Joseph Goebbels - História

Joseph Goebbels - História


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Joseph Goebbels

1897- 1945

Líder nazista alemão

O propagandista nazista Joseph Goebbels recebeu um PhD em Literatura e História pela Universidade de Heidelberg. Em 1922, ele se juntou ao Partido Nazista e rapidamente subiu na hierarquia do partido.

Quando Hitler chegou ao poder em 1933, Goebbels foi nomeado chefe da propaganda, controlando todas as formas de mídia alemã - imprensa, rádio, cinema e teatro.

Ele usou essa posição para glorificar o movimento nazista e atacar seus oponentes. À medida que o fim da guerra se aproximava e as tropas russas chegavam a Berlim, Goebbels envenenou seus seis filhos e depois ele e sua esposa se mataram.


Filhos de Goebbels

o Filhos de Goebbels eram as cinco filhas e um filho nascido do ministro da propaganda nazista Joseph Goebbels e sua esposa Magda Goebbels. As crianças, nascidas entre 1932 e 1940, foram assassinadas pelos pais em Berlim em 1 de maio de 1945, dia em que ambos os pais se suicidaram.

Magda Goebbels tinha um filho mais velho, Harald Quandt, de um casamento anterior com Günther Quandt. Harald, então com 23 anos, era prisioneiro de guerra quando seus meio-irmãos mais novos foram mortos. Existem muitas teorias de como eles foram mortos, uma é que Magda Goebbels lhes deu algo "adoçado" para beber. Atualmente, a teoria mais sustentada é que eles foram mortos com uma cápsula de cianeto.


Conteúdo

A fonte da técnica da grande mentira é esta passagem, tirada do Capítulo 10 da tradução de James Murphy de Mein Kampf (a citação é um parágrafo na tradução de Murphy e no original alemão):

Mas coube aos judeus, com sua capacidade irrestrita de falsidade, e seus companheiros de luta, os marxistas, imputar a responsabilidade pela queda precisamente ao homem que sozinho havia demonstrado uma vontade e energia sobre-humanas em seu esforço para evitar a catástrofe que ele previu e para salvar a nação daquela hora de derrota completa e vergonha. Ao colocar a responsabilidade pela perda da guerra mundial sobre os ombros de Ludendorff, eles tiraram a arma do direito moral do único adversário perigoso o suficiente para ter sucesso em levar os traidores da Pátria à Justiça.

Tudo isso foi inspirado pelo princípio - que é bastante verdadeiro em si mesmo - de que na grande mentira sempre há uma certa força de credibilidade porque as grandes massas de uma nação são sempre mais facilmente corrompidas nas camadas mais profundas de sua natureza emocional do que conscientemente ou voluntariamente e, portanto, na simplicidade primitiva de suas mentes, eles caem mais facilmente vítimas da grande mentira do que da pequena mentira, uma vez que eles próprios muitas vezes contam pequenas mentiras em pequenas questões, mas teriam vergonha de recorrer a falsidades em grande escala.

Nunca entraria em suas cabeças fabricar inverdades colossais, e eles não acreditariam que outros pudessem ter o atrevimento de distorcer a verdade de forma tão infame. Mesmo que os fatos que provam isso possam ser trazidos claramente à sua mente, eles ainda duvidarão e vacilarão e continuarão a pensar que pode haver alguma outra explicação. Pois a mentira grosseiramente atrevida sempre deixa rastros, mesmo depois de ter sido pregada, um fato que é conhecido por todos os mentirosos experientes neste mundo e por todos os que conspiram juntos na arte de mentir.

O historiador da Guerra Fria Zachary Jonathan Jacobson descreve seu uso: [10]

Adolf Hitler primeiro definiu a Grande Mentira como uma ferramenta desviante usada pelos judeus vienenses para desacreditar o comportamento dos alemães na Primeira Guerra Mundial. No entanto, de maneira tragicamente irônica, foram Hitler e seu regime nazista que realmente empregaram a estratégia mentirosa. Em um esforço para reescrever a história e culpar os judeus europeus pela derrota da Alemanha na Primeira Guerra Mundial, Hitler e seu ministro da propaganda os acusaram de lucrar com a guerra, associar-se com potências estrangeiras e "esquivar-se da guerra" (evitando o recrutamento). Os judeus, afirmou Hitler, eram o ponto fraco do estado de Weimer, que expôs a leal e verdadeira população alemã a um colapso catastrófico. Para vender esta narrativa, Joseph Goebbels insistiu que "toda propaganda eficaz deve ser limitada a alguns poucos pontos e deve ser repetida em slogans até que o último membro do público compreenda."

Em suma, o fascismo nazista dependia da criação de uma mentira simplificada e abrangente. os nazistas construíram uma ideologia sobre uma ficção, a noção de que a derrota da Alemanha na Primeira Guerra Mundial poderia ser vingada (e revertida) purgando a população alemã dos supostamente responsáveis: os judeus.

