Northrop A-17

Northrop A-17


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Northrop A-17

O Northrop A-17 foi o avião de ataque padrão do US Army Air Corps durante a segunda metade da década de 1930. Era baseado no Northrop Gamma, um monoplano de asa baixa projetado para um propósito especial e aeronave para transporte de correio. Um Gamma de construção privada foi submetido ao Exército para testes em julho de 1933. Esta aeronave foi devolvida a Northrop no início de 1934 para modificações, tornando-se o XA-13 em junho de 1934.

O XA-13 foi seguido pelo Gamma 2F, que se tornaria o protótipo do A-17 de produção. Um problema com o XA-13 era o grande diâmetro de seus motores radiais Wright, que restringia a visão do piloto. O Gamma 2F usava um motor radial de catorze cilindros Pratt & Whitney R-1535-11 de 750cv, que tinha um diâmetro menor do que o motor Wright do XA-13, e do que o Pratt & Whitney R-1830-7 instalado no XA -16.

O Gamma 2F também tinha um dossel mais longo e estreito do que o XA-13, com o rádio-operador / artilheiro traseiro mais para trás. A fuselagem foi melhor aerada, e o material rodante fixo do XA-13 foi substituído por uma unidade semirretrátil, com as rodas dobrando para trás em grandes carenagens na parte inferior da aeronave.

O Gamma 2F começou os testes do Exército em 6 de outubro de 1934. Embora tenha sido devolvido a Northrop para modificações, em 24 de dezembro de 1934 o Exército firmou um contrato para 110 Gamma 2Fs, com a designação A-17.

A-17

O Gamma 2F foi devolvido ao Army Air Corps em 27 de julho de 1935, após todas as alterações solicitadas terem sido feitas. Entre eles estava a substituição do material rodante semirretrátil por uma versão fixa e maior aerodinâmica. A cobertura também foi modificada, e a versão original toda em vidro foi substituída por outra com uma seção central não vidrada entre as duas coberturas deslizantes. O A-17 estava armado com uma metralhadora .30in de tiro traseiro e quatro canhões laterais, e podia carregar 1.200 libras de bombas. As 109 aeronaves de produção precisaram de mais modificações, entre elas a instalação de intervalos de mergulho. A entrega da primeira aeronave de produção foi, portanto, adiada para 23 de dezembro de 1935, e a última aeronave não foi concluída até 5 de janeiro de 1937.

A-17A

Embora o trem de pouso semirretrátil do Gamma 2F não tenha sido um sucesso, a Northrop teve mais sorte com a versão usada em seu treinador avançado Gamma 2J e sugeriu adaptá-lo ao A-17. Atraído pelo melhor desempenho oferecido pelas rodas totalmente fechadas, o Exército fez um pedido de 100 A-17As. O novo modelo fez seu vôo inaugural em 16 de julho de 1936, mas os problemas de desenvolvimento e produção fizeram com que as entregas não ocorressem até abril-dezembro de 1937. Outras 29 aeronaves foram encomendadas durante 1937, que foram entregues em junho-setembro de 1938. O O A-17A era movido por um motor R-1535-13 de 825cv, que compensava em parte o peso aumentado do trem de pouso. Como o A-17, ele estava armado com cinco metralhadoras e tinha uma carga de bomba padrão de quatro bombas de 100 libras nos porta-bombas ou vinte bombas de 30 libras no compartimento de bombas, que podiam ser aumentadas para 1.200 libras ao custo do alcance.

Carreira de serviço

O A-17 entrou em serviço com o 3º Grupo de Ataque em fevereiro de 1936. Comparado ao Curtiss A-12 Shrike era mais rápido, podia voar mais alto, tinha maior alcance e podia carregar mais bombas, e foi recebido com certo entusiasmo. O A-17 também equipou o 17º Grupo de Ataque em March Field, Califórnia, o 38º Esquadrão de Ataque em Langley Field, Virginia e o 74º Esquadrão de Ataque no Panamá.

Durante 1937, os A-17 foram eliminados em favor do A-17A e foram alocados em unidades de treinamento. O A-17A teve uma carreira de serviço ligeiramente mais longa. Ainda era a aeronave de ataque padrão do Air Corps em setembro de 1939, embora até então ambos os Grupos de Ataque também tivessem recebido uma série de B-18s e estivessem prestes a se tornarem Grupos de Bombardeio Leve, enquanto os A- bimotores 20 Havoc estava perto de entrar em serviço. Em 20 de junho de 1940, o A-17A foi declarado excedente às necessidades e 93 foram devolvidos a Douglas. Isso foi feito para permitir que a empresa vendesse os A-17As para a França, mas os eventos ultrapassaram esse plano. A ordem francesa foi então assumida pelos britânicos. No serviço britânico e canadense, a aeronave era conhecida como Northrop Nomad e era usada nas escolas de aviação da África do Sul e Canadá.

A-17

A-17A

Motor

Pratt & Whitney R-1535-11

R-1535-13

Poder

750 cv

825 cv

Período

47 pés 8 1/2 pol.

47 pés 9 pol

Comprimento

31 pés 8 5/8 pol.

31 pés 8 pol.

Altura

11 pés 10 1/2 pol.

12 pés

Peso vazio

4,764 lb

5.106 libras

Peso bruto

7.336 lb

7.550 libras

Velocidade máxima

206 mph ao nível do mar

220 mph a 2.500 pés

Velocidade de cruzeiro

170 mph

170 mph

Taxa de subida

1.530 pés / min

1.350 pés / min

Teto

20.700 pés

19.400 pés

Alcance (normal)

650 milhas

730 milhas

Armas

Cinco metralhadoras de 0,30 pol.

