Facebook levanta US $ 16 bilhões na maior oferta pública inicial de tecnologia da história dos EUA

Facebook levanta US $ 16 bilhões na maior oferta pública inicial de tecnologia da história dos EUA


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O Facebook, a maior rede social do mundo, mantém sua oferta pública inicial (IPO) e arrecada US $ 16 bilhões. Foi o maior IPO de tecnologia da história americana até aquela data, e o terceiro maior IPO de todos os tempos nos Estados Unidos, depois dos da Visa e General Motors. Na época em que se tornou público, o Facebook estava avaliado em US $ 104 bilhões e tinha cerca de 900 milhões de usuários registrados em todo o mundo.

O Facebook foi fundado como TheFacebook em fevereiro de 2004 pelo segundo ano da Universidade de Harvard, Mark Zuckerberg, e seus colegas Chris Hughes, Eduardo Saverin e Dustin Moskovitz. O site originalmente era apenas para alunos de Harvard; no entanto, logo se abriu para outras universidades. Em junho de 2004, Zuckerberg mudou o Facebook para Palo Alto, Califórnia, e no final do ano vários empreendedores do Vale do Silício haviam investido no negócio e ele tinha quase um milhão de usuários registrados. Em 2005, o Facebook (como ficou oficialmente conhecido naquele ano quando “the” foi retirado de seu nome) se espalhou para escolas americanas e estrangeiras e, no ano seguinte, qualquer pessoa com pelo menos 13 anos foi autorizada a se inscrever. (O Facebook sempre foi livre para participar; na época de seu IPO, a maior parte das receitas da empresa vinha da publicidade.)

Conforme a base de usuários do site cresceu rapidamente e sua funcionalidade se expandiu (o "feed de notícias" foi adicionado em 2006 e o ​​recurso "curtir" em 2009), o Facebook ajudou a mudar a forma como as pessoas se comunicam e compartilham informações. Durante a corrida presidencial dos EUA em 2008, Barack Obama usou o Facebook para conquistar seguidores, especialmente entre os eleitores jovens, um eleitorado que o ajudou a ganhar a Casa Branca. Além disso, durante os levantes políticos no Oriente Médio que começaram no final de 2010 e passaram a ser chamados de Primavera Árabe, ativistas usaram o Facebook (e outras ferramentas de mídia social, notadamente o Twitter) para compartilhar fotos e vídeos de atrocidades que seus governos estavam cometendo contra os cidadãos , e também para organizar eventos de protesto.

Em 2010, A rede social, um longa-metragem sobre a fundação do Facebook, fez sua estreia. O filme, que recebeu oito indicações ao Oscar, é uma crônica do processo de 2004 movido por Cameron e Tyler Winklevoss e Divya Narendra, estudantes de Harvard na mesma época que Zuckerberg, que alegou ter roubado a ideia original do Facebook deles. O Facebook contra-atacou e, em 2008, os Winklevosses e o Narendra concordaram em um acordo de US $ 65 milhões com a empresa.

O Facebook fez do Dobbs Ferry, de Nova York, o nativo Zuckerberg, filho de um dentista, um bilionário. Na época da tão esperada IPO da empresa em 18 de maio de 2012, Zuckerberg valia cerca de US $ 19 bilhões. No entanto, apesar de toda a fanfarra em torno do IPO do Facebook, suas ações fecharam o primeiro dia de negociação a $ 38,23, apenas ligeiramente acima do preço do IPO de $ 38, que muitos investidores consideraram um desempenho decepcionante.


Por anos, o Facebook e Zuckerberg resistiram tanto às aquisições quanto a abrir o capital da empresa. A principal razão pela qual a empresa decidiu abrir o capital é porque ultrapassou o limite de 500 acionistas, de acordo com o blogueiro financeiro da Reuters, Felix Salmon. [2]

O Facebook supostamente recusou uma oferta de US $ 75 milhões da Viacom em 2006. [3] No mesmo ano, o Yahoo! tentou comprar a empresa por US $ 1 bilhão, mas Zuckerberg recusou. [4] Também naquele ano, Semana de negócios relatou uma avaliação de US $ 2 bilhões para a empresa. [5]

O Facebook aceitou investimentos de empresas, e esses investimentos sugeriram avaliações flutuantes para a empresa. Em 2007, a Microsoft venceu o Google para comprar uma participação de 1,6% por US $ 240 milhões, dando ao Facebook um valor nocional de US $ 15 bilhões na época. [4] A Microsoft comprou ações preferenciais, o que significava que a avaliação real da empresa seria consideravelmente inferior a US $ 15 bilhões. [6] Enquanto isso, essa avaliação caiu para $ 10 bilhões em 2009, quando a Digital Sky Technologies comprou uma participação de quase 2% por $ 200 milhões [7] - uma participação maior do que a Microsoft comprou a um preço inferior. Um relatório de investimento em 2011 avaliou a empresa em US $ 50 bilhões. [8]

Zuckerberg queria esperar para conduzir uma oferta pública inicial, dizendo em 2010 que "definitivamente não estamos com pressa". [9] Mas, uma vez que em 2012 o Facebook tinha mais de 500 acionistas do lote redondo (mais de 100 ações), o Facebook estava sujeito às regras de divulgação da SEC a partir do ano seguinte, 2013. Zuckerberg tinha pouca escolha sobre se um IPO tinha que ser feito em uma vez.

Edição de arquivamento e roadshow

O Facebook entrou com um pedido de oferta pública inicial em 1 de fevereiro de 2012, arquivando seu documento S1 com a Securities and Exchange Commission (SEC). [10] O prospecto preliminar anunciava que a empresa tinha 845 milhões de usuários ativos mensais e que seu site apresentava 2,7 bilhões de curtidas e comentários diários. [11] O processo observou que os aumentos da empresa no número de membros, bem como suas receitas, estavam diminuindo e que a desaceleração provavelmente continuaria. [12]

Para garantir que os primeiros investidores mantivessem o controle da empresa, o Facebook em 2009 instituiu uma estrutura de ações de duas classes. [9] Após o IPO, Zuckerberg deveria manter uma participação acionária de 22% no Facebook e possuir 57% das ações com direito a voto. [13] O documento também afirmava que a empresa buscava levantar US $ 5 bilhões, o que a tornaria uma das maiores IPOs da história da tecnologia e a maior da história da Internet. [14]

