Eduard Airacobra, a P-400, appears in my blog post of May 15, 2015 USAAF Bell P39 Q Airacobra Eduard 1/48 I did this scale model several years ago. The kit is one of Eduard's early re-boxes (kit number - 8063 ) of the original issue. It didn't have photo etched parts but had die cut masks and cast weight. Have in mind the original is issued in 2000 and it was showing to the modelers that Eduard will have a. Open Envelope Microscale P-39 and P-400 Airacobra Decals in 1/72 267. This product data sheet is originally written in English. Microscale 72 267. Open envelope set. See scans for details. Offers 5 Option Markings including popular P-39F Air A Cutie. See item condition for more info. Out of print decal set. Will combine s/h with other items Our shop retails 1/72 P-400 Airacobra (Plastic model) RS Models 92218 Military Model on the Web

P-400 Airacobra - Swanny's Model

Eduard plastic, decals printed by Eduard, 2 marking options. NO PE, NO mask, NO resin included, full color instructions. / 1:48 / USA / Втора Световна Война / Военни / Самолети / Модели за сглобяване The Bell P-39 Airacobra was a single-seat fighter used by the United States and her allies during World War II. 1 Description 2 History 3 Notes 4 Sources The first production model of the series was the P-39C model, originally designated P-45. Unlike most fighters of the time, the P-39 had a tricycle undercarriage, due to the fact that it was powered by an Allison V-1710 liquid cooled engine. Special Hobby - P-400 Airacobra, Festést és ragasztást igénylő repülő makett., Megamakett.h

P400 - Wikipedi

P-400, 19GIAP, USSR 1943, pilot Captain Pavel Kutakhov. P-400 of 80th/8th FG, Milne Bay, New Guinea, January 1943. RS Models 1/72 Bell P-400 Airacobra # 92218 | eBa


Peltorhearingprotectorsbest

The p 400 based on the p 39d was an export version with 650 of these aircraft sold to the raf. Citation needed after the attack on pearl harbor the p 400 was deployed to training units but some saw combat in the southwest pacific including with the cactus air force in the battle of guadalcanal.

Highly Detailed Gemini Jets Air Koryo Ilyushin Il 62m Reg P 885

You can see why the raf wanted to sue for false advertising.

P 400 plane. The p 400 in the raf did 355 mph with guns and climbed to 20000 in 15 minutes. In december 1941 179 of the aircraft went into service in the usaaf with the designation p 400. Unfortunately delivery of these aircraft was not due to start until october 1940 after the fall of france.

Assigned royal air force raf airacobra i serial number ap347 and painted in a three color camouflage scheme. Instead delivered to the u. The first aircraft in line carries the british serial bw167.

They kept their british camouflage and organizational numbering. Army air force bell p 400 airacobra fighters of the 67th fighter squadron 347th fighter group after having arrived at henderson field guadalcanal on aug. This plane is a plug n play version and includes servos motor esc but does not include the transmitter receiver battery or charger.

Army air force usaaf as p 400 airacobra serial number ap347. The majority of these planes served within us territory as training vehicles but a number of p 400s took part in combat operations in new guinea and north africa. Aircraft history built by bell in buffalo new york.

52 p 400s were in africa at end of jan 1943 carrying out low level strafing attacks with considerable success and low losses. The 37mm cannon was replaced by a hispano suiza 20mm cannon british radios were added and armor was deleted to increase performance. Army personnel or aircraft to reach guadalcanal.

Disassembled and shipped overseas to australia and reassembled. As a symbol of read more. These planes were the first us.

The p 400s were gradually replaced by p 39s in the pacific but were still being sent from england to africa in early 1943 81st fg 350th fg. The curtiss p 40 warhawk is an american single engined single seat all metal fighter and ground attack aircraft that first flew in 1938. The north american p 51 mustang was without a doubt one of the most famous world war ii p 51 fighter aircraft.

The bell p 400 airacobra i was the export version of the p 39 airacobra originally developed in response to a french order of 30 march 1940 for 170 aircraft. The added guns didnt account for that much difference. The p 40 design was a modification of the previous curtiss p 36 hawk which reduced development time and enabled a rapid entry into production and operational service.

True it was cutting edge and unrefined but look at the alternative. The united states requisitioned 200 of the aircraft being manufactured for the uk adopting them as p 400s named for the advertised top speed of 400 mph 644 kmh.

X 56a Drone That Will Use Flexible Wings Could Reduce Sonic Booms

Boeing Loses Crown Of World S Biggest Plane Maker As 737 Max

Eduard 1 48 P 400 Air A Cuttie Weekend Edition Eu8472

Diecast P 51 Mustang 1995 Bickyard 400 Plane 2nd Cents Inc

Wings Palette Bell P 39 Airacobra Xfl 1 Airabonita Usa

Steam Community Guide The Ultimate Guide For The Superior P

Has07324 1 48 Hasegawa P 400 Airacobra Shark Teeth

Plane Spot On Twitter Saudi B747 Ass P Http T Co 5s9d4mdsto

Curtiss P 40c Hawk 81 A2 Fighter Flying Tiger Wwii Aircraft

Virtual Aerodrome Model Aircraft Gallery Guillows Series 400

Boeing Confirms Talks With Iran On Aircraft Sale The Times Of Israel

Navy Shows Off Poseidon Anti Submarine Warfare Plane At Malaysian

P400 Eduard 1 48 8061 Aircraft Of World War Ii Ww2aircraft

North American P 51d Mustang 1 0 1 For X Plane 11

Bell P 39 Airacobra Wikipedia

Austrian Airlines Plane Taking Off From Vienna Airport Vie

Hasegawa 1 48 P 400 Airacobra By Kyle Koppos

P 400t Pegasus P 400t Private Luis Miguel Martinez Jetphotos

Bell P 400 Airacobra P 39 Airacobra Ww2 Aircraft Military

Monogram 1 48 P 39 Airacobra P 400 P 39d 1 P 39d 2 P 39l 1

War Wings P 400 Gameplay Youtube

2006 Cessna 400 For Sale In Greensboro North Carolina

De Havilland Canada Dhc 8 400 Porter Airlines Photos And

Bell P 400 Airacobra By Michael Woodgate Eduard 1 48 Fighter

War Thunder P 400 And Iron Range Patch 1 37 New Plane New Map


Assista o vídeo: Bell P-39 Airacobra


Comentários:

  1. Hogan

    Este é o seu modelo padrão do WP ou você o encomendou em algum lugar? Se não for padrão, você pode me dizer onde desenhar algo fofo?

  2. Gill

    O que se segue disso?

  3. Granville

    Eu acho que erros são cometidos. Eu sou capaz de provar isso. Escreva para mim em PM, discuta isso.

  4. Zolin

    Eu sou louco por eles!

  5. Shaktizragore

    Quero dizer que você está errado. Posso defender minha posição. Escreva para mim em PM, vamos discutir.

  6. Auliffe

    Parece-me que já foi discutido.

  7. Shaktisar

    Eu recomendo que você visite um site no qual existem muitos artigos sobre um tema que lhe interessa.



Escreve uma mensagem