Carga de bomba

1.200 libras

Leitura sugerida
McDonnell Douglas: v.1, Rene J. Francillon (Amazon.co.uk)
McDonnell Douglas: v.1, Rene J. Francillon (Amazon.com)


Desenvolvimento e design

O Northrop Gamma 2F era um bombardeiro de ataque derivado da aeronave de transporte Northrop Gamma, desenvolvido em paralelo com o Northrop Gamma 2C, (do qual um foi construído), denominado YA-13 e XA-16. O Gamma 2F tinha uma cauda revisada, a cobertura da cabine e os flaps das asas em comparação com o Gamma 2C, e estava equipado com um novo trem de pouso semirretrátil. Foi entregue ao Corpo de Aviação do Exército dos Estados Unidos para testes em 6 de outubro de 1934 e, após modificações que incluíram o encaixe de um trem de pouso fixo convencional, foi aceito pelo Corpo de Aviação. [1] Um total de 110 aeronaves foram encomendadas como A-17 em 1935. [2]

O A-17 resultante era equipado com flaps perfurados e tinha trem de pouso fixo com carenagens parciais. Ele foi equipado com um compartimento interno para bombas na fuselagem, que continha bombas de fragmentação, além de porta-bombas externos.

A Northrop desenvolveu um novo trem de pouso, desta vez totalmente retrátil, produzindo a variante A-17A. Esta versão foi novamente adquirida pelo Army Air Corps, que fez pedidos para 129 aeronaves. [3] Quando estes foram entregues, a Northrop Corporation havia sido adquirida pela Douglas Aircraft Company, sendo os modelos de exportação conhecidos como Douglas Model 8.


O Northrop Gamma 2F era um bombardeiro de ataque derivado da aeronave de transporte Northrop Gamma, desenvolvido em paralelo com o Northrop Gamma 2C, (do qual um foi construído), denominado YA-13 e XA-16. O Gamma 2F tinha uma cauda revisada, a cobertura da cabine e os flaps das asas em comparação com o Gamma 2C, e estava equipado com um novo trem de pouso semirretrátil. Foi entregue ao Corpo de Aviação do Exército dos Estados Unidos para testes em 6 de outubro de 1934 e, após modificações que incluíram o encaixe de um trem de pouso fixo convencional, foi aceito pelo Corpo de Aviação. [1] Um total de 110 aeronaves foram encomendadas como A-17 em 1935. [2]

O A-17 resultante era equipado com flaps perfurados e tinha trem de pouso fixo com carenagens parciais. Ele foi equipado com um compartimento interno para bombas na fuselagem, que continha bombas de fragmentação, além de porta-bombas externos.

A Northrop desenvolveu um novo trem de pouso, desta vez totalmente retrátil, produzindo a variante A-17A. Esta versão foi novamente adquirida pelo Army Air Corps, que fez pedidos para 129 aeronaves. [3] Quando estes foram entregues, a Northrop Corporation havia sido adquirida pela Douglas Aircraft Company, sendo os modelos de exportação conhecidos como Douglas Model 8.


Northrop A-17 - História

Arquivo de fotos & sup1

(Foto de John Shupek com direitos autorais e cópia das imagens 200x do Skytamer)

Northrop A-17 Nômade
Monoplano de bombardeiro de ataque de asa baixa, monomotor e dois lugares

Arquivo de fotos

Northrop A-17 (foto Northrop por meio do arquivo Skytamer [1])

Northrop A-17A (foto Northrop por meio do arquivo Skytamer [1])

Visão geral e mdash Northrop A-17 Nômade Series [2]

The Northrop A-17 Nômade foi um desenvolvimento do Northrop Gama 2F. A aeronave era um monoplano de ataque monomotor de dois lugares, construído em 1935 pela Northrop Corporation para o US Army Air Corps.

Desenvolvimento e Design

The Northrop Gama 2F era um bombardeiro de ataque derivado do Northrop Gama aeronave de transporte, desenvolvida em paralelo com a Northrop Gama 2C, (um dos quais foi construído, denominado Northrop YA-13 e Northrop XA-16. O Northrop Gama 2F tinha uma cauda revisada, canópia da cabine e flaps de asa em comparação com o Gama 2C, e foi equipado com um novo material rodante semirretrátil. Foi entregue ao Corpo de Aviação do Exército dos Estados Unidos para testes em 6 de outubro de 1934 e, após modificações, incluindo o encaixe de um trem de pouso fixo convencional, foi aceito pelo Corpo de Aviação. Um total de 110 aeronaves foram encomendadas como Northrop A-17 em 1935.

O resultante Northrop A-17 foi equipado com flaps perfurados, tinha trem de pouso fixo com carenagem parcial. Ele foi equipado com um compartimento interno para bombas na fuselagem, que continha bombas de fragmentação, além de porta-bombas externos. A Northrop desenvolveu um novo material rodante, desta vez totalmente retrátil, produzindo a variante Northrop A-17A. Esta versão foi novamente adquirida pelo Army Air Corps, que fez pedidos para 129 aeronaves. No momento em que foram entregues, a Northrop Corporation havia sido adquirida pela Douglas Aircraft Company, sendo os modelos de exportação conhecidos como Douglas Model 8.

Histórico Operacional

O Northrop A-17 entrou em serviço em fevereiro de 1936 e provou ser uma aeronave confiável e popular. No entanto, em 1938, o Air Corps decidiu que a aeronave de ataque deveria ser multimotora, tornando o Northrop A-17 excedente aos requisitos. Desde 14 de dezembro de 1941, Northrop A-17s foram usados ​​para patrulhas costeiras pelo 59º Esquadrão de Bombardeio (Luz) no lado do Pacífico do Canal do Panamá.

Em junho de 1940, 93 aeronaves ex-USAAC foram adquiridas pela França e reformadas pela Douglas, incluindo novos motores. Não tendo sido entregues antes da queda da França, 61 foram assumidos pela Comissão de Compras Britânica para a RAF e receberam o nome Nômade. Eles foram avaliados como obsoletos e enviados para a África do Sul para serem usados ​​como treinadores. As 32 aeronaves restantes da ordem francesa foram transferidas para o Canadá, onde também foram utilizadas como treinadores avançados e rebocadores de alvo. Os últimos Northrop A-17s restantes, usados ​​como aeronaves utilitárias, foram aposentados do serviço da USAAF em 1944.