O roadshow enfrentou um "começo difícil" inicialmente. [15] [16] Zuckerberg levantou polêmica por usar um moletom (em vez de um terno de negócio habitual) na primeira reunião com investidores. [17] O analista da Wedbush Securities, Michael Pachter, chamou isso de "marca de imaturidade". [17] Um vídeo de meia hora de duração reproduzido durante a reunião também frustrou os investidores que queriam discutir mais detalhes técnicos, [16] e foi descartado para reuniões futuras. [18]

Edição de avaliação

Antes da avaliação oficial, o preço-alvo das ações aumentava constantemente. No início de maio, a empresa pretendia uma avaliação em algum lugar de $ 28 a $ 35 por ação [19] [20] ($ 77 bilhões a $ 96 bilhões). [21] Em 14 de maio, elevou as metas de $ 34 para $ 38 por ação. [22] Alguns investidores até sugeriram uma avaliação de $ 40, embora uma queda no mercado de ações no dia anterior ao IPO encerrou tal especulação. [23]

A forte demanda, especialmente de investidores de varejo, sugeriu que o Facebook poderia escolher um preço de oferta relativamente alto. [23] Em última análise, os subscritores estabeleceram um preço de $ 38 por ação, no topo de sua faixa-alvo. [23] Este preço avaliou a empresa em $ 104 bilhões, a maior avaliação até agora para uma empresa recém-aberta. [24]

Em 16 de maio, dois dias antes do IPO, o Facebook anunciou que venderia 25% a mais de ações do que o planejado originalmente devido à alta demanda. [25] Isso significava que as ações seriam lançadas com 421 milhões de ações. [23]

O IPO do Facebook trouxe comparações inevitáveis ​​com outras ofertas de empresas de tecnologia. Alguns investidores expressaram grande interesse no Facebook porque sentiram que haviam perdido os ganhos massivos que o Google viu na sequência de seu IPO. [23] Enquanto isso, as ações do LinkedIn dobraram em seu primeiro dia. [23]

A US $ 26,81 por ação, que o Facebook fechou uma semana após seu IPO, o Facebook foi avaliado como "uma empresa de ultra-crescimento", de acordo com Robert Leclerc do Financial Post. Seu índice de PE era de 85, apesar de um declínio tanto nos ganhos quanto nas receitas no primeiro trimestre de 2012. [26]

Vários comentaristas argumentaram retrospectivamente que o Facebook havia sido fortemente supervalorizado por causa de um mercado privado ilíquido no SecondMarket, onde as negociações de ações eram mínimas e, portanto, os preços instáveis. A avaliação agregada do Facebook subiu de janeiro de 2011 a abril de 2012, antes de despencar após o IPO em maio - mas isso foi em um mercado amplamente ilíquido, com menos de 120 negociações a cada trimestre durante 2010 e 2011. "As avaliações no mercado privado estão indo para tornar 'difícil abrir o capital' ", de acordo com Mary Meeker, uma investidora de risco americana e ex-analista de títulos de Wall Street. [27]

Edição de metas de preços

Antes do IPO, vários investidores definiram metas de preços para a empresa. Em 14 de maio, antes que o preço da oferta fosse anunciado, o analista da Sterne Agee, Arvind Bhatia, estimou a empresa em US $ 46 em entrevista ao A rua. [19] O entrevistador advertiu Bhatia contra o que ela percebeu como a baixa valorização de Bhatia, sugerindo que a ação poderia subir para "60, 70, 80 dólares" e subir para US $ 60 no primeiro dia de negociação. [19] Em 17 de maio, um dia antes da oferta, o analista Jim Krapfel da Morningstar sugeriu que apenas um aumento de 50% ou mais no primeiro dia seria visto positivamente "qualquer coisa abaixo disso seria desanimador." [23] Lee Simmons da Dun & amp Bradstreet previu ganhos mais modestos no primeiro dia, na faixa de 10 a 20%. [23] Nenhum analista entrevistado pela Reuters projetou uma redução no primeiro dia. [23] Outros eram menos otimistas. Grande parte de Wall Street expressou preocupação sobre o que considerou uma alta avaliação. Citando a relação preço / lucro de 108 para 2011, os críticos afirmaram que a empresa teria de passar por "um crescimento financeiro quase ridículo [para a avaliação] para fazer sentido". [12] Outras empresas negociam em taxas muito mais baixas, embora haja exceções notáveis. Escritores do TechCrunch expressaram ceticismo semelhante, afirmando: "Esse é um grande múltiplo a ser cumprido, e [o Facebook] provavelmente precisará adicionar novos fluxos de receita ousados ​​para justificar a avaliação gigantesca". [28]

Os próprios primeiros investidores expressaram ceticismo semelhante. Sinais de alerta antes do IPO indicavam que vários desses investidores estavam interessados ​​em vender suas ações da empresa. [21] A Accel Partners planejava descarregar até 28% de suas ações, enquanto a Goldman Sachs estava pronta para vender até 50% de suas ações. [21] Rolfe Winkler do Wall Street Journal sugeriu que, dadas as preocupações dos insiders, o público deveria evitar abocanhar as ações. [21] Os funcionários do Facebook estavam menos preocupados, com Mark Zuckerberg planejando vender apenas 6%. [21]

Análise dos fundamentos Editar

Em um tom otimista, O jornal New York Times previu que a oferta superaria dúvidas sobre as dificuldades do Facebook em atrair anunciantes para transformar a empresa em um "estoque obrigatório". Jimmy Lee do JPMorgan Chase o descreveu como "o próximo grande blue-chip". [29]

Alguns analistas expressaram preocupação com o modelo de receita do Facebook, ou seja, suas práticas de publicidade. [12] Brian Wieser do Pivotal Research Group argumentou que, "Embora o Facebook seja muito promissor, é um modelo de anúncio não comprovado." [12] Para melhor monetizar o envolvimento do usuário, a empresa poderia melhorar a publicidade. [12] No entanto, tais esforços podem prejudicar a privacidade do usuário. [12] Além disso, alguns anunciantes expressaram preocupação com o valor dos anúncios que compraram no Facebook. [12] A General Motors anunciou que retiraria sua campanha de $ 10 milhões da rede social poucos dias antes do IPO. [23] A empresa automobilística pediu anúncios "maiores e mais chamativos", mas o Facebook recusou. [30]

Na construção imediata da oferta, o interesse público aumentou. Alguns disseram que é "tanto um fenômeno cultural quanto uma história de negócios". [23] Enquanto isso, o próprio Facebook comemorou a ocasião com uma "hackathon" que durou toda a noite na véspera do IPO. [31] Zuckerberg tocou uma campainha da Hacker Square no campus do Facebook em Menlo Park, Califórnia, para anunciar a oferta, como é habitual para CEOs no dia em que suas empresas abrem o capital. [31]