A frase "grande mentira" também foi usada em um relatório preparado durante a guerra pelo Escritório de Serviços Estratégicos dos Estados Unidos ao descrever o perfil psicológico de Hitler: [11]

Suas regras principais eram: nunca permita que o público se acalme, nunca admita uma falha ou erro, nunca conceda que pode haver algo de bom em seu inimigo, nunca deixe espaço para alternativas, nunca aceite a culpa, concentre-se em um inimigo de cada vez e culpe-o por tudo que dá errado, as pessoas acreditarão em uma grande mentira mais cedo do que em uma pequena e, se você repeti-la com frequência, mais cedo ou mais tarde acreditarão. (CIA) [12]

A citação acima aparece no relatório, Uma análise psicológica de Adolph Hitler: sua vida e lenda, por Walter C. Langer, [12] [13] que está disponível nos Arquivos Nacionais dos EUA. [14] Uma citação um tanto semelhante aparece em Análise da personalidade de Adolph Hitler: com previsões de seu comportamento futuro e sugestões para lidar com ele agora e depois da rendição da Alemanha, por Henry A. Murray, outubro de 1943: [15]

Nunca admitir uma falha ou erro, nunca aceitar a culpa, concentre-se em um inimigo de cada vez, culpe esse inimigo por tudo que dá errado, aproveite todas as oportunidades para levantar um turbilhão político.

Joseph Goebbels apresentou uma teoria que passou a ser mais comumente associada à expressão "grande mentira". Goebbels escreveu o seguinte parágrafo em um artigo datado de 12 de janeiro de 1941, dezesseis anos depois que Hitler usou a frase pela primeira vez. O artigo, intitulado "Aus Churchills Lügenfabrik" (inglês: "From Churchill's Lie Factory") foi publicado em Die Zeit ohne Beispiel.

O segredo essencial da liderança inglesa não depende de uma inteligência particular. Em vez disso, depende de uma estupidez estúpida. Os ingleses seguem o princípio de que, quando alguém mente, deve-se mentir grande e seguir firme. Eles mantêm suas mentiras, mesmo correndo o risco de parecer ridículos. [16]

A seguinte suposta citação de Joseph Goebbels foi repetida em vários livros e artigos e em milhares de páginas da web, mas nenhum deles citou uma fonte primária. De acordo com a pesquisa e o raciocínio de Randall Bytwerk, é improvável que Goebbels tenha dito: [17]

Se você contar uma mentira grande o suficiente e continuar repetindo-a, as pessoas acabarão por acreditar nela. A mentira só pode ser mantida enquanto o Estado puder proteger o povo das consequências políticas, econômicas e / ou militares da mentira. Assim, torna-se de vital importância para o Estado usar todos os seus poderes para reprimir a dissidência, pois a verdade é o inimigo mortal da mentira e, portanto, por extensão, a verdade é o maior inimigo do Estado.

Para apoiar suas tentativas de derrubar a eleição presidencial dos Estados Unidos em 2020, o presidente Donald Trump e seus aliados alegaram repetidamente e falsamente que houve uma grande fraude eleitoral e que Trump realmente venceu a eleição. [6] [7] Os senadores norte-americanos Josh Hawley e Ted Cruz posteriormente contestaram os resultados da eleição no Senado. [19] Seu esforço foi caracterizado como "a grande mentira" pelo então presidente eleito Joe Biden: "Eu acho que o público americano tem uma visão muito boa e clara de quem eles são", disse Biden dois dias após o Capitólio ser atacado. "Eles são parte da grande mentira, a grande mentira." [20] Os senadores republicanos Mitt Romney e Pat Toomey, estudiosos do fascismo Timothy Snyder e Ruth Ben-Ghiat, a especialista em assuntos russos Fiona Hill e outros também usaram o termo grande mentira para se referir às falsas alegações de Donald Trump sobre fraude eleitoral em massa. [21] Em maio de 2021, o partido Republicano passou a abraçar a falsa narrativa e usá-la como justificativa para impor novas restrições de voto a seu favor. [22]

A Dominion Voting Systems, que forneceu urnas eletrônicas a muitas jurisdições na eleição de 2020, está pedindo US $ 1,3 bilhão em danos ao advogado de Trump, Rudy Giuliani. No processo, o Dominion alega que "ele e seus aliados fabricaram e disseminaram a 'Grande Mentira', que previsivelmente se tornou viral e enganou milhões de pessoas fazendo-os acreditar que o Dominion havia roubado seus votos e fixado a eleição." [23]

No início de 2021, O jornal New York Times examinou a promoção de Trump da "grande mentira" para fins políticos para subverter as eleições de 2020 e concluiu que a mentira encorajou o ataque ao Capitólio dos Estados Unidos em 2021. [8] [24]