  • Northrop YA-13:
  • Northrop: XA-16:
  • Northrop Gamma 2F:
  • Northrop A-17:
  • Northrop A-17A:
  • Northrop A-17AS:
  • Douglas A-33-DE:
  • Douglas 8A-1:
  • Douglas 8A-2:
  • Douglas 8A-3P:
  • Douglas 8A-3N:
  • Douglas 8A-4:
  • Douglas 8A-5:
  • Northrop A-17 & mdash Produção inicial para USAAC. Material rodante fixo, alimentado por 750 hp (560 kW) Pratt & amp Whitney R-1535-11 Twin Wasp Jr. motor 110 construído.
  • Northrop A-17A & mdash Versão revisada para USAAC com material rodante retrátil e motor R-1535-13 129 de 825 hp (615 kW) construído.
  • Northrop A-17AS & mdash Versão de transporte de pessoal com três lugares para USAAC. Alimentado por Pratt & amp Whitney R-1340 Wasp engine two built.
  • Douglas Model 8A-1 & versão de exportação mdash para a Suécia. Material rodante fixo. Dois protótipos construídos por Douglas (designação sueca B.5A), seguidos por 63 aeronaves B.5B licenciadas (pela ASJA) com motor de 920 hp (686 kW) Bristol Mercúrio XXIV motor 31 B.5C semelhante construído pela SAAB.
  • Douglas Model 8A-2 & versão mdash para a Argentina. Equipado com material rodante fixo, posição ventral de pistola e alimentado por 840-hp (626 kW) Wright R-1820-G3 Ciclone 30 construído.
  • Douglas Model 8A-3N & versão mdash de A-17A para a Holanda. Alimentado por 1.100 hp (820 kW) Pratt & amp Whitney R-1830 Vespa Gêmea motor 18 construído.
  • Douglas Model 8A-3P & versão mdash de A-17A para o Peru. Alimentado por um motor 10 R-1820 de 1.000 hp (746 kW) construído.
  • Douglas Model 8A-4 e versão mdash para o Iraque, movido por um motor R-1820-G103 15 de 1.000 HP (746 kW) construído.
  • Douglas Model 8A-5N & versão mdash para a Noruega, movido por 1.200 hp (895 kW) R-1830 motor 36 construído. Mais tarde, foi impressionado no serviço da USAAF como Douglas A-33.

Argentina: & mdash Argentina comprou 30 Douglas Model 8A-2s em 1937 e os recebeu entre fevereiro e março de 1938. Seus números de série estavam entre 348 e 377. Essas aeronaves permaneceram em serviço de linha de frente até serem substituídas pelo I.Ae. 24 Calquin, continuando em serviço como instrutores e aeronaves de reconhecimento até seu último vôo em 1954. A aeronave serviu com: (1) Grupo & ldquoA & rdquo de la Escuela de Aplicaci & oacuten de Aviaci & oacuten baseado em BAM El Palomar e (2) Regimiento A & eacutereo N & deg3 (Regimento Aéreo No. 3) de Bombardeo Liviano (bombardeio leve) baseado em BAM El Plumerillo

Canadá: & mdash A Real Força Aérea Canadense recebeu 32 números de série de ex-aeronaves francesas 3490-3521 e foram designados Nômade. Todas as aeronaves foram atribuídas ao 3º Comando de Treinamento.

França: & mdash A Força Aérea Francesa encomendou 93 aeronaves, mas quando a França caiu, todas as aeronaves foram entregues à Grã-Bretanha e ao Canadá.

Iraque: & mdash Iraque comprou 15 Douglas Model 8A-4s, em 1940. Eles foram destruídos na Guerra Anglo-Iraque em 1941.

Holanda: & mdash A Holanda, com necessidade urgente de aeronaves de combate modernas, fez um pedido de 18 Douglas Model 8A-3Ns em 1939, com todos sendo entregues até o final do ano. Usados ​​em um papel de lutador para o qual não eram adequados, a maioria foi destruída pelos ataques da Luftwaffe em 10 de maio de 1940, o primeiro dia da invasão alemã.

Noruega: & mdash A Noruega encomendou 36 Douglas Model 8A-5Ns em 1940. Estes não estavam prontos na época da invasão alemã da Noruega e foram desviados para a unidade de treinamento norueguesa no Canadá, que ficou conhecida como Pequena Noruega. A Noruega decidiu vender 18 dessas aeronaves como excedentes ao Peru, mas essas foram embargadas pelos Estados Unidos, que requisitaram as aeronaves, utilizando-as como treinadores, designando-as como A-33. A Noruega vendeu sua aeronave sobrevivente ao Peru em 1943.

Peru: O Peru encomendou 10 Douglas Model 8A-3Ps, sendo entregues a partir de 1938. Essas aeronaves foram usadas em combate pelo Peru na guerra Equador-Peruana de julho de 1941. Os sobreviventes dessas aeronaves foram complementados por 13 Douglas Model 8A-5s da Noruega, entregues via Estados Unidos em 1943. Eles permaneceram em serviço até 1958.

África do Sul: & mdash A Força Aérea da África do Sul recebeu 57 aeronaves designadas da Grã-Bretanha Nomad I.

Suécia: & mdash Força Aérea Sueca - a Suécia adquiriu uma licença para a produção de um Mercúrio versão motorizada, construção de 63 B.5Bs e 31 B.5Cs, produção ocorrendo de 1938 a 1941. Eles foram substituídos em serviço por SAAB 17s de 1944. A versão sueca foi usada como um bombardeiro de mergulho e, como tal, teve destaque no Filme de 1941 & lsquoF & oumlrsta Divisionen & rsquo.

Reino Unido: & mdash A Força Aérea Real recebeu 61 ex-aeronaves francesas redesenhadas como Nomad I mas 57 foram entregues à África do Sul. britânico Nômades eram os números de série AS440-AS462, AS958-AS976 e AW420-AW438.

Estados Unidos: & mdash O United States Army Air Corps recebeu 110 Northrop A-17s e 129 Northrop A-17As. As aeronaves foram atribuídas a: (1) 3º Grupo de Ataque baseado no Campo de Barksdale (2) 17º Grupo de Ataque baseado no Campo de Março, (3) 16º Grupo de Perseguição baseado no Campo Albrook 74º Esquadrão de Ataque e (4) Quartel-General da Força Aérea operou três Aeronave A-17AS para uso como transporte de pessoal.


Northrop A-17 (Warplane Plus No. 1)

A história completa dos aviões de ataque Northrop e seus derivados de exportação.