Edição do primeiro dia

A negociação deveria começar às 11h00, horário do leste dos EUA, na sexta-feira, 18 de maio de 2012. No entanto, a negociação foi adiada para as 11h30, hora do leste, devido a problemas técnicos com a bolsa NASDAQ. [32] [33] Esses tremores iniciais prenunciariam problemas contínuos que o primeiro dia de negociação foi prejudicado por várias falhas técnicas que impediram a aprovação das ordens, [34] ou até mesmo confundiram os investidores quanto ao sucesso ou não de suas ordens. [32]

A negociação inicial viu as ações dispararem para US $ 45. [32] No entanto, o rali inicial foi insustentável. As ações tiveram dificuldade para ficar acima do preço do IPO durante a maior parte do dia, forçando os subscritores a recomprar ações para sustentar o preço. [35] Apenas as falhas técnicas mencionadas acima e o suporte do subscritor impediram que o preço das ações caísse abaixo do preço do IPO no primeiro dia de negociação. [36]

No sino de fechamento, as ações estavam avaliadas em $ 38,23, [37] apenas 0,23 acima do preço do IPO e $ 3,82 abaixo do valor do sino de abertura. A inauguração foi amplamente descrita pela imprensa financeira como uma decepção. [38]

Apesar dos problemas técnicos e de um valor de fechamento relativamente baixo, a ação bateu um novo recorde de volume de negociação de um IPO (460 milhões de ações). [39] O IPO também acabou levantando $ 16 bilhões, tornando-se o terceiro maior na história dos EUA (logo à frente da AT & ampT Wireless e atrás apenas da General Motors e Visa Inc.). [29] [40] O preço das ações deixou a empresa com uma capitalização de mercado maior do que todas, exceto algumas corporações dos EUA - ultrapassando pesos pesados ​​como Amazon.com, McDonald's, Disney e Kraft Foods - e fez as ações de Zuckerberg valerem $ 19 bilhões. [29] [40]

Dias subsequentes Editar

O valor das ações do Facebook caiu durante nove dos treze dias de negociação seguintes, registrando ganhos durante apenas quatro. [41] No dia seguinte de negociação após o IPO (21 de maio), as ações fecharam abaixo de seu preço de oferta, em $ 34,03. [41] A ação teve outra grande perda no dia seguinte, fechando a $ 31,00. [41] Um 'disjuntor' foi usado na tentativa de desacelerar a queda no preço das ações. [42] As ações aumentaram modestamente nos próximos dias, e o Facebook fechou sua primeira semana inteira de negociações a $ 31,91. [41] As ações voltaram a ter perdas na maior parte de sua segunda semana completa, e perderam mais de um quarto de seu valor inicial no final de maio. Isso levou a Wall Street Journal para chamar o IPO de um "fiasco". [43] A ação fechou sua segunda semana completa de negociações em 1 de junho em $ 27,72. Em 6 de junho, os investidores haviam perdido US $ 40 bilhões. [44] O Facebook encerrou sua terceira semana completa em $ 27,10, um pouco menos do que na semana anterior. [45] O estoque permaneceu abaixo da marca de $ 38 por meses e finalmente atingiu o fundo do poço em setembro de 2012 abaixo de $ 18. [46]

As ações não voltaram aos $ 38 iniciais novamente até agosto do ano seguinte, 16 meses depois. [46]

As metas de preços para o novo estoque variaram consideravelmente. Em 4 de junho, sete dos quinze analistas ouvidos pela FactSet Research sugeriram preços acima do preço da ação, efetivamente aconselhando uma "compra". [49] Quatro de quinze sugeriram uma "espera", enquanto outros quatro de quinze sugeriram "vender". [49] Sanford Bernstein foi o mais baixo do grupo, fixando o estoque em $ 25. [49]

Em 11 de dezembro de 2013, a Standard & amp Poor's anunciou que o Facebook se juntaria ao seu índice S & ampP 500 "após o fechamento das negociações em 20 de dezembro", informou a Reuters. [50]

Edição Financeira

O IPO teve impactos imediatos no mercado de ações. Outras empresas de tecnologia foram atingidas, enquanto as bolsas como um todo viram os preços amortecidos. As empresas de investimento enfrentaram perdas consideráveis ​​devido a falhas técnicas. A Bloomberg estimou que os investidores de varejo podem ter perdido aproximadamente US $ 630 milhões em ações do Facebook desde sua estreia. [51] O UBS sozinho pode ter perdido até $ 350 milhões. [52] A bolsa de valores Nasdaq ofereceu $ 40 milhões para empresas de investimento atormentadas por falhas de computador no dia da oferta. [32] Embora consideravelmente mais alto do que o limite usual de $ 3 milhões em reembolsos, era improvável que compensasse as grandes perdas dos investidores. [32] Além disso, a rival Bolsa de Valores de Nova York satirizou o movimento como um "precedente prejudicial" e um subsídio desnecessário na esteira dos passos em falso da Nasdaq. [32] A Nasdaq afirmou ter resolvido os problemas que afetavam a oferta e contratou a IBM para uma revisão técnica. [32]

O IPO impactou tanto os investidores do Facebook quanto a própria empresa. Dizia-se que proporcionava recompensas saudáveis ​​para os capitalistas de risco que finalmente viram os frutos de seu trabalho. [12] Em contraste, foi dito que afetava negativamente os investidores individuais, como os funcionários do Facebook, que viram ações antes valiosas se tornarem menos lucrativas. [12] De maneira mais geral, o IPO decepcionante foi dito para reduzir o interesse nas ações por parte dos investidores. [12] Isso tornaria mais difícil para a empresa acumular reservas de caixa para grandes despesas futuras, como aquisições. [12] A CBS News disse que "a marca do Facebook leva um grande golpe para isso", principalmente por causa do interesse público que cercou a oferta. [44]

Algumas implicações sugeridas para outras empresas além do Facebook especificamente. O IPO pode prejudicar os lucros dos subscritores que enfrentam investidores céticos em relação ao setor de tecnologia. [12] No longo prazo, o processo problemático "torna mais difícil para a próxima empresa de mídia social que deseja abrir o capital." [12] Enquanto o Wall Street Journal chamados por uma perspectiva ampla sobre o assunto, eles concordaram que as avaliações e o financiamento para futuras IPOs de startups poderiam sofrer um golpe. [53] A empresa de viagens online Kayak.com adiou seu roadshow IPO devido aos problemas do Facebook. [44] O analista Trip Chowdhry sugeriu uma conclusão ainda mais ampla com relação aos IPOs, argumentando "que o hype não vende mais, exceto os fundamentos." [12] A CBS News comparou a situação à bolha pontocom, alertando que "você pensaria que todos nós teríamos aprendido a lição" daquele período de supervalorização. [44]