Durante o segundo julgamento de impeachment de Donald Trump, os gerentes da casa Jamie Raskin, Joe Neguse, Joaquin Castro, Stacey Plaskett e Madeleine Dean usaram a frase "a grande mentira" repetidamente para se referir à noção de que a eleição foi roubada, com um total de 16 menções apenas na apresentação inicial. "A Grande Mentira", que antecedeu e incluiu o período eleitoral, constituiu a primeira seção da parte "provocação" do argumento. [25] [26]

No início de 2021, vários republicanos proeminentes tentaram se apropriar do termo "a grande mentira", alegando que se referia a outras questões. [27] Trump afirmou que o termo se refere às "Eleições Presidenciais Fraudulentas de 2020". [28] Mitch McConnell e Newt Gingrich disseram que "a grande mentira" é a oposição aos novos requisitos restritivos de identificação do eleitor. [27] [29]


Joseph Goebbels - História

O reverendo Dr. Hardy Lloyd tem uma longa história de ativismo pelos direitos civis europeus. Ele fundou o ONS em 1993, e co-fundou o White Pittsburgh Front com os skinheads locais em 2003. Ele detém o posto de Sumo Sacerdote na religião da Criatividade, tendo sido ordenado pelo Rev. Matt Hale. Ele também formou a IGREJA DA CRIATIVIDADE em 2003, que se tornou a IGREJA DE BEN KLASSEN em 2015. Ele é membro e apoiador dos seguintes grupos: Igreja Mundial do Criador, Movimento Criativo, Aliança Criativa, The National - Partido Socialista dos Trabalhadores Americanos, The Amerikan Free Core, Wotan's Volk, The Keystone State Skinheads, White Aryan Resistance, The National Alliance and White Revolution. Ele também inspirou a formação do grupo 'Ordem Nacional Socialista' (Divisão AtomWaffen) em 2015. Muitos de seus ensaios podem ser lidos no WIKILEAKS, e ele também é citado em vários livros sobre a demolição das Torres Gêmeas, bem como nos EUA "Doméstico Terrorismo". Ele escreveu 4 livros: O MANUAL DE CRIATIVIDADE, O MANUAL DE CRIATIVIDADE, O MANIFESTO DO LOBO (que inclui o ensaio A FILOSOFIA DO LOBO) e A BÍBLIA WOTANIST. Os ENSAIOS WOLF foram usados ​​como inspiração para os seguintes filmes: RAMPAGE, RAMPAGE 2 - Pena de morte, RAMPAGE 3 - President Down, e ASSAULT ON WALL STREET. Ele é formado em medicina por East Peoria, Illinois, em medicina salubriosa, e tem um doutorado em filosofia por New Hampshire. Ele fez 11 anos no sistema de campos de concentração do JOG, sempre permanecendo fiel à sua fé!

A ORDEM DO SOCIALISMO NACIONAL (ONS) foi fundada em 1993 pelo Rev. Dr. Hardy Lloyd como uma organização espiritual e filosófica. É uma ordem mundial, descentralizada, que segue os ensinamentos filosóficos do Dr. Lloyd, Misticismo Nazista e Fascismo Tradicional, bem como as filosofias de BEN KLASSEN, Julius Evola, Francis Parker Yockey, Giovoni Gentili, Rene Guenon, Savitri Devi, Miguel Serano, Adolf Hitler, Joseph Paul Franklin, Nietzsche, George Lincoln Rockwell, Strasser, Mussolini e LaVey. Foi fundado com os seguintes mandatos: 1) Divulgar os ensinamentos espirituais e filosóficos do nazismo e do fascismo. 2) Unir TODAS AS PESSOAS sob a Terceira Posição em uma União Mundial de Fascistas. 3) Para salvar a raça europeia da extinção. Os seguidores acreditam que os JUDEUS são a manifestação física da força negativa (mal) e que a Civilização Europeia é a força positiva (boa) criada para detê-los. Os seguidores honram seus ancestrais diariamente, vivem pelos princípios do nazismo e acreditam no martírio para a promoção da sagrada Jihad, a erradicação completa das joias mundiais, sionismo, comunismo, judaísmo, o JOG (estados unidos perdidos, canuckastan + inglaterra) e cristo -insanidade.

A IGREJA DE BEN KLASSEN, anteriormente conhecida como IGREJA DA CRIATIVIDADE, foi fundada pelo Dr. Lloyd em 2003, com a renomeação em 2015. Esta pequena igreja, com seguidores em vários países, começou como uma ruptura com a IGREJA MUNDIAL DA CRIADOR (agora conhecido como MOVIMENTO DE CRIATIVIDADE). Dr. Lloyd é o PM, ou Grande Sumo Sacerdote da igreja. A igreja de Lloyd's permitiu a existência de uma terceira igreja da Criatividade durante uma era bastante sombria dos Direitos Civis Brancos. O CoBK não é administrado como uma organização política, nem como um grupo de membros. O CoBK é administrado como uma igreja da velha escola, embora radical e extrema. Em 2021, a Igreja foi relançada com um propósito renovado!