A Northrop Corp. ofereceu o avião de ataque monomotor Gamma 2F ao US Army Air Corps em outubro de 1934. Após o trabalho de modificação, este tipo evoluiu para o avião de ataque A-17 altamente inovador, do qual 110 aeronaves foram encomendadas. A Northrop integrou todas as tecnologias de aeronaves modernas da época, como toda a construção em monocoque de metal, hélice de dois passos, flaps e freios de mergulho no projeto, combinadas com metralhadoras de tiro frontal instaladas nas asas, uma carga de bomba respeitável, altas velocidades e voo admirável faixa. Ele eclipsou todos os outros tipos de ataque então em serviço. 129 exemplos da variante A-17A melhorada com trem de pouso retrátil.

O interesse estrangeiro resultou na venda de 11 aeronaves no exterior. A Suécia e a Argentina encomendaram variantes do A-17 em 1937, e a Suécia construiu mais 102 sob licença. A Northrop Corporation tornou-se subsidiária da Douglas em 5 de abril de 1937, o que resultou no A-17 se tornando conhecido como Douglas 8A. Mais clientes se seguiram, o governo do Peru encomendando uma série em 1938. A situação volátil na Europa resultou em pedidos da Holanda e da Noruega em 1939 e 1940. O Iraque encomendou uma série de aeronaves em 1939.

Embora nenhuma das aeronaves operadas pelos Estados Unidos estivesse envolvida em combate, um grande número de máquinas desempenhou um papel vital como treinador de pilotos da Commonwealth durante a Segunda Guerra Mundial. A variante de exportação Douglas 8A disparou com raiva durante o combate aéreo na Holanda e no Iraque, e as aeronaves peruanas se destacaram durante um conflito de fronteira com o Equador em 1941 e novamente em 1948, quando a rebelião e a guerra civil ameaçaram o país. Os últimos voos foram feitos em 1958, encerrando assim uma era de quase 25 anos de serviço contínuo com forças aéreas em todo o mundo.

Este livro oferece uma visão geral de um avião icônico. Os autores, todos especialistas em seu campo, compilaram uma história abrangente e reuniram mais de 350 fotografias, perfis coloridos e mapas, oferecendo assim uma visão fascinante de um tipo de aeronave que liga os dias da 'Era de Ouro da Aviação' aos anos sombrios do mundo Segunda Guerra.


Informações sobre aeronaves Northrop A-17


Função: ataque ao solo
Fabricante: Northrop
Desenhado por: Jack Northrop
Apresentado: 1935
Usuários primários: Corpo Aéreo do Exército dos Estados Unidos Força Aérea Sueca Força Aérea Real Canadense Força Aérea Sul-Africana
Número construído: 446
Desenvolvido a partir de: Northrop Gamma

O Northrop A-17, um desenvolvimento do Northrop Gamma 2F, era um bombardeiro de ataque de dois lugares, monomotor, monoplano, construído em 1935 pela Northrop Corporation para o US Army Air Corps.

O Northrop Gamma 2F era um bombardeiro de ataque derivado da aeronave de transporte Northrop Gamma, desenvolvido em paralelo com o Northrop Gamma 2C, (do qual um foi construído, denominado YA-13 e XA-16. O Gamma 2F tinha uma cauda revisada, O velame da cabine e os flaps das asas em comparação com o Gamma 2C, e foi equipado com um novo material rodante semirretrátil. Foi entregue ao Corpo de Aviação do Exército dos Estados Unidos para testes em 6 de outubro de 1934, e após modificações, incluindo montagem de um material rodante fixo convencional , foi aceito pelo Air Corps. 110 aeronaves foram encomendadas como A-17 em 1935.

O A-17 resultante era equipado com flaps perfurados, tinha trem de pouso fixo com carenagem parcial. Ele foi equipado com um compartimento interno para bombas na fuselagem, que continha bombas de fragmentação, além de porta-bombas externos.

A Northrop desenvolveu um novo material rodante, desta vez totalmente retrátil, produzindo a variante A-17A. Esta versão foi novamente adquirida pelo Army Air Corps, que fez pedidos para 129 aeronaves. No momento em que foram entregues, a Northrop Corporation havia sido adquirida pela Douglas Aircraft Company, sendo os modelos de exportação conhecidos como Douglas Model 8.

O A-17 entrou em serviço em fevereiro de 1936 e provou ser uma aeronave confiável e popular. No entanto, em 1938, o Air Corps decidiu que as aeronaves de ataque deveriam ser multi-motores, tornando o A-17 excedente para os requisitos.

Em junho de 1940, 93 aeronaves ex-USAAC foram adquiridas pela França e reformadas pela Douglas, incluindo novos motores. Não tendo sido entregues antes da queda da França, 61 foram adquiridos pela Comissão de Compras britânica para a RAF e receberam o nome de Nomad. Eles foram avaliados como obsoletos e enviados para a África do Sul para serem usados ​​como treinadores. As trinta e duas aeronaves restantes da ordem francesa foram transferidas para o Canadá, onde também foram utilizadas como treinadores avançados.

Os últimos A-17s restantes, usados ​​como aeronaves utilitárias, foram aposentados do serviço da USAAF em 1944.

A-17 Produção inicial para USAAC. Material rodante fixo, alimentado por motor Pratt & amp Whitney R-1535-11 Twin Wasp Jr de 750hp (560kW). 110 construído. A-17A Versão revisada para USAAC com material rodante retrátil e motor R-1535-13 de 825cv (615kW). 129 construídos. A-17AS Versão de transporte de pessoal com três lugares para USAAC. Alimentado por motor Pratt & amp Whitney R-1340 Wasp. Dois construídos. Modelo 8A-1 Versão de exportação para a Suécia. Material rodante fixo. Dois protótipos construídos por Douglas (designação sueca B 5A), seguidos por 63 aeronaves B 5B de fabricação licenciada (pela ASJA) movidas por motor Bristol Mercury XXIV de 920 cv (686 kW). 31 semelhante B 5C construído pela SAAB. Versão do modelo 8A-2 para a Argentina. Equipado com material rodante fixo, posição ventral da pistola e alimentado por 840hp (626kW) Wright R-1820-G3 Cyclone. 30 construído. Modelo 8A-3N Versão de A-17A para a Holanda. Equipado com motor Pratt & amp Whitney R-1830 Twin Wasp de 1.100 cv (820 kW). 18 construído. Modelo 8A-3P Versão de A-17A para o Peru. Equipado com motor R-1820 de 1.000cv (746kW). Dez construídos. Modelo 8A-4 Versão para o Iraque, movido por um motor R-1820-G103 de 1.000hp (746kW). 15 construído. Modelo 8A-5N Versão para a Noruega, movido por motor R-1830 de 1.200 cv (895kW). 36 construído. Mais tarde, foi impressionado no serviço da USAAF como Douglas A-33.