Embora devesse trazer benefícios significativos para a Nasdaq, o IPO resultou em um relacionamento tenso entre o Facebook e a bolsa. [54] O Facebook considerou mover sua listagem para uma bolsa concorrente. [54]

Edição Legal

Mais de 40 ações judiciais foram movidas em relação ao IPO do Facebook no mês seguinte. [55]

Alistair Barr, da Reuters, relatou que os principais subscritores do Facebook, Morgan Stanley (MS), JP Morgan (JPM) e Goldman Sachs (GS), todos cortaram suas previsões de lucros para a empresa no meio do roadshow IPO. [56] Alguns [ quem? ] entraram com ações judiciais, alegando que um subscritor do Morgan Stanley revelou seletivamente estimativas de ganhos ajustados para clientes preferenciais. Os subscritores restantes (MS, JPM, GS) e o CEO e o conselho do Facebook também estão enfrentando processos judiciais. [57] Acredita-se que os ajustes nas estimativas de lucros foram comunicados aos subscritores por um diretor financeiro do Facebook, que por sua vez usou as informações para sacar suas posições, deixando o público em geral com ações superfaturadas. [58]

Além disso, uma ação coletiva está sendo preparada [ por quem? ] devido a falhas de negociação, que levaram a pedidos malsucedidos. [59] [60] Aparentemente, as falhas impediram vários investidores de vender as ações durante o primeiro dia de negociação, enquanto o preço das ações estava caindo - forçando-os a incorrer em perdas maiores quando suas negociações finalmente foram concluídas.

Em junho de 2012, o Facebook solicitou que todas as ações judiciais fossem consolidadas em uma, por causa da sobreposição de conteúdo. [55]

O Morgan Stanley acertou acusações de influenciar indevidamente analistas de pesquisa por US $ 5 milhões em dezembro de 2012.

Edição Regulatória

O IPO do Facebook está agora sob investigação e foi comparado a esquemas de bombeamento e despejo. [12] [34] [56] [61] Funcionários do governo convocaram investigações nas semanas seguintes. A presidente da Comissão de Valores Mobiliários, Mary Schapiro, e o presidente da Autoridade Reguladora da Indústria Financeira (FINRA), Rick Ketchum, pediram uma revisão das circunstâncias que cercaram o problemático IPO. [61] Em 22 de maio, os reguladores da Autoridade Reguladora da Indústria Financeira de Wall Street anunciaram que haviam começado a investigar se os bancos que subscreviam o Facebook haviam compartilhado indevidamente informações apenas com clientes selecionados, ao invés do público em geral. O secretário de Estado de Massachusetts, William Galvin, intimou o Morgan Stanley sobre a mesma questão. [62] As alegações geraram "fúria" entre alguns investidores e levaram ao arquivamento imediato de várias ações judiciais, uma delas uma ação coletiva que reivindicava mais de US $ 2,5 bilhões em perdas devido ao IPO. [63]

Trocas secundárias Editar

Antes da criação de bolsas de valores no mercado secundário, como SecondMarket e SharesPost, as ações de empresas privadas tinham muito pouca liquidez. No entanto, esse não é mais o caso. Os funcionários do Facebook estavam encontrando compradores privados para descarregar suas ações já em 2007, e quando o SharesPost foi lançado em 2009, os primeiros funcionários começaram a sair em massa. As ações Classe B do Facebook foram negociadas a até US $ 44,50 / ação (US $ 46,30 / ação após as comissões) no SharesPost antes do IPO.

Edição de reputação

A reputação do Morgan Stanley, o principal subscritor de IPO, e da NASDAQ foram prejudicados nas consequências da oferta malfeita.

Em entrevistas com a mídia, os banqueiros pareceram otimistas com o resultado. "Achamos que Morgan se saiu muito bem no negócio", disse uma pessoa em um banco que era um dos outros subscritores do Facebook à CNN Money. "Deixando de lado a reputação do banco, o Facebook não tem sido um negócio ruim para Morgan." Isso porque, mesmo com os preços das ações caindo, Morgan "acumulou grandes lucros" ao negociar as ações. [64]

A reputação de Morgan em IPOs de tecnologia estava "em apuros" após a oferta do Facebook. A subscrição de ofertas de ações tornou-se uma parte importante dos negócios de Morgan após a crise financeira, gerando US $ 1,2 bilhão em taxas desde 2010. Mas, ao assinar um preço de oferta que era muito alto ou ao tentar vender muitas ações ao mercado, Morgan agravou os problemas , escreve o editor sênior da CNN Money, Stephen Gandel. De acordo com Brad Hintz, analista da Sanford Bernstein, "isso é algo que outros bancos poderão usar contra eles quando estiverem competindo por negócios". [65]


A rede social

O Facebook é provavelmente o maior site de rede social do mundo. A empresa foi fundada por um grupo de alunos de Harvard - notavelmente Mark Zuckerberg - em fevereiro de 2004 e foi originalmente criada para ser um diretório para os alunos de Harvard.

À medida que a popularidade do site se expandiu, ele se ramificou para incluir alunos de outras escolas antes de se tornar a rede social líder, aberta a qualquer pessoa com mais de 13 anos com um endereço de e-mail válido. Em 31 de março de 2021, a empresa ostentava 2,85 bilhões de usuários ativos mensais.

No primeiro trimestre de 2021, o Facebook registrou receita de US $ 26,17 bilhões, em comparação com US $ 17,74 bilhões no primeiro trimestre de 2020 - um aumento de quase 48%. O lucro líquido ou lucro chegou a US $ 9,50 bilhões no primeiro trimestre de 2021 contra US $ 4,90 bilhões no primeiro trimestre de 2020 - um aumento de 94% em relação ao ano anterior.


Se você tivesse investido no Facebook após seu IPO

O Facebook fez seu pedido há muito aguardado de uma oferta pública inicial com a Securities and Exchange Commission (SEC) em 1 de fevereiro de 2012. Antes de sua oferta pública inicial, o Facebook declarou ter um lucro líquido de US $ 1 bilhão em 2011, o que foi um aumento de 65% em relação a 2010. A empresa também informou que tinha 845 milhões de usuários ativos mensais e 483 milhões de usuários ativos diários em 31 de dezembro de 2011.