O WHITE PITTSBURGH FRONT (The WPF) foi co-fundado pelo Dr. Lloyd, Isaac Skipworth, George + Bob do KSS e Billy, um ex-membro do NSM & # 8230. Foi formada em 2003 e continua até hoje. Ele se concentra no ativismo de rua, principalmente skinhead, em Western PA e Eastern Ohio. É mais ativo em Pittsburgh, Johnstown e Cleveland. Eles realizam um piquenique anual e passeios de avião a cada primavera e verão. Hardy Lloyd ainda é um associado, mas não lida mais com liderança. A WPF estava envolvida na grande briga no bar MOOSE, e mais tarde foi descoberto que não havia infringido nenhuma lei. É uma associação e NÃO um grupo de membros!

NOTA: O fascismo e o nazismo são filosofias multi-raciais e multiétnicas. O Rev. Dr. Lloyd fez networking com TODAS AS RAÇAS de dezenas de países !! Ele tem família e komrades na América Latina, e é etnicamente latino (também conhecido como Nordic Hispanic, ou às vezes referido como White Latinos. As pessoas de aparência alemã no Telemundo seriam um exemplo). Observe também que a criatividade abrange TODOS OS EUROPEUS, independentemente da sua nacionalidade ou etnia! REJEITAMOS TOTALMENTE TODAS E QUAISQUER FORMAS DE NORDACISMO !!

* Envie cartas para nossa caixa postal em: H. L. (ou C.O.B.K.) - Caixa postal 301792 - Austin, TX 78703

* Rev. Dr. Lloyd's Website - www.hardylloyd.net

* Site da Igreja de Ben Klassen - www.churchofbenklassen.org

* Endereço de e-mail - [email protected]

* Canal de telegrama do Rev. Dr. Lloyd (*** BACK-UP DE EMERGÊNCIA ***) - https://t.me/DrHardyLloyd

* Grupo do Rev. Dr. Lloyd no MeWe (backup para seu blog) - https://mewe.com/join/theorderofnational-socialism1

* Grupo do Rev. Church Of Ben Klassen no MeWe (back-up para o blog do CoBK) - https://mewe.com/join/thechurchofbenklassen

* Blog do Dr. Lloyd - HardyLloyd.blogspot.com

* Blog da Igreja de Ben Klassen - churchofbenklassen.blogspot.com

* Dr. Lloyd no Telegram - @DoctorHardyLloyd

* Canal Twitch do Dr. Hardy Lloyd - https://m.twitch.tv/drhardylloyd/profile

* Dr. Hardy Lloyd's no BitChute - DrHardyLloyd

* Dr. Lloyd no MeWe - https://mewe.com/i/hardylloyd2

* Dr. Lloyd em VK - https://m.vk.com/drhardylloyd

* Dr. Lloyd em Parler - @DoctorHardyLloyd

* Dr. Lloyd on Rumble - @DrHardyLloyd

* Dr. Lloyd on Gab - @DrHardyLloyd

* Dr. Lloyd's Radio Show - https://www.talkshoe.com/conf/show/rev-dr-hardy-lloyd

* E verifique a seção LINKS na parte inferior da coluna da direita para grupos com interesses semelhantes, bem como a seção SNIPPETS para os próximos DISCURSOS e FLIER DRIVES.


Joseph Goebbels

Paul Joseph Goebbels nasceu em 29 de outubro de 1897, em Rheydt, Alemanha, uma cidade industrial localizada na Renânia. Por causa de um pé torto que adquiriu durante uma crise de osteomielite na infância, um inchaço da medula óssea, o jovem Goebbels foi dispensado do serviço no exército alemão durante a Primeira Guerra Mundial (1914-18). Em vez disso, ele frequentou uma série de universidades alemãs, onde estudou literatura e filosofia, entre outras disciplinas, e obteve um doutorado. em Filologia Alemã pela Universidade de Heidelberg.

Na primeira metade da década de 1920, depois de tentar sem sucesso estabelecer uma carreira como jornalista, romancista e dramaturgo, Goebbels tornou-se membro do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (nazista), que promovia o orgulho alemão e o anti-semitismo. Goebbels eventualmente conheceu o líder da organização, Adolf Hitler. Naquela época, a inflação havia destruído a economia alemã e o moral dos cidadãos alemães, que haviam sido derrotados na Primeira Guerra Mundial, estava baixo. Hitler e Goebbels eram da opinião de que palavras e imagens eram dispositivos potentes que podiam ser usados ​​para explorar esse descontentamento. Hitler ficou impressionado com a capacidade de Goebbels de comunicar seus pensamentos por escrito, enquanto Goebbels estava encantado com o talento de Hitler para falar na frente de grandes multidões e empregar palavras e gestos para brincar com o orgulho nacionalista alemão.