A-17A 36-0207 c / n 234, ex-3º Grupo de Ataque (Barksdale Field), em exibição no Museu Nacional da Força Aérea dos Estados Unidos em Dayton, Ohio

8A-3P 4. ex-31 Escuadrx n de Ataque y Reconocimiento. Em exposição no museu da FAP, Base Aérea do Peru de Las Palmas.

Foto - Operadores da A-17

Argentina A Argentina comprou 30 modelos 8A-2 em 1937 e os recebeu entre fevereiro e março de 1938. Seus números de série estavam entre 348 e 377. Eles permaneceram no serviço de linha de frente até serem substituídos pelo I.Ae. 24 Calquin, continuando em serviço como instrutores e aeronaves de reconhecimento até seu último vôo em 1954.

Grupo "A" de la Escuela de Aplicacix n de Aviacix n baseado em BAM El Palomar
Regimiento A reo N 3 (Regimento Aéreo No.3) de Bombardeo Liviano (Bombardeio leve) baseado em BAM El Plumerillo

A Royal Canadian Air Force recebeu 32 ex-aeronaves francesas com 3490 a 3521 - designadas Nomad - todas designadas para o 3º Comando de Treinamento.

A Força Aérea Francesa encomendou 93 aeronaves, mas quando a França caiu, todos foram entregues à Grã-Bretanha e ao Canadá.

Iraque O Iraque comprou 15 Modelos 8A-4s, em 1940. Eles foram destruídos na Guerra Anglo-Iraquiana em 1941. Holanda A Holanda, com necessidade urgente de aeronaves de combate modernas, fez um pedido de 18 Modelos 8A-3Ns em 1939, com todos sendo entregues até o final do ano. Usados ​​em um papel de lutador para o qual não eram adequados, a maioria foi destruída pelos ataques da Luftwaffe em 10 de maio de 1940, o primeiro dia da invasão alemã. Em seu livro de 1975 sobre a história da aviação holandesa Vermetele vliegende Hollanders (Daring Flying Dutchmen), Holandês O historiador e ilustrador da aviação Thijs Postma relaciona esses aviões como Douglas 8A. Noruega A Noruega encomendou 36 modelos 8A-5N em 1940. Eles não estavam prontos na época da invasão alemã da Noruega e foram desviados para a unidade de treinamento norueguesa no Canadá, que ficou conhecida como Pequena Noruega. A Noruega decidiu vender 18 dessas aeronaves como excedentes ao Peru, mas essas foram embargadas pelos Estados Unidos, que requisitaram as aeronaves, utilizando-as como treinadores, designando-as como A-33. A Noruega vendeu suas aeronaves sobreviventes ao Peru em 1943. Peru O Peru encomendou 10 modelos 8A-3Ps, sendo entregues a partir de 1938. Essas aeronaves foram usadas em combate pelo Peru na guerra Equador-Peruana de julho de 1941. Os sobreviventes dessas aeronaves foram complementados por 13 modelos 8A-5 da Noruega, entregues via Estados Unidos em 1943. Eles permaneceram em serviço até 1958. Sul África

A Força Aérea da África do Sul recebeu 57 aeronaves da Grã-Bretanha designadas Nomad I.

Força Aérea Sueca - A Suécia adquiriu uma licença para a produção de uma versão com motor Mercury, construindo 63 B 5Bs e 31 B5Cs, produção ocorrendo de 1938 a 1941. Eles foram substituídos em serviço por SAAB 17 de 1944. A versão sueca foi usada como mergulho bombardeiro e, como tal, teve lugar de destaque no filme de 1941 'Fx rsta Divisionen'.

A Royal Air Force recebeu 61 ex-aeronaves francesas redesignadas como Nomad I, mas 57 foram entregues à África do Sul. Os Nomads britânicos foram serializados AS440 a AS462, AS958 a AS976 e AW420 a AW438.

O Corpo Aéreo do Exército dos Estados Unidos recebeu 110 A-17s e 129 A-17As
Grupo de Ataque 3D baseado em Barksdale Field
17º Grupo de Ataque baseado no Campo de Março
16º Grupo de Perseguição baseado em Albrook Field
74º Esquadrão de Ataque
O Quartel-General da Força Aérea operou várias aeronaves para uso como transporte de pessoal.

Dados da McDonnell Douglas Aircraft desde 1920

Tripulação: dois (piloto e artilheiro)
Comprimento: 31 pés 8⅝ pol (9,67 m)
Envergadura: 47 pés 8 pol. (14,54 m)
Altura: 11 pés 10 pol. (3,62 m)
Área da asa: 363 pés quadrados (33,7 m )
Peso vazio: 4.874 lb (2.211 kg)
Peso carregado: 7.337 lb (3.328 kg)
Powerplant: 1x Pratt & amp Whitney R-1535-11 Twin Wasp Jr duas carreiras de motor radial refrigerado a ar, 750 hp (560 kW)

Velocidade máxima: 206 mph (179 nós, 332 km / h)
Velocidade de cruzeiro: 170 mph (149 nós, 274 km / h)
Alcance: 650 mi (565 nm, 1.046 km)
Teto de serviço: 19.400 pés (5.915 m)
Taxa de subida: 1.350 pés / min (6,9 m / s)

4 x 0,3 pol. (7,62 mm) metralhadoras M1919 Browning fixas à frente
1 x 0,3 pol. (7,62 mm) metralhadora traseira treinável
Baia interna para bombas
Porta-bombas externo (carga total da bomba 1.200 lb / 544 kg)