Em 18 de maio de 2012, o Facebook realizou sua oferta pública inicial e, na época, era o maior IPO de tecnologia da história dos Estados Unidos. O Facebook ofereceu 421.233.615 ações a um preço de US $ 38 por ação e levantou US $ 16 bilhões por meio dessa oferta.

Supondo que você seria capaz de comprar ações por $ 38, apesar da oferta ser permeada por questões comerciais, você teria atualmente 26 ações ($ 1.000 dividido por $ 38). Em 24 de julho de 2015, as ações da Facebook Incorporated fecharam em $ 96,95. Em três anos, você teria um retorno sobre o investimento de 155,13%, ou ($ 96,95 * 26 ações - $ 38 * 26 ações) / ($ 38 * 26 ações). Em 24 de julho de 2015, esse investimento teria valido $ 2.520,70, ou $ 96,95 * 26 ações.

As ações do Facebook não subiram muito por um período de tempo. Em vez disso, as ações caíram mais de $ 20 do preço do IPO para $ 17,55 por ação em 4 de setembro de 2012. Com essa baixa, seu retorno sobre o investimento teria sido de -53,82%, ou ($ 17,55 * 26 ações) - ($ 38 * 26 ações) / ($ 38 * 26 ações). Alguns analistas e traders acreditam que a empresa estava supervalorizada e o IPO estava com preços muito altos, o que levou ao crash.

Então, o que aconteceria se você tivesse comprado $ 1.000 em ações do FB em seu IPO e os mantivesse até hoje? Com um preço de ação de $ 261,90,40 em 1º de outubro de 2020, suas 26 ações pelas quais você pagou $ 1.000 agora valeriam $ 6.850,64, um ganho de 6x o investimento original.


Modelo de negócios caro

Quatro das cinco mega ofertas entre 2019 e 2020 - Uber, Lyft, DoorDash e Airbnb - são líderes na economia de compartilhamento, o que significa que seus modelos são baseados em mercados ponto a ponto. Eles conectam empresas com consumidores por meio de tecnologia e logística e recebem uma parte de cada transação.

Todas as quatro empresas contaram com grandes quantidades de capital externo para expandir suas redes, promover seus serviços, expandir rapidamente para novos mercados, contratar agressivamente e oferecer incentivos para ambos os lados do mercado. Com todo esse dinheiro queimando, apenas o Airbnb registrou lucro líquido no último trimestre, e isso depois de cortar custos de vendas e marketing e reduzir sua base de funcionários em 25% por causa da pandemia.

A Snowflake é diferente: ela vende software em nuvem e conta com uma força de vendas corporativa mais tradicional. A Snowflake arrecadou US $ 3,9 bilhões em setembro, o maior IPO de software de todos os tempos. A oferta avaliou Snowflake em US $ 33 bilhões, um número que mais que dobrou quando a empresa começou a negociar.

Foi o tipo de pop de primeiro dia que irrita os céticos do IPO, que reclamam que as empresas de tecnologia deixam muito dinheiro na mesa, oferecendo uma esmola gratuita para novos investidores institucionais. O DoorDash e o Airbnb certamente não ajudaram no assunto, saltando 85% e 112%, respectivamente, para fora do portão.

Em outras palavras, embora tenham levantado mais dinheiro em seus IPOs do que qualquer outra empresa de tecnologia antes deles, seu desempenho sugere que eles poderiam ter levantado muito mais dinheiro sem diluição adicional.

& quotAlém da era pontocom (1999-2000), nunca vi nada parecido com tantas empresas & quot escreveu David Golden, sócio da Revolution Ventures em San Francisco que anteriormente dirigia banco de investimento em tecnologia no JPMorgan, em um o email. & quotE as avaliações são aparentemente desvinculadas de quaisquer métricas analíticas que eu & # x27 entendi. & quot

Ofertas anteriores entre as 10 primeiras tiraram cada centavo que podiam de seus IPOs. O Facebook estava basicamente estável em sua estreia, antes de negociar em baixa nas semanas seguintes. Lyft subiu um pouco no primeiro dia e depois caiu, enquanto o Uber afundou imediatamente.

Os pops do DoorDash e do Airbnb foram particularmente notáveis ​​porque as empresas usaram um modelo de leilão híbrido para seus IPOs. Os executivos puderam solicitar ofertas de investidores e examinar todo o livro de pedidos antes de determinar um preço, dando-lhes uma melhor capacidade de vender ações com base na demanda real, sem fornecer o desconto típico.

Ambas as empresas aumentaram sua faixa inicial e, em seguida, o preço foi bem acima do limite superior. Ainda assim, as ações dispararam na abertura. Ritter diz que se não fosse pela abordagem do pseudo leilão, poderia ter sido pior.

"Sem a exigência de que os investidores apresentem um preço e também uma quantidade em seus pedidos que lhes permita ver a curva de demanda, minha aposta é que os subscritores" recomendariam um preço ainda mais baixo ", disse Ritter. & quotClaramente, eles deixaram muito mais questões sobre a mesa do que o necessário. & quot


Facebook levanta $ 16 bilhões na maior oferta pública inicial de tecnologia da história dos EUA - 18 de maio de 2012 - HISTORY.com

TSgt Joe C.

Neste dia da história, o Facebook, a maior rede social do mundo, realiza sua oferta pública inicial (IPO) e arrecada US $ 16 bilhões. Foi o maior IPO de tecnologia da história americana até aquela data, e o terceiro maior IPO de todos os tempos nos Estados Unidos, depois dos da Visa e General Motors. Na época em que se tornou público, o Facebook estava avaliado em US $ 104 bilhões e tinha cerca de 900 milhões de usuários registrados em todo o mundo.

O Facebook foi fundado como TheFacebook em fevereiro de 2004 pelo segundo ano da Universidade de Harvard, Mark Zuckerberg, e seus colegas Chris Hughes, Eduardo Saverin e Dustin Moskovitz. Originalmente, o site era apenas para estudantes de Harvard, mas logo se abriu para outras universidades. Em junho de 2004, Zuckerberg mudou o Facebook para Palo Alto, Califórnia, e no final do ano vários empreendedores do Vale do Silício haviam investido no negócio e ele tinha quase um milhão de usuários registrados. Em 2005, o Facebook (como ficou oficialmente conhecido naquele ano quando “the” foi retirado de seu nome) se espalhou para escolas americanas e estrangeiras e, no ano seguinte, qualquer pessoa com pelo menos 13 anos foi autorizada a se inscrever. (O Facebook sempre foi livre para participar na época de seu IPO, a maior parte das receitas da empresa veio de publicidade.)