Ascensão ao poder nazista

Goebbels ascendeu rapidamente na hierarquia do Partido Nazista. Primeiro, ele se separou de Gregor Strasser (1892-1934), o líder do bloco partidário mais anticapitalista, que ele inicialmente apoiou, e juntou-se ao mais conservador Hitler. Então, em 1926, ele se tornou um líder de distrito do partido em Berlim. No ano seguinte, ele estabeleceu e escreveu comentários no Der Angriff (O Ataque), um jornal semanal que defendia a linha do Partido Nazista.

Em 1928, Goebbels foi eleito para o Reichstag, o Parlamento alemão. Mais significativamente, Hitler o nomeou diretor de propaganda do Partido Nazista. Foi nessa posição que Goebbels começou a formular a estratégia que moldou o mito de Hitler como um líder brilhante e decisivo. Ele organizou reuniões políticas massivas nas quais Hitler foi apresentado como o salvador de uma nova Alemanha. Em um golpe de mestre, Goebbels supervisionou a colocação de câmeras de cinema e microfones em locais essenciais para acentuar a imagem e a voz de Hitler. Tais eventos e manobras desempenharam um papel fundamental em convencer o povo alemão de que seu país recuperaria sua honra apenas dando apoio inabalável a Hitler.

Ministro da Propoganda

Em janeiro de 1933, Hitler se tornou o chanceler alemão e, em março daquele ano, nomeou Goebbels como ministro do esclarecimento público e propaganda do país. Nessa qualidade, Goebbels tinha jurisdição completa sobre o conteúdo de jornais, revistas, livros, músicas, filmes, peças de teatro, programas de rádio e artes plásticas alemães. Sua missão era censurar toda a oposição a Hitler e apresentar o chanceler e o Partido Nazista da maneira mais positiva, ao mesmo tempo em que instigava o ódio ao povo judeu.

Em abril de 1933, por ordem de Hitler, Goebbels orquestrou um boicote às empresas judaicas. No mês seguinte, ele foi uma força orientadora na queima de livros "não-alemães" em uma cerimônia pública na Ópera de Berlim. As obras de dezenas de escritores foram destruídas, incluindo os autores alemães Erich Maria Remarque (1898-1970), Arnold Zweig (1887-1968), Thomas Mann (1875-1955), Albert Einstein (1879-1955) e Heinrich Mann ( 1871-1950), e não alemães como Émile Zola (1840-1902), Helen Keller (1880-1968), Marcel Proust (1871-1922), Upton Sinclair (1878-1968), Sigmund Freud (1856-1939) , HG Wells (1866-1946), Jack London (1876-1916) e André Gide (1869-1951).

Em setembro de 1933, Goebbels tornou-se diretor da recém-formada Câmara de Cultura do Reich, cuja missão era controlar todos os aspectos das artes criativas. Um desdobramento da formação da câmara foi o desemprego forçado de todos os artistas criativos judeus, incluindo escritores, músicos e atores e diretores de teatro e cinema. Como os nazistas viam a arte moderna como imoral, Goebbels instruiu que toda essa arte “decadente” fosse confiscada e substituída por obras de conteúdo mais representativo e sentimental. Então, em outubro, foi aprovada a Lei de Imprensa do Reich, que ordenava a remoção de todos os editores judeus e não nazistas dos jornais e revistas alemães.

No início da Segunda Guerra Mundial em 1939, Goebbels foi incumbido da tarefa de elevar o espírito do povo alemão e empregar a mídia, e especificamente o cinema, para convencer a população a apoiar o esforço de guerra. Um projeto típico que ele instigou foi “Der ewige Jude,” também conhecido como “O Judeu Eterno” (1940), um filme de propaganda que ostensivamente mapeou a história dos judeus. No filme, no entanto, os judeus são retratados como parasitas que perturbam um mundo de outra forma organizado. Goebbels também orquestrou a produção de “Jud Süss” (1940), um longa-metragem que retrata a vida de Josef Süss Oppenheimer (1698-1738), um judeu consultor financeiro que coletou impostos para o duque Karl Alexander de Württemberg (1684-1737), governante do Ducado de Württemberg, no início do século XVIII. Após a morte repentina do duque, Oppenheimer foi levado a julgamento e executado. Sob a administração do projeto por Goebbels, a história de Jud Süss foi transformada de uma tragédia humana em uma alegoria sobre a auto-importância e ganância judaicas.

À medida que a guerra avançava e as baixas alemãs aumentavam, Goebbels tornou-se um defensor de uma batalha total até a morte contra as forças aliadas. Nesse sentido, ele empregou suas próprias habilidades como orador público para incitar ainda mais a população alemã. Em uma ocasião, em agosto de 1944, falando no Palácio dos Esportes de Berlim, ele ordenou ao povo alemão que apoiasse um esforço de guerra total. Se a Alemanha estava destinada a perder a guerra, ele raciocinou, era apropriado que a nação e o povo alemães fossem destruídos.

Quando 1944 se transformou em 1945, a derrota alemã parecia inevitável para o regime nazista. Enquanto outros chefões nazistas faziam contato com os Aliados na esperança de negociar um tratamento tolerante após a rendição alemã, Goebbels permaneceu firmemente devotado a Hitler.