Northrop Gamma
Northrop YA-13
Northrop BT
Douglas A-33

Blackburn Skua
Fairey Battle

Donald, David (ed). Aviões de guerra americanos da segunda guerra mundial. Londres: Aeroespacial. 1995. ISBN 1 874023 72 7.
Francillon, Ren J. McDonnell Douglas Aircraft desde 1920. Londres: Putanm, 1979. ISBN 0-370-00050-1.
Pelletier, Alain J. "Conexão de Northrop: A aeronave de ataque A-17 anônima e seu legado - Parte 1". Air Enthusiast No 75, maio - junho de 1998. Stamford, Lincolnshire: Key Publishing. Página 62-67. ISSN 0143 5490.
Pelletier, Alain J. "Conexão de Northrop: A aeronave de ataque A-17 anônima e seu legado - Parte 2". Air Enthusiast No 77, setembro / outubro de 1998. Stamford, Lincolnshire: Key Publishing. Página 2-15. ISSN 0143 5490.
Widfeldt, Bo e Hall, x ke. B 5 Stx rtbombepoken (em sueco). Nx ssjx , Suécia: Air Historic Research AB U.B., 2000. ISBN 91-9716-057-1.
Sergio Bontti. Serie Fuerza A rea Argentina # 8 Northrop 8A-2. Jorge Nux ez Padin (editor) Outubro de 2003.

Este site é o melhor para: tudo sobre aviões, pássaros de guerra, pássaros de guerra, filmes de aviões, filmes de aviões, pássaros de guerra, vídeos de aviões, vídeos de aviões e história da aviação. Uma lista de todos os vídeos de aeronaves.

Copyright A Wrench in the Works Entertainment Inc .. Todos os direitos reservados.


Northrop A-13, A-16, A-17, A-33

A Northrop usou o transporte Gamma como a base de um projeto de empreendimento privado para um bombardeiro de ataque leve, identificando-o como o Northrop Gamma 2C que, movido por um motor radial Wright SR-1820F de 548kW, foi adquirido para avaliação pelo US Army Air Corps em junho de 1934 sob a designação YA-13. Posteriormente, foi re-engatado com um Pratt & Whitney R-1830 Twin Wasp de 708kW, esta aeronave foi redesignada como XA-16 (Northrop Gamma 2F). Após os testes do YA-13 e XA-16, a Northrop recebeu um contrato de US $ 2 milhões para 110 bombardeiros de ataque designados A-17, mas como os testes do XA-16 mostraram que a aeronave estava sobrecarregada, o Gamma 2.F foi re-engatado com um Pratt & Whitney R-1535 Twin Wasp Junior de 559 kW, servindo como protótipo para o A-17. Após a incorporação de várias outras modificações, o primeiro de 109 aeronaves A-17 de produção foi entregue em dezembro de 1935. Um contrato foi recebido no mesmo mês para um A-17A aprimorado, introduzindo trem de pouso com roda traseira retrátil e o Pratt & Whitney R de 615kW Motor -1535-13. Cerca de 129 foram construídos, inicialmente pela Northrop, mas em 1937 Douglas adquiriu os 49% restantes das ações da Northrop Corporation, e foi a Douglas Company que completou a produção dessas aeronaves. Do total, 93 serviram na USAAC por apenas 18 meses, sendo então devolvidos a Douglas para venda ao Reino Unido e França. A Royal Air Force recebeu 60, designando-os Nomad Mk I, e todos foram transferidos para a Força Aérea Sul-Africana. Douglas também construiu esta aeronave para exportação sob a designação Douglas Model 8A, fornecendo-os para a Argentina, Iraque, Holanda e Noruega. Um lote de 34 aeronaves Modelo 8A-5 também foi construído para o Peru, 31 deles sendo comandados pela Força Aérea do Exército dos EUA no início de 1942 para uso em uma função de ataque. Armados com seis metralhadoras de 7,62 mm e capazes de transportar até 816 kg de bombas, todos foram usados ​​em uma função de treinamento sob a designação de A-33.

A aeronave usada naquele filme foi Northrop BT-1, um bombardeiro de mergulho baseado em porta-aviões da Marinha. Embora também projetado e construído por Jack Northrop e tivesse uma semelhança familiar com o A-17A, o BT-1 era um projeto totalmente diferente.

"Eu tenho uma pergunta. Foi este o avião que foi usado no filme" Dive Bomber ", estrelado por Erroll Flynn e Fred MacMurry?"

Qualquer comentário ou conhecimento deste fator de voo será apreciado.

Eu tenho uma pergunta. Foi este o avião que foi usado no filme "Dive Bomber", estrelado por Erroll Flynn e Fred MacMurry?

Como foi chamada essa aeronave? "Nomad" "Nose Blower" o que mais?

Por favor, preciso de mais informações sobre isso

Estou envolvido em um projeto que está investigando uma colisão no ar entre 2 A-17As em 1940. Como tal, estou procurando informações sobre a razão de planeio do A-17A. Qualquer comentário ou conhecimento deste fator de voo será apreciado.


Banco de dados da Segunda Guerra Mundial


ww2dbase Em 1932, a primeira aeronave Gamma entrou em serviço civil. As aeronaves Gamma eram monoplanos monomotores totalmente metálicos projetados por Jack Northrop com base em seu antecessor Alpha. No mercado civil, eram contratados pela Trans World Airlines (TWA) dos Estados Unidos. Um pequeno número deles também foi usado para tentativas de quebra de recordes em todo o território continental dos Estados Unidos e na Antártica.

ww2dbase Em 1933, os militares dos Estados Unidos encorajaram a Northrop a produzir uma variante militar do design Gamma. A variante 2C resultante, entregue ao US Army Air Corps em 6 de outubro de 1934, recebeu boas críticas. Em fevereiro de 1936, essas aeronaves de ataque ao solo entraram em serviço sob a designação USAAC de A-17. Por fim, 110 A-17 (com trens de pouso fixos) e 129 A-17A (com trens de pouso retráteis) foram vendidos para a USAAC. Um único exemplo da variante 2E foi vendido aos militares britânicos para avaliação e recebeu críticas positivas. Quando os EUA entraram na 2ª Guerra Mundial em dezembro de 1941, um pequeno número de aeronaves A-17 permaneceram em serviço, sendo usadas para patrulhas costeiras pelo 59º Esquadrão de Bombardeio (Luz) para patrulhar o lado do Oceano Pacífico da Zona do Canal do Panamá. Todas as aeronaves A-17 foram retiradas do serviço nos Estados Unidos em 1944.