Conforme a base de usuários do site cresceu rapidamente e sua funcionalidade se expandiu (o "feed de notícias" foi adicionado em 2006 e o ​​recurso "curtir" em 2009), o Facebook ajudou a mudar a forma como as pessoas se comunicam e compartilham informações. Durante a corrida presidencial dos EUA em 2008, Barack Obama usou o Facebook para conquistar seguidores, especialmente entre os eleitores jovens, um eleitorado que o ajudou a ganhar a Casa Branca. Além disso, durante os levantes políticos no Oriente Médio que começaram no final de 2010 e passaram a ser chamados de Primavera Árabe, ativistas usaram o Facebook (e outras ferramentas de mídia social, notadamente o Twitter) para compartilhar fotos e vídeos de atrocidades que seus governos estavam cometendo contra os cidadãos , e também para organizar eventos de protesto. (No final de junho de 2012, mais de 80 por cento dos usuários ativos mensais do Facebook estavam fora da América e do Canadá.)

Em 2010, estreou “The Social Network”, longa-metragem sobre a fundação do Facebook. O filme, que recebeu oito indicações ao Oscar, narra o processo de 2004 movido por Cameron e Tyler Winklevoss e Divya Narendra, estudantes de Harvard na mesma época que Zuckerberg, que alegou ter roubado a ideia original do Facebook deles. O Facebook contra-atacou e, em 2008, os Winklevosses e o Narendra concordaram em um acordo de US $ 65 milhões com a empresa.

O Facebook fez do Dobbs Ferry, de Nova York, o nativo Zuckerberg, filho de um dentista, um bilionário. Na época da tão esperada IPO da empresa em 18 de maio de 2012, Zuckerberg valia cerca de US $ 19 bilhões. No entanto, apesar de toda a fanfarra em torno do IPO do Facebook, suas ações fecharam o primeiro dia de negociação a $ 38,23, apenas ligeiramente acima do preço do IPO de $ 38, que muitos investidores consideraram um desempenho decepcionante.


Preço IPO do Facebook: $ 38 por ação

O CEO da Faceboook, Mark Zuckerberg, supervisionará um IPO de US $ 16 bilhões, tornando-o o terceiro maior IPO da história dos EUA.

NOVA YORK (CNNMoney) - Depois de quatro meses de papelada, exagero e especulação, a última peça do IPO do Facebook está em vigor: o Facebook disse que fixou o preço de seu IPO em US $ 38 por ação.

A esse preço, o IPO do Facebook levantará US $ 16 bilhões, tornando-se o maior IPO de tecnologia da história. É o terceiro maior IPO dos EUA de todos os tempos, atrás apenas dos US $ 19,7 bilhões levantados pela Visa (V, Fortune 500) em março de 2008 e os US $ 18,1 bilhões levantados pela montadora General Motors (GM, Fortune 500) em novembro de 2010, de acordo com o ranking da Thomson Reuters .

Existem ainda mais alguns passos antes que as ações do Facebook estejam prontas para negociação. The company is waiting for the Securities and Exchange Commission to declare its IPO effective -- the formal green light Facebook and its underwriters need before they can sell shares to outside buyers.

The $38 IPO price is the rate at which Facebook's underwriters (including lead banker Morgan Stanley) will sell shares to their clients, which typically include large institutional investors, mutual funds and hedge funds.

Shares will be released Thursday night to those buyers, who can resell them on the open market beginning on Friday.

Some shares were made available to individual investors, but getting them typically requires either a lot of money or a lot of trading experience. It also required moving fast. Many brokerages offering pieces of Facebook's IPO allotment "closed their books" on Tuesday, meaning they stopped taking orders.

When can I buy? Ordinary investors looking to get a piece of Facebook will have to wait until Friday morning.

Unlike Google ( GOOG , Fortune 500), whose IPO used a "Dutch auction" to allow direct bidding by investors, Facebook's setup doesn't give regular folks access until shares begin trading publicly on the tech-heavy Nasdaq exchange.

While the market opens at 9:30 am ET on Friday, Facebook's shares won't start trading instantly. It typically takes time -- sometimes an hour or more -- for newly listed shares to begin actively trading on the day of their public debut.

How much Facebook is worth: Facebook's ( FB ) market capitalization will hover around $81 billion on the day of its IPO.

Many Facebook employees and executives hold unexercised stock options. If all of those shares were exercised, Facebook's outstanding share count would rise to around 2.8 billion -- pushing the company's total valuation closer to $107 billion.

Who's selling shares: Facebook CEO and founder Mark Zuckerberg plans to sell 30.2 million shares in the IPO offering. That will net Zuckerberg about $1.1 billion.

But Zuckerberg won't be hanging on to his cash. Facebook said he will use the "substantial majority" of the windfall to cover the massive tax bill he'll be hit with, thanks to his plan to exercise a large stock-options grant that will increase his ownership stake in the company he founded.

After the offering, Zuckerberg will hold 503.6 million shares, or about 31% of the company. That stake is worth $19.1 billion.

Venture capital firm Accel Partners, which is the largest shareholder outside of Zuckerberg, is selling 49 million shares in the offering. That's about a quarter of its Facebook holdings.

-- CNNMoney's Chris Isidore and Maureen Farrell contributed reporting.


Facebook trading sets record IPO volume

Facebook CEO and founder Mark Zuckerberg rang the opening bell remotely, from company headquarters in California.

NEW YORK (CNNMoney) -- Facebook's stock market debut finally came and went -- but for all the breathless hype, shares ended right near their offering price.

On Thursday night, Facebook ( FB ) set its final IPO price at $38 a share. When the stock began trading at 11:30 a.m. ET on Friday, the first trade came in at $42.05 per share -- a gain of nearly 11%.

But the stock quickly reversed course, dropping down to hover right around the $38 IPO price for much of midday trading. Though shares rose modestly for short bursts of time throughout the day, they ended the session at $38.23.

While the price itself didn't move much, trading was fast and intense. More than 80 million shares changed hands in the first 30 seconds of trading. By the end of the day, volume had spiked to around 567 million shares.

That easily set a new volume record for IPOs, smashing the previous record that automaker General Motors ( GM , Fortune 500) set in 2010 with trading of around 450 million shares.

Facebook's trading had been expected to start around 11 a.m. ET, but the opening was delayed.

Facebook founder and CEO Mark Zuckerberg rang the Nasdaq opening bell remotely, from the company's headquarters in California. Facebook celebrated its public debut by gathering its staff Thursday night for an all-night hackathon.