Durante os últimos dias de abril de 1945, quando as tropas soviéticas estavam no limiar de Berlim, Hitler foi enfiado em seu bunker. Goebbels era o único oficial nazista sênior a seu lado. Em 30 de abril, Hitler cometeu suicídio aos 56 anos e Goebbels o substituiu como chanceler da Alemanha. No entanto, o reinado de Goebbels durou pouco. No dia seguinte, ele e sua esposa, Magda (1901-45), envenenaram fatalmente seus seis filhos. O casal então tirou a própria vida, embora os relatos de como exatamente morreram variem.


Agora transmitindo

Sr. Tornado

Sr. Tornado é a história notável do homem cujo trabalho inovador em pesquisa e ciência aplicada salvou milhares de vidas e ajudou os americanos a se preparar e responder a fenômenos climáticos perigosos.

A Cruzada da Pólio

A história da cruzada contra a pólio presta homenagem a uma época em que os americanos se uniram para vencer uma doença terrível. A descoberta médica salvou inúmeras vidas e teve um impacto generalizado na filantropia americana que continua a ser sentido hoje.

Oz americano

Explore a vida e os tempos de L. Frank Baum, criador da amada O Maravilhoso Mágico de Oz.


Joseph Goebbels e citações gt

& ldquoOne sempre sente a necessidade de lavar as mãos depois de ser forçado a lidar com os métodos do intervencionismo dos EUA. É tão desagradável e imundo que estremece. Quando alguém ouve a piedosa bobagem da plutocracia mundial liderada pelos judeus no rádio ou a lê na imprensa, basta olhar os bastidores para sentir pena das misérias da humanidade. Que tal homem tenha a ousadia de nos julgar, de invocar a Deus e ao mundo como testemunhas da pureza de seus atos, de incitar a guerra e enviar pessoas inocentes cantando "Avante Soldados Cristãos" para lutar por seus imundos interesses financeiros, só pode preencher qualquer um com o mais primitivo senso de decência com o mais profundo horror. Se houvesse apenas essas pessoas no mundo, seria necessário desprezar a humanidade.

"Mr. Roosevelt Cross-Examined", 30 de novembro de 1941 & rdquo
& # 8213 Joseph Goebbels

& ldquoAcredito que a história tem significado. As desgraças que nos atingiram não podem destruir esta fé. Tenho certeza de que o Führer encontrará uma saída para o dilema e que só então o significado exteriormente perdido desta guerra será renovado. Os testes que temos que suportar hoje são enormes e colocam o povo alemão em provações que ele raramente enfrentou em sua história. No entanto, devemos permanecer firmes, ou então tudo estará perdido. Esta guerra será decidida um segundo antes da meia-noite. Se depormos nossas armas antes disso, as coisas só podem ir contra nós. Cada um de nós sabe o que isso significaria. Nosso inimigo nos disse isso com freqüência e abertamente o suficiente para que ninguém mais possa ter a menor dúvida. Se um de nós de vez em quando esquece que no meio dos eventos da guerra e se entrega e a nação ao desastre comum, ele deve ser melhor ensinado por um lembrete amigável ou um aviso firme. Não é hora de perdoar fraqueza ou fraqueza. Nosso foco é inteiramente e apenas em nosso povo, que está em meio a uma grave crise de vida. Só nós podemos resolver esta crise. Se tivermos sucesso, ganhamos tudo, se cairmos, perderemos tudo.

"Arriscando a própria vida", Das Reich, 15 de abril de 1945. & rdquo
& # 8213 Joseph Goebbels

& ldquoQuem é que leva os russos, os ingleses e os americanos à batalha e sacrifica um grande número de vidas humanas em uma luta desesperada contra o povo alemão? Os judeus! Seus jornais e programas de rádio espalham canções de guerra enquanto as nações que eles enganaram são levadas à matança. Quem é que inventa novos planos de ódio e destruição contra nós todos os dias, fazendo desta guerra um caso terrível de automutilação e autodestruição da vida europeia e da sua economia, educação e cultura? Os judeus! Quem planejou o casamento antinatural entre a Inglaterra e os EUA de um lado e o bolchevismo do outro, construindo-o e zelosamente garantindo sua continuidade? Quem encobre as situações políticas mais perversas com hipocrisia cínica de um medo trêmulo de que uma nova forma poderia levar as nações a perceber as verdadeiras causas desta terrível catástrofe humana? Os judeus, apenas os judeus! Eles são chamados de Morgenthau e Lehmann e estão atrás de Roosevelt como um conhecido grupo de confiança. Eles são chamados de Mechett e Sasoon e servem como sacos de dinheiro e distribuidores de pedidos de Churchill. Eles são chamados de Kaganovitsch e Ehrenburg e são os pioneiros e porta-vozes intelectuais de Stalin. Para onde quer que você olhe, você vê judeus. Eles marcham como comissários políticos atrás do Exército Vermelho e organizam assassinatos e terror nas áreas conquistadas pelos soviéticos. Eles se sentam atrás das linhas em Paris e Bruxelas, Roma e Atenas, e moldam suas rédeas com a pele das nações infelizes que caíram sob seu poder.