ww2dbase Em 1938, apenas dois anos após sua aquisição, a USAAC optou por usar aeronaves multimotoras para servir em funções de ataque ao solo. A França assinou um contrato para a compra de 93 deles, mas como apenas 32 foram entregues antes da conquista alemã da França, os 61 restantes foram vendidos para as forças britânicas e da Commonwealth em vez do serviço britânico e da Commonwealth, as aeronaves A-17 foram designadas como Nomad Mk I Um único exemplo da variante 2D foi comprado pela Força Aérea Espanhola da TWA e foi usado para missões de patrulha costeira durante a Guerra Civil Espanhola.

ww2dbase Uma série de aeronaves Gamma militarizadas foram vendidas ao Japão e à China na década de 1930. A Marinha japonesa adquiriu dois exemplos da variante 2E e avaliou-os sob a designação BXN. Em meados da década de 1930, a Marinha japonesa comprou mais dois exemplos, um da variante 5A (redesignado BXN1) e um da variante 5D (dado à Manchukuo National Airways do estado fantoche de Manchukuo, patrocinado pelos japoneses, que voou em missões de reconhecimento sobre o norte da China e o leste Rússia sob o pretexto de transporte civil). China purchased 25 Gamma 2E aircraft and used them as ground attack aircraft and light bombers they saw extensive use in the first year of WW2, and were all destroyed by the end of 1938.

ww2dbase Military forces of Argentina, Iraq, the Netherlands, Norway, Peru, and Sweden also purchased various variants of Gamma aircraft. The Peruvian aircraft would see combat during the Ecuadorian-Peruvian War of Jul 1941, most of the Dutch examples were destroyed by the German Air Force (Luftwaffe) on 10 May 1940, and the Norwegians-in-exile used them as trainer aircraft in Canada. Some of the Norwegian Gamma aircraft were later sold to Peru. The Peruvian Gamma aircraft were the last to be retired, having been in service until 1958.

ww2dbase Source: Wikipedia.

Last Major Revision: May 2010

2 Jun 1933 Frank Hawks flew Gamma 2A "Sky Chief" from Los Angeles, California, United States to New York, New York, United States in 13 hours, 26 minutes and 15 seconds.
6 Oct 1934 Northrop Corporation delivered the militarized 2C variant of the Gamma aircraft design to the US Army Air Corps for evaluation.
5 Dec 1935 Lincoln Ellsworth and Herbert Hollick-Kenyon failed to fly Gamma 2B "Polar Star" across Antarctica, running out of fuel merely 25 miles (40 kilometers) short of their destination of the camp Little America on the Ross Ice Shelf.

A-17

MaquinárioOne Pratt & Whitney R-1535-13 Twin Wasp Jr. double row radial air-cooled engine rated at 750hp
Armamento4x7.62mm M1919 Browning machine guns, 1x7.62mm trainable machine gun, up to 544kg of bombs in internal bay and external wing-mounted racks
Equipe técnica2
Span14.60 m
Comprimento9.80 m
Altura3.61 m
Weight, Empty2,210 kg
Weight, Loaded3,377 kg
Speed, Maximum332 km/h
Speed, Cruising274 km/h
Teto de serviço19,400 m
Range, Normal1,127 km

Did you enjoy this article or find this article helpful? If so, please consider supporting us on Patreon. Even $1 per month will go a long way! Obrigada.

Share this article with your friends:

Visitor Submitted Comments

1. Alan Chanter says:
13 Dec 2014 09:33:31 AM

In December 1935 the Northrop Corporation received a contract for an improved A-17A model which introduced a retractable tail-wheel landing gear and the more powerful 825-hp R-1535-13 engine. Some 129 were built, initially by Northrop, but in 1937 Douglas acquired the remaining 49 per cent of Northrop Corporation stock, and it was the Douglas Company which completed production of these aircraft. Of the total, 93 served with the USAAC for just eighteen months, before being returned to Douglas for resale to the United Kingdom and France. The RAF received 60, designating them Nomad Mk I, and these were all subsequently transferred to equip the South African Air Force.

All visitor submitted comments are opinions of those making the submissions and do not reflect views of WW2DB.


Lost Airmen of the Northrop A-17 Nomad 3521 Aircraft Found

OTTAWA, ONTARIO--(Marketwired - Sep 13, 2013) - Nearly 72 years after the Nomad 3521 aircraft crash in December 1940, the remains of Flight Lieutenant Peter Campbell of the Royal Air Force and Leading Aircraftsman Theodore (Ted) Bates of the Royal Canadian Air Force have been successfully recovered. The remains of the airmen were located and recovered by members of the Royal Canadian Navy's Fleet Diving Unit (Atlantic) during a dive to the aircraft wreckage in Lake Muskoka in October 2012.

"This recovery will provide closure to the families of Flight Lieutenant Campbell and Leading Aircraftsman Bates, as well as reassure them that the ultimate sacrifice made by their loved ones will never be forgotten," said the Honourable Rob Nicholson, Minister of National Defence. "These airmen can now be laid to rest with the military honours that they so rightfully deserve."

The Royal Canadian Navy's Fleet Diving Unit (Atlantic) was tasked to survey the Nomad 3521 wreckage site as part of the Canadian Armed Forces Directorate of History and Heritage's mandate to recover and identify Canada's personnel. The recovery was a combined effort of the members of the community, who raised awareness about the existence of the aircraft, the Ontario Provincial Police's Underwater Search and Recovery Unit, who surveyed and located the aircraft on July 27, 2010, and the Fleet Diving Unit (Atlantic), who recovered the remains, personal effects, and the aircraft's three .30 calibre machine guns.