At the $38 IPO price, Facebook is on track to raise $16 billion -- making it the largest tech IPO in history. It's the third largest U.S. IPO ever, trailing only the $19.7 billion raised by Visa ( V , Fortune 500) in March 2008 and the $18.1 billion raised by automaker GM in November 2010, according to rankings by Thomson Reuters.

Underwriters have the option to purchase an extra 63.2 million shares to cover any so-called over-allotments for excess demand. If that happens, Facebook will sell 484.4 million shares in total. That would bring the amount raised to $18.4 billion.

How much Facebook is worth: At $38 per share, Facebook's market capitalization would be around $81 billion on IPO day.

Many Facebook employees and executives hold unexercised stock options. If all of those shares were exercised, Facebook's outstanding share count would rise to around 2.8 billion -- pushing the company's total valuation closer to $107 billion.

Among all global companies, Facebook has the third-highest IPO-day valuation in history, according to data from DealLogic.

SecondMarket, an exchange on which people can buy and sell stock in private companies, posted data on Friday about Facebook's private-trading history.

It wasn't until 2010 that SecondMarket's Facebook trades racked up significant volume, so Facebook's trades before that tended to be one-off deals at a low per-share price. In April 2010, Facebook fetched an average price of $9.82 per share on a monthly average basis. One year later, the rate jumped to $31.46.

As of April 5, Facebook shares were trading for an average of $42.72 each -- nearly $4 higher than the IPO price.

Who's selling shares: Zuckerberg plans to sell 30.2 million shares in the IPO offering. That will net Zuckerberg about $1.1 billion.

But Zuckerberg won't be hanging on to his cash. Facebook said he will use the "substantial majority" of the windfall to cover the massive tax bill he'll be hit with, thanks to his plan to exercise a large stock-options grant that will increase his ownership stake in the company he founded.

After the offering, Zuckerberg will still hold 503.6 million shares, or about 31% of the company. That stake is worth $19.1 billion at the IPO price.

Venture capital firm Accel Partners, which is the largest shareholder outside of Zuckerberg, is selling 49 million shares in the offering. That's about a quarter of its Facebook holdings.

-- CNNMoney's Chris Isidore and Maureen Farrell contributed reporting.


Facebook's $16 billion IPO one of world's largest

NEW YORK (AP) -- Facebook's initial public offering of stock is shaping up to be one of the largest ever. The world's definitive online social network is raising at least $16 billion for the company and its early investors in a transaction that values Facebook at $104 billion.

It's a big windfall for a company that began eight years ago with no way to make money.

Facebook priced its IPO at $38 per share on Thursday, at the high end of expectations. The IPO values Facebook higher than Amazon.com and other well-known companies such as Kraft, Disney and McDonald's.

Facebook's stock is expected to begin trading on the Nasdaq Stock Market sometime Friday morning under the ticker symbol "FB." That's when so-called retail investors can try to buy the stock.

Facebook's offering is the culmination of a year's worth of Internet IPOs that began last May with trailblazer LinkedIn Corp. Since then, a string startups focused on the social side of the Web have gone public, with varying degrees of success. It all led up to Facebook, the company that's come to define social networking.

"They could have gone public in 2009 at a much lower price," said Nick Einhorn, research analyst at IPO investment advisory firm Renaissance Capital. "They waited as long as they could to go public, so it makes sense that it's a very large offering."

Facebook Inc. is the third-highest valued company to ever go public, according to data from Dealogic, a financial data provider. Only the two Chinese banks have been worth more. At $16 billion, the size of the IPO is the third-largest for a U.S. company. The largest U.S. IPO is Visa, which raised $17.86 billion in 2008. No. 2 is power company Enel and No. 4 is General Motors, according to Renaissance Capital.

The $38 is the price at which the investment banks orchestrating the offering will sell the stock to their clients. If extra shares reserved to cover additional demand are sold as part of the transaction, Facebook Inc. and its early investors stand to reap as much as $18.4 billion from the offering.

For the Harvard-born company that reimagined online communication, the stock sale means more money to build on the features and services it offers its 900 million global users. It means an infusion of funds to hire the best engineers to work at its sprawling Menlo Park, Calif., headquarters, or in New York City, where it opened an engineering office last year.

And it means early investors, who took a chance seeding the young social network with start-up funds six, seven and eight years ago, can reap big rewards. Peter Thiel, the venture capitalist who sits on Facebook's board of directors, invested $500,000 in the company back in 2004. He's selling nearly 17 million of his shares in the IPO, which means he'll get some $640 million.

The offering values Facebook, whose 2011 revenue was $3.7 billion, at as much as $104 billion. The sky-high valuation has its skeptics, who worry about signs of a slowdown and Facebook's ability to grow in the mobile space when it was created with desktop computers in mind. Rival Google Inc., whose revenue stood at $38 billion last year, has a market capitalization of $207 billion.

"There seems to be somewhat of a hype around the stock offering," says Gartner analyst Brian Blau.

That, of course, is an understatement.

Facebook's IPO dominated media coverage in the weeks and days leading up to the event. Zuckerberg's hoodie made headlines as did General Motors' decision to stop advertising on the site —and rival Ford's affirmation that its Facebook ads have been effective.

There are a few reasons for the exuberance. First, there's Facebook's sheer size and high profile. The company grew from a college-only social network created in Zuckerberg's dorm room at Harvard in 2004 to an Internet phenomenon embraced by legions of people, from teenagers to grandmothers to pro-democracy activists in the Middle East.

"It's probably one of the first times there has been an IPO where everyone sort of has a stake in the outcome," Blau says. While most Facebook users won't see a penny from the offering, they are all intimately familiar with the company, so it resonates as something they understand.

And then there's CEO Mark Zuckerberg, who turned 28 on Monday. He has emerged as the latest in a lineage of Silicon Valley prodigies who are alternately hailed for pushing the world in new directions and reviled for overstepping their bounds. He counted the late Apple CEO Steve Jobs among his mentors and he became one of the world's youngest billionaires — at least on paper — well before Facebook went public. A dramatized version of Facebook's founding was the subject of a Hollywood movie that won three Academy Awards last year, propelling Zuckerberg even further into the public spotlight.

Though Zuckerberg is selling about 30 million shares, he will remain Facebook's largest shareholder. He set up two classes of Facebook stock, building on the model Google co-founders Larry Page and Sergey Brin created as part of the online search leader's 2004 IPO. The dual class structure helps to ensure that he and other executives keep control as the sometimes conflicting demands of Wall Street exert new pressures on the company.