“Die Urheber des Unglücks der Welt,” Das Reich, 21 de janeiro de 1945 & rdquo
& # 8213 Joseph Goebbels


Discurso de Palast do Total War-Göbbels Sport

Como todos os líderes delirantes, Hitler não teria sido capaz de realizar seus planos sem ter pessoas ao seu redor que encorajassem suas idéias delirantes.

Göbbels foi, sem sombra de dúvida, o capanga e capacitador mais devotado de Hitler e # 8217.

Em 18 de fevereiro de 1943, ele fez seu discurso mais famoso no Sport Palast em Berlim. O objetivo do discurso era convencer o povo alemão de uma guerra total, afirmando que uma guerra total seria uma guerra mais curta. Pelo menos é o que dizem os banners no pódio.

Nesse estágio, a maré da Segunda Guerra Mundial estava se voltando contra a Alemanha. Göbbels fez seu discurso no Sportpalast de Berlim para um público cuidadosamente selecionado de 14.000 funcionários do partido, veteranos de guerra, trabalhadores e mulheres. Milhões de outros alemães ouviram o discurso pelo rádio.

Abaixo está a tradução em inglês da parte principal do discurso e também a versão em áudio gravada do discurso.

2Permitam-me, para determinar o que é a verdade, fazer uma série de perguntas a vocês, meus camaradas alemães, às quais vocês devem responder da melhor maneira possível. Quando meus ouvintes indicaram sua aprovação espontânea às minhas exigências de 30 de janeiro, a imprensa britânica no dia seguinte afirmou que tinha sido um espetáculo de propaganda e não representava o verdadeiro estado de espírito do povo alemão.
Bem, para esta reunião de hoje convidei um grupo representativo, no melhor sentido da palavra, do povo alemão. Na minha frente estão sentados, fileiras em fileiras, soldados feridos da frente oriental, homens com corpos cicatrizados, com pernas ou braços amputados, homens cegos em ação que vieram aqui com suas enfermeiras da Cruz Vermelha, homens no auge da vida cujo muletas estão diante deles. Entre eles, conto até 50 usuários do Oak Leaf Cluster e do Knight & # 8217s Cross, uma esplêndida delegação de nossa frente de combate. Atrás deles, há um bloco de trabalhadores do setor de armamentos, da fábrica de carros blindados de Berlim & # 8217. Atrás deles, estão sentados homens das várias organizações do partido, soldados de nossas forças de combate, médicos, cientistas, artistas, engenheiros, arquitetos, professores, funcionários, funcionários públicos de seus escritórios e estudos, orgulhosos representantes de nossa vida intelectual em todos os seus níveis , a quem o país neste tempo de guerra deve milagres de inventividade e gênio humano. Distribuído por todo o auditório do Palácio dos Esportes, vejo milhares de mulheres alemãs. A juventude está representada, e também a idade venerável. Nenhuma propriedade, nenhuma profissão, nenhuma faixa etária foi esquecida quando nossos convites foram enviados. Assim, posso dizer com propriedade que diante de mim está um corte transversal de todo o povo alemão, na frente e em casa. Isso é correto?

Então vocês, meus ouvintes, estão representando a nação neste momento. E é a você quem eu gostaria de fazer dez perguntas. Dê-me suas respostas, junto com o povo alemão, diante de todo o mundo, mas principalmente diante de nossos inimigos.

Os britânicos afirmam que a nação alemã perdeu a fé na vitória. Eu lhe pergunto: você acredita, com o Führer e conosco, na vitória final e total do povo alemão? Eu lhe pergunto: você está decidido a seguir o Führer em todos os momentos na busca pela vitória, mesmo que isso signifique a mais pesada das contribuições de sua parte?

Segundo. Os britânicos afirmam que a nação alemã está cansada da luta. Eu lhe pergunto: você está preparado para continuar esta luta com determinação implacável, e não desanimado por qualquer circunstância decretada pelo destino, para continuar com o Führer, como a falange da frente doméstica atrás de nossos exércitos combatentes, até que a vitória seja nossa?

Terceiro. Os britânicos afirmam que os alemães não estão mais dispostos a aceitar a quantidade cada vez maior de trabalho de guerra exigido deles pelo governo. Eu lhe pergunto: você e a nação alemã estão decididos a trabalhar dez, doze e, se necessário, quatorze ou dezesseis horas por dia, se o Führer ordenar, e dar tudo de si pela vitória?

Quarto. Os britânicos afirmam que a nação alemã está resistindo às medidas do governo de guerra total, que o que os alemães querem não é uma guerra total, mas rendição. Eu te pergunto: você quer uma guerra total? Você quer, se necessário, ainda mais total e radical do que somos capazes de imaginar hoje?