"This particular dive operation will certainly stay with the team forever," said Lieutenant (Navy) Greg Oickle, Acting Commanding Officer of Fleet Diving Unit (Atlantic). "The divers' persistence and exemplary work played a crucial role in the efforts to give these airmen the respect and dignity that they deserve. The team is proud to have been part of this homage to their military predecessors."

The Royal Canadian Air Force is committed to the recovery of the Nomad aircraft. Planning for the necessary logistics of such a recovery and salvage operation, as well as the appropriate coordination with other interested parties, is underway.

Flight Lieutenant Campbell and Leading Aircraftsman Bates went missing on December 13, 1940, when their aircraft, Nomad 3521, was involved in a mid-air collision with another aircraft, Nomad 3512. Both aircraft were searching for a fellow airman who had gone missing during training the day before. Following the crash, only Nomad 3512 and its pilot and co-pilot were located. The Nomad 3521, with Flight Lieutenant Campbell and Leading Aircraftsman Bates onboard, remained missing.

Flight Lieutenant Campbell and Leading Aircraftsman Bates will be laid to rest in an interment ceremony set to take place on September 17, 2013, at Woodlawn Memorial Park in Guelph, Ont.

As discretion regarding this case is the best protection against disturbance of the crash site, information regarding the survey dive was kept in confidence until the interment was imminent, and a decision regarding the disposition of the aircraft had been made.


Northrop A-17 - History

Archive Photos ¹

(Photo by John Shupek copyright © 200x Skytamer Images)

Northrop Gamma 2G
Single-engine two-place closed cabin landplane monoplane racer

Archive Photos

Northrop Gamma 2G, NC13761, c/n 11 (Northrop photos via Skytamer Archive)

Overview &mdash Northrop Gama Series [2]

The Northrop Gama was a single-engine all-metal monoplane cargo aircraft used in the 1930s. Towards the end of its service life, it was developed into a light bomber.

Design and Development &mdash The Northrop Gama was a further development of the successful Northrop Alfa and shared its predecessor's aerodynamic innovations with wing fillets and multicellular stressed-skin wing construction. Like late Northrop Alphas, the fixed landing gear was covered in distinctive aerodynamic spats, and the aircraft introduced a fully enclosed cockpit.

Histórico Operacional &mdash The Northrop Gama saw fairly limited civilian service as mail planes with Trans World Airlines, but had an illustrious career as flying laboratory and record-breaking aircraft. The US military found the design sufficiently interesting to encourage Northrop to develop it into what eventually became the Northrop A-17 Nômade light attack aircraft. Military versions of the Northrop Gama saw combat with Chinese and Spanish Republican air forces. Twenty Five Northrop Gamma 2Es were assembled in China from components provided by Northrop.

On June 2, 1933 Frank Hawks flew his Northrop Gamma 2A Texaco Sky Chief from Los Angeles to New York in a record 13 hours, 26 minutes, and 15 seconds. In 1935, Howard Hughes improved on this time in his modified Northrop Gamma 2G making the west-east transcontinental run in 9 hours, 26 minutes, and 10 seconds.

The most famous Northrop Gama was the Northrop Gamma 2B Polar Star. The aircraft was carried via ship and off-loaded onto the pack ice in the Ross Sea during Lincoln Ellsworth's 1934 expedition to Antarctica. The Northrop Gamma 2B was almost lost when the ice underneath it broke and it had to be returned to United States for repairs. The Northrop Gamma 2B Polar Star's second return to Antarctica in September 1934 was also futile &mdash a connecting rod broke and the aircraft had to be returned yet again for repairs. On January 3, 1935, Ellsworth and pilot Bernt Balchen finally flew over Antarctica.

On November 23, 1935, Ellsworth and Canadian pilot Herbert Hollick-Kenyon attempted the world's first trans-Antarctic flight from Dundee Island in the Weddell Sea to Little America. The crew made four stops during their journey, in the process becoming the first people ever to visit Western Antarctica. During one stop, a blizzard completely packed the fuselage with snow which took a day to clear out. On December 5, after traveling over 2,400 miles (3,865 km) the aircraft ran out of fuel just 25 miles (40 km) short of the goal. The intrepid crew took six days to travel the remainder of the journey and stayed in the abandoned Richard E. Byrd camp until being found by the Discovery II research vessel on January 15, 1936. The Northrop Gamma 2B Polar Star was later recovered and donated to the Smithsonian National Air and Space Museum where it resides to this day.

Overview &mdash Northrop Gamma 2G [3]

Ordered by the already famous aviatrix Jacqueline Cochran, the Gamma 2G (X13761/NC13761) was the sole Gama to be powered by a liquid cooled engine, a 700-hp Curtiss Conqueror SGV-1570F-4 driving a two-blade propeller. The aircraft was fitted as a two-seater and did not have a forward cargo compartment, but in all other respects it was generally similar to the Gamma 2Ds. However, the aircraft was extensively damaged during its delivery flight on 30 September 1934, when the ferry pilot, Wesley Smith, was forced by the overheating Conqueror engine to make a forced landing near Tucumcari, New Mexico. This accident forced to Jacqueline Cochran to abandon her plan to enter the Gamma 2G in the MacRobertson race from England to Australia and the aircraft had to be rebuilt from parts from s/n 13, and uncompleted Gamma 2D. At that time the aircraft was re-engine with a Pratt & Whitney engine and Jacqueline Cochran entered it in the 1935 Bendix Trophy Race. Bad luck struck again as Jacqueline Cochran was forced out of the race by rapidly deteriorating weather conditions. She then leased the Gamma 2G to Howard Hughes, who had a 1000-hp Wright SR-1820-G2 radial engine, driving a three-blade constant speed propeller, installed. As the most powerful Gamma, the aircraft was used by Howard Hughes to set a new transcontinental nonstop record on 13-14 January 1936. The record flight was from Burbank, California to Newark, New Jersey in 9 hours 26 minutes 10 seconds with an average speed of 259 mph (417 km/h). Less than six months later, on 10 July 1936, the Gamma 2G was destroyed when engine failure on takeoff from Indianapolis, Indiana, forced Jackie Odlum to attempt an emergency landing. The aircraft nosed was over, ground looped and was damaged beyond repair.


Assista o vídeo: a 17