As a result, with the help of early investors who've promised to vote their stock his way, Zuckerberg will have the final say on how nearly 56 percent of Facebook's stock votes.

True to form, Zuckerberg and Facebook's engineers are ringing in the IPO on their own terms. The company is holding an overnight "hackathon" Thursday, where engineers stay up writing programming code to come up with new features for the site. On Friday morning, Zuckerberg will ring the Nasdaq opening bell from Facebook's headquarters.


Facebook IPO: 'FB' Stock Closes Close to IPO Price But Still Biggest U.S. Tech IPO

May 18, 2012 — -- The Facebook IPO generated intense attention from the media and investors on its opening day Friday, but it failed to generate much of a profit.

The stock closed at $38.23 in Nasdaq trading, up just 23 cents from its initial price, when many analysts had expected at least a jump of 5 to 10 percent.

As Max Wolff an analyst with Greencrest Capital Management put it, "this starlet tripped on the red carpet."

The market completed its worst week of the year, contributing to Facebook's disappointing closing price. The tech stock was one of the most-traded stocks on the Nasdaq, however.

The Nasdaq closed down 1.2 percent to 2,779 while the Dow Jones Industrial Average closed down 0.6 percent to 12,369. The S&P 500 closed down 0.7 percent to 1,295.

"Facebook closed up only a few cents but likely would have fared even worse if not for underwriters' buying every time the stock touched $38," Jim Krapfel, IPO analyst with investment firm Morningstar, said. "Facebook debuted at an inopportune time, as overall stock market weakness clearly pressured the shares. Had the company gone public a couple of weeks earlier, first day performance would likely have been much better."

After some technical hiccups, trading in Facebook's blockbuster IPO officially opened to an eager public today at $42.05 a share. The shares faded after that, touching the offer price of $38 numerous times throughout the day. The big investment houses that underwrote the share offering purchased the stock to keep it from falling below the offer price, sources told Bloomberg News and CNBC.

The trading day started with what is being reported as trading glitches at the NASDAQ, though officials at the exchange are not providing any clarifications for now.

Still, at $38, Facebook is priced more than 100 times its profit -- a steep premium compared with Google at 18 times earnings and Apple at 13 times.

Krapfel said he was surprised to see Facebook stay flat given the pent-up retail demand for its shares.

"Clearly concerns regarding the company's valuation, increased insider selling, and GM news are weighing on the stock. Weakness in the stock market over the last several days is also likely playing a significant role," he said.

Morningstar has valued the company at $32 a share but Krapfel had expected the stock to trade into $50 and above.

He said that Facebook's IPO was "overhyped."

"Everyone and their child was interested in the IPO," he said.

On Friday morning, Mark Zuckerberg, CEO and founder of Facebook, and COO Sheryl Sandberg gathered with a throng of cheering employees at the company headquarters in Menlo Park, Calif., to ring the Nasdaq's opening bell at 9:30 a.m. eastern time ahead of the social media network's long-awaited IPO.

"Right now, this all seems like a big deal," Zuckerberg said before ringing the bell. "Going public is an important milestone in our history. But here's the thing. Our mission isn't to be a public company. Our mission is to make the world more open and connected."

Trading of the company's shares, designated with the ticker symbol, "FB," was scheduled to begin around 10:45 a.m. eastern time but began almost an hour later because Facebook's underwriter, Morgan Stanley, was reportedly having trouble executing changing orders.

Facebook's $16 billion raised on Thursday evening, when it priced its shares at IPO, brought in more capital in one listing than all of the combined U.S. IPOs this year, which was $12.1 billion, according to Thompson Reuters.

"In the past eight years, all of you out there have built the largest community in the history of the world," Zuckerberg said to employees in Menlo Park Friday morning. "You've done amazing things that we never would have dreamed of. And I can't wait to see what you guys all do going forward."

Facebook will raise $18.4 billion including the full share overallotment, which is the second largest initial public offering in U.S. history behind Visa's $19.7 billion offering in March 2008. Visa's initial public offering was priced at $44 a share.

With a large monitor and stage set up outdoors in "Hacker Square," instead of visiting Nasdaq's New York exchange, hundreds of employees gathered in the early hours of the morning in California. Many of them had participated in Facebook's 31st "hackathon," a company tradition described as an overnight sleepover that encourages employees to work on anything but their normal work duties.

Nasdaq's CEO, Bob Greifeld, stood beaming next to Zuckerberg, 28, sans necktie, donning a t-shirt and clapping along with the other employees.

It was a long-awaited moment for the eight-year old company that started in the Harvard University dormitory, Kirkland House.

Not to abandon Wall Street completely, Facebook CFO David Ebersman reportedly was at the Nasdaq in New York City during the opening bell. Instead of scrolling the usual stock prices of the day, Nasdaq's digital billboard at its market center in Times Square this morning read, "Nasdaq Welcomes Facebook."

On Thursday night, Facebook priced its initial public offering at $38 a share, raising $16 billion and valuing the company at $104 billion. The company said it made $3.7 billion in revenue in 2011.

The company offered 421.2 million shares of common A-class stock, which includes 180 million new shares sold by the company and 241.2 million shares sold by existing shareholders, such as early employees.

The biggest IPO for a U.S. technology firm has gotten the attention of everyone from high school students to Wall Street professionals, many of whom are likely among the 900 million monthly users of the social media site.

Out of four recent technology IPOs -- those of LinkedIn, Zynga, Pandora and Groupon -- only LinkedIn has recently traded above its IPO price. LinkedIn's IPO price last May was $45 a share. Shares of LinkedIn were trading down around 5.8 percent on Friday late afternoon at $98.83.

While the IPO will make a number of billionaires out of early Facebook employees and investors, Facebook's lead underwriter, the investment bank Morgan Stanley, will also come out a winner by the fees it will earn. The investment bank determined who got shares of the company before shares are sold to the larger public on Friday.

Krapfel said the media hype and investor buildup are to be expected, despite Facebook's investment risks.

"It's the most hotly anticipated IPO of all time," Krapfel said. "Most of the U.S. population that uses the internet uses Facebook so there's no surprise there would be a lot of interest in the IPO. Certainly with this much hype, there's a lot of demand from investors."

A trend of other high growth tech offerings show that "the more the stock goes up in the first day, the more it declines in the ensuing weeks and months," he said.

ABC News' Lauren Pearle and Zunaira Zaki contributed to this report.


Assista o vídeo: Após pane global do Facebook Mark Zuckerberg perde mais de US$6 bilhões