Quinto. Os britânicos afirmam que a nação alemã perdeu sua confiança no Führer. Eu lhe pergunto: sua confiança no Führer é mais apaixonada, mais inabalável do que nunca? Você está pronto para segui-lo em todos os seus caminhos e fazer o que for necessário para levar a guerra a uma conclusão bem-sucedida, absoluta e ilimitada?

Eu te faço minha sexta pergunta. Are you prepared henceforth to devote your entire strength to providing the Eastern front with the men and materials it needs to give Bolshevism its mortal blow?

I ask you my seventh question. Do you swear a solemn oath to the fighting front that the country stands behind it, its morale high, and will give it everything necessary to achieve victory?

I ask you my eighth question. Do you, especially you, the women yourselves, want the government to see to it that German women, too, give all their energies to the pursuit of the war, filling jobs wherever possible to free men for action and thus to help their men at the front?

I ask you my ninth question. Do you approve, if necessary, the most radical of measures against a small group of draft-dodgers and blackmarketeers, who play peace in the midst of war, and mean to exploit people’s sufferings for their own selfish purposes? Do you agree that a person who interferes with the war effort shall lose his head?

As my tenth and last question I ask you: Is it your wish that even in wartime, as the party program commands, equal rights and equal duties shall prevail, that the home front shall give evidence of its solidarity and take the same heavy burdens of war upon its shoulders, and that the burdens be distributed equitably, whether a person be great or small, poor or rich?

I have asked you. You have given me your answers. You are a part of the nation your response has thus shown the attitude of the German people. You have told our enemies what they must know lest they abandon themselves to illusions and misinformation. “

I am passionate about my site and I know a you all like reading my blogs. I have been doing this at no cost and will continue to do so. All I ask is for a voluntary donation of $2 ,however if you are not in a position to do so I can fully understand, maybe next time then. Thanks To donate click on the credit/debit card icon of the card you will use. If you want to donate more then $2 just add a higher number in the box left from the paypal link. Many thanks


Conteúdo

The Bible offers two explanations of the name Yosef: first, it is compared to the word asaf from the root /'sp/, "taken away": "And she conceived, and bore a son and said, God hath taken away my reproach" Yosef is then identified with the similar root /ysp/, meaning "add": "And she called his name Joseph and said, The LORD shall add to me another son." [7] The Jewish Encyclopedia says that it is a theophoric name referencing YHWH. [8] The name can also consist of the Hebrew yadah meaning "praise", "fame" and the word asaf. [ citação necessária ]


Lida Baarová: Her Fall And Her Redemption

When World War II ended, Lída Baarová immediately attempted to return to Berlin. Arrested at the border by U.S. military police, she was extradited to Czechoslovakia. For 18 months, she faced a death sentence in Pankrac prison, trying to survive on the barest of rations.

After being released for lack of evidence, she learned that her family had been persecuted because of her association with Goebbels. Her mother had died of a heart attack while being interrogated. Unable to face the contempt of her colleagues, her sister had jumped out of a window and committed suicide.

YouTube Lída Baarová and her sister Zorka Janů, 1939.

While other actors of her era managed to resuscitate their careers after the fall of the Third Reich, Lída Baarová never escaped the shadow of the Nazis. She did continue to work. She was even cast in prestigious films like I Vitelloni directed by Federico Fellini. Rainer Werner Fassbinder gave her a role in the touring production of The Bitter Tears of Petra von Kant.

Still, she was shunned and unforgiven by many. In 1967, she was greeted at the Graz Theatre by protesters throwing eggs.

Some time in the early 1990s, after a political shift in the country, Lída Baarová returned to the Czech Republic and published her autobiography, Života sladké hořkosti (A Life of Sweet Bitterness) In 1995, she was interviewed by Helena Trestikova for a television documentary.

Smoking cigarette after cigarette, with hands shaky from Parkinson’s disease, she repeatedly circled around her unfortunate affair with Joseph Goebbels. “I loved him in my own way,’ she ruefully confessed, “I was very young and you are very susceptible at that age … He loved me so deeply, that I fell in love with love itself.”

Lída Baarová died in 2000, at the age of 86, in Salzburg. She had no children, though she was married twice after the furor over her notorious affair died down. In 2016, a film based on her life — The Devil’s Mistress — was made in the Czech Republic. It starred Tatiana Pauhofová as Baarová and Karl Markovics as Joseph Goebbels.

Now that you’ve read about the tragic life of Lída Baarová, find out about Coco Chanel’s secret life as a Nazi agent. The, learn about the facts — and myths — of Eva Braun, Hitler’s infamous consort.



Comentários:

  1. Ehren

    Tópico divertido

  2. Pirro

    Desculpe...

  3. Mu'tazz

    Muitos russos começam a vida todas as manhãs com uma lousa limpa... - Uma lousa limpa? - Sim, com um lençol limpo! E deixe-os terminar o dia no seu blog)!



Escreve uma mensagem